1. Spirit Fanfics >
  2. Confined >
  3. A liberdade pode ser perigosa

História Confined - Capítulo 6


Escrita por: Anne_Hastings

Notas do Autor


Volteei, perdão a demora. Boa leitura ♥️

Capítulo 6 - A liberdade pode ser perigosa


Verena estava sentada embaixo da árvore com folhas rosadas e a sua irmã estava sentada entre suas pernas enquanto ela colocava algumas dessas flores nos cabelos cacheados dela. 

Ela sentia uma pequena inveja dos cabelos da sua irmã por ter puxado os cabelos de seu pai, aqueles cachinhos definidos eram perfeitos, enquanto o dela era liso como o de sua mãe.

— Eu amo quando você faz penteados em mim e coloca flores em meu cabelo, fica um charme — Zoe sorriu — Eu me sinto cada vez mais bonita.

— É assim que você deve se sentir, você é muito bonita, irmã — Verena finalizou com uma última flor roxa — Prontinho, você tá perfeita para hoje à noite.

— Eu não estou tão confiante, para falar a verdade. Eu tenho medo dele não gostar de mim e trair minha pessoa com outras quando casarmos, não quero ter o antigo relacionamento da mamãe, não quero sofrer igual a ela antes de casar com papai — Zoe marejou seus olhos.

— Você não vai ser traída, você é tão perfeita, uma garota inteligente e muito esperta — Verena disse — Sua beleza é incomparável.

— Verdade, eu sou mesmo muito bonita e ele não seria capaz — Zoe se olhou no espelhinho — Eu te amo muito, irmã.

— Eu também amo muito você, minha linda irmã — Verena sorriu.

O jantar de noivado de Zoe já estava rolando na mansão dos Potter, Jéssica estava ajudando sua filha se vestir para conhecer o seu noivo. Enquanto seu marido estava dando as boas vindas todos os convidados na sala de estar.

— Eu amei o vestido que a família Walking mandou de presente — Zoe sorriu — Eles realmente tem um bom rosto para isso.

— Mais que a obrigação, você vai se casar com o filho mais novo dele em te mandar um presente — Jéssica disse — Você é completamente perfeita.

— Se não souber o que responder, não esqueça de sorrir para ele, mas não gargalha, isso é muito estranho. Chama atenção — Verena disse — Não vamos tentar debater com esses homens.

— Eles não gostam de mulheres mais inteligentes que eles, isso é visto como algo muito errado para nossa reputação. Temos uma reputação a ser mantida. Minha filha foi a escolhida para se casar com um Walking, não jogue essa oportunidade fora — Jéssica disse — Então não faça nada que desagrade.

As três desceram com seus belos vestidos e penteados, Verena caminhou até seu noivo, que é o mais velho dos Walking, e lhe deu um beijo rápido. Zoe correu para conversar com seu futuro noivo que não parecia nada interessado naquele relacionamento.

— Eu também amo frutas vermelhas — Zoe comentou e ele apenas comeu um morango sem dar nenhuma resposta — E então, você tá ansioso para nosso casamento? Ou só eu estou cheia de ansiedade que nem consigo dormir bem?

— Você fala muito assim mesmo? — Herbert ergueu a sobrancelha — Eu não costumo ficar com mulheres falantes.

— Me desculpa, eu acho que falei demais — Zoe sorriu — Vamos tomar um chá?

— Eu só tomo vinhos importados. Apesar de ser mais novo, meu pai me ensinou a começar ser um homem de negócios, cedo — Herbert disse dando de ombros.

— Eu conheço vinhos ótimos, eu posso te apresentar alguns — Zoe sorriu.

— Eu não quero ver nada no momento, então sem essa de mostrar — Herbert bufou — Se você poder me dar licença.

Ele saiu e ela ficou com uma cara de paisagem. Os irmãos Walking tinha a má reputações, eram homens extremamente conservadores e queria noivas submissas que pudessem abaixar suas cabeças quando eles falassem. Eles eram autoritários e rudes — Herbert Júnior I — O mais velho deles, casou-se cedo com uma moça de família pobre, então isso facilitou para ele conseguir tudo que queria. Tudo na base de ajudar a família pobre da garota que era tratada mais como uma empregada do que como sua esposa. Ele não amava, ela sabia disso, mas a sua família precisava de alimentos, seus pais tinham três filhos e com ela quatro. Era triste ela ver seu pai chegar em casa e dar aquele pouco de alimento para seus filhos, mau preenchia os pratos e muito menos a barriga. Por sua família ela não opinou e não teve escolha, seu salário era miserável, ainda mais por ser uma mulher negra. Era destratada onde trabalhava e seus patrões brancos eram rudes. Por fim, Cássia, terminou seu relacionamento abusivo com seu marido arrogante, conseguiu um emprego onde ela conseguia sustentar sua família. Atualmente ele permanece casado com uma mulher completamente apaixonada por ele, ele diz que ela é burra feito uma porta, e nada inteligente. A garota segue obedecendo as regras do homem estúpido.

— Hebert Júnior II — O filho do meio, sempre amou a arte, mas seu pai ousou dizer que isso nunca daria um bom futuro a ele. Apaixonado por pessoas, para ele a vida tinha que ser vivida de sabores e amores. Mas infelizmente, seu pai mostrou que esse é o lado errado do mundo, casou-se com uma mulher completamente amorosa, da qual ele não demorou muito para se apaixonar de verdade. Eles construíram uma família e ela entende o lado de seu marido, e aquilo o torna o homem que ele sempre sonhou em ser todos os dias, apaixonado pela arte e pela mulher mais brilhante.

— Herbert Júnior III — O filho mais novo, arrogante como seu irmão mais velho. Seu hobbie sempre foi gastar dinheiro em bares com mulheres da qual ele chamava de prostituta. Por fim, sua mãe achou que já era hora dele se casar e sossegar. Aquilo lhe causou uma revolta, tudo que ele menos queria era uma noiva, mas tudo que ela mais queria era uma noiva para que pudesse mandar e sugar toda sua energia com sua toxicidade masculina como seu pai e seu irmão que eram seus espelhos vivos.

— Parece que seu noivo não tá afim de casamento — Katrina disse colocando a bandeja em cima da mesinha.

— E o que uma negra como você sabe sobre casamentos? Nenhum homem se interessa por você — Verena rosnou.

— O que uma negra como eu sei, é que não vou mais tolerar você e sua família sem noção. Vocês são um bando de porcos imundos, acha que são quem? Os reis da cidade? — Katrina empurrou a bandeja de cima da mesa, quebrando tudo e caindo as comidas.

Todos deram atenção aquela cena.

— Katrina, ver se presta mais atenção no que você tá fazendo e limpe isso agora, e traga outra bandeja de doces — Jéssica rosnou com as sobrancelhas arqueadas.

— Vai se foder — Katrina pisou nos docinhos — Vão todos vocês se foder.

— O que essa preta tá falando? — Bartolomeu exclamou — Enlouqueceu?

— Essa preta maravilhosa aqui, não precisa trabalhar mais nessa casa, eu não preciso ficar recebendo ordens de um bando de brancos babacas — Katrina disse com desdém — Gina, Luigi, Dessa e Violet venham comigo, porquê agora eu vou dar um emprego digno a vocês.

— O que vai fazer? Vender balas nas ruas para sustentar você e sua mãe? — Verena debochou — Coitadinha de você.

— Na verdade, eu descobri que o meu avô materno deixou uma grande herança pra mim antes de morrer e agora eu posso planejar meu futuro tranquilamente longe dessa casa e longe de todos vocês — Katrina sorriu — E eu vou ser muito rica longe de pessoas podres como você e sua família, vou leva os meus amigos que vocês humilharam pela cor da pele.

— Leve mesmo esses seus amiguinhos com você, nunca trabalharam direito — Jéssica disse — Não precisamos deles.

— Eu quero que saiba que sempre cuspi na comida de vocês, era um ingrediente a mais que eu colocava de presente. E Verena, querida. Você se acha tanto com esse seu noivo e tenta fazer inveja para suas amigas, saiba que ele te trai todas quinta-feiras com mulheres diferentes. Inclusive com a sua melhor amiga Agnes — Katrina sorriu e Verena encarou Agnes — É quando ele diz pra você que vai jogar poker com os amigos. Saiba que a família Walking está falindo, mas o senhor Herbert Rock mandou matar o jornalista que iria vazar com essa informação, eles estão querendo que seus filhos se casem com suas filhas apenas para tampar o buraco da pobreza que estar prestes a chegar — Ela saiu.

Depois de todas aquelas revelações, a família Potter e Walking criaram uma guerra entre si. Para não dar nenhum direito as filhas dos Potter, noivas de seus filhos, Herbert mandou matar a família Potter em uma única noite. Únicas sobreviventes daquilo foram Verena e Zoe que se tornaram cientistas, mas logo Zoe também não teve um final muito feliz ao ser assassinada pela esposa de Herbert, uma bela taça de vinho envenenado. Verena enlouqueceu e carregava o corpo de sua irmã uma geladeira para tentar revive-la.

[...]

— O que essa mulher é? Ela é louca de prender a gente aqui para fazer testes e tentar reviver a irmã? — Carrie rosnou.

— Talvez seja apenas um surto — Mia respondeu — Ela passou por muitas coisas, não justificando o ato maluco.

— Temos que dar um jeito de sair — Carl disse com raiva — Eu não quero esperar, eu preciso ver a minha mãe.

— Vamos sair uma hora ou outra — Alicia respondeu — Mortos, mas vamos.

— Para de tanto pessimismo pra cima de mim, beleza? — Carrie revirou os olhos.

— Se quisermos sair daqui vivos, teremos que bolar um plano — Mia disse — Primeiro vamos criar uma jangada.

— Qual sua ideia para criar essa coisa? — Carrie perguntou.

— Precisamos de madeiras e cordas — Mia respondeu e eles assentiram.

— Verena trabalha dias e noites como uma louca para trazer a irmã dela de volta, o objetivo é a vingança contra a família Walking que destruiu suas vidas — Isaac disse e eles ficaram atentos — Ela não vai parar até encontrar um sangue, órgãos que seja compatível com o da irmã dela. Verena tá disposta a se vingar daquela família e precisa da irmã, já nós, precisamos da nossa liberdade e a liberdade pode ser perigosa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...