História Confusões de um namoro REVISÃO - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Jungkook, Vmin
Visualizações 47
Palavras 3.452
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 40 - A diversão


Quando você é uma criança, sua diversão é encontrada em brinquedos. 

Não importa de qual tipo, não importa seu sexo, tamanho, etnia ou religião, se você der à uma criança um brinquedo, imaginação dela faz todo o resto. Já parou para observar crianças naqueles parques pequenos que vão de cidade em cidade??? É uma felicidade tão grande que até contagia! 



Quando eu completei 14 anos e meus irmãos mais novos queriam que eu fizesse companhia para eles em um desses parques, me dei conta que os brinquedos eram velhos e enferrujados, que na verdade a maioria deles não tem a menor graça e chegam até a ser perigosos, além disso, o que mais me deixou indignada, foi que pra dar uma volta no parque com os dois, eu teria que gastar quase toda minha mesada dos dois últimos meses e eu poderia investir aquele dinheiro em coisas mais produtivas, como assistir o próximo filme da Marvel que seria lançado no próximo mês, fazer compras no shopping ou investir em comida. Aí me dei conta que quando se vira adolescente, a fonte diversão muda.



Quando entramos na famosa puberdade, logo no comecinho, a diversão pode ser encontrada de muitas formas diferentes, mas resumidamente, em geral a euforia é encontrada em passeios com os amigos. Não importa o destino, o horário, o que vão fazer ou se ao menos têm assunto para conversar. Sair com os amigos se torna a principal fonte de alegria para um pré adolescente... só que, de novo, houveram mudanças.


Quando fiz 15 anos, entrei no ensino médio. Ali as coisas ficaram bem diferentes. Agora eu era dos adolescentes. Dos caras crescidos. Aquele grupinho descolado que sempre ficava distante nos recreios... INTERVALOS! Agora eu era uma garota legal e descolada. Mas o que ser legal e descolada significa??


No segundo mês do ensino médio, Jungkook e eu descobrimos como funcionava a hierarquia da nossa nova escola. Basicamente, quem recebia a atenção eram aqueles que conheciam mais pessoas (ou eram mais conhecidos por elas), sendo automaticamente, aqueles que eram convidados para as festas. Festas. Era esse o novo combustível para diversão.


No meio do ano, kook e eu descobrimos que a melhor maneira de ficar entre os populares, era dar uma boa festa. Foi por isso que na segubda semana de férias, quando os pais dele saíram da cidade para aproveitar férias em casal, nós dois juntamos toda nossa mesada do ano e fizemos uma grande festa para a escola toda. Acabou que levaram bebidas e drogas para a festa, além disso, o som estava alto de mais, então a polícia chegou. Jungkook e eu fomos presos. Passamos a noite na cela e os pais dele tiveram que voltar das férias uma semana antes do previsto. Nós passamos o resto das férias de castigo e eu achei essa ideia de festa uma grande roubada. Nem era tãaaao legal assim ver várias pessoas num lugar apertado com música alta, quando era criança, os brinquedos eram muito mais divertidos do que isso.


Acontece que quando as aulas voltaram, uma coisa tinha mudado. Nós éramos reconhecidos. Naquele dia, os populares nos chamaram para sentar com eles. Na mesa tinha um garoto do segundo ano, ele era moreno e bochechudo, de aparencia fofa. Ele nos acolheu bem. Jungkook se apaixonou pelo sorriso dele, descobrimos que seu nome era Jimin. Mas isso é outra história, o ponto é que fomos convidados para outra festa e como bons adolescentes influenciáveis, lá estávamos nós, fugindo de casa no meio da noite para ir à festa.


Chegando lá, ela parecia muito com a que demos nas férias. Jimin e Jungkook sumiram na festa e eu tinha ideia do que estava acontecendo, então apenas fiquei com uma garota engraçada de cabelos verdes do nosso grupo. Ela disse que eu estava muito desanimada e me fez beber alguma coisa que até hoje não sei o que era, mas gostei e bebi muito mais.


 Foi a primeira vez que fiquei bêbada e foi também como descobri o motivo das festas serem tão legais. A diversão não estava exatamente nelas, estava em se embebedar nelas (nesse mesmo dia também beijei 5 garotos, foi mais um motivo para ser tão divertido, mas a coragem que encontrei pra tal feito foi toda pela bebida). Desde então, minha fonte de diversão se manteve a mesma... tá, eu também acho ótimo apenas ficar engordando e maratonando séries com Jungkook em casa, mas festas são meu ponto fraco.


Nesse momento eu estou em uma, com meu vestido mais provocante, uma das maquiagens mais bem feitas, um salto grande e brilhante no pé e um copo cheio na mão. Do jeito que sempre gostei.


Aí eu me dei conta de uma coisa.


Quando eu estava nos parques de diversão, eu não lembro de como me divertia, porque era muito nova. Quando comecei a sair com amigos, foi mais ou menos a época em que Jungkook entrou em minha vida. Então em praticamente todas as memórias de diversão que criei ao longo desses anos, Jungkook esteve presente. Na verdade, eu não consigo lembrar de ir a uma festa sem ele, nenhuma em todos esses anos. Bem, agora ele não estava aqui. 


Na verdade, talvez ele nem soubesse ainda que eu estava em uma festa.


Quando saí do trabalho mais cedo, pronta para o avisar que a saíria hoje, Yoongi estava o esperando na frente da cafeteria e me contou que Jungkook derrubou o celular na máquina de café e eles saíriam para comprar outro. 


Eu tive que ir antes que ele aparecesse, ou perderia o ônibus, então voltei para casa me perguntando como Yoongi sabia sobre o acontecido, ou no motivo de kook estar mechendo no celular durante o trabalho, mas tive que focar apenas em mim, porque logo logo hobi passaria para me buscar, então me arrumei e colei um post it na geladeira, explicando que saíria e só voltaria tarde.


Já eram quase 9 horas... eles ainda não tinham voltado?


- ah, não te trouxe nessa puta festa pra ficar pensando em macho não, tá cheio deles aqui! Se anima minha filha- Hoseok me chacoalhou me fazendo rir- ah, achei meu amigo, vem, vou te apresentar!- gritou no meu ouvido pela música e começou a me puxar no meio do povo. Jackson tinha dito alguma coisa sobre batidas antes de sumir, então deve estar ficando trilouco na cozinha agora.


-o nome dele é HyoJong, mas a gente chama de E'dawn- hobi explicou enquanto subia as escadas.- OLHA SÓ SE NÃO É O MAIOR VIADO DE SEOUL- ele gritou soltando minha mão e abrindo os braços, todo sorridente, enquanto caminhava em direção à um grupo de pessoas.


-OLHA SE NÃO É O FAMOSO SOL!- um garoto loiro respondeu abrindo um sorriso meigo e se aproximou de hobi, o abraçando- achei que não viria!- ele falava animado e um pouco embolado, pelo copo já vazio em sua mão, aquela felicidade toda não era só pela presença de hobi.


-como não? Quem recusa uma festa sua?? Onde está Hyuna? Ela ainda te aguenta?- perguntou divertido e uma garota surgiu de trás do loiro, sorrindo amavelmente e abraçando hobi.


-como você está? Por que nunca mais apareceu aqui em casa?- perguntou fazendo um bico emburrado, mas logo voltou a sorrir.


-muita coisa na faculdade, assim que der eu venho encher o saco de vocês- ele falou sorrindo antes de olhar para o lado e lembrar que eu existia- ah! Quero apresentar alguém para vocês- sorriu animadamente me puxando para mais perto deles, onde pude observar mais de perto a beleza dos dois. Eram um belo casal!


-ta namorando?- Hyuna franziu o cenho tombando a cabeça para o lado. 



-você não era gay?- E'dawn fez uma careta confusa e eu comecei a rir. 



-primeiro que eu sou bi e segundo que, não, ela não é minha namorada... não que eu não queira, aliás não é uma má ideia, o que você acha, xuxu?- hobi me olhou sugestivo e eu ri mais.


-se você quiser, eu não nego- pisquei sorrindo e ele deu risada, antes de levantar as mãos para o alto em uma comemoração engraçada, fazendo o casal rir comigo.


-okay, brincadeiras à parte, essa é Kethlyn, ela é um amorzinho, agora se virem aí, cuidem da minha filha, porque eu preciso resolver uma coisinha ali em baixo- ele sorriu malicioso e saiu sem mais nem menos, me deixando com o casalzinho modelo.


-hobi é doido- Hyuna negou com a cabeça- deve ser por isso que somos amigos- deu de ombros e me puxou, passando seu braço pelo meu- então, querida, vamos ser amigas- ela sorriu animada, me contagiando também.


Acabou que uma hora depois, nós estávamos super íntimas de verdade, como se fossemos melhores amigas à anos.


-calma, então você mora com seu melhor amigo gay, mas você pega seu melhor amigo, porque ficou na seca e isso despertou seu interesse nele... mas porque ele te pega se ele é gay?- franziu o cenho e eu dei de ombros. Ninguém nunca vai entender a gente- certo... se eu fosse gay também ia querer te pegar, não precisa de muita explicação... mas continuando, tudo isso graças ao ex dele que apareceu namorando um carinha... mas o ex dele é tipo melhor amigo de vocês?- concluiu e eu assenti feliz por ela ter entendido essa parte- que confusão... fodam logo e já era!


-então... a gente já transou... mas aí o meu ex melhor amigo e crush dele apareceu e rolaram algumas coisas com ele, porque o kook meio que cagou pra mim, só que aí tudo mudou de novo e eu tava pegando os dois ao mesmo tempo- contei bebendo mais do drink que ela mandou seu namorado buscar para a gente.


-amiga... sua piranha, adorei, conta mais- ela apoiou o queixo na mão e me encarou com total atenção, enquanto eu ria. 



-certo... digamos que eu estava me sentindo meio mal por estar pegando meus dois melhores amigos ao mesmo tempo e sabendo que eles já se pegaram no passado e tudo mais... só que... lembra o ex do Jungkook??- ela assentiu atenta- então, fui para a casa dele para pintar o cabelo... falando nisso, ele que fez o meu! Quer dizer, ele e o namorado dele- contei e ela arregalou os olhos pegando uma mecha do meu cabelo.


-mentira! Eles são cabeleireiros?? Qual o salão deles?- quis saber animada. Ela era toda animada, gosto disso.


- são nada! A gente faz tipo uma brincadeira de um pintar o cabelo do outro, ora pra Deus e depois vê no que deu- demos risada e ela tomou outro gole de sua bebida.


-bom, na próxima me chame, faz tempo que não mudo essa cor...- diz olhando uma mecha de seu cabelo atualmente moreno.


-uh, claro! Eles irão te amar, vai ser ótimo, já até imaginei uma cor ótima pra você...- sorri de lado e então me lembrei porque entramos nesse assunto- ah, sim, então, na noite em que pintei o cabelo, as coisas saíram muito do meu controle e eu acabei na cama com os dois- falei e ela se engasgou, demorando alguns minutos para falar algo.


-mas eles não eram gays??- quis saber e eu concordei dando de ombros- certo, parece então que realmente temos a cura gay- ela brincou e começamos a rir antes de ela voltar ao foco- então você estava pegando os dois melhores amigos e se sentindo mal, aí pra terminar de cagar tudo pegou o casal, cujo um deles é ex do seu melhor amigo, que você mora junto e pega sempre que pode?- arqueou a sobrancelha e eu sorri.


-entendeu certinho, lindíssima, resumiu tudo!- bebi mais, para tentar não ligar para o fato de que eu estou na bosta.


- olha, eu achava a minha relação com meu namorado complicada, porque meus pais prometeram minha mão para os pais do melhor amigo gay dele, que eu desconfio ter uma queda por ele, mas parando pra ver sua vida... é, acho que se eu organizar tudo certinho consigo convencer meu namorado que poliamor é uma ótima- colocou a mão no queixo fazendo uma expressão pensativa e eu comecei a rir feito uma doida.


- olha, o pior é que agora os 4 estão brigando entre si e o prêmio seria eu, mas eles meio que cagam pra mim, por estarem ocupados brigando entre si- terminei de resumir meu atual estado e ela começou a rir, rir mesmo, tipo, gargalhar. Até as lágrimas escorrerem pelos cantos dos olhos.


- amiga, você é muito fodida, pelo amor de Deus...- ela respirou fundo tentando se controlar- sabe de uma coisa? Eu sei exatamente do que você precisa. Fica aqui. Não sai!- pediu antes de levantar e dar umas corridinhas até E'dawn que falava animadamente com seus amigos, eles conversaram um pouco e depois desceram as escadas.


Encarei meu copo à frente e suspirei. É isso aí, na bosta e com a bebida, se tocar evidências ninguém me segura!


-então, Hyuna pediu para eu ficar aqui pra você não sumir... cê tá pegando mesmo seu melhor amigo gay e o ex dele ao mesmo tempo?- E'dawn brotou no lugar que antes era ocupado pela morena e eu ri de sua expressão.


-quer mesmo saber?- arqueei a sobrancelha e ele assentiu animado. Talvez ele e Hyuna formassem o casal da animação...


- eu achava que minha vida era difícil pelo meu melhor amigo gostar da minha namorada e me fazer sentir estranho...- foi a primeira coisa que ele disse ao terminar de ouvir tudo e fez bico, eu arqueei a sobrancelha. O melhor amigo dele não era gay??


-como assim te fazer sentir estranho?- perguntei e ele deu de ombros.


-olha, eu nem falo muito sobre isso, mas como você já me contou todo seu rolo aí... é que assim, Hui tem umas brincadeiras assim meio estranhas, sabe? E eu sempre fui hétero, mas de uns tempos pra cá essas brincadeiras me fazer ficar meio diferente...- ele da de ombros e eu arqueio a sobrancelha.


-diferente tipo excitado?- pergunto e ele assente sem animação- ele gosta de Hyu?- voltei para o primeiro ponto que me deixou curiosa.


- eles eram prometidos e tudo mais, ele nega, mas eu vejo quando ele olha pra ela...- E'dawn faz bico.


-ele não era g...


-VOLTEI! Sentiram saudades??- Hyuna se joga ao lado do namorado e ele sorri calmamente, à beijando.


- tu me trouxe aqui pra segurar vela?- me assusto com a voz masculina soando ao meu lado e então percebo um garoto parado com os braços cruzados e... que braços... que voz... que cabelo... que olhos... que homem.


-ah, deixa de ser chato, Hansol, até parece que não foi você que deu a casa pra eu perder a virgindade- Hyuna revira os olhos e seu namorado arqueia uma sobrancelha... acho que ele não sabia dessa.- é o seguinte, Kethlyn, esse é o Hansol, filho da puta, essa é a Kethlyn. Agora que já estão devidamente apresentados preciso dizer algo: Vernon, achei alguém tão fudido quanto você na vida- olha, ela trouxe o garoto aqui só pra debochar!- e vocês dois me conhecem e ambos estão na festa do meu namorado. Sabem o que isso quer dizer?- quis saber e nós dois negamos- que o universo quer que vocês se peguem, é só enfiar a língua na boca um do outro, depois vocês me agradecem, beijos- e aí ela saiu puxando seu namorado que ria negando com a cabeça. Assim, sem mais nem menos.


-as vezes eu acho que tenho que internar ela num manicômio...- ele deu de ombros sentando ao meu lado. Eita, Glória, até o perfume é bom!


-é uma boa... mas me diz aí, se ela falou que você está no meu nível... qual sua história?- quis saber terminando a bebida que Hyuna pediu mais cedo.


-é um pouco complicado de entender, mas eu meio que me apaixonei por uma garota, quer dizer, uma mulher, ja que ela era mais velha... sabe, caí de amores por ela, fiquei tipo, muito bobo por ela, ela era incrível, me completando em tudo, então eu pensei "já fazem 3 meses que estamos bem... vou pedir ela em namoro!"- contou e eu assenti sem entender o motivo de Hyu ter dito que devíamos nos pegar, ele não tem o amor da vida??- então, eu ía pedir! No sábado, tava tudo okay! Aí na sexta ela mandou mensagem dizendo que não queria mais me ver, porque não dava certo e me bloqueou- ah, tadinho!- só que todos têm que lidar com um pé na bunda um dia... mesmo que eu já tivesse as alianças- ele fez bico.


-iti malia, quem foi? Por que ela fez isso??? Posso matar?- pergunto e ele ri. Aí caralho, que sorriso.


-espera, só piora! Eu estava lá, todo na bad pensando em como venderia aquelas alianças, ai minha mãe disse que teria algo muito importante para contar e faria isso no almoço de domingo com a família toda reunida. Sabe qual a ligação?? Bem, meus pais são separados, então quando vi ela toda feliz no domingo, logo pensei que ela tinha encontrado um novo cara e fiquei feliz por ela e tudo mais... só que sabe a bosta?? Ela fede e ela é grande.- comecei a rir do que ele disse. Nunca entendi tão bem uma pessoa- quando eu desci todo felizinho e arrumado para encontrar o meu futuro padrasto, eu encontrei a fudida que estava saindo comigo, no meio da sala, beijando minha mãe! Kethlyn, ela estava simplesmente com a mesma língua que ela enfiou na minha boca uma semana antes, dentro da boca da minha mãe!- arregalei os olhos. Tá, por essa eu não esperava. Talvez a situação dele seja pior que a minha... né?- e a minha mãe não faz ideia de nada disso, nem vou contar! Mas o ponto é que eu nem sabia que minha mãe gostava da fruta e agora elas estão lá em casa assistindo um filme abraçadinhas!- suspirou dando um soquinho na mesa e eu fiz uma careta dando tapinhas em suas costas como conforto.


-eu te entendo, cara, a ação de viver é tipo estar em um BDSM 24 horas por dia, sem safeword- falei transformando os tapinhas um carinho leve. As vezes você só precisa de um cafunézinho de um estranho no meio de uma balada... ou não sei lá, a vida dele não faz sentido mesmo (nem a minha, mas okay).


-você me entende, gostei de você, vamos pegar bebidas e eu quero que me conte sua história- ele sorriu segurando minha mão e eu concordei. Então lá estava eu, pela terceira vez no dia explicando para um desconhecido a bosta que eu tinha feito com o que antes era só a vida normal de uma estudante de direito... saudades.


-Hyu tinha razão, estamos no mesmo barco- ele suspirou- mas se ele virar, você não vai sofrer, é uma sereia...- eu ri.


-isso foi uma cantada?- arqueei a sobrancelha e ele sorriu assentindo.


-vamos de novo. Seu pai é advogado?- perguntou e eu neguei curiosa. Ele diria que precisava de um por eu ter roubado seu coração ou algo assim?- você tem que perguntar "porque", Kethlyn... não tá me ajudando!!


-certo, certo... por que??- ele sorriu novamente.


-porque ele fez direito...- falou malicioso e então nós dois começamos a rir.


- você não sabe fazer isso. Minha vez!... me chama de google tradutor e deixa eu conhecer sua língua- sorri de lado, dizendo a primeira coisa que veio à minha cabeça e ele sorriu também.


-deixo- e no segundo seguinte Vernon estava com a boca grudada na minha. A gente tava se cantando de verdade mesmo?? Aquela cantada da certo? Minha nossa, melhor eu retribuir isso!


Movi meus lábios sobre os seus, que eram de uma maciez inexplicável, a música que soava era frenética, as luzes se moviam rapidamente e os corpos das pessoas se moviam animados, mas nosso beijo era feito na maior calmaria, os lábios se movendo sem pressa, bem lentamente, continuou assim, depois que sua língua se arrastou sobre meu lábio inferior, continuou de vagar, enquanto nossas línguas se enrroscavam e não poderia ser mais gostoso.


-uau- soltamos quando nos afastamos e nos encaramos, eu sorri, ele colocou a mão em minha nuca e me puxou para mais um beijo. E nós ficamos ali, sentadinhos no sofá do canto, trocando beijos e mais beijos, parando só para respirar e voltando. Olha, a vida podia o foder o quanto quisesse, mas nada mudaria a vontade de Evanosca de que ele fizesse o mesmo com ela.


Que?? Eu faço tudo errado sempre, mas não estou morta para ter um homão desses com a boca na minha e não sentir nada!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...