História Conexões - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Monsta X
Personagens Chanyeol, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Won Ho
Tags Chanbaek, Jikook, Minuk, Minukwo, Namjin, Sope, Vkook, Vminkook, Yoonseok
Visualizações 27
Palavras 3.612
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vou colocar aqui mesmo. Me desculpem erros ou palavras aleatórias no decorrer no cap, porque infelizmente não tive tempo de revisar, pois postei isso muito tarde, então por favor tentem entender, não me culpem, culpem meu teclado e corretor automático!

Capítulo 30 - Eu posso ajudar em seu cio.


Fanfic / Fanfiction Conexões - Capítulo 30 - Eu posso ajudar em seu cio.

POV's Hyuk.

Eu tive ideias precipitadas sobre o Jay, mas agora eu percebi que ele é muito legal, ele está o caminho inteiro dirigindo e puxando assunto conosco. Fiquei espantado em descobrir que ele já tem 30 anos. 

Já a Min que estava toda carinhosa hoje mais cedo no ônibus com ele, agora não trocou nenhuma palavra com o alfa. Deve ser a bipolaridade dos ômegas, se não for ai eu já não sei que porra tá acontecendo com aquele projeto de macho.

— Muito obrigado senhor Jay, chegamos em nosso destino. — Tento rebater sua fala mais sou impedida pela mesma. — A gente mora bem ali, pode nos deixar aqui mesmo. — Ala, pura bipolaridade. 

Wonho me mostra a tela de seu celular, onde estava escrito:

É aqui que você mora? 

Pego seu celular é respondo também escrevendo.

Não, minha casa está à 5 quarteirões daqui. Oque deu nela? 

Entrego novamente o celular pro alfa que novamente escreveu alguma coisa e me entregou novamente o celular. 

Não sei... mas toda vez que ela faz esses negócios, em 50% ela está certa. Então vamos apenas seguir ela e depois perguntamos oque aconteceu.

Assim como Wonho diz, vejo Min sair do carro e logo atrás vejo o alfa também sair, sem escolha tive que fazer o mesmo. 

— Obrigado por nos trazer em casa Jay. — Escuto Wonho dizer ao alfa que estava com seu braço esquerdo encostado na porta do carro nos olhando com um sorriso no rosto. 

— Que nada. Qualquer coisa eu estou aqui para isso. — O alfa diz dando partida em seu carro. 

Vi Min fazer menção de destrancar o portão de uma casa qualquer com a chave de sua própria casa. Enquanto isso o alfa se distanciava da gente virando em uma esquina.

— Agora a senhorita pode me contar oque deu em você? — Pergunto bravo com as mãos em meu quadril.

— Shii... deixa eu ter certeza que ele foi embora. — Vejo a mesma tentar sentir alguma coisa, e depois de alguns segundos noto a ômega suspirar fundo e consigo sentir seu alívio. 

— E agora? — pergunto. 

— É Min, oque aconteceu? — Wonho pergunta colocando sua mão no ombro da mais baixa. 

— Eu conheço esse alfa. Não me lembro de onde conheço, percebi isso desde que ele me olhou dentro do ônibus, quando seu olhar se encontrou ao meu, um frio enorme subiu em minha espinha, como se eu estivesse vendo em minha frente um trauma. — A Ômega diz e noto as mãos gélidas da mesma tremer. Sem pensar muito abraço a pequena que logo retribuiu. — Ele estava atrás da gente...

— Da gente? — Wonho pergunta confuso. — Está se referindo a nós três? 

— Não... ele estava procurando por mim, e pelo Tae. 






















 [ . . . ]











A Min ainda está calada, ela caminha abraçada comigo enquanto o Wonho carrega sua mochila. 

— Min? — Pergunto acariciando os cabelos negros da mesma, fazendo assim a mais nova olhar para meu rosto. — Você sabe que amanhã mesmo eu terei que ir pro colégio. E você terá que ficar o dia inteiro aqui em casa com minha mãe e com o Wonho, porque eu estudo em um colégio integral, só volto pra casa as 6 da tarde.

— Está bem. Não se preocupe, eu vou ficar bem, pois estarei na sua casa, onde tem seu cheiro. — Digo e posso ver o Wonho revirar os olhos e escutar o mesmo soltar um suspiro. Não vou mentir mas na hora me deu vontade de rir dele. 

— Ah Wonho... Não fique triste também, eu vou voltar de noite. — Digo soltando uma risada anasalada e escuto o alfa soltar uma respiração como se fosse dizer algo, mas parece que mudou de ideia e continuou apenas a andar rindo. 

— Eu só quero saber se já estamos chegando? — Wonho pergunta ainda andando um pouco em nossa frente.

— Já, o apartamento da minha mãe é nesse prédio da frente ai. — Digo parando na frente do prédio para poder apertar o interfone.

Quem é? — Uma voz feminina que saia do aparelho pergunta.

Park Hyuk, do apartamento 110, da senhora Park Sarah. — Respondo e logo vejo o portão se destrancar, dando passagem para mim e para os outros dois juntos a mim.

Subimos e agora já estamos em pé ao frente da porta de madeira da minha casa. Esperando apenas minha mãe abrir a mesma.

— Mãe eu quero entrar se a senhora não sabia! Você me liga me mandando voltar pra casa e quando eu chego você nem vem abrir a porta pra mim. — Digo em voz alta e escuto mãe reclamar de alguma coisa ao outro lado. 

Já vai cara... Vou nem terminar minha frase. Só espera porque eu não estou no pé da porta! — Minha mãe diz abrindo a porta e me abraçando como se não me visse á um ano. — Estava com saudades meu filho. 

— Também estava. Mentira, não estava não.  — Digo rindo ao abraçar ainda mais forte minha mãe. 

Quando minha mãe me adotou, eu já tinha 8 anos, já tinha parado a muito tempo meu crescimento avançado de um lobo. E a mesma tinha apenas 17 anos, então a mesma ainda é jovem. Quem nos olha assim até pensa que somos irmãos, pela aparência  e pelo jeito estranhos que nos tratamos. Por conta das brincadeiras estranha que a mesma faz.

— Eu vou arrancar suas bolas Hyuk! — A Ômega baixinha diz puxando meus cabelos com força. 

— Isso machuca mãe. — Digo passando a mão pelo meu coro cabeludo que agora está doendo. — E por que você quer arrancar minhas bolas? Se a senhora quiser um neto (ou neta) eu vou precisar delas ainda. — Digo e noto Min colocar a mão em frente ao seu rosto ao balançar a cabeça em reprovação.

— Você disse que ficaria por quase dois meses sem aula. Aí quando é hoje de manhã eu recebo uma ligação do colégio perguntando por que o "Aluno exemplar" deles estava faltando tanto? Ai eu perguntei: "Como assim?" E eles disseram: "as aulas voltaram desde o dia 29, E HOJE JÁ SÃO DIA 14!! — Minha mãe diz brava correndo atrás de mim para tentar me beliscar.

— Mãe! Eu não podia voltar por enquanto. Eu estava resolvendo algumas coisas com minha ômega. A mesma ômega que a senhora está me fazendo passar vergonha na frente dela. — Digo parando em pé em cima do sofá olhando para a Min e pro Wonho que me olhavam estranhos. 

— EITA É MESMO! Me desculpem pelo amor de Deus. — A Ômega diz retomando seu ar imponente parando na frente dos outros dois. Oque não está ajudando. Ela pode até ser a mais velha daqui, mas é mais pequena que a Min e aparente ser nova. — Oie Min. 

A mesma diz indo abraçar a ômega que ainda olhava tudo e ria. 

— Adorei o corte de cabelo... e o estilo de roupa. Se você não estivesse namorando meu filho eu te pegava. 

— Acabei de descobrir de onde o Hyuk puxou seu lado sem vergonha na cara. — Min diz ainda abraçada com a ômega olhando para a parede enquanto levantava sua sobrancelha.

— E Você... Deve ser o Wonho, estou certa? — Minha mãe pergunta se aproximando do alfa.

— Mãe não quero ver você perto desse alfa escutou? — Pergunto e vejo a mesma dar meia volta e olhar para mim. — Já não basta que ele está tentando pegar minha ômega novamente ai vem você, eu mato todo mundo.

— Como assim, "pegar minha ômega novamente"? — Minha mãe pergunta parada ao lado da ômega vulgo minha namorada.

— É senhorita Sarah, sou ex da Min. — Wonho responde simples enquanto deixa suas malas em um canto qualquer da sala e se senta no sofá. 

— Vocês não comecem, porque se não eu vou matar os dois. — noto Min falar e se aproximar de minha mãe. — Senhora Sarah, onde fica o banheiro? 

— Lá em cima. É mesmo! Vocês precisam tomar um banho. Olha, vocês dois podem tomar banho no seu quarto Hyuk. — Minha mãe diz se referindo a ômega e eu. — Já o Wonho pode banhar no meu banheiro. — Mãe fala maliciosa e pude escutar Min rir.

— Mãe? 

— Parei. — A Mesma diz rindo ao voltar para seus afazeres. 

— Já que os dois vão tomar banho juntos eu vou primeiro. — Wonho diz pegando sua mala e subindo as escadas. 

— Tu nem sabe onde fica meu quarto e já ta subindo, espera ai! — Digo correndo atrás do alfa.






[ . . . ]





Já estamos banhados e agora estamos arrumando as camas. 

Minha cama é de solteiro, mas é bem grande, cabe muito bem eu e a Min aqui, já o Wonho vai dormir em um colchão no chão. 

— Ainda não gostei dessa ideia. — Wonho reclama arrumando o lençol do colchão. — Por que que eu não posso dormir com a Min na cama e você dorme aqui? 

— Porque eu não confio em você Wonho! — Digo alto e noto o mesmo elevar suas mãos até a cabeça e dar de ombros. 

— Já que os dois estão disputando em quem vai dormir na cama. Eu durmo no colchão! Podem ficar os dois a vontade com a cama. — Min diz jogando seu travesseiro no colchão no chão.

— Não vai não. — Digo puxando a mesma pela blusa, mas a baixinha escapa e rapidamente se deita no colchão.

— Já estou deitada. — Min diz rindo ao se virar na cama e me deixar falando sozinho.

— Parece que vamos dividir a mesma cama. — Wonho diz com um sorriso malicioso no rosto enquanto se deitava ao meu lado. O mesmo vestia apenas uma calça moletom cinza e tomara que esteja usando cueca. 

— Vai tomar no seu cu Wonho. — Digo ríspido ao me virar pro lado da porta enquanto o mesmo estava com o lado da parede. 

— Virar a bunda pra mim não foi uma boa escolha. — O mesmo diz rindo e escuto Min também rir.

— Vai se fuder. — Digo ficando de barriga para cima.

— Arrumei outra pessoa para fazer raiva. — Wonho diz.

— Não vou ser a única agora. Amém. — Escuto Min dizer baixo, mas seu amém se destacou na frase. 

— Deixem eu dormir porque não são vocês que terão que a cortar cedo pra ir pro colégio.







[ . . . ]


No dia seguinte as 6:15 da manhã

POV's Min


Estava eu no melhor sono da minha vida quando sinto alguém me cutucar. E todos na face dessa terra sabem que se me acordar é pedir pra morrer. 

Como sempre quando me acordam eu já acordo em posição de ataque. E desta vez não foi diferente, foi apenas porque eu acordei com minha mão em formato de punho esticado bem na cara da Sarah. 

— Eu não sabia que você lutava caratê. — Sarah diz baixo e posso notar a mesma engolir um seco. 

— Desculpe Sarah Unnie, a senhora tem que aprender ainda que se a senhora quiser viver, não me acorde. — Digo saindo do modo ataque e ficando de joelhos no colchão. — Mas por que a senhora me acordou esse horário? 

— Eu vim acordar o Hyuk, na verdade eu ia acordar só ele, mas quando eu vi aquela cena eu tive que te acordar. — Sarah diz baixo se segurando para não rir e apontando para a cama. Onde ali estava o Wonho deitado de barriga para cima enquanto o Hyuk estava com o braço em sua cintura e a cabeça em seu peito.

— Eu vou ter que tirar foto disso. — Digo pegando meu celular que estava no chão ao lado do colchão e logo tirando umas 3 fotos da cena.


Depois de tirar as fotos eu e Sarah saímos do quarto e fomos para a cozinha. Me sento na mesa enquanto converso coisas aleatórias com a ômega que fazia o café da manhã.









— Ai nisso ele disse que eu posso ir qualquer hora na SM, como o Chany é meu amigo, não irei precisar passar pelas burocracias todas que existem, vou precisar apenas mostra oque sei fazer... — estou conversando com Sarah quando percebo Hyuk descer as escadas coçando seus olhos. 

— Estão falando sobre oque? — O Mesmo pergunta vindo em minha direção e me dando um beijo. — Bom dia amor. 

— Bom dia. Estávamos falando sobre minha audição na SM. — Digo simples enquanto o beta se senta ao meu lado e enche um copo com café e começa a beber.

— Você tem sorte de não precisar estudar. — Hyuk diz bebendo seu café. Sua voz ainda saia muito sonolenta, pois o mesmo tinha perdido o costume de acordar cedo.

— Eu não preciso pois já sei de tudo. — Respondo séria bebendo café com leite.

— Então me responde isso (imaginem algo bem difícil. Estou com preguiça de colocar alguma coisa kkk)

— Dá ****** — Respondo convicta com minha resposta.

— Essa foi fácil, agora me responda essa **... antes de eu terminar a pergunta ganho a respostas certa para ela.

— Não precisa me elogiar, eu sei que sou inteligente. — Digo me gabando e logo solto uma risada. — Não sei oque fizeram comigo enquanto eu morava com minha verdadeira família, mas independente do que foi me deixou com uma aprendizagem muito elevada. 

— Eu sofri pra eu caralho e não ganhei dom nenhum. — Hyuk diz fazendo bico. — Você tem a voz de alfa, consegue se esconder dos outros lobos e agora tem aprendizado avançado. Mereço.

— Para de reclamar e vai se arrumar pq daqui a pouco tu vai sair. — Sarah disse pegando a caneca da mesa e colocando na pia.

— Eu não vou me arrumar até aquele alfa sair do meu quarto. — Hyuk diz colocando sua xícara na mesa.

— Não se preocupe, eu sei um jeito de acordar ele rapidinho estando aqui em baixo. — Digo com um sorriso maldoso no rosto. — Sarah Unnie, tampe os ouvidos. Mesmo você tampando ainda vai doer, mas vai ser rápido. — Digo e noto a mesma tampar os ouvidos com força e vejo Hyuk ir para perto dela.

A voz dos alfas, causa dor nos Ômegas, por isso os mesmos ficam tão vulneráveis quando escutam, pois a dor é imensa. E meu timbre não iria ser diferente dos demais.

Faz tempo que não uso o meu próprio timbre, e vou aproveitar que o Wonho tá dormindo para testar se ele ainda funciona.

Depois que noitei que Sarah estava com os ouvidos tampados, resolvi gritar o Wonho.

— WONHO!! — Grito o Wonho com metade da potência do meu timbre de voz. E vejo Sarah se apertar nos braços do beta que também gemeu de dor. Eu me esqueci que agora somos marcados, ele sente com mais precisão tudo que vem de mim. Ao ver o mesmo estremecer com a dor eu paro no mesmo instante.

— Desculpa Hyuk. — Digo indo ajudar o mesmo. 

— Eu nunca mais na minha vida vou querer escutar isso. — Hyuk diz ofegante e rindo ao mesmo tempo.

No mesmo instante vemos Wonho chegar ofegante na sala com os olhos arregalados olhando em minha direção.

— Min eu vou te matar! — o mesmo diz vindo em minha direção muito bravo.

— Para. — Digo ainda usando meu timbre e noto o mesmo se seu consentimento colocar a mão dos ouvidos. 

— Tá, só para com isso. — O mesmo pede segurando suas orelhas com as mãos. 

— Eu nunca vou me cansar disso. — Digo rindo. 

— Vai vestir uma blusa Wonho! — Hyuk diz e olho pro mesmo que tentava impedir sua mãe de olhar pro alfa apenas de calça em nossa frente. 

— Eu não. — Wonho diz se sentando ao meu lado na mesa. 

— Eu vou subir para não ver essa pouca vergonha. — Hyuk diz se direcionando para a escada. 

— Olha Quem fala. — Wonho diz revirando os olhos ao beber seu café.

— Um presentinho para você. — Hyuk diz jogando sua blusa nas costas do alfa. 

— Por que sua camiseta está com meu cheiro? — Wonho pergunta cheirando a camiseta branca do beta.

— Por conta disso. — Digo procurando a foto no meu celular enquanto uma mão estava na frente da boca se segurando enquanto me segurava para não rir.

Hyuk voltou correndo para ver oque eu e a Sarah riamos. Quando ele olhou a foto seu queixo foi parar quase nos pés.

— Wonho, você nunca mais dorme na minha cama. — Hyuk responde.

— Eu não tenho nada a ver com isso. Você que estava abraçado comigo. — Wonho responde rindo muito alto. 

— Affs. — Hyuk diz subindo de vez  seu quarto. 

















[ . . . ]













POV's Jin


— A Min vai ficar muito feliz em saber sobre oque descobrimos. — Digo entrando em casa com a Jisoo no colo logo atrás do Namjoon que carregava o Seok e logo atrás de mim vinha o Kook com o Hoseok, e por último entrou o Tae com o Jeong. 

— Eu acho que ela vai ficar triste... — Tae diz. 

— Cadê a tia Min? — Jeong pergunta olhando por todo o apartamento. 

— É mesmo... cadê aquela vaca? — Tae pergunta. 




— Nem ela e nenhum dos meninos estão aqui em cima. — Escuto Jungkook gritar do andar de cima.

— Na casa do Chany eles não estão porque se não a Min tinha me respondido pela conexão. — Tae responde.


Onde aquela piranha foi parar? 

EU VOU MATAR A MIN!






POV's Min

No mesmo dia por volta de duas e meia da tarde.


O Jin quase me matou quando descobriu onde eu vim parar. Ele me ligou, e ficou por meia hora debulhando sobre eu ter saído sem a permissão dele e ter vindo parar em Ulsan. Mas depois que eu contei que vim com o Wonho e com o Hyuk, e coloquei a Sarah para falar no telefone ele se acalmou um pouco. Mas quem toda hora vem reclamar no meu Whatsapp é o Tae.


— Min, vem fazer compras comigo comigo? — Sarah pergunta segurando uma bolsa rosa bebê em seu ombro.

— Tá, mas e o Wonho? Vamos fazer oque com ele? — Pergunto me levantando do sofá. 

— Deixa ele ai. — Sarah responde simples.

— Nossa, cadê a compaixão? — Wonho pergunta dramaticando.

— Eu estou de chinelo, não posso sair assim. — Digo tristonha ao olhar pros meus pés.

— Nada a ver. Vamos logo. — Sarah diz me puxando pelo braço.

Até que enfim encontrei alguém que não sisme com meus chinelos.

— Seus pés vão congelar mas pelo menos você vai de carro comigo. — A Ômega diz me puxando pelo braço na direção da porta. — Tchau Wonho. Só vamos voltar bem de noite.

— Tchau Wonho. — Digo acenando pro alfa enquanto a ômega me puxava. 

— Tchau meninas.






POV's Wonho


É chato você ficar sozinho na casa dos outros. Se pelo menos eu soubesse a senha da Netflix eu poderia assistir um filme. 

Até o chato do Hyuk me faria companhia aqui agora.

Que que eu faço para me entreter nesse tédio? 

















Abre aqui— Escuto alguém do lado de fora dizer ao bater na porta. 

— Hyuk? — Pergunto abrindo a porta. — Que que tu tá fazendo aqui tão cedo?  

— Me mandaram embora. — Hyuk diz tirando seu casaco e o jogando no sofá.

Assim que o mesmo tirou seu casaco, um cheiro cítrico invadiu minhas narinas me fazendo arrepiar por completo. 

— Quando meu cio está perto eu fico muito febril. — O beta diz se sentando no sofá apenas de calça. O calor de seu corpo exalava pela sala, deixando a mesma mais quente. — Aí me mandaram embora dizendo que meu cheiro estava afetando o colégio inteiro. Acho que você sabe que eu sou um beta, então meu cheiro atrai todas as classificações. Então imagina o jeito que meu colégio estava. Me mandaram vir para casa porque até os professores estavam perdendo o controle. — Hyuk diz e um calor imenso percorre toda minha espinha.

— Hyuk, se todas as classificações não aguentam seu cheiro... por que você veio para um local onde tem um alfa? — Pergunto olhando pro corpo do beta.

— Eu vim achando que a Min estaria aqui para me ajudar. Mas meu cio só vem amanhã, não se preocupa... — O beta diz e noto  o mesmo soltar um grunhido ao colocar suas mãos e sua barriga. 

( Sim, todos os lobos, alfas, betas ou Ômegas, sentem a dor do cio no mesmo lugar, Ômegas sentem dor no ventre, betas também sentem essa dor, todos sentem, mas em alfas e em alguns betas dominete a dor não é uma dor igual a dos Ômegas, sim uma dor que os faz comer qualquer um em sua frente, já os dos ômegas e de alguns betas submissos fazem os mesmos darem para qualquer um. Agora nos resta descobrir qual será a dor do Hyuk.)

— Eu acho que resolveu vir mais cedo essa vez... — Hyuk fala sem graça. — Cadê a Min nessas horas?

— E-eu posso ajudar... — Digo me sentando ao lado do beta no sofá. — Eu posso ajudar em seu cio.

— Eu sou um beta dominante Wonho, minha vontade é diferente. — O mesmo responde se escolhendo mais e mais no sofá. 

— Só o dominante marca o submisso. Então porque a Min te marcou? — Pergunto. — Porque você é os dois Hyuk. — Digo me aproximando do Beta e sentindo seu cheiro cítrico. — Ah meu Deus! Por que tão bom??

— Eu vou me arrepender muito disso...


Contínua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...