História Condenados - Interativa - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Interativa, Romance, Zumbi
Visualizações 28
Palavras 1.980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ooie?? e.e
Seria um milagre?
Eu, postando sem demorar dez mil meses? asuhsahuashhu
Amores, então né eu consegui escrever e enquanto eu conseguir escrever nós faz. <3
Falo, nós como se fosse mais de uma pessoa, mas não é só eu mesmo.

Temos dois pontos de vista nesse capítulo \o/

Não, eu não revisei o capítulo, qualquer erro avisem nos comentários que eu arrumo.

Boa Leitura \o/

Capítulo 4 - Capítulo 3 - Sem Cálculos


Fanfic / Fanfiction Condenados - Interativa - Capítulo 4 - Capítulo 3 - Sem Cálculos

• Domingo.

•►Narração por Wiley Baker.

Onde eu fui me meter? Onde meus pais foram me meter? Que droga! Por que infernos eu fui invadir a casa dos outros? Já não basta está em um lugar cheio de pessoas, tenho que aguentar e ficar parado sem fazer merda nenhuma.

Continuo concordando e assentindo para a garota que não para de reclamar da vida. Qual o nome dela mesmo? Ah sim, Candice Waldorf. Não que eu me importe, mas é que só talvez eu tenha me sentido culpado naquele momento que ocorreu no ônibus então vim meio que me desculpar, sem pedir desculpas. Agora ela está reclamando de alguma coisa que eu sinceramente não consigo prestar atenção, mas continuo fingindo que estou. Ela é uma garota linda, porém a personalidade é podre, há primeira vista parece ser isso.

Candice parece ser a típica rainha do baile que manda nas servas e odeia as que estão níveis abaixo do dela. Esnobe demais essa garota, puta merda. Porque infernos eu vim aqui mesmo.

— Relaxa, não foi nada pessoal, eu só queria descer do ônibus. Só vim falar isso. — falo logo depois que ela termina uma frase e me olha com um olhar ameaçador.

— Não dá. Aqui eu me sinto como todos vocês e-

Passo a mão na região da orelha dela tirando da mesma uma flor que por sinal eu já tinha pego antes sem ela ver e recebo um olhar incrédulo ao interromper ela. Ela pega a flor com um pouco de raiva me fazendo sorrir.

— Sério, Candice, relaxa! Infelizmente estamos todos no mesmo “barco”. Se ficarmos nos estranhando vai tornar tudo mais difícil, temos três semanas para não nos matar. — falo vendo-a amenizar a expressão.

Bom, vocês vão ter três semanas eu vou é dar no pé logo menos. É só pra isso que estou aqui mesmo. Não vou perder mais tempo do que o necessário, ficar em um acampamento cheio de gente é triste para mim e chega a ser o ápice do tédio.

— Vamos dormir a luz das estrelas hoje. Não acho uma boa ideia ficar com esse salto. — falo e aponto para os sapatos dela e ela continua me encarando sem expressar nada. Todos são delinquentes né? Mas essa garota parece que precisa comer uns miojo a mais na vida, tenho certeza que se eu empurrar ela de leve ela voa. Não consigo entender a estrutura corporal dela pra ficar em cima de um salto deste tamanho. Socorro, porque ela veio de salto pra cá? Me pergunto também porque infernos tem garotas de salto na floresta? Não faz sentido nenhum. Continuo falando. — Amanhã, resolvemos seja lá o que for ok. Você é uma garota linda e inteligente então só relaxa e deixa a coitadinha da garota.

— Não defende ela. Não é possível que vocês gostem de alguém daquele tamanho. — ela diz baixo e olha para a flor que é uma primrose branca — Dá onde você tirou essa flor? Só vejo verde por aqui.

— Não estraga a mágica e aceita a florzinha como um pedido de paz, ok? — digo e caminho lentamente em direção a fogueira — Não é questão de gostar Candice, é só que ela não fez nada pra ninguém.

Volto a andar em direção a fogueira sem esperar uma resposta dela e pego na minha mochila que está ao lado de um monte de outras quase do lado da fogueira uma barra de cereal nutritiva e a como em duas mordidas.

Jogo o plástico na fogueira e volto a andar, só que dessa vez em direção a garota gordinha na qual não lembro o nome e o garoto que estava sentado ao lado dela no ônibus. Olho em volta só pra ver se o resto do pessoal está fazendo outras coisas. Bom, se fazer outras coisas for ficar parado olhando pra fogueira e hora ou outra abri a boca pra falar com o ser humano do lado for fazer algo, nossa senhora que maravilha de acampamento. Odeio isso aqui, é tediante. Reparo em uma garota que ainda está olhando para mim e sorriu acenando discretamente e ela desvia o olhar, dou de ombros e finalmente chego nos dois pombinhos que estão apreciando as estrelas e escuto uma parte da conversa que é o suficiente pra entrar nela. Eu não sei como não me perceberam aqui ainda, mas ok.

— Queria saber onde estamos, não só “a floresta para delinquentes.” — murmura a garota — Deve ser por causa da localização que não dá pra ver nenhuma constelação.

— Realmente. Fomos simplesmente jogados aqui. — digo em resposta, me posicionando para ver o rosto dela. Vejo ela me encarar de volta.  — Sou o Wiley Baker.

— Oie Wiley, sou o Lucks. — ele diz também sem se dar ao trabalho de levantar.

— Ellie. — ela fala em seguida.

Sorrio para os dois e me sento ao lado do Lucks que continua deitado.

— Posso dormir aqui com vocês?  — pergunto, me espreguiçando.

Vejo eles trocarem olhares e os dois olham para mim. Arqueio a sobrancelha e Ellie assenti com a cabeça, mas volta a olhar para as estrelas.

— Fica de boa ai. — Lucks sorri — Vamos ser o grupinho dos menos estranhos de todo o resto.

Ele brincou e eu riu junto a ele. Ellie só esboça um sorriso, mas fica quieta. Olho para o céu vendo as estrelas e me deito também.

— Vocês acreditam em signo? — Ellie pergunta, quebrando o silêncio.

— Nunca pesquisei sobre, mas acho legal as coisas sobre astrologia. — respondo simples — Sei também que sou de gêmeos com ascendente em aquário, porque uma amiga me disse. — sorriu ainda olhando para as estrelas.

— Tem quantos anos Wiley? — Dessa vez a pergunta veio de Lucks.

— Dezenove e você? — falo um pouco rápido.

— Vinte e dois. — me responde — Sou o mais velho. — reviro os olhos e sorriu. Então tem uns caras velho nesse acampamento, velho com cara de dezoito que maravilha.

— Como você sabe que é o mais velho? Nem falei quantos anos eu tenho. — Ellie diz e olhamos para ela.

— Desculpe, Ellie. Mas nem de longe você parece ser mais velha que um de nós dois aqui. — Lucks diz com a voz um tanto brincalhona? — E respondo sua pergunta… Não sei responder exatamente, mas eu não acredito que minha personalidade está ligada ao dia de posição de estrelas em que nasci. Eu também sou de gêmeos, mas minha lua é em capricórnio e a minha ascendência é em leão.

— Não entendi! Você não acredita, mas sabe de tudo isso sobre seu signo? — Ellie questiona e olha para ele.

— Sabe como é, né? Virou modinha esse lance e eu como qualquer pessoa na terra fui fazer aquele negocio na internet. Não lembro o restante das respostas. — Lucks ri e eu o acompanho, porque é, a modinha chega em todo o mundo.

— E você Ellie, acredita? — questiono e dessa vez ela olha pra mim.

— Áquario e eu acredito sim nos aspectos. — responde direto — E sim Lucks, eu só tenho dezoito anos.

— Imaginei. — eu e Lucks falamos ao mesmo tempo o que arrancou umas risadinhas baixas de nós três.

Voltei a olhar para o céu vendo as estrelas sem sentido algum com nada. Minhas palpebras começam a fechar.

 

• Segunda.

•►Narração por Candice Waldorf.

Acordei com o sol batendo no meu rosto e espirrei em seguida por conta do frio. Sentei na grama e coloquei meus saltos de volta por sentir meus dedinhos congelando pela brisa quase cortante do frio.

Desgraçados desses responsáveis que nós deixam em uma mantinha e se pegarmos uma pneumonia? Encaro a fogueira que está só saindo uma leve fumaça e me levanto. Caminho até a fogueira pra sentir um pouquinho de calor e analiso o local vendo todos dormirem como se o sol nem estivesse em nossos rostos ainda. Bufo em frustração. Não sei o que fazer, devo ou não acordar essas pessoas?

Ando para o outro lado da fogueira procurando o Wiley, sei que ele não vai tentar me matar ele parece ser uma pessoa legal. Levo a mão a minha orelha sentindo a flor que ele me deu um pouco amassada, mas ainda está aqui. Ela não vai durar muito mesmo.

Controlo minha respiração ao ver a tal garota deitada ao lado do garoto que não foi nada gentil comigo. Ela está encolhidinha centímetros perto dele e vejo Wiley com a cabeça encostada no ombro do outro e o mesmo com o braço por cima dele. Pelo menos alguém aqui não está passando frio hoje, seria engraçado se eu não estivesse sentindo tanto frio agora.

Me aproximo da garota e chuto o estômago dela vendo-a se encolher na hora, caminho como se nada tivesse acontecido ao lado do Wiley que só resmungou pelo barulho da garota que por sinal me deixou bem satisfeita. Me abaixo e cutuco o rosto bonito do garoto.

— Wiley. Wiley! — chamo baixinho para não incomodar tanto.

— Que… — ele resmunga.

Isso nem pareceu uma pergunta. Olho para o garoto na qual Wiley se agarrou mais ainda e suspiro. Cutuco o outro também que só agora resmunga por alguma coisa. Oxi? Esse povo tomou remédio pra dormir.

— Qual o seu problema? — a garota fala alto me fazendo encolher os ombros pelo barulho desnecessário.

Sorriu, mas não digo nada. Apenas ignoro e volto a cutucar o Wiley.

— Wiley, acorda. — falo ainda baixo.

Dessa vez os dois garotos abrem os olhos e a garota resmungou ainda com a mão no estômago.

— Que foi? — ele dessa vez parece está prestando atenção.

— Sei que vocês estão quentinhos aqui, mas eu preciso que me ajudem a acordar esse monte de gente e arrumar um lugar para fazemos o que temos que fazer. — digo.

Ambos os garotos se encaram e se sentam em uma velocidade surpreendente. Com certeza isso foi constrangedor para eles. Nem se conhecem e já estão se agarrando durante a noite. Isso que é química.

— Bom dia, Candice, Ellie e Lucks. — Wiley fala rápido.

— Bom d- — o tal Lucks diz, mas se interrompe ao olhar para Ellie que está fazendo drama. Nem foi tão forte, estou usando salto não tinha nem como ser forte as banhas devem aliviar mais ainda a dor dela — Que foi Ellie?

Ela me olha e em seguida Lucks olha pra mim.

— Que? — me faço de desentendida.

— É cedo gente, vamos dar um tempo? — Wiley diz com a voz rouca de sono.

— Ela me chutou! — ela acusa, me fazendo revirar os olhos.

— Me poupe de suas acusações garota, eu jamais colocaria meu pé em você. Está frio é capaz de eu acabar tendo uma lesão se eu fizer algum movimento brusco usando salto. — me defendo.

Obrigada aulas de teatro.

— Então prova. — Lucks fala e eu concordo com a cabeça.

Me sento no gramado e tiro ambos os saltos. Lucks encosta no meu pé e graças ao bom deus eles ainda estão dois cubos de gelo e Wiley puxa meu tornozelo pra conferir também.

— Agora quero ver a prova dela pra dizer que eu a chutei. — falo séria voltando a colocar meus sapatos.

Milagre é eu realmente não ter torcido o meu  pé com o chute que dei nela. Já estou livre dessa vez e nem precisei calcular nada.

— Vamos lá, levanta a blusa e mostra sua “marca” — zombo vendo-a se levantar e sair andando. Seguro meu sorriso vitorioso — Ela não estava com dor?

Wiley e Lucks se olham e voltam a olhar pra mim. Ambos levantam e Wiley me ajuda a levantar, também.

— Então vamos acordar esse monte de gente? Ou ir procurar um lugar pra tomar banho? — Wiley se espreguiça e boceja ao mesmo tempo.

— Eu vou procurar um lago ou coisa assim e a…

Lucys começa e para olhando pra mim.

— Candice, me chamo Candice.

— Eu e a Candice vamos procurar o lago e você e a Ellie acordam as pessoas pode ser?

Concordo eo Wiley faz o mesmo.

— Até daqui a pouco então. — Wiley murmura e sai andando.

— Vamos? — Lucks fala e eu forço um sorriso.

— Vamos!  

Continua...


Notas Finais


Então aqui está \o/

Gente, eu sei que vocês não gostam da Candice e agora devem gostar menos ainda auhshusahusa Só que assim ela é filha da puta, mas é uma das filhas da puta mais inteligente da fic, não é a única, mas é uma das mais inteligentes.

Só vou falar isso porque não quero dar spoiler ahusahusuh então é isso.

Comentem e mais uma vez, até a próxima.

Kissus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...