História Confusing - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Adaptação, Alessandra Hazard, Amizade Colorida, Bangtan Boys (BTS), Confused, Hopekook, Hoseok, Junghope, Jungkook, Suga, Sugamon, Yoonjoon
Visualizações 35
Palavras 1.815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus anjos!

Primeiramente, não me odeiem, eu apenas esqueci qual era o dia para publicar, perdão.
Trarei outro capítulo ainda hoje, já que é um quarta e outro sexta.

Kissus e boa leitura!

Capítulo 5 - Capítulo 4


A coisa era, Jeon Jungkook era perfeitamente legal com as pessoas homossexuais. Basta perguntar aos dois de seus irmãos. 

Mas isso não significava que ele tinha que gostar do cara que estava atualmente todo dia com seu melhor amigo no próprio apartamento de Jungkook. 

Jungkook limpou a garganta, o que tornou o casal separado. Hoseok estava corado, seus olhos olhando para qualquer lugar, menos para Jungkook, enquanto o cara ruivo simplesmente parecia um pouco presunçoso. Jungkook sentiu sua mandíbula apertar. 

— Ei, você é o Jungkook, certo? — Disse o idiota, dando um passo para a frente e esticando sua mão para fora. 

— Park Chanyeol. 

Sua mão estava úmida. Ele estremeceu um pouco quando Jungkook apertou-a. 

— Obrigado por nos deixar ficar em seu lugar. — Disse Chanyeol com um sorriso. — Bom finalmente conhecer o melhor amigo de Hoseok. Eu já ouvi muito sobre você. 

— Não posso dizer o mesmo. — Disse Jungkook examinando-o da cabeça aos pés. 

Chanyeol olhou para Hoseok hesitante antes de dar uma risada curta. Ele tinha um pequeno espaço entre os dentes da frente. — Eu estou ferido! — Disse ele, brincando, colocando uma mão no quadril de Hoseok e dando-lhe um beijo na boca. 

Jungkook abriu a porta. — Foi bom conhecer você, Paul. — Ele ignorou o olhar de Hoseok. 

— Vejo você por aí. — Disse ele, abrindo a porta mais largamente. — Desculpe, eu realmente não estou em um humor social, hoje. 

— Sim, eu entendo. — Disse Chanyeol com outro sorriso irritante. — Encontrar um estranho em sua casa depois de um longo dia não me faria feliz, também. 

— Fico feliz que entendemos um ao outro. — Disse Jungkook, colocando um sorriso de harmonização. — Até logo. 

Ele fechou a porta atrás do cara, trancou-a e deixou-se cair no sofá. 

— O que... — Hoseok balbuciou. — Que diabos foi isso? Importa-se de me explicar? 

— Eu tive um dia ruim. — Disse Jungkook, fechando os olhos. — Eu não estou com disposição para tolerar algum idiota com um sorriso falso e uma mão suada. 

— O-O que você tem contra Chanyeol? 

— Ele parece o tipo desprezível. — Disse Jungkook. — Eu não confio nele. 

— Você nem mesmo o conheceu! 

— E eu não quero. Venha aqui. 

Silêncio. 

— Por quê? — Disse Hoseok finalmente. 

Jungkook estalou o olho aberto. — Porque eu tive um dia de merda. — O cliente havia mudado de ideia sobre algo fundamentalmente importante depois dele ter passado duas semanas sangrentas no design. Mesmo pensando nisso ainda o irritou. — Estou irritado e exausto e eu só quero abraçar o meu melhor amigo. Se ele ainda é meu melhor amigo. 

A boca de Hoseok caiu aberta. — O que isto quer dizer? 

Jungkook segurou seu olhar de forma constante. — Não finja que você não sabe, Hoseok. 

Hoseok baixou o olhar, mordendo o lábio. — É sobre eu ser ocupado ultimamente? 

Jungkook riu. — É isso o que as pessoas chamam, após ignorar seu melhor amigo por um mês? 

— Eu não tenho ignorando você. — Disse Hoseok, com suas sobrancelhas franzindo. 

— Vamos ver. — Jungkook falou lentamente. — Nós saíamos juntos um total de quatro vezes este mês, e dois deles você saiu por causa de algo que seu pai queria que você fizesse. A terceira vez você teve que sair mais cedo porque você teve um encontro com Chanyeol. — Ele não fez qualquer esforço para suavizar sua voz. Não tinha sido um bom dia. 

— Você tem Rosé agora. — Disse Hoseok, puxando o seu telefone fora e verificando-o. 

— Rosé é minha namorada. — Disse Jungkook. Hoseok ainda estava estudando seu telefone com grande interesse. 

Jungkook apertou os dentes. — Você é meu melhor amigo. E eu estou sangrando de falta do meu melhor amigo. 

Hoseok ficou muito quieto antes de lentamente olhar para cima. Ele engoliu em seco, parecendo incrivelmente culpado. — Jungkook, eu... 

— Eu não quero explicações. — Disse Jungkook. — Eu só quero o meu melhor companheiro de volta. 

A mandíbula de Hoseok trabalhou, algo rasgado sobre sua expressão. Por fim, ele falou, com a voz muito praticada. — É natural que as pessoas ficam distante à medida que crescem e encontram outras pessoas significativas. — Ele riu. — Todo mundo sempre tira sarro de nossa amizade porque vivemos um no bolso do outro... 

— Eu não dou a mínima para o que as pessoas dizem. — Disse Jungkook. — Eu quero um bom afago depois deste dia fodido. — Ele sorriu para a rima não intencional e abriu os braços. — Venha aqui, urso Hoseokie. 

Revirando os olhos, mas sorrindo, Hoseok se aproximou e caiu em cima de Jungkook. — Você ainda é um bebê tão grande! — Disse Hoseok, descansando sua bochecha contra o ombro de Jungkook. —Se os teus irmãos soubessem que você ainda me usa como seu urso de pelúcia quando você tem um dia ruim, eles nunca iriam deixá-lo viver com isso. 

— Você nunca diria a eles. — Disse Jungkook, envolvendo os braços em torno de Hoseok com força e fechando os olhos quando a tensão que havia se reunido em seu corpo ao longo do último mês de alguma forma diminuiu suavemente para longe dele. — Você nunca diria a eles, porque eu sou sua pessoa favorita no mundo. 

Hoseok apenas suspirou, enterrando seu rosto em seu pescoço. Ele não disse nada. Mas ele não negou, tampouco. 

— Não faça isso de novo. — Disse Jungkook, abrindo os olhos e colocando a mão na nuca de Hoseok. —Ok? 

Hoseok não olhou para cima, seus dedos brincaram com os botões da camisa preta de Jungkook. —Eu pensei que você não tinha tempo para mim, agora que você tem Rosé. 

— O quê? — Suas sobrancelhas franziram e Jungkook apertou um polegar para o queixo de Hoseok e inclinou seu rosto suavemente. — Não seja estúpido. — Ele adorava Rosé: seu sorriso, sua pele pálida impecável, seus cabelos ondulados loiros suave e corpo mole. Ele tinha certeza que ela era para ele. Mas ela não poderia substituir o seu melhor amigo. Este mês passado tinha sido porra estranho. Jungkook nunca se sentira tão em pontas soltas: a necessidade de ver Hoseok, para aproveitar o calor do seu sorriso ficava sempre na parte de trás de sua mente. Jungkook não deu a mínima de como gay isso soou, ele amava Hoseok. Amava mais do que qualquer um de seus irmãos reais e Jungkook amava seus irmãos. 

Segurando o olhar de Hoseok, Jungkook disse: — Não importa que nós temos empregos e relacionamentos agora. Porque você e eu, somos nós, e nada vai mudar isso, entendeu? Você está preso comigo. Se você acha que eu vou deixar você me colocar de lado por seu pai ou por qualquer idiota, pense novamente. Você foi meu primeiro. 

As bochechas pálidas de Hoseok coraram um pouco. Ele baixou o olhar antes de olhar Jungkook no olho de novo e sorrir. — Você nunca vai superar isso? Nós não somos mais crianças. 

— Eu não dou a mínima. — Disse Jungkook, apertando o nariz de Hoseok. Hoseok fez uma careta engraçada e riu, e Jungkook encontrou-se sorrindo, sentindo-se leve e de bom exatamente o que ele precisava após o dia estressante. 

A companhia de Hoseok sempre trabalhou maravilhas para ele. Nada, nem mesmo Rosé, poderia melhorar seu humor tão rapidamente ou tão bem como Hoseok. 

Hoseok suspirou, colocando a cabeça para trás sobre o ombro de Jungkook. — Se Chanyeol nos visse agora, ele começaria a ter uma ideia errada, você sabe. 

Os lábios de Jungkook se curvaram em um sorriso de escárnio. — Veja quantas fodas eu dou pra ele. 

— Não seja um idiota. — Disse Hoseok, seus dedos brincando com os botões da camisa de Jungkook novamente. — Chanyeol é um ótimo homem. Eu gosto muito dele. 

— Eu não confio nele. — Disse Jungkook categoricamente. — Não com você. 

Ele podia ouvir o rolar de olhos de Hoseok. — Eu posso cuidar de mim, você sabe. Eu não preciso de você cuidando de mim. 

— Você precisa! — Disse Jungkook. — Mesmo que não estejamos relacionados, isso não significa que você não tem um irmão. 

Hoseok permaneceu em silêncio por um tempo. 

— Eu realmente gosto dele. — Disse ele. — Nosso relacionamento é ótimo. 

Jungkook olhou para ele. — Ok. — Se Hoseok realmente gostava do cara, então ele iria fazer o seu melhor para ser simpático com ele. — Eu vou ser bom para ele. — Disse ele. — Mas certifique-se que ele não... — Ele olhou para Hoseok drasticamente à medida que algo lhe ocorreu. — Você já está fodendo com ele? 

O rosto de Hoseok ficou vermelho. — Não é da sua conta. Mas se você quer saber, sim. — Ele parecia quase desafiador. 

Jungkook abriu a boca e fechou-a sem dizer nada. Ele honestamente não sabia o que dizer. Havia algo vagamente... de mau gosto sobre Hoseok permitindo que o cara desprezível o tocasse dessa forma, mas realmente não era nenhum de seus negócios. 

Então ele suspirou e disse: — Só não transe com ele aqui. Eu teria que queimar o lugar inteiro. 

Hoseok deu-lhe um sorriso insolente. — Quem disse que eu não o tenha feito? 

— Você está mentindo. — Disse Jungkook categoricamente. 

— Nós fizemos isso na sua cama. — Disse Hoseok, antes de começar a rir. — Oh meu Deus, olha o seu rosto! 

— Você é um pequeno monstro. — Jungkook virou por cima dele e começou a fazer cócegas nele. Hoseok riu histericamente, debatendo debaixo dele. 

Não demorou muito tempo para Hoseok implorar por misericórdia. — Eu sinto muito, me desculpe, pare! Eu não, ok? 

Jungkook parou. — Idiota. Eu quase vomitei. 

Ainda corado de rir, Hoseok sorriu para ele. — Não se preocupe, sua cama preciosa permanece imaculada. Bem, eu tive um cochilo depois que eu cheguei aqui, eu estava cansado, mas eu disse a Chanyeol que a cama estava fora dos limites para ele, quando ele quis se juntar a mim lá. 

— Eu quero minha chave de volta. — Disse Jungkook com um olhar trincado. 

O rosto de Hoseok ficou sério. — Seu apartamento é praticamente o único lugar que Chanyeol e eu podemos sair sem ser visto. Ele está reformando seu lugar. 

— Seus pais ainda não sabem? — Perguntou Jungkook. 

Hoseok balançou a cabeça, fazendo uma careta ligeiramente. 

Jungkook estudou-o. — Você está mesmo a planejar sair? 

— Sim. Em algum ponto. — Hoseok mordeu o lábio. — Quando eu estiver pronto, você vai vir comigo? Para dar apoio moral. 

Jungkook perguntou por que Hoseok não queria o Park para dar apoio moral se as coisas eram tão boas entre eles, mas não podia negar que era imensamente gratificante saber que Hoseok ainda precisava dele quando se importava. 

— Claro! — Disse ele com um sorriso preguiçoso. — Eu quero ver o rosto de Dak-ho quando ele descobrir. Não perderia por nada no mundo. 

Hoseok bateu-lhe na cabeça. — Você não sabe falar sério? 

Jungkook deixou cair seu sorriso. — Estou falando sério agora — Disse ele, olhando Hoseok no olho. — Você sabe que pode sempre contar comigo. Não importa o que. Se você precisar de alguma coisa, eu estou aqui. Sempre. 

Algo brilhou nos olhos de Hoseok antes de sorrir. — Eu sei. 

— E se o Park machucar você... 

— Estou feliz com ele, Jungkook. Realmente. — Hoseok sorriu mais brilhante. Jungkook olhou para ele com ceticismo. Talvez o seu desagrado estava nublando seu julgamento, mas ele não conseguia acreditar. 

Park Chanyeol não era bom o suficiente para Hoseok. 


Notas Finais


Gente, sinceramente, eu amo as histórias da Alessandra. Mas esse povo que traduz para o português, eles não tem noção.
Sempre que vou reescrever para publicar aqui com o meu shipp, Deus do céu, tantos erros ortográficos que me doem.
Preciso tomar todo o cuidado para algumas frases não ficarem sem sentido, porque tem e muitas. Muitas palavras desconexas.

Contudo, obrigado por lerem e obrigado por comentarem. Isso serve como incentivo para eu continuar.
Alias, possivelmente, esse final de semana eu traga mais um capítulo de "Páginas de um Amor".

Goodbye, au revoir, adiós.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...