História Connection - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Francisco "Isco" Suárez, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Raphaël Varane, Sergio Ramos
Personagens Francisco Román Alarcón Suárez
Visualizações 158
Palavras 1.966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ♥️♥️♥️ Não deixem de ler as notas finais

Capítulo 8 - Eight


Fanfic / Fanfiction Connection - Capítulo 8 - Eight

"Quero que você faça me sentir como se eu fosse a única garota do mundo
Como se eu fosse a única que você amará
Como se eu fosse a única que conhece o seu coração
Única garota do mundo
— Only Girl,Rihanna"


Depois da mensagem que enviei ao
Isco depois do primeiro jogo na semana passada,ele simplesmente me ignorou. Me ignorou completamente por quase dez dias, tentei fingir que não me importava mas na realidade estava muito intrigada. Mas acabei por seguir os meus dias.
..
   Agora são três da tarde de quarta feira,o típico dia preguiçoso que eu estou em casa assistindo seriado na TV. Irei trabalhar só a noite então tenho um tempinho de sobra. Que acaba de ser interrompido pela campainha.

  — JÁ VOU! — Gritei,quando quem quer que seja do outro lado insistiu em tocar. Calcei minhas sandálias rapidamente e corri até a porta... — Francisco ?

— E eu. — Júnior saiu de trás das pernas do pai puxando um... Bulldog? ! — Oi tia Leah,esse é meu cachorrinho, Coco.

— Hello, garotão. — O cumprimentando dando um beijo em sua testa. — Oi,coco.

— Atrapalhamos ? — Isco perguntou,com as mãos apoiadas no batente.

— Você sim,ele não. — Aponto para Júnior que a essa altura já estava dentro do meu apartamento. — Mas  pode entrar,não sou sem educação como você.
 
— Antes que a senhorita comece com suas acusações. — Ele diz apalpando o bolso da bermuda tirando em seguida um aparelho todo destruído.

— O que você fez ? — Perguntei horrorizada ao pegar o aparelho em minhas mãos. — Parece que passou um caminhão por cima.

— Deixei cair do box do banheiro ,ainda liga mas o touch não funciona. Por isso não consegui responder sua mensagem. — Isco se explicou,caminhando até o sofá sentar no mesmo.

— Tia,cadê o Mosey? — Júnior perguntou com os olhinhos curiosos pelo apartamento

— Mosey foi tomar banho,ele já deve estar chegando. — Falo,olhando as horas no relógio em meu pulso. — Ele tá doido pra conhecer você. — Pisquei,fazendo o garotinho soltar uma risada muito gostosa.

— Então,vamos começar ?

— Começar o que ? — Pergunto com cara de desentendida,cruzando os braços na altura do peito.

— Ué,você não me pediu pra te ajudar com futebol? Então. — Ele fala o óbvio. — Se você tiver papel e caneta,melhor ainda.

  — Agora eu não quero mais. — Eu digo convicta,me sentando no sofá. — Perdi a vontade.

— Então fica perdida quando suas amigas estiverem assistindo ao jogo. — Ele ergue os ombros como se não se importasse. — Vai ser a única que ....

— Argh! Você é insuportável. — Ralhei,me levantando do sofá e segundo até a cômoda próxima em busca de um caderno e caneta. — Aqui,o papel e a caneta. Chato.

— Muito bem. — Um sorriso vitorioso surge em seus lábios e eu retiro os olhos impaciente.

  No meio da explicação enquanto Isco desenhava algo no caderno fomos interrompido pelo pessoal do pet shop que havia trago Mosey . E logo o jogador voltou a me explicar

  — Ah,então o meia tem que ficar aqui ? — Pergunto,apontando para o desenho da quadra.

— Por Dios!Leah. Esse é o goleiro. — Isco fala passando as mãos no rosto impaciente,e eu solto uma gargalhada da sua cara de frustração. — Você ainda rir ? Não é possível que alguém possa ser assim.

— Mas ele tá tá perto do gol? Então quem é esse aqui?

  — Os defensores.Você precisa prestar  atenção nas marcações. Olha aqui.

  — Então me explica direito,tá falando nada com nada. — Falo batendo as mãos na perna de forma irritada. — Comigo tem que ter paciência, Francisco.

— Você é burra,isso sim. — Encarei o jogador indignada,não pensando duas vezes antes de meter um tapa em seu braço. — AI!

— Não pode bater, Tia Leah. É feio. — Júnior se levantou,defendendo o pai. — A vovó diz que é muito feio.

  — Ela tem razão, é muito feio. — Concordo com o mais novo,toda desconcertada — Mas eu só estava tirando um mosquito grande do braço do seu pai

— Então tá bom. — Júnior diz antes de voltar sua atenção para os cachorros deitados no tapete.

  — Você seria um ótima atriz. — Isco me encarando com os olhos cerrados. — É feio mentir pra crianças.

— A culpa é toda sua.

Depois de mais tentativas frustada de me ensinar sobre futebol com direito a rodada de pizza e tudo. Isco foi embora com Junior no início da noite e eu fui pro trabalho. Apesar de sempre me irrita,eu havia gostado da nossa tarde juntos.

(...)
O dia seguinte foi mais corrido do que nunca. Era dia do aniversário de trinta anos da Helena e ela fará uma festa em sua casa no fim da tarde.

Passei o dia inteiro trabalhando e cheguei em casa só a tempo de me arrumar e embrulhar o presente. Como ainda era fim de tarde eu optei em usar um vestido de alcinha rosa claro com algumas estampas,um casaco branco na cintura e um par de tênis.

— Até que enfim. Já estava quase te gritando,que demora. — Antonella começou a falar assim que saiu do meu apartamento.

— Me enrolei demais no restaurante,atrasou tudo. — Explico,a cumprimentando com dois beijos no rosto. — Não consegui nem almoçar.

— Hum,já vi que vou ter que te carregar bêbada novamente.

— Pra isso servem as amigas. — Falei rindo,enquanto a mesma faz uma careta. — Tudo pronto,vamos?

— Vamos.

...

— Hey,girl. — Chamo pela aniversariante assim que chegou em sua casa e a encontro próxima a porta de entrada. Helena se vira em minha direção sorrindo e eu corro pra a abraça-la — Happy birthday, sweet.

— Aah! Muito obrigada,amiga. Estou muito feliz que vocês vieram.

— E você acha que eu iria perder ? Nunca.

— Sai que é a minha vez. — Uma Antonella nada gentil me empurra para abraçar a Lena. — Buon compleanno,Lenita.

  Depois te termos cumprimentando Helena e entregue os presentes,eu fui ao banheiro e logo que sai fui cumprimentar o pessoal que já estava na festa.  Isco chegou logo depois junto a Nacho,pra variar.

— Já está com tanta saudades que guardou até um lugar ao seu lado ? — Falou Isco,apontando pra cadeira vazia ao meu lado .

— Na verdade o filho do Marcelo estava sentando aqui. — O respondo,pegando meu copo sobre a mesa. — Então,eu acho que não.

— Hola, Leah. — Nacho aparece pra me cumprimentar. — Tá bonita,igual um pote de algodão doce. — Era óbvio que ele falaria alguma gracinha.

— Ah,que gentil. — Abro meu sorriso mais debochado. — Você também está,com essa cabeça igual um balão de gás hélio. — Antonella e Isco começaram rir,e eu também não me aguentei.

— É cara,todo mundo zoa você. — Isco fala batendo no ombro do amigo,que levanta o dedo do meio antes de se sentar ao lado da minha amiga. — Então,como foi o dia ? — Ele pergunta,tirando o meu copo das minhas mãos e tomando o líquido do mesmo.

  — Não cansa de ser abusado,não?

  — Você gosta. — O jogador me surpreende com um beijo estalado na bochecha que me faz corar. — Não precisa ficar sem graça.

  — Cale a boca, Francisco.

  A festa da Lena estava incrível,minha amiga tinha toda razão quando disse que o pessoal é muito divertido. Graças a Marcelo e sua capirinha brasileira eu já estou alegre demais,foram vários copas dessa bebida tentadora.

  Todo mundo resolveu então se juntar na pista de dança ,me aproximei das meninas quando sinto alguém me puxar pela cintura .

— Una danza conmigo,por favor . — Isco pediu,segurando minha cintura de forma que nossos corpos ficassem colados.

  — Me surpreenda,Francisco.— Digo encarando bem seus olhos castanhos, quando o reggaeton começou a tocar no fundo o fazendo guiar nossos corpos ao ritmo da música.

  E ele realmente me surpreendeu com todo gingado espanhol e suas mãos fortes sobre minha cintura. Damn It! Franscisco é a minha perdição.

— HORA DO PARABÉNS. — Alguém gritou acabando com nosso momento, dançarinos.

  Após o parabéns e o discurso de Helena nós fomos embora,eu só fui pro que Antonella ficou me insistindo e eu não seja incoveniente de ficar atrapalhando minha amiga e o capitão,por isso fui embora com Anto,Nacho e isco que aproveitou carona da minha amiga.

— JA SEI. ! — Soltei um grito dentro do carro causando um susto em todos. — A gente pode ir pro meu apartamento,tem uma vodka do Texas maravilhosa lá.

— Eu dispenso,não gosto dessas coisas. — Antonella falou fazendo cara de enjoada. — Você é um poço sem fundo pra bebida.

— Eu também vou ter que dispensar,já bebi demais hoje. — Foi a vez de Nacho negar .

— Bom,eu topo. — Isco falou me fazendo o encarar automaticamente. — Não tenho nada pra fazer mesmo.

—  Gracias,cariño.— Agredeço forçando um espanhol embolado. — Vou te mostrar  o que é bebida de verdade.

  — Aí ai,vocês dois. — Finjo não ter ouvido o que minha amiga disse e continuo olhando pro lado de fora da janela.

  Quando chegamos no nosso prédio,eu subi na frente com Isco já que Antonella ficou pra estacionar o carro na garagem. Entrei no meu apartamento indo direto pra cozinha enquanto o jogador pediu pra usar o banheiro.

— Essa vodka é muito boa. — Falo no momento em que ele entra a cozinha e eu ponho a garrafa sofre a mesa.

  — Eu acho que tem algo melhor do que vodka,você quer ver ? — Ele perguntou se aproximando e eu abri um sorriso maroto como resposta,e então suas mãos param em minha nuca me puxando para um beijo apressado.

   Eu poderia morrer negando mais eu senti muito falta desse beijo,o beijo que consegue fazer cada pelinho do meu corpo se arrepiar,que faz subir o frio em minha espinha.

  Interrompendo o toque dos nosso labios,ele começou a traçar uma linha de beijos por toda lateral do meu pescoço com suas mãos presas a lateral do meu quadril.

— Pro meu quarto. — Foi tudo que consegui dizer antes de ser arrastado até o quarto. Talvez não seja a hora de pensar nas consequências e sim de aproveitar o momento,porque é tudo que eu quero.

Senti meu corpo se chocar contra a cama quando nossos lábios se juntaram de novo. Suas mãos correram de forma desesperada em busca do zíper do meu vestido. Eu o ajudei a abrir rapidamente e em dois segundos a peça já estava sobre o chão enquanto eu puxava sua camisa a jogando em qualquer canto.

  O toque da minha pele nua fez algo queimar dentro de mim mas de forma boa, prazerosa. Então eu me agachei na cama,pondo as mãos na barra de sua bermuda para que ele a tirasse às pressas,mais uma peça foi jogada ao chão. Estando assim,ambos apenas de peças íntimas.

  Isco deita meu corpo novamente sobra a cama agora se posicionando entre minhas pernas levemente abertas,um sorriso malicioso surgiu em seus lábios quando seus dedos se posicionaram sobre minha intimidade me fazer do arfar com o simples toque. Foram minutos de torturas e gemidos meus que era a abafados por beijos,eu já não aguentava mais .

— E-eu não aguento mais. — Falo ao sentir minhas pernas ficarem bambas com o toque. — Por favor,eu preciso de você,agora. — Ele me encarou mais uma vez tirando os dedos da minha intimidade e pulou da cama em segundos buscando por algo dentro da carteira caída. Um pacote de preservativos que fora rasgado no mesmo instante.

— Su petición es una orden, mi amore.— Juntou nossos lábios agora de forma suave e se afastou,abrindo minhas pernas com agilidade. Fechei meu olhos por breves segundos sentindo o arrepio controlar meu corpo e o senti dentro de mim. Uma sensação única,cheia de prazer a cada toque.

Sua mão direita era preenchida por um dos meus seios, enquanto o ritmo das entocadas ia aumentando. Meus gemidos já não eram mais controlados,o prazer que transbordava pelo quarto nos fazia chegar ao delírio,ao prazer .

    E foi desse jeito que nossa noite de entendeu,por horas a fio fazendo amor,até chegarmos ao nosso ápice juntos.

  — Posso te falar uma coisa ? — Ele perguntou,agora que ambos estávamos largados na cama tentando nos recompor.

— Com certeza!

  — Você é única,Leah .

Essa foi a frase suficiente para que o meu coração se acendesse e eu tivesse a certeza de uma só coisa,eu estava caindo nos encantos do Isco.

(....)

 


Notas Finais


❇️ HELLO GUYS ♥️ Primeiramente, desculpem a demora 😋 E pra quem me acompanha de outras histórias sabe que eu não sou expert em capítulos hot 😂😂🔥 Mas eu vou melhorando com um tempo,então dêem um desconto ♥️♥️

❇️ Espero que tenham gostado do capitulo de hoje ,não deixem de comentar e até o próximo

❇️ Insta : @leahsanders_6


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...