1. Spirit Fanfics >
  2. Confundus >
  3. The Locket

História Confundus - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - The Locket


A Instituição Dobby nasceu , oficialmente, na segunda semana de Abril e Hermione não poderia estar mais feliz. Contando com funcionários bruxos e elfos, o lugar era localizado em uma vila bruxa movimentada da Escócia e mesmo sendo recente ,já estava acolhendo e ajudando milhares de Elfos Domésticos.

Harry fez questão de doar uma quantia generosa de Galeões e nuques para contribuir com a instituição,o que Hermione se opôs em um primeiro momento.

 — É muito dinheiro,eu não posso aceitar isso.  — disse quando soube da doação.

 — Eu tenho dinheiro suficiente para umas três gerações de família Mione.  — disse Harry a tranquilizando.  — Isso é o mínimo que posso fazer.

Estavam saindo juntos do Ministério após um longo dia de trabalho e caminhavam lado a lado enquanto conversavam em meio a multidão de bruxos e bruxas que ,assim como eles , também se dirigiam para suas casas.

 — Você é o melhor amigo do mundo!  — exclamou ela parando no meio do caminho para abraçá-lo enquanto recebiam olhares divertidos e curiosos por terem parado no meio de um fluxo de pessoas e também por fazerem parte do "trio de ouro", chamando atenção naturalmente.

 — Eu apenas tento.  — respondeu Harry retribuindo o abraço e sorrindo para ela.  — Mas tem alguém entre nós que é muito melhor.

Ele falava de Ron obviamente e ela não pode evitar de soltar um suspiro.

 — Esse horário ele já está no Largo Grimmauld em dias normais.  — continuou ele olhando de esguelha para a amiga. Tinha feito besteira e sabia disso, mas faria o que fosse possível para ver os dois amigos bem novamente.

 — Não acho que ele esteja muito afim de me ver. — respondeu ela em tom desanimado enquanto voltavam a caminhar.

 — Bobagem,ele me pareceu excepcionalmente feliz hoje ,você deveria ir ao Largo Grimmauld conferir com seus próprios olhos.  — sugeriu Harry fazendo com que ela reconsiderasse seu destino.

Os dois seguiram caminhos opostos quando estavam na área em que poderiam aparatar e Hermione se deslocou para uma rua já bem conhecida por ela.Caminhou até a entrada da casa como se chumbos estivessem presos aos seus pés. Seja lá o que fosse ouvir, não seria fácil.

Após dispensar, educadamente,o auxiliou de Monstro, Hermione permaneceu parada por alguns instantes,apenas observando Ron de onde estava. Ele tinha O Profeta Diário nas mãos enquanto mantinha uma postura tranquila sobre o pequeno sofá da sala e estava tão concentrado, que não notou sua presença, o que permitiu com que ela pudesse observá-lo de longe, como se tentasse guardar todas as características do rapaz em suas memórias.

 — Harry disse que eu te encontraria aqui nesse horário.  — disse Hermione quebrando o silêncio e se aproximando de Ron que ainda folheação O Profeta Diário sem olha-la.

 — Me conhece bem esse Harry não é ?! — respondeu ele numa tentativa de quebrar a tensão instaurada no cômodo. Ela não riu.

 — Ron ,eu não fico feliz em dizer isso . — começou Hermione se aproximando e sentindo a própria garganta fechar com a sensação de dizer aquelas palavras.  — Mas eu vou entender se você quiser termi…

 — Não.  — interrompeu Rony finalmente fixando seu olhar sobre ela.  — De maneira nenhuma.

A sensação de alívio e felicidade dominaram sua mente ,mas ela sabia que aquela conversa não tinha acabado ainda. Sentou-se ao lado de Ron no sofá da sala, pronta para manter seus argumentos.

 — Quando eu fiz aquele feitiço…  — começou ela.

 — Hermione eu realmente não me importo com isso.  — disse Rony a surpreendendo.  — Você e Harry trabalharam juntos em nosso sexto ano em Hogwarts para que eu conseguisse fazer bem, algo que era importante para mim. Eu não estou necessariamente triste em você não acreditar que eu conseguisse passar no teste sem confundir meu oponente.

Hermione abriu a boca para contestar mas ele continuou.

 — Eu só precisava de um tempo para estar pronto em dizer algo que também vinha guardando e que achei que nunca diria para você , algo que só Harry sabia ,assim como no caso do uso do confundus, só que nesse caso envolve a época em que estávamos caçando Horcruxes.   — Rony falava olhando nos olhos dela e ela tinha consciência da dor que eles transmitiam. Falar sobre aquele período era difícil, ela ainda não conseguia evitar de estremecer a cada vez que alguém questionava a origem de sua cicatriz no pescoço, apesar das marcas internas serem ainda mais dolorosas.  — Você sabe o quanto usar aquele medalhão me afetava ,mas você não tem ideia de como ele foi capaz de me manipular para que eu me afastasse de vocês.

Hermione aproximou ainda mais seu corpo do dele em forma de apoio, colocando uma mão sobre a dele, atenta a todas as suas palavras.

 — Eu tirei Harry daquele lago, empunhei a espada de Godric e com ela quebrei um pedaço da alma de Tom Riddle, mas antes disso.  — ele suspirou antes de continuar e Hermione aumentou a pressão de suas mãos juntas.  — Antes disso o medalhão me mostrou uma imagem, a visão das vozes que ele me fazia ouvir todos os dias. Mostrou você e Harry ,uma versão cruel de vocês a minha frente, dizendo coisas que sempre estiveram em lugares obscuros da minha mente. Harry afirmava que eu era o filho menos amado, que meus pais preferiam ele no meu lugar e… E aí tinha você , dizendo que eu não era nada perto d'O Eleito, que ninguém jamais escolheria a mim com ele por perto e então… ah Hermione,e então as duas imagens de vocês trocaram um beijo intenso e depois disso, eu usei a espada para destruí-las.

Hermione possuía uma expressão de choque e algumas lágrimas escorriam por suas bochechas. Ela nunca imaginara que algo horrível como aquilo tinha acontecido e imediatamente sentiu o peso da culpa por tê-lo tratado com tanta indiferença quando Ron os encontrou novamente. Sua única resposta foi abraçá-lo com força ,cobrindo aquele rosto sardento com seus cabelos cheios enquanto os braços de Ron a rodeavam de maneira carinhosa.

 — Tom Riddle achava que te conhecia apenas porque teve contato com seus sentimentos obscuros mas não conhecia.  — disse Hermione entre fungadas.  — Ele não era capaz de enxergar como você sempre foi capaz de tudo pelas pessoas que ama! E eu e Harry… sempre fomos como irmãos,nos amamos dessa forma, achei que você soubesse disso.

 — Harry disse algo parecido quando destruí a Horcrux.  — falou Rony acariciando os cabelos de Hermione.

 — Tom Riddle jamais seria capaz de entender verdadeiramente seu coração. — completou Hermione.

 — Está tudo bem agora .  — disse ele beijando as têmporas dela e aumentando a intensidade do abraço.  — Acho que posso dizer que finalmente superamos isso.

Ela assentiu secando as próprias lágrimas sem se afastar de Ron entretanto. Passaram-se apenas alguns dias mas ela havia sentindo falta daquela proximidade e ,pela maneira em que ele a puxava para um beijo, percebia que Ron também sentira o mesmo.

Os carinhos tornaram-se mais intensos e ,por alguns segundos o único som do cômodo era de seus lábios se encontrando de novo e de novo assim como suas mãos que exploravam seus corpos ininterruptamente.

Tropeçaram nos móveis da sala por se recusarem a quebrar o contato entre seus lábios,mesmo enquanto subiam as escadas em direção ao quarto azul de Ron. Separaram-se apenas para fazer o feitiço  preventivo ,antes de voltarem a se entrelaçar enquanto tiravam suas peças de roupas entre beijinhos infinitos. 

Ela sentia as mãos de Ron por todo seu corpo e não pôde evitar uma exclamação de aprovação quando uma delas alcançou uma região particularmente sensível de si. Passou as pernas em volta da cintura dele enquanto era conduzida para a cama macia que a amorteceu com suaves rangidos.

Gostava de cada pedacinho da pessoa a sua frente, desde as sardas que se mostravam presentes , não apenas no rosto do rapaz, como em quase todo seu corpo, até os olhos que a olhavam com desejo e carinho como ninguém jamais havia feito. Ron a observava atentamente enquanto seus corpos,agora encaixados, ondulavam no mesmo ritmo, provocando exclamações de prazer de ambos.

Ron adorava aquela intimidade,ver os cabelos de Hermione ficarem ainda mais rebeldes contra o travesseiro devido a fricção de seus corpos, vê-la com os lábios entreabertos para que pudesse beijá-la ao mesmo tempo que mantinha a intensidade de suas estocadas.

Fez questão de dizer algo próximo a isso ao pé do ouvido dela, incluindo alguns palavrões que seriam certamente reprovados por Hermione em circunstâncias diferentes, mas que agora a provocavam de outra forma.

Era demais para ela, ter Ron sobre si ,sentir as mãos dele em suas áreas mais sensíveis e ouvir sua voz foi demasiado para os sentidos de Hermione que também sentia Ron perder o controle sobre ela. Ele a beijava de maneira errante enquanto a intensidade dos movimentos entre seus corpos crescia até chegar em seu ponto alto quando finalmente se separaram.

Ofegantes, permaneceram deitados lado a lado enquanto riam e conversavam como se não fizessem isso a décadas. Hermione gargalhava enquanto Ron descrevia como foi tomar poção polissuco para se passar por um bruxo das trevas e conseguir ,assim, a localização de três comensais foragidos. "Fiquei com medo de nunca mais perder aquele nariz estranho. " Afirmou ele em dado momento da conversa ,quando Hermione perdia o ar de tanto rir das descrições grotescas que ele fazia sobre a aparência do bruxo em que se transformara.

Ron, por sua vez ,ouviu atentamente todos os detalhes sobre a Instituição Dobby e ,apesar dos protestos de Hermione, insistiu que doaria parte dos galeões que havia recebido do Ministério por seus serviços na segunda guerra bruxa.

Tinham quase se esquecido da maneira como os diálogos fluíam entre eles, em como apreciavam todas as suas pequenas conversas ,mesmo aquelas que se transformavam em "briguinhas".

 — Sabe,com a Instituição Dobby e todas as minhas tarefas no Departamento de regulamento e controle de Criaturas Mágicas ,acho que vou dar um tempo de traduzir as runas de Os Contos de Beedle O Bardo.  — disse Hermione entre beijinhos trocados , não deixando de manter sua testa contra a de Ron.  — Tirar um tempo para descansar é importante.

 — Hmmm. — respondeu Ron beijando os lábios de Hermione com mais intensidade ao ouvir aquilo.  — Imagine as coisas divertidas que podemos fazer em seu tempo para descansar.

Ele acariciava a perna de Hermione sugestivamente e recebeu um leve tapa no braço como resposta.

 — Eu ainda mantenho minha proposta de nos mudarmos,juntos,para Aberdeen. — continuou Rony olhando mais seriamente para Hermione agora. Aquele assunto estava entre eles desde que ela havia se formado em Hogwarts. Ron vinha guardando dinheiro desde que começara a morar com Harry, que se recusava a deixar o amigo pagar aluguel. Dessa forma, ele pretendia ter,em breve ,sua própria casa.  — Sei que somos novos ,mas você ainda é a melhor coisa do meu passado,do meu presente e vejo que se manterá assim no futuro. Vamos viver juntos Hermione, só eu e você.

Ela lhe deu o beijo mais intenso do dia, aninhando-se ainda mais em seus braços e acariciando seus cabelos. Concordava com ele. Sabia que o que tinham estava longe de ser passageiro e que mais cedo ou mais tarde, suas vidas estariam ainda mais entrelaçadas do que estiveram durante todos seus anos de convivência.

 — Vamos alugar um apartamento juntos então.  — respondeu Hermione.  — Acho que superamos qualquer barreira que nos impeça de levar essa relação mais a sério não é?

Rony exibia um sorriso triunfante, como se houvesse acabado de receber a notícia de que seu time de Quadribol preferido havia vencido a copa. Colocou-se por cima dela preenchendo cada traço daquele rosto bonito com beijos enquanto a fazia rir com cócegas das quais ela não conseguia escapar.

 — Eu senti sua falta sabia ? — disse ela após Ron interromper a sessão de cócegas para beijá-la da forma mais carinhosa que conseguia. — Ir ao cinema sem você não é a mesma coisa,senti falta de ter alguém gritando com a tela como se ela pudesse ouvir, é muito inconveniente mas é divertido.

Os dois riram juntos com a lembrança de seus encontros trouxas.

 — Podemos fazer isso agora, não ?  — sugeriu Ron com um sorriso familiar a Hermione dominando seu rosto. Ele a beijou mais uma vez antes de continuar.  — Imagino que ,assim como eu ,você deve ter tido um dia cheio. Vamos desacelerar com um filme e alguns amassos na sala escura.

Hermione colou seus lábios nos dele antes de responder:

 — Essa é ,definitivamente, uma ótima ideia!

Vestiram-se de maneira trouxa ainda entre beijos e carinhos. Ela sabia que o clima ao lado de fora não era dos melhores e por isso vestiu também a suéter marrom avermelhada em que via-se uma letra "R" bordada na frente.

 — Eu lembro de quando essa suéter era minha.  — disse Rony em tom de brincadeira enquanto desciam em direção a porta. Ela deu de ombros.

 — Fica melhor em mim.  — respondeu.

 — Justo.  — disse ele sorrindo e entrelaçando suas mãos para que aparatassem juntos em direção ao bairro trouxa agora já bastante familiar a ambos.

O filme que escolheram não foi muito animado dessa vez, o que não os impediu de aproveitar a escuridão para amassos,carinhos e diálogos sussurrados.

 — Eu estava pensando.  — começou Hermione sussurrando próximo a orelha de Ron.  — Se fomos alugar um apartamento,você vai ter que aceitar Bichento entre nós.

 — Vale a pena, eu até aprendi a gostar desse gato com o passar dos anos.  — Ron sussurrou de volta,inclinando a cabeça para beijá-la mais uma vez.

 — E também vão ter minhas estantes de livros.  — continuou quando quebraram o contato. Ron deu de ombros.

 — Eu estava justamente pensando em um apartamento com cômodos suficientes para uma biblioteca.  — disse ele e como resposta ,recebeu um dos olhares mais carinhosos que Hermione poderia lhe dar.

—  Ah, eu te amo tanto !  — exclamou ela acariciando o rosto dele delicadamente.

—  Eu também te amo muito —  respondeu Ron entrelaçando seus dedos entre os cabelos de Hermione e voltando a inclinar-se sobre ela.

Beijaram-se até o filme acabar e as luzes da sala de cinema voltarem a acender, permaneceram assim mesmo quando todas as poltronas a sua volta já estavam vazias e só aceitaram se separar quando foram obrigados pelos responsáveis em deixar a sala livre para o próximo filme. Estavam rindo a toa caminhando, com suas mãos unidas, pelas ruas repletas de trouxas que percebiam como eram diferentes e os olhavam com curiosidade.

— Devíamos ir procurar aqueles lanches que tem gosto de papelão mas que os trouxas adoram, o que acha? — disse Rony quando entraram em mais uma rua aleatória movidos apenas por bons sentimentos.

—  Como você pode dizer que um fast food tem gosto de papelão se você nunca comeu papelão? —  questionou Hermione fingindo estar irritada mas não conseguindo deixar de sorrir. Ele deu de ombros.

—  Tem certas coisas que a gente apenas sabe não é? —  respondeu sorrindo de volta e passando seu braço em volta da cintura de Hermione.

Continuaram a caminhar juntos, dessa vez não em direção a caminhos aleatórios, mas com um objetivo.

 


Notas Finais


Obrigada para quem leu até aqui :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...