1. Spirit Fanfics >
  2. Confused Feelings - norenmin >
  3. Décimo Segundo

História Confused Feelings - norenmin - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Décimo Segundo


Renjun

Jaemin tinha todas as razões do mundo para estar chateado e, quem sabe, não me perdoar. Eu o compreendia. Apesar da enorme vontade de ir até ele tentar explicar o que houve mais uma vez, Mark me aconselhara a dar um tempo para que ele pudesse pensar e acalmar seus sentimentos. Ele estava certo. De qualquer forma, o que eu poderia dizer a Jaemin? 

Entretanto...

Pego o celular em cima da cama e ligo para Mark. Ele atende. Invento qualquer desculpa só para me certificar de que ele não estava no dormitório com Donghyuck. Ele certamente não me aconselharia mais se me visse por lá.

Percorro todo o caminho treinando possíveis falas. Se Jaemin desejasse me bater, eu aceitaria calado e depois tentaria uma conversa. Se ele chorasse, eu o confortaria com palavras antes de qualquer toque. Se ele se recusasse a me ver... Bom, essa não era uma opção. Eu estava determinado a resolver as coisas naquela hora. Parabéns, Renjun... agindo por impulso novamente. Mas eu não poderia deixar que Jaemin dormisse mais uma noite mal. Não se houvesse uma chance de eu consertar tudo.

Chego na frente de seu dormitório. Bato na porta. Começo a esfregar as mãos por nervosismo puro. A porta é aberta, mas para minha surpresa não é Jaemin ali. 

– Oi Jeno, o Jaemin está aí?

– O que você quer?

– O Jaemin não está a fim de falar com você agora, Renjun. Eu acho melhor você ir embora.

– Jeno... como ele está?

Jeno revira os olhos.

– O que você acha?

O comportamento de Jeno estava bem diferente do que eu conhecia. Ele sempre havia sido tão doce e tranquilo... Mas de certo modo eu compreendia aquela atitude. Jaemin era seu melhor amigo, afinal. Jeno também tomaria suas dores quando necessário.

– Eu não quero que ele entenda mal. - Insisto.

– Renjun, escuta... Chenle me disse que não aconteceu nada entre vocês no hospital e eu acredito nisso também. Só que você vacilou. Chenle passou mal, isso foi ruim, mas ele tinha alguém responsável por ele lá. Já o Nana... ele estava confiando em você. E você deixou ele sozinho. 

– Eu fiz uma burrada. – respondo de cabeça baixa.

– Sim, você fez. Eu disse que apoiaria o relacionamento de vocês dois, mas que se você o machucasse... jamais te perdoaria.

Que ótimo. Se nem o melhor amigo apoia agora eu estou realmente ferrado. Jeno poderia ser minha única esperança de voltar com Jaemin, pois tentaria convencê-lo a me dar outra chance de explicar. Eu só não contava que poderia ter aborrecido Jeno também. Eu. Só. Faço. Merda.

– É melhor você ir embora. – Jeno reforça.

Faço sinal positivo com a cabeça e me viro. Ouço a porta atrás de mim fechar. O plano falhou, e eu não tinha outro em mente.


Jaemin

Não sabia se era por causa de todos os acontecimentos dos últimos dias, mas as aulas têm ficado cada vez mais cansativas.

Após terminar a última lição com muito embromação, a entrego e sou liberado.

Ao cruzar o pátio, avisto Mark e Donghyuck na maior melação. Desde que voltaram, os dois têm estado mais próximos e afetuosos um com o outro. Como se já não fossem o bastante. Confesso que sentia um leve sentimento de inveja do relacionamento dos dois. Eu desejava algo assim também, mas infelizmente minha vida amorosa era uma bosta.

Chego na sala de música e vejo Jeno e Chenle conversando. Um breve sentimento de incômodo assume meu corpo. Eu não odiava Chenle, mas não podia deixar de pensar que era por causa dele que Renjun havia me abandonado. Eu não descontaria em Chenle, afinal, a culpa era inteiramente de Renjun. Mas vê-lo ali, com Jeno, me causou um certo desconforto. Era como se de alguma forma estivesse tentando tomar todas as pessoas que eram importantes para mim. Tento afastar esses pensamentos. Não era adequado. Eu estava errado. 

– Olá. – Chenle me cumprimenta nervoso.

– Oi.

– Nana, esse é o Chenle. Chenle esse é o meu melhor amigo, Jaemin. Eu sei que vocês se conhecem... – ele passa a mão na cabeça – ... mas eis aqui uma apresentação oficial.

Forço um sorriso. "Que situação."

– Não é seu departamento, mas você é bem famoso aqui na música por causa do Jeno.

– Até parece. – Jeno responde.

Continuo com o sorriso. A essa altura já estava sentindo câimbras no rosto.

– Bem, é melhor eu ir. Tenho umas coisas para fazer. – ele vira-se para Jeno – Depois eu mando mensagem para você.

Jeno assente. Chenle sai.

– Eu estava atrapalhando alguma coisa? – pergunto.

– Claro que não. – ele se dirige ao piano – Você já tocou alguma vez?

– Nunca tentei.

– Quer experimentar? – ele pergunta dando batidinhas no banco sinalizando para que eu sente ao seu lado. 

Dou de ombros.

Aperto três teclas aleatórias e o som emitido não é muito agradável aos ouvidos.

– Esse piano está afinado? – pergunto.

Jeno sorri e responde: – Foi afinado hoje.

– Ahhhh.

Ele levanta e caminha para trás de mim. Lentamente estende o braço até sua mão encontrar a minha. Hesito um pouco. Jeno suspende nossas mãos e as posiciona sobre o piano. Ele estava tão perto que eu podia sentir sua respiração em minha nuca. Nós já dormimos juntos diversas vezes, mas aquela situação estava bem... diferente. 

Nossos dedos começam a deslizar pelas teclas.

Com o auxílio de Jeno, a melodia soava bem mais agradável do que as três notas que eu havia disparado anteriormente.

– Parabéns, você é quase um Chopin. – Jeno diz.

Faço cara de deboche. Eu não podia nem ao menos zoar com sua dança, pois Jeno era excepcional em praticamente tudo o que fazia.

– Deixa eu te mostrar uma coisa. – ele se senta ao meu lado novamente, assume postura e começa a tocar algo.

Não consigo esconder minha cara de encanto ao ver Lee Jeno tocando. 

"Boyfriend Material."

Ele termina e espera minha reação. 

Começo a bater palmas. 

Jeno faz reverência.

– Resposta de alguma academia de música?

– Nada ainda. – ele responde.

– Caramba, Nono. Eu te conheço há tempos e não sabia que você era todo esse poço de talento.

– Bem, há muitas coisas sobre mim que você não sabe... – Jeno começa a aproximar-se cada vez mais vagarosamente. Por algum motivo, não consigo recuar. Sinto meus batimentos cardíacos acelerando. "Por que eu não consigo recuar?" Nossos rostos ficam a poucos centímetros de distância e percebo Jeno analisando meus lábios. 

– J-Jeno? – minha voz sai quase como um sussurro.

O olhar de Jeno rapidamente passa de meus lábios para meus olhos. Ele me encara por dois segundos e então se afasta. No momento seguinte seus olhos começam a percorrer várias direções como se estivesse tentando captar algo. 

– E-eu... Desculpa. Eu não sei o que deu em mim.

– A melodia... muito linda. – solto a primeira coisa que vem em minha cabeça, mesmo que não seja uma frase muito coesa. Minha expressão estava estática, mas eu não conseguia agir de outro modo. Tudo o que queria era quebrar aquele gelo.

– Valeu. 

Jeno levanta. 

– Você vai para o dormitório? – ele pergunta

– Eu acho que sim. Você não? 

– Preciso passar em um lugar antes.

– Entendi. Tudo bem, então. – digo me levantando.

Jeno pega sua mochila e ambos saímos dali de dentro. Nos despedimos na entrada da sala e seguimos caminhos diferentes.



Notas Finais


Gente desculpa a demora pra atualizar, eu tô um pouquinho desanimada :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...