História Conflito entre reinos - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 82
Palavras 1.973
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hola personitas primeiro de tudo rola Lemon esse capítulo😏 eu não pretendia escrever um Lemon agora mas a minha semana tava tão boa q eu decidi escrever pra ela ficar ainda melhor e o capítulo já estava pronto e eu ia postar sábado mas como nem tudo são flores eu discuti com uma pessoa e acabei nem tendo cabeça pra postar aliás a festa do Kuroko será no próximo capítulo agora sem mais delongas bora ler

Capítulo 4 - Com sabor de Lemon


Fanfic / Fanfiction Conflito entre reinos - Capítulo 4 - Com sabor de Lemon

As coisas estão cada vez mais complicadas pra mim, os pais do Atsushi não querem aceitar nossa relação e isso me deixa frustrado porque eu realmente amo o Atsushi e isso não tem nada ver com dinheiro ou status como os pais dele gostam de achar, a faça me o favor será que os pais deles não notam o quanto a gente se gosta? Pelo visto não porque continuam criando empecilhos na nossa relação.

- O que tanto pensa Muro Chin?- Atsushi pergunta me abraçando por traz.

- Amor não pode me abraçar no meio da cozinha, lembra que o Kise e o Kuroko nos pegaram no flagra ontem, imagina se seus pais apareçem assim do nada.

- Eu não ligo para o que meus pais pensam Muro Chin.

- Mas eu ligo quero que eles aceitem nossa relação amor.

- Mesmo que eles não aceitem não importa pra mim.- Suspiro frustrado eu realmente amo o Atsushi e fico tremendamente mau com o fato dos pais dele não me aceitarem.

- Eu preciso trabalhar amor, tem um monte de receitas que eu preciso testar antes de preparar as coisas para a festa da vossa majestade Kuroko.

- Mas eu estou com saudades Muro Chin nos vemos tão pouco.

- Nos vemos todo dia.- Eu dou uma risadinha com a carência de Atsushi a verdade é que eu também ando meio carente ultimamente.

- Mas não quero dizer só nos vermos digo nos encontrar e ficarmos juntos.

- Amor se me deixar trabalhar passo no seu quarto depois e quem sabe fazemos aqueles joguinhos que você anda querendo que a gente faça. - Digo virando de frente pra ele com um sorriso malicioso.

- Não só jogos como também alguns brinquedinhos.

- Vejo que você já pensou em tudo pra nossa noite. 

- Você não tem nem ideia do que eu pensei pra ela.- Ele responde com um sorriso malicioso.

- Mau posso esperar pra descobrir então o que você pensou.- Respondo com outro sorriso malicioso direcionado a ele. - Mas agora me deixa trabalhar amor.

- Mas Muro Chin.

- Atsushi eu preciso trabalhar agora para de manha se não, eu não vou passar no seu quarto hoje a noite. 

- Você é tão chato Muro Chin, ta bom eu vou deixar você trabalhar agora mas lembre que eu vou estar te esperando.

 Atsushi me deu um selinho para se despedir e pegou uns salgadinhos antes de sair, típico dele não pode sair dessa cozinha sem pegar alguns salgadinhos ou doces.

 Volto a me concentrar nas receitas que eu preciso testar são muitas e depois ainda tenho que preparar as refeições é pelo visto eu tenho muito trabalho pela frente.

- Himuro tem um segundo? - Hiroshi um empregado da casa me chama.

- Na verdade eu estou atolado de trabalho é importante?

- O senhor Murasakibara deseja falar com você agora.- Abro um sorriso com a menção desse nome.

- Não Himuro você não entendeu é o pai dele que quer falar com você.- Desfaço meu sorriso na hora e dou um suspiro.

- Sério que ele quer falar comigo outra vez?- Pergunto retoricamente.- Que maravilha ele sempre escolhe as melhores horas pra me chamar.

- Desculpa Himuro não queria ter que vir aqui e...

- Sem problemas Hiroshi não é culpa sua desse homem sempre querer tentar me convencer de se separar do filho dele, e em horas mais inconvenientes pra variar.

- Aquele senhor é um saco Himuro deve ser difícil para você toda essa situação.

- Nem me fale Hiroshi, agora é melhor eu ir, deixar esse senhor esperando será pior.

- Vai lá Himuro.

 Me despeço de Hiroshi e vou em direção ao escritório do senhor Murasakibara apesar de ele não morar aqui tem um escritório nas dependências do castelo além de ter um quarto para ele e para o seu filho então eles costumam ficar bastante aqui no castelo principalmente o Atsushi, bato na porta quando eu fico diante de seu escritório.

- Entre.- Entrei como o ordenada.- Sente-se Himuro teremos uma longa conversa.- Suspiro com essa última parte.

- E então senhor?- Digo assim que me sente na cadeira diante de sua mesa.

- Acho que você já sabe do que quero tratar.

- Olha senhor de novo essa conversa acho que o senhor já sabe que eu não pretendo e nem quero desistir do seu filho não é?

- Você não tem que querer nada, olha dessa vez eu tenho uma proposta melhor além de dobrar a quantia que eu lhe ofereci da última vez ainda lhe ofereço uma mansão é melhor você aceitar de uma vez minha proposta porque eu já estou perdendo a paciência.

- Eu não posso fazer nada se o senhor está perdendo a paciência agora se me dá licença eu tenho coisas mais importantes pra fazer senhor.- Digo me levantando da cadeira.

- Eu cansei Himuro se não quer aceitar minha proposta eu não tenho outra opção a não ser destruir você seu ômegazinho de merda.

 Deixei ele vociferando seus xingamentos sozinho, apenas o ignorei enquanto saía daquela sala, ele deve ter ficado puto por eu o ter deixado sozinho mas não posso fazer nada já não aguento mais essa situação, volto para cozinha com dor de cabeça falar com o pai de Atsushi me deixa assim.

- Teresa?- Digo assim que veja a cozinheira preparando as refeições.

- Oi querido eu sei que você foi falar com o senhor Murasakibara, por isso também sei que você não deve estar se sentindo bem então porque não vai pro seu quarto e descansa um pouco.

- Mas eu tenho um monte de receitas pra fazer e...

- Eu faço tudo isso pra você relaxa só vá descansar um pouco querido.

- Está bem eu vou pro meu quarto então.

 Quando eu chego no meu quarto que fica na área dos empregados aqui no castelo me jogo de uma vez na cama eu estou tão exausto que tudo que eu mais quero é dormir e relaxar pra ver se esqueço um pouco os problemas meus olhos começam a ficar cada vez mais pesados e de repente já estou mergulhado no mundo dos sonhos.

 Acordo sentindo um peso em cima de mim, peso esse que começou a chupar meu pescoço, abro os olhos lentamente e não consigo evitar um gemido.

- Atsushi ahh o que es...está ahh fazendo aqui?- Agora Atsushi passa a massagear meu membro.

- Você não veio até meu quarto como prometeu então eu vim até você.- Disse tudo isso com a voz rouca próxima a minha orelha, o que me fez gemer outra vez.

- Me desculpa eu acabei pegando no sono aahhh.

- Tudo bem você irá compensar o fato de ter me deixado esperando Muro Chin. 

 Com um sorriso malicioso ele saí de cima de mim e pega uma caixa que estava ao lado do cama a abre e pega duas algemas.

- O que pretende fazer com elas?- Digo apontando para as algemas ainda ofegante.

- Você não sabe mesmo Muro Chin o que eu pretendo com elas?- Eu não respondi a sua pergunta e ele continuou com aquele olhar malicioso.- Não vou dizer pra você o que eu pretendo vou mostrar a você, agora tire suas roupas Tatsuya.

 Logo comecei a tirar minhas roupas depois de escutar sua ordem.

- Agora vire-se de costas.

 Logo me virei e ele pegou as algemas e me prendeu na cabeceira da cama.

- Agora meu querido Muro Chin a diversão vai começar.

 Por estar de costas para ele não pude ver mas podia sentir seu olhar malicioso sobre mim, de repente senti algo ser inserido dentro de mim o que me fez gemer.

- Eu ahh não quero um vibrador dentro de mim quero vo...você ahhh.

- Calma Muro Chin vamos brincar um pouquinho primeiro.- Virei o pescoço pra olhar para ele e percebi que Atsushi estava com um pequeno controle nas mãos, de repente sinto o objeto dentro de mim vibrar.

- At...Atsushi ahh.

- Está gostando Muro Chin? Talvez eu deva acelerar um pouquinho não acha? - Gemo em resposta a suas perguntas, e então ele começa aumentar a velocidade das vibrações pelo controle.

-Aahhh At...Atsushi por favor eu quero você ahh.

- Pra que a pressa Muro Chin a brincadeira está só começando.- E com isso ele aumenta a vibração em um nível que me faz gritar de prazer provavelmente no máximo, ele dá uma risada e tira o vibrador de mim quando eu acho que vai me penetrar finalmente fico ancioso mas ao invés de sentir seu pênis me invadir sinto sua língua quente no meu interior.

- Atsu...aah Atsushi anda logo.

 Ele dá uma mordida na minha bunda que me deixando cada vez mais ancioso para o ter dentro de mim meu pênis lateja querendo prazer mas minhas mãos estão presa não posso me aliviar.

- Você é apressadinho não é? Tenha calma meu amor eu vou foder com você até não poder andar no dia seguinte mas primeiro quero aproveitar desse momento provando cada pedacinho desse seu corpo maravilhoso.

 Atsushi começa a morder meu pescoço de maneiras leves e a masturbar meu pênis antes esquecido, tudo que eu consigo fazer é gemer de prazer isso é uma delícia e está me fazendo delirar de prazer, sinto minha lubrificação natural desse pelas minhas pernas já não estou aguentando mais esperar.

- Atsushi ahhh enfia logo esse pênis em mim ahh eu já não aguento mais.

 Sem nem me avisar ele mete tudo de uma vez o que me faz perder o fôlego por alguns segundos e dar um gritinho de dor porque Atsushi não é nada pequeno pelo contrário ele é enorme além de ser alto tem consigo no meio das pernas um membro enorme que me faz delirar de prazer.

- Eu queria aproveitar mais de você Muro Chin mas a verdade é que eu também não estou aguentando mais, mas não pense que eu ainda não vou querer usar os outros brinquedinhos que eu ainda não usei Hmm em você.- Começo a sentir um prazer enorme e sinto uma enorme vontade de beijar Atsushi e arranhar suas costas para poder descontar um pouco o tanto de prazer que ele está me proporcionando sentir.

- Solta essas algemas Atsushi quero ficar de frente pra você enquanto você me faz seu.

 Ele saí de dentro de mim pega as chaves e me solta viro de frente pra ele, e logo este me puxa para um beijo voraz e começa a apertar minhas coxas eu gemo pedindo para que ele me faça seu logo e ele prontamente ouve meu pedido e me penetra outra vez, a cada estocada sinto que posso ver estrelas e quando sinto que estou prestes a gozar sinto Atsushi morder forte meu pescoço logo me desmancho de prazer e sinto seu nó dentro de mim.

 Tento normalizar minha respiração ofegante assim como Atsushi e assim que me recupero penso em dizer o quanto o que fizemos foi maravilho entretanto acabo me lembrando que Atsushi acaba de me morder.

- Você me mordeu? - É uma pergunta retórica é lógico que eu sei a resposta.

- Desculpa Muro Chin não pude mais me segurar.

- Tudo bem amor agora estamos ligados e eu amo você.

- Também amo você Muro Chin.- Ele diz me abraçando com um sorriso enorme também estou feliz mas agora eu tenho um problema enorme o pai do Atsushi realmente vai querer me destruir já basta o quanto ele se irritou comigo por se recusar a me afastar de seu filho imagina o que ele vai fazer quando descobrir que agora somos ligados de corpo e alma, sinto um medo me invadir por dentro aquele homem com certeza vai fazer minha vida virar um inferno na terra.


Notas Finais


Obrigada por lerem!!!
Beijinhos e até o próximo capítulo😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...