História Connection - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Johnny Depp, Rachel McAdams
Tags Hentai, Johnny Depp, Rachel Mcadams, Resort, Romance
Visualizações 53
Palavras 1.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ei pessoal ,desculpem a demora na atualização da fic, mas estava passando por um bloqueio criativo. Bem, agora acredito que conseguirei concluir a fic e agradeço de coração pela paciência e incentivo que me deram ao longo desses meses.
Obrigada ^-^

Capítulo 33 - Apenas um sonho


 

Ainda absorta em meus pensamentos acerca da foto que havia visto, não notei que havia me esquecido de ligar para Melanie e confirmar se Henry realmente saiu com as crianças.  

Tentei ligar para ela, no entanto caiu diretamente na caixa postal e isso não era nada bom. Fiquei ainda mais apreensiva. 

Antes de deixar o celular em um canto visualizei uma mensagem de Johnny, desejava-me bom dia e dizia estar com saudade. Ignorei jogando o aparelho no sofá. Não aguentava ver nada que fosse relacionado a ele, aquela imagem dele com a ex que o fez sofrer tanto me causava náuseas e certo arrependimento.  

Respirei tentando manter a calma e voltei a pensar em Henry, o pequeno diálogo que tivemos foi intrigante. Ele estava tão calmo, parecia ter calculado cada ação com certa antecedência.  

Era tão estranho. 

  

(...) 

  

Passei a tarde deprimida, nem mesmo Jujuba poderia me animar, parecia estar tudo dando errado novamente. Meus pesadelos voltaram com força total e em pouquíssimas horas. Tentei ligar para Melanie mais uma vez, mas não obtive êxito. O que tornava tudo mais difícil para mim, não ia visitar minha irmã há anos, já que nossos pais moravam com ela. Queria evitar o encontro ao máximo. 

Por hora desisti, essas tentativas só me deixariam mais nervosa e de mãos atadas dependendo do que poderia ter ocorrido. Liguei a tv e andei até a cozinha retirando um pote de sorvete da geladeira, troquei de canal e me deparo com um filme dele. O Cavaleiro Solitário montava um cavalo branco enquanto Tonto corria sobre os vagões do trem, um tanto quanto surreal, mas era divertido. Suspirei ao vê-lo na tela, parecia ter sido um sonho o que vivemos, o que de fato vendo pelo ângulo mais realístico, era verdade. Em um estalo pareci recobrar a lucidez, fui tão boba em crer que aquilo seria real, que aqueles planos seriam concretizados... que idiota! 

Senti raiva, porém a tristeza era maior. Além de ter sido enganada novamente, o grande agravante desta vez é que estava apaixonada. 

Eu amava o homem da televisão, o homem que vi no cinema algumas poucas vezes, que vi no palco extravasando toda sua energia, o homem que me fez inúmeras promessas. Mas não era real, ou pelo menos deixou de ser depois que voltamos de Miami. Foi um sonho bom e que durou o tempo que deveria. 

Ficaria naquele sofá me entupindo de sorvete e outras guloseimas se não fosse Allie, que apareceu de surpresa. 

Comentei rapidamente o que havia acontecido com Johnny e ela me incentivou a ligar e procurar saber o que aconteceu, mas preferi deixar tudo como estava, seria muito mais desastroso se fosse atrás dele como uma coitada. 

Pedi que ela ficasse comigo me fazendo companhia, no entanto minha amiga tinha hora marcada no salão, por livre e espontânea pressão resolvi acompanhá-la. 

Chegamos ao local e aguardei um pouco até ser atendida, em meio a olhares curiosos das mulheres que também esperavam, fiquei bem incomodada pois algumas cochichavam sei lá o quê, só sei que era sobre mim já que a todo momento me olhavam sem qualquer pudor.  

Fingi que não vi e fui fazer as unhas, teria sido bom se a manicure não quisesse puxar assunto com intuito de que eu contasse detalhes da relação com Depp. Não fiz, o que deve ter a deixado frustrada. 

Cortei o cabelo e fiz alguns tratamentos estéticos, já que era para ficar mal que fosse em grande estilo. 

Saí do salão com Allie e aproveitamos para ir ao shopping e fazer algumas compras, há um bom tempo que não fazíamos esse tipo de programa, e sair com minha melhor amiga era uma das melhores coisas que poderia fazer para me distrair.  

Tivemos um dia cheio, mas muito divertido e quase consegui esquecer de todos os problemas. 

Allie me deixou em casa me fazendo prometer que não me entregaria a tristeza, me fez prometer também que poderia ligar para ela a qualquer momento por qualquer coisa. 

Concordei.  

Assim que entrei no quarto tirei a roupa e fui para o banho, foi bem rápido e logo depois já estava na cozinha procurando algo para comer, meu celular havia descarregado e pouco me importava tê-lo naquele momento, eu só queria me desligar de tudo. Amanhã eu teria de voltar ao trabalho, se ainda tivesse um, com toda essa situação que vivi com Johnny não me decidi se permaneceria ali ou não. Bem, talvez estivesse na hora de mudar tudo em minha vida. 

A começar por aquele trabalho, que na realidade nunca gostei muito de fazer. Fui sendo levada apenas, as circunstâncias e oportunidades me fizeram chegar até lá. Contudo, era hora de mudar. 

Deixei metade do sanduíche sobre a mesa e caminhei para o quarto, olhei meu reflexo no espelho, minha aparência devida o dia no salão estava boa e saudável, contudo internamente estava acabada.  

Os cachos dos meus cabelos, mesmo com o fixador já se desfaziam, mas isso não importava. 

Encarei a bolsa que continha o celular, cogitei em pegá-lo e tentar ligar para ele, deixando que me desse uma boa explicação sobre o fato. Entretanto não havia um pingo de coragem dentro de mim que me fizesse completar a ação.  

Instantaneamente aquele maldito luau surgiu em meus pensamentos, meneei a cabeça na tentativa frustrada de afastá-lo, porém era impossível. Lembrei-me exatamente do clima, do horário e até mesmo as roupas que usávamos. 

Ele estava sério no começo, mas aos poucos foi se deixando levar pela música. Pensando bem, não havia malícia naquilo, eu só quis "quebrar o gelo" entre nós, nunca fui muito boa em me relacionar com as pessoas, no entanto com Johnny foi tão diferente. A brisa contribuiu para que seu cheiro de cigarro invadisse meu olfato, não era lá o melhor aroma, mas misturado ao seu cheirinho natural era a melhor sensação que já poderia ter tido. 

Seus braços repletos de tatuagens me seguravam firme e seu rosto apesar do parecer tristonho me lançava um sorriso tímido e encantador. Pensando bem, acho que me apaixonei por ele naquele instante. 

Dançar aquela música lenta foi como flutuar, era como estar nas nuvens sem tirar os pés da areia. 

Tivemos tantos dias perfeitos no resort. Entretanto, tudo não passou de um sonho bonito e que de tanto idealizar acreditei ser verdade. 

Meus pés descalços sentiram o frio do chão levando-me até a cama, estiquei os cobertores e trouxe Jujuba para dormir comigo, me aconcheguei no pelo macio dela e respirei fundo. Não queria chorar mais, porém era inevitável. Me segurei ao máximo, mas por fim meus olhos verteram toda a tristeza que sentia. 


Notas Finais


Obrigada a todos que leram até aqui, acredito que as atualizações serão feitas em um espaço de tempo menor. ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...