História Condenado a tu amor (Jeon Jungkook) - Capítulo 5


Escrita por: e Blussy

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jeon Jungkook, Proibido, Romance
Visualizações 437
Palavras 1.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - V. Jealous


Fiquei um pouco insegura, quando Taehyung pediu ao Jeon para que ele deixasse-me levar conhecer a empresa. Pensei que o moreno fosse impedi-lo, porém não foi o que aconteceu, já que aceitou prontamente.

Já que ele estava sendo indiferente comigo, iria aproveitar a companhia do loiro ao meu lado, que convenhamos, apesar de ser um safado, é gatissimo!

Saímos da sala do Jeon, e começamos a caminhar lado a lado pelos corredores. O Kim me contava tudo sobre a empresa, desde o que eles fabricavam, até sobre os escritórios e as funções. Estava tudo indo maravilhosamente bem, até que ele me convidou para conhecer sua sala. Mesmo receosa aceitei, entramos e observei cada detalhe. Móveis em madeira rústica, uma mesa com uma confortável poltrona de couro, e uma bela vista da cidade.

Fiquei parada em frente ao vidro, observando os carros que passavam lá embaixo, como se fossem miniaturas, mas me alertei assim que uma mão repousou em minha cintura. Olhei para trás e Tae estava ali, apoiado atrás de mim.

— Bonita vista. — falei tentando achar algum assunto, e sair de seu toque. Porém ele me virou, colocando minhas costas contra o vidro, mantendo suas mãos em minha cintura.

— É bonita... Mas não tanto quando você. — abriu um sorriso um tanto fofo, mas a palavra fofo estava bem longe da personalidade do Kim. Realmente era um leão, na pele de um gatinho.

— Obrigada senhor Kim...

— Me chame de Tae, sem formalidades, por favor. — falou colocando uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha, enquanto olhava atentamente para mim. — Me desculpe parecer atrevido, mas realmente estou encantado por você.

— Tae, não podemos.— sussurrei, sentindo seu longo dedo tocar minha face.

— O que te impede? Hum? Seria Jeon Jungkook?

— Ele não tem nada a ver com isso. Apenas não sei se quero me relacionar com alguém. Já tive algumas decepções enquanto a isso. — me virei novamente, ficando de costas a ele, para colocar meu olhar em qualquer lugar da paisagem, mas me arrependi ao fazer isso. Tae colocou ambas as mãos no vidro, me deixa sem saída entre seu corpo e a parede transparente.

— Eu não vou te decepcionar ________. Eu nunca decepciono ninguém. — sua voz grossa saiu um tanto sensual, e com duplo sentido, me causando um certo arrepio.

Uma de suas mãos, tocaram o meu ombro, descendo suavemente pela minha coluna, até a minha cintura, onde apertou-a levemente. Desceu até meu joelho, e foi subindo por minha coxa vagarosamente, quase levantando meu vestido. Oh céus! Porque não tenho forças para empurrar este homem para longe, e dar um basta nisso?

Tomei coragem e sai dali, me encostando em sua mesa, um tanto nervosa com a situação.

— O que foi, linda? — perguntou ficando de frente para mim novamente.

— É muito cedo para isso. Mal nos conhecemos. — passei a mão por meus fios, jogando-os para trás.

— Me desculpe por isso, prometo que não irá se repetir... Só se você quiser. — arqueou uma sobrancelha e ri sem humor negando com a cabeça.

Seu telefone tocou naquele momento, e Tae mantendo sua pose séria novamente, foi atender.

— Tudo bem Lola, obrigado por me avisar. — respondeu depois de ouvir por alguns segundos. Desligou o telefone e suspirou frustrado.

— Seu t... Quer dizer Jungkook está nos procurando. A secretária dele disse que ele está desesperado atrás de você.

— Depois de horas se lembrou que eu existo. — ri baixo.

— Jeon deveria-te deixar mais livre. Essa super proteção deve ser um tanto sufocante. — Tae disse indo até a porta e indicando para que saíssemos dali. — Melhor que ele não nos veja em minha sala, ou pode pensar bobagens. Não quero que ele saiba do meu interesse em você, pelo menos não agora... — fechou a porta atrás de nós, e nos encaramos.

Seus olhos em meus lábios, os meus no dele. Parecia cena de filme, quando o casal está prestes a se beijar. Até que fomos cortados por um pigarro, afastando-nos um do outro.

— Procurei vocês pela empresa inteira! — Jeon ditou sério. — Porque a trouxe aqui justo na sua sala? — fuzilou o amigo.

— Vim buscar meu celular. Esqueci aqui, e tenho alguns compromissos daqui há algumas horas. — Tae disse na maior cara de pau, e mantendo a pose séria.

— Tem certeza disso? — Kook insistiu desconfiado.

— Kook, claro que ele tem certeza! Tae foi uma ótima companhia e me mostrou e contou cada detalhe da empresa. Foi muito atencioso comigo.

— Me desculpem, ando com a cabeça cheia com tantos papéis para resolver.

— Vá descansar Kook, acho que ficar na empresa só te fará achar mais problemas para a cabeça. — o Kim falou.

— Acho melhor mesmo. Vem ________, vamos para casa. — assenti e acenei para Taehyung, que fez o mesmo enviando um beijo discreto, assim que o moreno deu as costas.

Caminhamos pelos corredores em silêncio, pegamos o elevador, e assim que chegamos no hall da entrada, uma loira muito formosa, acenou para Jungkook, em seguida lançando-me um olhar não muito satisfatório. Ignorei-a.

(...)

O caminho para casa estava silencioso. Jungkook apertava o volante e mantinha seu olhar fixo nas ruas, fato que começou a me deixar incomodada. Odiava quando ficávamos assim, por mais tenso que o clima entre nós estivesse ultimamente. 
Jeon estacionou o carro em frente a nossa casa, e desligou-o.

— Ele tentou algo com você? — perguntou, ao tirar o seu cinto.

— Não, o Tae não tentou. — menti.

— Que bom. Quero que você encontre alguém, mas o Taehyung não é o certo para você. — falou e nos olhamos.

— E quem é o certo para mim, Jungkook? — perguntei, mas ele permaneceu calado. O silêncio nos dominou novamente e então seu celular tocou.

Jungkook atendeu e era sua "amável" mãe. Revirei meus olhos, e sai do carro, Jeon fez o mesmo.

Entramos na casa, enquanto ele conversava com ela, e sua expressão não era das melhores. Assim que desligou, me encarou como se algo lhe incomodasse.

— Aconteceu alguma coisa?

— Ela quer vir jantar aqui amanhã.. disse que tem algo importante a nos dizer. Espero que você não se importe, sei o quanto ela tem sido desagradável com você.

— Não tem problemas. Já aguentei tanta coisa na vida e acima de tudo ela é sua mãe, e essa é a sua casa.

— Nossa casa. — me corrigiu. — Não diga como se você fosse um incômodo para mim. Você sabe que tudo que é meu, também pertence a você. — levou sua destra até minha face, acariciando-me, e por um momento fechei meus olhos, aproveitando o carinho. Meu olhar se elevou para cima, até encontrar o dele. Jungkook me olhava sereno, parecia que estava prestes a fazer algo, porém se afastou e seguiu para a cozinha.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...