História Confessar é difícil! - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Tags Izuocha, Todomomo
Visualizações 511
Palavras 1.392
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yoo, minna! ~desu

A tia tem uns recados importantes para dar, então, por favor, leiam as notas iniciais antes de lerem o cap ~desu

1 - A tia estava fazendo tratamento para a anemia e isso exigiu muito descanso e afastamento em várias atividades que a tia normalmente faz. Por tal motivo, a demora em att as fics foi muito maior do que deveria, mas agora a tia já está bem e que Deus permita postar caps mais longos ~desu


2 - A tia está ocupada escrevendo alguns livros que serão publicados (provavelmente) e precisam da minha atenção o quanto antes, então, nos próximos meses, será difícil manter a frequência de atualização (ela já caiu em algumas outras histórias que também estão em andamento) ~desu

3 - A partir do mês de Agosto, na primeira semana de cada mês, NÃO HAVERÁ POSTAGEM DE CAP NOVO EM NENHUMA FANFIC MINHA, o motivo se deve as revisões que a tia precisa fazer, mas a falta de tempo não deixa. Elas são muito necessárias e importantes, além do mais, é para o bem da tia e o de vocês! ~desu

Muito arigachou pela paciência! ~chu :3

Capítulo 17 - Não força a barra!


Fanfic / Fanfiction Confessar é difícil! - Capítulo 17 - Não força a barra!

Academia de Heróis - Tia Ella POV'S ON

Iida e Yaoyorozu estavam tentando manter a situação o mais calma possível. Pela primeira vez, estavam enfrentando algo assim dentro da própria Yuuei. 

- Hey, hey, está tudo bem, Midoriya-san... -a morena estava de pé, carregando um pequeno, sim, pequeno Midoriya Izuku nos braços, seu uniforme virou um pijama para ele, assim como todos ficaram grandes demais, ele estava pequeno demais. 

Seu choro não era apenas pelo susto em relação ao poder de uma aluna nova da sala 2-B de heróis, mas também porque ninguém sabia como reverter o efeito. 

Izuku voltou a ser uma criança de quatro anos e aquilo era absurdo! 

- Pessoal, precisamos acha-la o quanto antes! -Iida disse após notar que a nova estudante sumiu da vista de todos- Se dividam para procura-la, eu vou avisar o Aizawa-sensei! Yaoyorozu-san, pode levar o Midoriya-kun até a enfermaria? 

- Claro! -ela não estava ligando que o amigo agora, menor, estivesse pelado em seu colo, não havia roupa que coubesse nele naquele momento e ela não podia criar roupas para vesti-lo enquanto todos estivessem nervosos. Fora que, a própria Momo precisaria tirar parte de suas roupas para usar seu poder. 

- Eu te ajudo. -Todoroki se prontificou a ir com ela, mas logo viram a feição de uma certa Uraraka. 

- E-eu quero ajudar o Deku-kun! -sua face estava coradíssima- Por favor! 

- Pode levar as roupas dele, não tô afim de carregar roupa de outro cara, comigo. -o dicromático bufou- 

- C-certo! 

*

*

*

Chegando na enfermaria, Midoriya só passou a berrar ainda mais em vergonha, já era ruim demais ficar pelado na frente da escola toda, mas ficar pelado daquele jeito na frente de sua namorada, estando no colo da representante de classe e na frente do namorado dela... Aquilo era humilhante! 

Não conseguia deixar de esconder a cara no colo de Momo, que tentava seu máximo para ele não explodir em stress, sabia que era ruim para crianças. 

- Midoriya-san, não precisa chorar assim... -a morena teve que sentar-se para evitar cansaço excessivo nos braços- Vamos, vai ficar tudo bem... 

- Não sei o que pensar agora... -Shouto analisava a situação- 

- Se o que estão dizendo é verdade, então não devem se preocupar muito com isso. -Recovery Girl disse após dar um sorriso- A aluna nova tem o poder de regredir a idade das pessoas, sendo assim, deve haver um limite pro efeito dessa individualidade, já que ela é do tipo Pretensão.

- Como não é uma individualidade que causa danos nocivos ao corpo, então de fato, tem um limite em seu efeito quando afeta um corpo diferente de seu portador, mas... -Uraraka pensou- Não sabemos exatamente o que esse poder faz e como realmente afeta alguém. 

- Bom, vejam pelo lado mais perigoso da situação. -a médica sentou de frente para Yaoyorozu, para assim, examinar Izuku- Ele não está ferido ou em condições de pré-morte, significa que meu poder será inútil pra cura-lo. Assim, eu também não posse definir por quanto tempo isso vai durar, já que não sou usuária de tal individualidade. 

- O que vamos fazer com ele? O Aizawa-sensei tomou chá de sumiço de novo e não sabemos que horas ele volta. -Momo pensou, encarando Shouto, que bufou em mesma forma.

- Pode demorar o dia inteiro, mas pode demorar cinco minutos, não sei o que fazer. Só sei que como criança, o Midoriya não pode ficar numa escola para alunos do Ensino Médio até o efeito da regressão passar. 

. . .

*

*

*

*

Graças a Yaoyorozu, Izuku estava com novas roupas, agora ajustadas para seu tamanho atual, depois da confusão, ele grudou na representante e não desfez mais o contato. 

Só que aquilo estava trazendo uma onde de ciúmes tanto para Todoroki quanto para Uraraka, coisa que Momo não saberia lidar de nenhum dos lados. 

- Uh, então foi isso o que aconteceu... -Aizawa o encarava atento- Devo admitir que é impressionante existir alguém com esse tipo de individualidade, mas não muda o fato de que ele ainda é um estudante do Ensino Médio e está tendo aulas normais por hoje.

- Sensei, nós descobrimos que esse poder não afeta apenas a idade. -Asui disse explicativa- Quando você regride a idade de alguém utilizando o "Tempo Invertido", a capacidade intelectual também regride para o mesmo estado de quando você tinha a idade na qual foi invertido. Isso significa que o Midoriya-kun não deve saber ler ou escrever como nós. 

- Ah, isso é um problema... -bufou o moreno- Bom, já que ele se manteve quieto com a Yaoyorozu, vamos deixa-lo com ela por enquanto.

- M-Mas... -a menor tentou retrucar. 

- Está tudo bem, eu sei que você dá conta. 

- S-sim, senhor... -corou- 

- Encontraram a aluna nova? 

- Não, ela é muito boa em se esconder. 

- Bom, pelo visto a aula de hoje não será mais como deveria, então, mudança de planos. Façam uma "caça ao tesouro" e achem a transferida, precisamos saber como trazer o Midoriya de volta. 

- Sim! 

- Uraraka, você pode ajudar a Yaoyorozu a cuidar dele? 

- S-Sim! 

- Ótimo, o resto de vocês, cacem a garota nova e tragam até a Sala dos Professores. 

Num instante, todos sumiram, exceto pela representante e a jovem Ochako, que ainda estava tropeçando no próprio ciúme ao ver seu namorado tão confortável no colo de outra garota (que já é comprometida, por sinal). 

Aizawa foi alertar o professor da sala 2-B e nisso, o clima pareceu ficar meio tenso entre as duas meninas. 

- Ahn, Uraraka-san, você está bem? 

- Estou ótima. -a resposta saiu meio grossa e seca, dando a entender justamente o contrário. 

- Olha, eu sinto muito pelo que está vendo, mas eu realmente não sei por que o Midoriya-san se apegou em mim. -olhou para o pequeno esverdeado a dormir- Talvez seja por vergonha. 

- Vergonha? 

- Ora, vamos... Do jeito que ele é normalmente, não ficou claro que isso é uma questão de timidez? O Midoriya morre de vergonha quando fica sozinho com garotas, mas por ter se acostumado com as meninas da sala, isso é um pouco diferente pra ele. 

- ...

 - Agora pense: a menina transferida quis brincar com o constrangimento dele e o transformou numa criança de novo, mas ele se agarrou em mim por ter ficado com vergonha de você vê-lo naquele estado. 

- Eh? -corou a mais nova- 

- Como posso explicar em palavras corretas?... -pensou Momo- Acho que ele simplesmente está com vergonha de que você o veja com essa aparência. Para ele, pode ser algo humilhante demais. 

. . .

Pois é, quem diria que Yaoyorozu Momo sabe explicar as coisas melhor que um Aizawa da vida...

- Entendo... -suspirou a jovem- Yaomomo, pode me dá-lo enquanto ele ainda dorme? 

- Ahn, tudo bem, mas... -a morena tomou o devido cuidado com a criança, lhe entregando nos braços de forma que evitasse remexer-se o máximo possível- Você consegue ficar sozinha com o Midoriya, agora? 

- Sim, e também... Eu estava ficando com raiva de te ver carregando o meu namorado no colo, queria te bater. 

- ... 

- M-Mas eu não faria isso de verdade! -corou nervosa- S-Sinto muito! 

- Sem problema, no seu lugar eu teria feito a mesma coisa... eu acho... -Momo deu de ombros e saiu da enfermaria, era complicado cuidar de uma situação dessas, mas admitia: Ser Representante de Classe vale muito a pena. 

. . .

Desta forma, Ochako e Izuku ficaram sozinhos por lá, ela admirou atentamente a feição delicada do agora, pequeno Midoriya. Momo havia criado uma roupa para o tamanho atual dele, em verdade era o uniforme da Yuuei num tamanho mini, próprio para crianças do primário. 

E como estava fofo! As bochechas rosadas ressonavam de acordo com o respirar lento e preguiçoso dele, os cabelos estavam mais curtos, porém mais bagunçados e o que mais agradava, era vê-lo tão confortável enquanto dormia. 

Uraraka poderia se derreter com ele agora e morreria feliz. 

- Eu acho que a aluna nova pode esperar para te trazer de volta... -sussurrou docemente- Te olhando assim, dá pra entender porque você é tão persistente, Deku-kun...

Nha, seria tão legal ter um bebê com essa aparência!

E seria mais legal ainda se ele não fosse tímido como o pai. 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...