História Confused Dreams - Imagine Suga - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7
Personagens Ashley Benson, Bae Suzy, Barbara Palvin, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lisa, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Visualizações 562
Palavras 1.853
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


mais um capitulos docinhos de leite de coco quimadooo
leiam bastante e sejam inteligentes para passar na escola tá ❤❤❤

Capítulo 6 - Six


Fanfic / Fanfiction Confused Dreams - Imagine Suga - Capítulo 6 - Six

6

 

Kim (s/n) Points Of Views

 

Já estava escurecendo, eu havia passado o dia inteiro com um pijama qualquer, chorando e assistindo doramas na sala, naquele momento eu não estava diferente, estava sentada no sofá da sala, com um pote de sorvete de flocos no colo e uma colher na mão, quando ouvi a campainha tocar.

Me levantei e fui até a porta e olhei no olho mágico. Era ele.

- vai embora! – gritei

- abre logo, antes que eu desista. – disse com voz calma.

- não! – gritei novamente, tentando controlar o tom choroso em minha voz – principalmente para você!

- (s/n)... abre. – ele disse, seu tom ainda era calmo, porém sério, eu não respondi nada.

- vá embora, Min Yoongi!

Ouvi seus passos se afastando e encostei o ouvido na porta, não ouvindo mais nada do outro lado. Ele desistiu? Me afastei e voltei para o sofá, mas logo ouvi um estrondo vindo da porta e arregalei os olhos, olhando para a mesma, que estava no chão. Ele derrubou a minha porta?

- Min Yoongi! Que merda é essa? – perguntei, me levantando do sofá, meu rosto estava vermelho de raiva, mas ele pareceu não se importar, apenas passou pela porta no chão e a levantou, “fechando” ela novamente.

- obrigada por abrir, gentileza sua. – ele disse, completamente irônico, mas sua expressão estava irritada.

- some daqui! – praticamente gritei, girando seu corpo de frente para a porta e tentando empurra-lo de volta para fora.

- não. – ele se virou e segurou minhas mãos, me prensando na parede mais próxima – me explica o que foi aquilo primeiro.

- eu não sou de ferro sabia? Acha que não choro toda vez que você fala coisas daquele tipo? ninguém é tão insensível como você, as pessoas tem sentimentos! Por que veio aqui? se você me despreza tanto como diz, por que está aqui? – perguntei, meu  tom de voz não era tão alto, mas também não era tão baixo. Ele apenas riu debochado.

- só estou aqui porque seu amiguinho do sorriso estranho me ameaçou se viesse aqui e te visse chorando.

- me solta. – pedi, em tom baixo, eu ia chorar novamente, era isso que acontecia quando eu deixava as lágrimas rolarem, eu ficava frágil. – me solta! – gritei, já chorando, ele soltou meus pulsos, parecendo assustado com a minha reação, acho que ele não gosta de ver as pessoas chorando.

- aish... – ele resmungou, passando as mãos nos cabelos e andando de um lado para o outro, enquanto eu chorava sentada no chão, com as costas na parede e a cabeça apoiada nos meus braços – dá para... parar de chorar?! – ele perguntou

- se não quer me ouvir chorando, vá embora. Nem era para você estar aqui. – eu disse, entre soluços – devo estar próxima dos meus dias para chorar por um escroto como você. – tombei minha cabeça para trás, o fitando com raiva, vi ele corar com o comentário.

- ou talvez você tenha caído no meu charme. – sorriu ladino, um sorriso malicioso, revirei os olhos.

Abri a boca para lhe responder, mas fui interrompida pelo som da campainha, me levantei e abri a porta, arregalando os olhos ao ver Kai, ele estava bem vestido e com um buque de rosas brancas nas mãos.

- não está vestida? – perguntou sorrindo, me olhando de cima a baixo, fitei minha roupa e me amaldiçoei mentalmente por estar vestida com uma calça moletom larga e uma regata colada

- a-ah... é... – olhei para dentro, onde vi o Min me olhar com uma expressão nada boa e os braços cruzados – pode esperar lá embaixo? Já estou descendo.

- ah, claro. – deu um sorriso e me estendeu o buque – é para você, Lanna me disse que são suas favoritas. – sorri e peguei o buque, sentindo o perfume das rosas.

- são... – fitei ele e sorri, corando ao vê-lo me fitando com um sorriso fechado – obrigada.

- estou te esperando lá em baixo. – me deu um selinho e eu sorri, corando em seguida.

Fechei a porta e observei o buque, sorrindo em seguida, logo ouvindo um pigarreio de Min Yoongi, que eu havia esquecido que estava ali.

- você não disse que não estavam namorando? – perguntou, parecia bravo.

- não estamos. – dei de ombros e fui para a cozinha, colocar o buque em um jarro – estamos saindo. Mas isso não lhe interessa. Saia do meu apartamento, vou sair agora. – eu disse sem olha-lo, indo para o meu quarto, ouvi passos me seguindo.

- não vou deixar você sair com aquele cara. – ele disse e se sentou na minha cama

- por que se importa tanto? – perguntei, já nervosa – por que está agindo com se fossemos amigos? Eu não tenho nada com você, eu não gosto de você, não somos amigos, não vamos ser amigos, não depois de tudo o que você já me fez. – cuspi as palavras, o vendo me fitar sem expressão.

- não quero sua amizade, estrangeira. Não se preocupe. – disse seco, se levantando da minha cama e saindo do meu quarto, batendo a porta com força, não ouvi a porta do apartamento, pois estava quebrada, então provavelmente ele só a afastou e saiu, soltei a respiração, que eu nem mesmo sabia que estava prendendo, me sentei na cama e suspirei, passando a mão no cabelo. Decidi me levantar e me arrumar de uma vez, vesti um vestido azul escuro, a saia era rodada e as mangas curtas caídas nos ombros, uma meia calça preta, transparente e um salto preto. Fiz uma maquiagem básica, só para esconder as olheiras que haviam se formado por eu ter chorado e soltei meus cabelos, deixando eles lisos mesmo.

Saí do apartamento e peguei o elevador, quando saí do mesmo, vi o carro de Kai na entrada do prédio, o mesmo estava encostado no carro, mexendo no celular, sorri e me aproximei do mesmo, que me fitou assim que notou minha presença ali.

- você está... muito linda. – disse e eu sorri, corando. Ele abriu a porta do carro para mim.

- você também. Para onde vamos? – perguntei, entrando no carro, ele fechou a porta e deu a volta no mesmo, entrando na porta do motorista.

- vamos em um restaurante. – sorriu – quero te conhecer melhor. – disse e eu sorri sem jeito.

(...)

Adentramos seu apartamento aos beijos, ele fechou a porta com o pé e me prensou contra a mesma e eu dei impulso para cima, prendendo minhas pernas em sua cintura, nosso beijo era quente e selvagem, quando o ar nos faltou, ele desceu os beijos para o meu pescoço, escorreguei minhas mãos para seus ombros largos, apertando por cima da camisa social quando ele me deu um chupão no pescoço, soltei um gemido baixo e tombei a cabeça para trás, dando espaço para que ele continuasse com aquela tortura prazerosa. Sua mão direita segurava minha cintura, apertando vez ou outra, e sua mão esquerda subiu da minha coxa por baixo do vestido até a minha nádega direita, a apertando, me fazendo soltar um suspiro. Desci de seu colo e o puxei pela mão até o sofá.

- senta. – mandei e ele sorriu malicioso, se sentando no sofá, o volume em suas calças jeans estava bem marcado, sorri, orgulhosa com o efeito que tenho sobre os homens, mesmo sem a máscara, me virei de costas para ele e abri o zíper do vestido lentamente, mexendo o quadril de um lado para o outro de um jeito lento e sensual, me virei de frente para ele e escorreguei o vestido por meu corpo, fazendo o mesmo cair no chão, o chutei para longe, agora eu estava com uma lingerie preta e com uma meia calça cinta liga, tirei os saltos e andei lentamente até ele, que mordia o lábio inferior, me analisando, sentei em seu colo e seus olhos se encontraram com os meus.

- não quero que me toque. – eu disse, colocando suas mãos no sofá – apenas faça o que mando. – sussurrei em seu ouvido, o sentindo se arrepiar, ele assentiu e eu sorri, me levantando de seu colo – tire a camisa. – mandei e ele o fez, desabotoando os botões lentamente, olhando em meus olhos, mordi o lábio ao ver seu abdômen definido, ele aproveitou para tirar os sapatos também, os jogando em algum canto da sala.

Me ajoelhei em sua frente e desabotoei sua calça, a tirando junto com a box preta, seu membro saltou para fora, era grande, maior do que eu havia imaginado, segurei em seu talo, ouvindo um gemido rouco do Kim, sorri satisfeita e comecei a fazer movimentos de vai e vem com a mão, espalhando o pré gozo por toda sua extensão.

Passei a língua em sua glande inchada, a rodeando, e enfiei o máximo que consegui na boca, suas mãos foram até os meus cabelos e então eu me afastei, tirando seu membro da minha boca.

- o que eu disse? – perguntei e ele me fitou, ofegante

- para não te tocar. – respondeu, ofegante

- e o que você fez? – perguntei novamente.

- te toquei. – respondeu.

- que pena, não é? – perguntei sorrindo e me aproximei dele, colocando as mãos em suas coxas e o rosto próximo ao seu – a brincadeira acabou. – me afastei, mas ele puxou meu pulso e me jogou no sofá, me fazendo deitar no mesmo.

- não mesmo. – sorriu malicioso e eu devolvi seu sorriso – a brincadeira não vai acabar agora.

- você tem atitude. – eu disse e sorri – me faça sua de uma vez, Kai. – sussurrei em seu ouvido e ele sorriu, tirou meu sutiã e minha calcinha rapidamente, junto com a cinta liga, ele saiu de cima de mim e tirou o preservativo do bolso de sua calça, o colocando em seguida. Gemi alto quando ele me penetrou, fundo e forte, me arrepiei quando ele soltou seu gemido rouco perto do meu ouvido. Levei minhas mãos até suas costas e as arranhei, descontando o prazer que sentia a cada estocada, nossos gemidos se misturavam, soando como a trilha sonora daquele momento tão intimo, a cada estocada que ele dava o prazer aumentava e espasmos percorriam por meu corpo, o ambiente já se tornara quente demais e o som dos nossos corpos se chocando era erótico e excitante, senti minhas paredes o apertarem dentro de mim e uma onda de prazer se espalhar por meu corpo, ele estocou mais algumas vezes antes de gozar também, soltando um gemido alto e rouco. Ele saiu de dentro de mim, se levantando e indo até o banheiro, enquanto ele estava lá, minha respiração se regulou e o cansaço tomou conta de mim, logo ele estava de volta, sorriu para mim e eu sorri de volto, mesmo que cansada.

Kai me pegou no colo e me levou para seu quarto, meus olhos estavam pesados, mas vi quando ele me vestiu com uma camisa sua e se vestiu com uma calça de moletom, se deitando atrás de mim e me abraçando.

- boa noite, princesa. – sussurrou em meu ouvido, me dando um beijo no ombro em seguida.

- boa noite, Nini. – sussurrei e escutei sua risada nasalada.

E foi assim que adormecemos naquela noite.

 

Continua...


Notas Finais


foi isso abelhinhas
até amanhã ❤❤❤
não esqueçam de dizer o que acharam nos comentários ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...