História Condmend Souls - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kylie Jenner
Visualizações 248
Palavras 2.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


• gostei bastante de escrever esse cap, espero que vocês gostem, boa leitura 📖💙

Capítulo 6 - Só ela consegue.


Fanfic / Fanfiction Condmend Souls - Capítulo 6 - Só ela consegue.

Brook Argent 

— Responda, Brooklyn. Estou esperando sua resposta. — Justin alterou seu tom de voz, enquanto me encarava raiva com seu corpo pressionando o meu. 

Minha expressão não negava todo meu nervosismo, eu sentia meu corpo tenso. 

Eu não sabia como responder. 

O empurrei, seguindo para o escritório, não queria que os garotos ouvissem. Sentia os passos pesados de Justin atras de mim, junto à sua respiração ofegante. Sei que ele quer me estrangular no momento. 

Quando nós passamos pela porta de seu escritório, ele a bate com força. Eu apoio minha bunda na sua mesa, e ele fica na minha frente, alguns metros de mim. 

Eu fecho meus olhos, pensando em qual mentira iria contar. Mas eu me praguejo ao lembrar que Justin me conhece muito bem, ele reconheceria todas elas. Argh! 

Teria que contar uma parte da história, não toda ela. Mas eu não sei como, sei que resultaria em conflitos de qualquer jeito, teria que encontrar um jeito de poupa-lo de querer matar um inocente assim que contar. 

— Não é nada que você precisa se preocupar, Justin. — eu digo com a voz mansa, mas firme, ele sabe que não sou tão melosa e desconfiaria de algo, até mesmo se o chamasse de "babe", saberia que estaria tentando distrai-lo. 

— Não é nada? — ele respondeu rindo nervoso. — Minha mulher está com cicatrizes, e não é nada? — ele elevou o tom. — Como eu não vou me preocupar? Eu quero o nome do responsável por isso, porque esse arrombado vai estar morto até o final do dia. — ele estava descontrolado. Veio até a mesa, jogando os copos com vestígios de uísque na parede, ele fechou o punho e bateu com força na mesa. 

Eu respirei fundo. 

Ele estava de frente para mim agora, com sua respiração descompensada, seus olhos transbordavam raiva. Coloquei minhas mãos em seu rosto, acariciando, na tentativa de acalma-lo. 

Ele fechou os olhos. 

— Isso já está resolvido, Bieber. — eu disse firme, tentava não falhar na minha mentira. — Eu me envolvi com algumas coisas no México nos dois anos que estávamos separados. 

— Nós não estávamos separados. — ele disse com a voz calma, como se aquilo fosse óbvio e o maior absurdo que eu já havia falado. Eu revirei os olhos querendo rir. Pelo menos ele havia se acalmado. 

Ele envolveu os braços em minha cintura, me trazendo para perto de seu corpo. Eu passei minhas mãos pelo seu pescoço. 

— Enfim... Eu estava tentando conseguir território lá, até porque tenho raízes latinas. — dei de ombros. — Eu roubei algumas cargas de alguns traficantes, e esse foi meu preço, mas eu consegui escapar, eles devem estar queimando no inferno agora. — eu disse sorrindo no final, tentando convencê-lo. 

A parte que eu estava tentando conseguir território no México era verdade, mas eu estava tendo êxito nisso. Não tive problemas. Mas então aconteceu... Eu me lembro de ter recebido um golpe na cabeça enquanto arrumava meu apartamento, algumas horas depois eu acordei amarrada. Eu me lembro de poucas coisas, tenho certeza que eles haviam me drogado, até hoje não fazia idéia de quem havia feito isso comigo. Me lembro do nome "Bieber" ter sido mencionado, carregado de raiva. Eu sempre fui forte, não relutei, nem implorei por piedade. Eu apenas tentava me curvar para tentar proteger meu ventre, o que foi uma tentativa falha. 

Recebi chutes, socos, facadas, ferros quentes queimando o meu corpo. Eu fui torturada. 

Eu não queria que Justin soubesse disso, nunca mais seriamos os mesmos. Sei que ele lutaria por vingança até conseguir, eu também queria isso, mas não tenho uma pista desde que aconteceu. Eu resolvi esquecer e seguir minha vida como sempre fiz. 

Ele me olha, me olha... e me olha.

Há tanta intensidade. 

— Você me deixa louco... — ele diz se curvando sobre meu pescoço. Ele beija, depois chupa. — Eu fico louco só de pensar em alguém te ferindo, de qualquer forma. — ele sussurra em meu ouvido. Eu estremeço. 

— Espero que você não esteja mentindo para mim, morena. — ele diz com seu olhar firme sobre mim. — Você e sua proteção são prioridades em minha vida, você sabe. — eu concordo, fechando os olhos. 

Ele beija meu pescoço mais uma vez. Eu aperto seu corpo contra o meu. 

Sua boca chega até a minha. O beijo, com volúpia e vontade. 

Ele não era gentil e nem cuidadoso com seus toques sobre meu corpo. Ótimo, eu gostava desse jeito. Do jeito que ele faz! 

Ele tira a minha peça de roupa de cima, chupando meus mamilos, ele deixa marcas por ali, eu adoro. 

Enquanto me chupa igual um bebê faminto, ele tira minha calça e abaixa a sua, e depois tira sua camisa. Eu me surpreendo ao ver minha aliança pendurada em seu pescoço em uma corrente fina de ouro. Eu tento não demonstrar o quanto aquilo me deixa feliz, e o beijo. 

Ele brinca com seu pau em meu clitóris, ainda por cima da minha calcinha transparente, é fácil ele deslizar por ali, pois estou encharcada. 

Eu cravo minhas unhas em meu braço, arracando seu sorriso mais sacana. 

Ele gosta de me torturar. 

Ele afasta minha calcinha pro lado, se abaixa e da um beijo junto com uma chupada em minha intimidade. Eu solto um gemido manhoso. 

Ele me penetra sem avisos, com vontade. Um gemido de alívio é solto por mim, como é bom ser preenchida pelo meu homem. Em minutos ele está em um ritmo enlouquecedor. Ele me fode com força e rápido. Ele aperta e segura minha bunda com possessão e brutalidade.

Eu mordo os meus lábios, e ele se enclina para me beijar enquanto me fode gostoso! Eu não deixo de gemer contra seus lábios, o estimulando a aumentar ainda mais o ritmo quase violento. 

Eu grito quando atingo meu orgasmo, eu estou sensível, mas ele ainda me fode, logo meu amor goza dentro de mim. 

 

Justin Bieber

Minha visão é perfeita.

Brooklyn está nua na banheira de nossa suite enquanto se banha e bebe seu precioso vinho, enquanto come alguns morangos. Ela solta alguns gemidinhos enquanto mastiga o morango, aquilo me excita! 

Percebo o quanto ela está relaxa nesse momento, posso dizer que há quase um sorriso em seu rosto, sem ao menos eu estar perto dela. Ela está feliz e tranquila. Isso é o suciente para mim. 

Eu não acreditei cem por cento na história que ela me contou. Brook nunca ficou tensa ao me contar quando se envolvia em algum problema, mesmo eu ficando puto, ela era muito orgulhosa para isso, sempre conseguia se resolver sozinha, e quando não, não se abalava por isso. 

A vontade era de voar até o México e matar todos traficantes até encontrar quem ousou tocar em minha mulher. Mas estava tudo tão tranquilo entre nós nesse momento, eu queria aproveitar isso. Sempre vamos do céu até o inferno em poucos minutos, queria aproveitar nosso paraíso por agora. 

Brook era minha. 

Brook era minha porque eu conheço todas sua manias insuportáveis, sei como deixá-la brava, e quanto tempo demora para ele me perdoar e se entregar novamente a mim e ao meus beijos. 

Eu sei todos os cantinhos dela. Eu sei quando ela nega, mas quer. Eu sei quando ela diz não, mas quer que eu insista. Eu sei onde toca-la. 

Infelizmente eu também sei a ferir como ninguém, a dizer palavras que a magoam, aprendi isso da pior maneira. Mas eu sinto que já fui perdoado.

Brook é minha porque eu sei que ela gosta de se sentir assim, só minha. Minha mulher, minha morena, o meu anjo. 

Ela era toda minha porque quando deita sobre meu peito e seus lindos olhos encontram os meus, vejo e sei que ela está totalmente ali para mim, seus pensamentos, sua entrega. 

Como agora. 

Ela me olha curiosa. Estou no batente na porta, escorado. Observando o quanto minha mulher é linda sem nenhuma maquiagem, com alguns fios do seu cabelo que se soltavam. 

Eu sei que alguma coisa a incomoda. Mas eu apenas quero estar com ela. 

Eu tiro minha roupa, e sento atrás dela na banheira. Beijo suas costas, sei que ela sorri. 

Ela se vira para mim, senta em meu colo, de frente pra mim. 

Suas unhas passa pela sua assinatura tatuada em meu peito. Ela beija suavemente. Ela passa suas mãos pelo meu peitoral e me beija. Sei que ela quer me acalmar, e ela consegue, só ela consegue.

Ela rebola em cima do meu colo, e logo meu pau já está duro feito pedra novamente. 

Ela monta em cima de mim, rebolando gostoso. Seus seios fartos batem sobre o meu corpo quando ela quica. Porra! 

Ela geme. 

Minha visão é perfeita! 

 

 

Brook Argent

Um dia depois 

— Ele fez o que? — eu grito quando descubro que Justin  prendeu Isabella para conseguir informações sobre mim. 

Estávamos todos no galpão principal. Precisamos reunião as equipes e começar os planos de ataques e alguns roubos. Todos os garotos estavam presentes da equipe de Justin, apenas Isabella, Derek, Gael e Dean estava aqui da minha, eles eram os essenciais. Meu precioso marido ainda não havia chegado. 

Era melhor Justin ficar onde estava pois nossos dias calmos acabariam após ele atravessar aquela porta. Eu o mataria. 

Todos discutiam e gritavam ali. Ninguém estava de total acordo sobre a união. 

Todos pararam quando Justin entrou, atirando para o alto. Eu revirei os olhos. 

Eu o olhei. Uma loira estava ao seu lado, ela tinha um sorriso sem graça em seu rosto. Que merda era aquela? 

Eu sinto meu corpo se encher de raiva e ciúme quando percebo que as mãos daquela maldita segura o braço do meu marido. 

Mas eu guardo para mim. 

— Anjo, essa é Lia, ela é nova na equipe. — ele me conta sorriso, mas eu não expresso nenhuma felicidade. Ele queria o que? Uma festa de boas-vindas? 

Lia era gata, porra, como era ela. Uma loira, alta, dos olhos azuis. Ela poderia ser modelo em vez de se envolver no tráfico. 

— Não sabia que estavamos fazendo contratações novas. — digo cruzando os braços. 

Ela olha para Justin. Posso matar os dois nesse momento.

— Ela é nova para você, já está na equipe há um ano. — ele tenta não ser rude. 

Meu ciúmes aumenta. 

Eu me acho gata pra caralho. Mas sempre achei meu corpo demais para apenas 1,62. Justin me ama, e ama meu corpo, mas não posso deixar de sentir ciúmes. 

Os olhos mais uma vez. Tento sorrir e viro as costas. 

Caminho até a mesa de reuniões, senti entre Ryan e Chaz. 

Sei que Justin não vai reclamar de meu comportamento. Ele sabe que não me dou bem com mulheres, faço mais amizade com homens, desse meu comportamento ele reclama. A única amiga em meus 24 anos que fiz foi Lauren. Mulheres não são confiáveis, nós somos perigosas demais quando queremos. 

— Vamos começar logo com isso. — eu digo impaciente. Justin me olha, sei que não o incomodei, mas ele me olha irritado. Ele e Lia se sentam. 

— Eu não gostava da idéia de Lia na equipe, mas agora que eu sei que ela faz ciúmes em você, eu amo. — Ryan cochicha em meu ouvido. Eu reviro os olhos. Pego a caneta em cima da mesa, e enfiou no meio das suas pernas, ele grita, e Chaz ri ao meu lado, assim como os outros, me fazendo sorrir amarelo para ele.

— Ainda falta Zion. — Aiden diz mechando no celular e eu me remexo na cadeira, ouvir aquele nome me incomoda, mesmo sabendo que não era as mesmas pessoas, não era possível, era?

— Não falta mais. — uma voz masculina forte e firme invade o local. Eu estremeço.

Merda.

Porra.

Não pode estar acontecendo isso comigo! 

Ele faz um toque com Justin, eu tento evitar olhar para os dois.

— Brooklyn. — Justi me chama, eu os olhos. Zion parece surpreso ao me ver, mas ele disfarça. Assim como eu. — Esse é Zion, ele também é novo na equipe. — eu apenas concordo. — Zion, essa é minha esposa. — Justin diz sorrindo para ele, que parece surpreso, mas disfarça mais uma vez.

Ótimo. Eu estava fodida, e não era pouco. 

 

 


Notas Finais


• da onde vocês acham que Brook e Zion se conhecem??
• os novos personagens chegaram para causar discordia no nosso casal (ainda mais) rsrs 💙

🥀 Lia Maxwell como Martha Hunt
🥀 Zion Skriver como Zayn Malik



COMENTEM OQ ESTAM ACHANDO 💙💙💙💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...