História Connection - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Once Upon A Time, Swanqueen
Visualizações 63
Palavras 1.803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, não se revoltem com esse capítulo, essas coisas precisam acontecer pra construção da estória ser boa, sabe?

Boa leitura bebês <3

Capítulo 4 - Aquele de atitudes inesperadas


Fanfic / Fanfiction Connection - Capítulo 4 - Aquele de atitudes inesperadas

    

 

 

 

 

Narrador

 

 

 

 

    Dois dias se passaram desde que Emma fez sua matrícula e se apresentou para a proposta de trabalho. Ela e Ruby haviam organizado tudo na nova casa e após isso levaram a comprovação de residência á universidade. No meio da tarde de quinta-feira Emma recebeu o email que informava sua contratação na Carousel e vibrou, pulou e se jogou sobre sua cama junto com Ruby. Era algo pequeno aos olhos de uns, mas para Emma cada conquista em sua vida era algo a ser comemorado de forma intensa, já que até sua pré adolescência, de fato, ela sofreu em situações que criança alguma deveria passar. Os lares adotivos, aos olhos da loira eram o mesmo que nada; ela nunca havia recebido cuidados com a saúde ou recebido um afeto sequer. Por anos culpou e odiou seus pais biológicos por tudo aquilo, até que Ingrid á achou e mostrou o amor, ensinou a Emma que cada conquista era como ouro em nossa “Caixinha da vida“ como a mesma chamava.

 

− Ugh, eu não queria ir para universidade sem você amanhã. – Ruby resmungou ofegante, devido á estar pulando sobre a cama com Emma minutos atrás.

 

− Mas não vamos, meu expediente termina ás cinco horas, em meia hora a gente consegue chegar na universidade.

 

− Então eu vou pra cafeteria te esperar e vamos.

 

− Certo.

 

− Será que não vão achar problema?

 

− Acho que não, mas por via das dúvidas faz um pedido enquanto me espera.

 

 

    Ruby apenas assentiu. Ficaram mais alguns minutos na cama, ambas andavam por suas redes socias enquanto comiam um biscoito qualquer. Minutos depois Emma decidiu descer e fazer o jantar, não iria ter energia pra trabalhar só com besteiras no estômago.

 

 

    Assim que terminou de fazer o mesmo, Ruby pegou o prato de ambas e os levou para a sala, colocando sobre a mesinha de centro.

 

− Qual é Ruby, comer vendo tv faz mal, sabia?

 

− No seu mundo. – Disse enquanto configurava a televisão para abrir no serviço de streaming. – E não vamos comer vendo tv, vamos comer vendo Orange Is The New Black.

 

− É a mesma coisa que tv. – Emma revirou os olhos indo em direção á sala.

 

 

Ruby voltou a série para a primeira temporada, se perguntou como a amiga não havia assistido antes já que era um ótimo seriado e muito conhecido.

 

    Emma não tardou muito ali, estava ansiosa pro dia de amanhã já que tecnicamente seria o seu primeiro emprego. Deu um beijo no topo da cabeça de sua amiga e subiu para seu quarto. Hesitou um pouco em relação ao banho mas por fim foi. Quando voltou para sua cama, passou novamente por suas redes socias enquanto esperava o sono vir, que demorou um pouco devido a ansiedade que Emma sentia para com o trabalho novo.

 

 

 

 

 ⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐

 

 

 

    No dia seguinte, a loira já se pôs de pé antes mesmo do alarme despertar. Se vestiu de forma básica por não saber como seria o uniforme de seu trabalho. Colocou uma legging, blusa branca e larga. Nós pés usou uma bota de cano curto sem saltos. Quando passou pela cozinha pegou apenas um copo de suco, Emma sentia enjôos se colocasse algo sólido no estômago pela manhã. Assim que deixou sua casa um táxi já estava á vista então não teve que esperar por tantos minutos.

 

 

    Quando chegou a Carousel viu a mesma sendo aberta pelos funcionários, o que fez a gerente se sentir orgulhosa pela pontualidade.

 

    O dia correu calmo e agradável para Emma. Mesmo com o horário de pico trazendo  uma movimentação maior Emma não se sentiu cansada ou indisposta. Só ficou mais empolgada com aquilo tudo.

 

    Quando estava perto da hora de seu expediente terminar, Emma sentiu seu celular, que estava preso entre sua cintura e calça, vibrar. Pegou o mesmo assim que terminou de anotar um pedido; era Ruby avisando que estava saindo de casa e indo para a cafeteria. Nesse mesmo momento ouviu o sino da porta tocar e Regina Mills cruzar a mesma. Emma agradeceu mentalmente por ter guardado o celular a tempo, não soaria bem ser vista mexendo no aparelho logo em seu primeiro dia. Continuou anotando e entregando pedidos e vez ou outra olhava de soslaio para sua chefe, parecia ler um livro mas ao mesmo tempo observava a movimentação, principalmente de seus funcionários.

 

    Alguns minutos depois o sino voltou a tocar, sinalizando a chegada de Ruby. A mulher procurou Emma com olhar e a viu no segundo andar do estabelecimento recolhendo alguns pratos de sobremesa, preferiu não chamá-la para não atrapalhar ou causar problemas para sua amiga. Foi atrás de um lugar para se sentar e escolheu a mesa com cadeiras com vista para a rua. Quando se acomodou no lugar, o cheiro doce e amadeirado do perfume de Mills invadiu suas narinas e quase de forma automática Ruby levou seu olhar para a mulher. Por breves segundos ela pode sentir sua barriga dar um leve arrepio e então ela constatou que aquela era a mulher mais bonita que viu nos últimos dias. Quando Regina percebeu o olhar sobre si retirou a atenção do livro e fitou a moça ao seu lado. Ruby desviou o olhar na mesma hora e o girou pela cafeteria, simulando estar procurando alguém para atendê-la. Regina fez o mesmo e assim que avistou um dos garçons, fez sinal para que ele viesse, o que o mesmo fez prontamente.

 

− Sim Srta. Mills? – O rapaz com cabelos e barba ruiva indagou.

 

− Não pago vocês para deixarem os clientes esperando. – Regina advertiu. – Acho que a moça deseja fazer seu pedido. – Mills disse e voltou com o olhar para Ruby.

 

− Claro. – O homem respondeu com um vacilar no tom de voz.  – O que deseja?

 

− Um macchiato, por favor. – Ruby respondeu sem demora.

 

− Na xícara ou em copo?

 

− Xícara.

 

    O rapaz assentiu, anotou e se retirou.

 

    − Desculpe a falta de atenção dele, meus funcionários não costumam ser assim. – Regina pronunciou, fechando e guardando o livro que estava lendo.

 

− Que isso, eu nem esperei tanto.

 

− Se eu não tivesse o chamado talvez sim.

 

− Se tratando de Manchester, essas pequenas coisas não me incomodam. – Ruby deu um riso fraco. – Mas obrigada.

 

− Gosta tanto assim daqui?

 

− Sim. Moro aqui a alguns dias mas já me encantei por tudo.

 

− Não é do Reino Unido Srta?

 

− Ruby. Pode me chamar de Ruby. – Regina assentiu com o semblante suave na face. – E não, sou americana, nasci em Miami.

 

− Que coisa, quase não se percebe sotaque na sua voz.  – A morena ao seu lado sorriu. – Acho que estamos com um imã para americanos, esses dias minha irmã contratou uma, de Miami também.

 

− Oh, deve ser a Emma. – Ruby respondeu com empolgação.

 

− Isso. Vocês se conhecem?

 

− Com certeza, é como minha irmã.

 

− Bom, tenho certeza que vão adorar aqui, a população, a comida. Acho que dão de dez em relação a America.

 

− Não gosta da America e de nós americanos? – Ruby indagou, inclinando levemente sua cabeça para o lado.

 

− Da america nem tanto. – Regina fez uma pausa. – E acho que meu conceito sobre americanos está mudando. – Disse por fim, fitando Ruby diretamente.

 

    Ruby sustentou olhar por alguns segundos mas quebrou o mesmo quando o garçom de minutos atrás voltou com o café macchiato. A mulher agradeceu e logo o homem se retirou.

 

    Do outro lado da cafeteria, indo em direção ao trocador Emma fitava toda a cena e se perguntava o que diabos tanto sua amiga conversava com sua nova chefe. Isso a deixava aflita já que conhecia a personalidade um tanto extrovertida de Ruby, tinha medo que ela falasse algo impróprio e que isso causasse sua demissão. Emma não demorou muito no local, retirou seu avental, ajustou a blusa em seu corpo e pegou sua bolsa de tamanho médio dentro do armário de alumínio preso á parede. Constatou que todos os seus pertences estavam dentro da bolsa e voltou para o interior da Carousel, andando em direção a sua amiga.

 

 

− Oi Ruby, vamos? – Emma disse de forma serena.

 

Sua amiga se virou para trás assim que percebeu a presença da loira ali, seguida por Regina.

 

− Vamos. – Ruby bebeu mais um pouco de seu café e logo depois se levantou, capturando sua mochila pequena de pano. – Bom, até mais...− Ela falou olhando diretamente para Regina.

 

− Me chamo Regina. Até mais, Ruby. – A morena deu um sorriso sem abrir os lábios e se retirou, seguida de Emma que fez apenas um aceno com a cabeça.

 

− Mas o que...− A loira olhou para trás, para constatar que sua chefe não estava por perto. – O que estava falando para ela? – Emma falou de forma apressada.

 

− Conversamos ué, por que?

 

− Oh Deus, serei demitida antes mesmo do sol nascer. – Emma disse levando as mãos para o rosto enquanto andava ao lado de Ruby.

 

− Pra que esse drama?

 

− Regina Mills é minha chefe e você fala besteiras quase diariamente.

 

− Assim você me ofende, Emma. – Ruby olhou com um semblante descrente para sua amiga. – Conversamos normalmente, ok? Como pessoas normais. E...− Ela fez uma pausa. – Acho até que ela flertou comigo.

 

− Ela flertou com você? – Emma indagou e parou abruptamente.

 

− Tenho quase certeza que sim. – Ruby parou também.

 

− Certo Ruby, escute. – Emma respirou fundo. – Precisa ter cuidado com isso, sei bem o quão cafajeste você é em relação a mulheres. – Ruby ia falar algo mas Emma fez sinal para que ela esperasse. – Só que se tratando dessa mulher você não pode fazer essas coisas, ela pode me pôr na rua! É meu primeiro trabalho e em um lugar novo, é importante pra mim.

 

− Pelo amor Emma, foi só um flerte, do qual eu nem tenho certeza. – Ruby franziu o cenho. – E eu jamais faria algo pra prejudicar você, ok? – Ela juntou sua mão a de Emma.

 

A loira demorou alguns segundos para responder e por fim apenas assentiu, soltando o ar de seus pulmões.

 

 

    Elas voltaram a caminhar e em menos de meia hora chegaram a universidade. Andaram pelo campus em busca de informação de sala e turma e constataram que o lugar conseguia ser tão magnífico quanto a fachada. As aulas duravam em média quatro horas e diferente do curso de gastronomia em si, as aulas da pós seriam apenas teóricas. No mesmo dia, depois do fim das aulas Emma conheceu Tinker; ambas se entrosaram de forma rápida, talvez por terem personalidades muito parecidas. E a noite se encerrou como as anteriores, só que dessa vez na presença de tinker, que também não teve dificuldade de fazer amizade com Ruby. Foram para um bistrô no centro da cidade; comeram alguns petiscos e beberam enquanto falavam e conheciam mais sobre umas as outras.

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...