História Conflicting heart - Malec - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Peças Infernais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), James "Jem" Carstairs, Magnus Bane, Personagens Originais, Tessa Gray, Will Herondale
Tags Alec, Clace, Magnus, Malec, Sizzy
Visualizações 430
Palavras 1.547
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores. Já são 1.125 visualizações e eu só tenho que agradecer, sério eu tô muito feliz! Muito obrigado pelos novos favoritos também!

A partir de agora teremos pequenos saltos na linha do tempo e se vocês quiserem posso fazer mais flashbacks.
Nesse cap, entendemos porque Alec é tão fechado dentro de si.
Leiam as notas finais por favor!
Nikmati ♡

Capítulo 14 - Momento tenso.


Maio 2015

 Sábado

Já estavam no terceiro mês de aulas, os Ligthwood, juntamente com: Magnus, os gêmeos, Tessa, Will e Jem já tinham virado grandes amigos.

Todos os dias eles se reuniam na hora das refeições pra bater papo e algumas vezes se encontravam na biblioteca ou na sala de músicas ou no campo quando os meninos treinavam.

Aos fins de semana eles iam pra casa ver a família. Às vezes marcavam de sair juntos, mas nem sempre podiam, às vezes tinham treino.

Nesses quase três meses que passaram Alec e Magnus ficaram muito próximos. Por isso quando o fim de semana chegava os dois se separavam, mas Alec passava os dois dias pensando nele.

Para Magnus era basicamente a mesma coisa, não gostava de voltar pra casa por que ficaria longe de Alec, mesmo que eles fossem só amigos, não gostava de não poder vê-lo. Já estava tão acostumado com a presença dele, desde a hora de acordar até a hora de dormir.

Às vezes se pegava olhando-o mesmo que tentasse não conseguia parar, até um dia que Izzy viu e veio falar com ele.

*Flashback de um mês atrás.*

     - Queira falar com você, posso? - Disse a morena se aproximando dele e sentando-se ao seu lado na arquibancada.

     - Claro que sim, o que foi? – Perguntou, mas de certa forma já sabia do que se tratava.

     - Eu vi o jeito que você olha pra ele. - Disse apontando pra Alec no campo jogando.

     - Do que está falando?

     - Não se faça de desentendido, eu não sou cega.

     - Ta legal, eu acho o seu irmão muito lindo e eu gosto dele, mas sei que não vai dar em nada por que ele é hétero. – Magnus não sabia se era verdade, pois em todas as suas conversas nunca tinha perguntado, mas viu que aquele seria um bom jeito de descobrir.

     - Olha meu irmão de uns tempos pra tem ficado muito fechado, nunca gostou de falar de certas coisas, mas não acho que ele seja hétero. Eu vi que vocês dois ficaram bem próximos e eu fico feliz com isso. – Ela deu uma pousa, sempre desconfiou do irmão, mas nunca disse nada, pois queria que ele falasse, então continuou. – Estou nessa escola a algum tempo e já ouvi algumas coisas sobre você, sei da sua fama, mas não se preocupe, não vou me deixar levar por isso eu gosto de você. Eu só quero que saiba que eu não vou deixar você magoá-lo, o Alec ele tem essa cara de durão, mas é muito sensível.

     - Imagino o que você deve ter escutado sobre mim, mas não sou mais assim, ok? Não pretendo magoar ninguém. Eu só achei o seu irmão bonito, nada de mais. E nós somos só amigos.

‘’Nós somos só amigos’’ Por algum motivo aquilo doía quando ele falava.

*Fim do flashback*

Alec estava na sala de jogos que tinha em sua casa sentado em uma poltrona assistindo tv, Izzy estava deitada no sofá mandando mensagem pra Simon que agora era conhecido como seu namorado e Jace estava chegando e se jogando ao lado da irmã.

- Sou só eu ou vocês também sentem falta dos seus colegas de quarto? – O loiro falou chamando a atenção dos irmãos. – Já se passaram quase três meses e eu ainda sinto falta...

- É estranho acordar e não ver as roupas brilhosas do Magnus jogadas pelo quarto. – O comentário o fez colocar um sorriso nos lábios.

- Depois eu que sou a sentimental aqui... – Foi interrompida por sua mãe entrando na sala.

- Vão se arrumar pro jantar, sua tia Marta vem pra cá hoje. – Falou e saiu.

O sorriso que Alec tinha sumiu no momento em que sua mãe disse que sua tia viria não que não gostasse dela, só não gostava das opiniões dela, sobre certos assuntos. Sem dizer nada ele se levantou e foi pro quarto, depois entrou no banheiro.

Despiu-se e entrou em baixo do chuveiro deixando certos pensamentos indesejados, virem a tona.

Lembrou-se do último ano do ensino fundamental, conhecera um garoto chamado Tyler, ele era lindo branco de olhos cor de mel, era uma pessoa encantadora.

Alec e ele viraram grandes amigos, faziam basicamente tudo juntos. Um dia, estavam no quarto na casa do de olhos azuis e nesse dia fora com Tyler que Alec deu o primeiro beijo, fora com ele que descobriu sua sexualidade, fora com ele que teve certeza do que queria e fora ele que de alguma forma levou o coração de Alec embora quando teve que se mudar.

O rapaz ficou arrasado e quando finalmente ia contar aos irmãos sobre o que estava acontecendo, ouvira sua tia Marta falando barbaridades sobre homossexuais, e vira seus pais concordarem com acenos de cabeça a tudo que ela falava.

A partir daquele momento decidira que não falaria para ninguém sobre si. E assim ele fez desde que se descobrira gay esconde de todos a sua volta, até de seus irmãos.

Vivia ‘’bem’’ assim, até o dia que encontrou lindos olhos verdes, em seu quarto na escola. Olhos verdes aos quais não conseguia para de olhar.

Desde o primeiro dia Alec gostou de Magnus, desde o primeiro dia ele queria conhecer melhor o moreno e quanto mais conhecia, mas se encantava por ele tornando quase impossível esconder os sentimentos.

Afastou os pensamentos e desligou o chuveiro, enrolou a toalha na cintura e voltou pro quarto, pegou uma cueca, uma calça moletom e uma blusa preta, vestiu e foi em direção a sala onde seus pais, irmãos e tia já estavam.

- Alec querido, quanto tempo. – Disse se levantando e dando-lhe um abraço.

- Oi tia, como está?

- Estou ótima e você? Está bonito.

- Estou bem também e obrigado. – Falou e foi sentar-se perto dos irmãos.

Sua tia voltou a sentar-se onde estava antes e começou a falar.

- Vocês não advinham o que aconteceu com o filho de uma amiga minha da igreja, foi horrível!

Todos fizeram cara de curiosos e ela continuou.

- Virou gay! Assim do nada.

- Ninguém vira gay. – Jace falou e deu de ombros. – As pessoas nascem assim.

- Você ouviu o que acabou de dizer Jonathan? Isso é loucura, ninguém nasce assim, isso é modinha que inventaram! – Disse com uma voz séria.

Alec estava com lágrimas nos olhos, aquele inferno ia começar de novo. Ele sempre lembrava-se das duras palavras da mulher e sempre doía, doía muito. Marta estava falando besteiras, e dessa vez alguém ia bater de frente com ela. E se surpreendeu vendo quem seria essa pessoa.

Isabelle percebeu que o irmão não estava bem e pegou em sua mão depois lhe lançou um olhar do tipo ‘’estou com você, sempre” ele pareceu entender porque apertou mais forte sua mão.

- Os jovens de hoje tem que procurar um médico pra se livrar disso ou uma igreja pra se benzer, onde já se viu um homem ficar com outro? Isso é uma abominação, pessoas assim que não procuram ajuda, vão pro inferno!

- A senhora por algum acaso escuta o que fala? Sério já parou pra pensar na quantidade de besteira que falou em menos de 10 minutos? Ninguém escolhe ser homossexual, ninguém escolhe sofre humilhações, ninguém escolhe sofre agressão seja ela física ou verbal, ninguém escolhe ser gay, do mesmo jeito que ninguém escolhe ser hetero. As pessoas simplesmente nascem assim e não a nada que se possa fazer pra mudar. Quem precisa procurar um médico são pessoas com as mentes fechadas iguais a sua, pessoas intolerantes, que não conseguem perceber que o mundo precisa de mais amor, independente se vem de dois homens ou duas mulheres ou de uma mulher e um homem. – Parou um pouco para respirar e quando Marta ia abrir a boca pra falar ele continuou. – O mundo já está tão cheio de ódio então pra que perturbar quem só quer se feliz? Você se sentiria melhor se as pessoas se odiassem ao invés de se amar? E já que você tocou no assunto de ir pro inferno, eu posso não conhecer muita coisa, mas eu sei que um dos mandamentos sagrados é AMAR AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO... Ah e tem outro NÃO JULGAR, mas é exatamente isso o que você está fazendo! E quem é você pra dizer quem vai pro céu ou não? – Jace falou e logo em seguida olhou pra família que estava com cara de espanto ele nunca havia falado daquela forma antes, olhou pros pais e depois pra Izzy que mexeu os lábios como quem dizia ‘’Estou orgulhosa de você’’ então ele olhou pra Alec que estava claramente segurando o choro.

- Vocês vão deixar esse insolente falar assim comigo? – Marta falou com uma voz de ofendida.

- Nessa casa todos tem voz para dar sua opinião, você deu a sua, Jace a dele, simples assim. – Maryse disse. – Agora podemos jantar? – Falou tentando quebrar clima que ficou na sala.

- Mãe, não estou com fome, vou pro meu quarto, ok? – Alec falou segurando ao máximo a lágrima que queria cair.

- Ok meu amor, depois eu levo algo pra você.

- Vou com ele, perdi a fome. – Izzy disse e Jace concordou. Então os três saíram e foram direto para o quarto do moreno.


Notas Finais


Quero deixar algumas coisas sobre esse capítulo.
1° De forma alguma quis ofender alguma religião, respeito todas igualmente.
2° Do mesmo jeito que sei que nem todas as pessoas pensam dessa forma.
3° Os diálogos apresentados aqui, aconteceram de verdade, claro que com algumas pequenas mudanças.
4° Eu queria ter trabalhado mais nesse cap, mas foi bem difícil pra mim escrevê-lo, mas espero que vocês tenham gostado.
Quero muito saber a opinião de vocês, é muito importante pra mim.
Sugestões, dúvidas, críticas? É só falar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...