1. Spirit Fanfics >
  2. Condamné à vie >
  3. Capítulo 6

História Condamné à vie - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem!!!
Obg
Bjs da Merlin ❤️💚

Capítulo 6 - Capítulo 6


Draco estava congelado, as coisas finalmente estavam se juntando em sua mente: os gritos, os ronronados, a maneira estranha que a garota estava agindo. Theo se afastou dele não por não confiar, mas sim porque queria proteger a irmã. Ele era companheiro de Hermione Nott, irmã do seu melhor amigo! Seu coração estava em pedaços em apenas imaginar na hipótese dele  ser o responsável pela morte da castanha, ele nunca se perdoaria. Em todos os seus anos estudando sobre o genes veela, ele nunca ouviu falar sobre veelas femininas com 75% do sangue, e agora ele descobriu ser companheiro de uma, uma que estava em sua frente, se contorcendo, chorando sangue, e as asas que brilhavam como ouro, algumas penas estavam se tornando pretas e ele, bom, ele continuava parado, sem saber o que fazer.

-VAMOS DRACO, AJUDE MINHA IRMÃ!- Theo já tinha feito o mesmo pedido diversas vezes, mas ele se esquecera completamente que o loiro não podia marcá-la, pois ainda não tinha passado pela transformação.

-ELE NÃO PODE FAZER ISSO! E-EU SOU A COMPANHEIRA DELE!-Astoria chorava, ela não podia aceitar aquilo! Draco era dela, e ela era de Draco!

Draco finalmente pareceu acordar quando os gritos de repente pararam, e Hermione, com um sussurro quase inaudível, o chamou.

-Draco…- E tudo ficou quieto. A discussão em sua volta era imensa, os gritos misturado com o choro de Astoria, mas ele simplesmente ignorou tudo e correu até a castanha. Ela estava quente demais e isso o assustou. Em um ato involuntário -  pode se dizer reflexo? Ou de fato preocupação? - Ele a abraçou. Draco colou o rosto de Hermione em seu peito e beijou o topo da sua cabeça,  finalmente podendo escutar sua fraca respiração. E era só isso que o importava.  E daí se seu uniforme antes branco, agora estava encharcado de sangue? Hermione estava respirando! E isso aquecia seu coração. Se esquecendo por completo de todos a sua volta, ele se levantou com o corpo de Hermione e saiu em rumo a enfermaria. Ele não estava ligando para todos os olhares direcionados a eles, apenas uma coisa chamava sua atenção: Hermione que se contorcia, agora parecendo apenas estar dormindo, o tranquilizando .

    Como ele já esperava a diretora McGonagall e Madame Pomfrey já os esperavam. Quando tentaram tirá-la do seus braços, Draco usou o meio mais primitivo para dizer “Não”, ele rosnou. Ele a deitou em uma das macas, e se sentou do seu lado, segurando a mão dela. Ele não a deixaria, isso não era nem uma opção, afinal aquilo era culpa dele. Sim, ele estava se culpando, ele não gostava nem um pouco de ver a garota sempre tão valente, com grandes argumentos, assim...parecendo tão frágil. Realmente era culpa dele.

       Horas, minutos, Draco não sabia ao certo, mas agora Madame Pomfrey já havia tomado as medidas necessárias em relação a Hermione. Aos poucos a garota voltava a se acalmar, as asas sumiram, assim como as garras e presas, e a respiração voltava ao normal, e isso acalmou o loiro.  Quando as visitas foram liberadas Theodore entrou na ala hospitalar mais rápido do que o Papa Léguas fugia do Coiote. Os olhos do moreno estavam inchados e vermelhos, Gina veio logo atrás e o abraçou, aparentemente eles se acertaram.

-E-eu pensei que tivesse perdido ela...ela é minha metade. Obrigado, Malfoy.

-Theo, eu não fiz nada, nem poderia, ainda não me transformei, mas nunca,nunca a deixaria morrer.

-Eu sei...me desculpa cara, eu estava nervoso.

-E eu sei! Foi mal, eu me senti traído por vocês, e acabei falando coisas demais...

-Que isso Draco, graças a você eu e Theo conversamos e finalmente admitimos tudo um para outro.

-Obrigado mesmo cara! Draco, desculpe mesmo nós confiamos em você, só que ela tem medo...medo de você a rejeitar, e eu a amo mais que tudo!

-Eu a marco, nunca vou deixá-la morrer Theo!  

-NÃO DRACO! VOCÊ NÃO PODE! - Astoria, gritou entrando na enfermaria.

-Asty, agora não.

-EU SOU SUA COMPANHEIRA!

-Isso a gente não pode afirmar. Só entenda uma coisa, eu não vou deixar Hermione morrer! Depois conversamos, aqui não é hora, nem lugar.

-Então vamos lá pra fora! Por favor!

-Cara, vai eu e Gina ficamos com ela.

-NÃO! Não vou deixar ela, não posso!

-DRACO, POR FAVOR!

-Astoria, você não tem o direito de pedir nada, você me traiu, ou se esqueceu disso? Depois conversamos.

-Draco, meu amor eu...eu sinto muito! Eu te amo!- Ele não conseguia olhá-la, ele realmente estava se sentindo mal.  Ele a amava,  amava como uma amiga, a amiga que sempre esteve lá quando ele precisou.

-Desculpe por isso Draco, afinal Astoria e sua namorada.- Theo, disse se levantando.

-Por incrível que pareça eu estou bem em relação a isso.

-Eu posso ficar com minha irmã. 

-Já disse que não vou sair daqui! - Ele já estava começando a ficar sem paciência, ele não iria deixá-la.

-Tudo bem, não precisa rosnar!- Draco revirou os olhos para o amigo, logo ele estava sozinho com a castanha.

-Hermione, por que não me disse nada? Eu jamais a deixaria morrer, nem que para isso eu morresse.- ele dizia isso baixinho, passando a mão nos cabelos cacheados da garota.

     E Draco permaneceu ali durante 3 dias, 3 dias dormindo em uma cadeira dura, mas se recusava a sair do lado dela. Na manhã do terceiro dia, Hermione acordou e se assustou ao olhar para o lado, e encontrar o loiro com a cabeça apoiada na beira da cama.

-Senhorita Nott, finalmente acordou!- Madame Pomfrey, disse começando a examiná-la- O menino Malfoy, estava com a senhorita esses tres dias, se recusava a sair, ele não deixou nem seu irmão ficar aqui! Vejo que já pode retornar às aulas amanhã, mas já pode sair da enfermaria.

   -Obrigada- Hermione estava extasiada com o que a enfermeira disse. Draco, seu companheiro, ficou ao lado dela na enfermaria esse tempo todo. Mas… E se ele tiver feito isso por pena? Ela não aceitaria nada por pena. Com um cuidado extraordinário, Hermione passou a mão nos cabelos loiros.

-Será que você seria capaz de me amar, ou faria tudo isso por pena?- Ela sussurrou para o loiro, que fingiu estar dormindo para evitar a conversa, pois ele sabia a resposta, e isso o assustou. Um tempo depois Draco, abriu os olhos e encarou a castanha, que tirou a mão rapidamente do cabelo do loiro.

-Estava tão bom! Finalmente você acordou, não aguentava mais dormir nessa cadeira!- Draco disse rindo.

-Não pedi pra você ficar aqui!- Hermione disse irritada.

-Realmente você está bem, fico aliviado. Não quis dizer isso, eu fiquei porque eu quis! Afinal que companheiro eu seria, se te deixasse aqui, sem minha ilustre presença.- Hermione arregalou os olhos, e Draco gargalhou.

 -O-obrigada!- Madame Pomfrey chegou e praticamente os expulsou da enfermaria. Hermione praticamente fugiu de Draco, e correu para perto do lago negro, ela tinha que pensar. Ela jamais aceitaria nada por pena.

Seu momento de paz durou muito pouco tempo, pois um loiro, que ela sentiu o cheiro de longe se sentou do seu lado e simplesmente disse:

-Precisamos conversar. 




Notas Finais


ME CONTÉM TUDINHO!!!!
O que acharam?

Obg
Bjs da Merlin ❤️💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...