1. Spirit Fanfics >
  2. Consciousness desertion (Hendery Wong) >
  3. Twilight.

História Consciousness desertion (Hendery Wong) - Capítulo 3


Escrita por: justaloeyutted

Notas do Autor


Boa leitura

xoxo💋

Capítulo 3 - Twilight.


Fanfic / Fanfiction Consciousness desertion (Hendery Wong) - Capítulo 3 - Twilight.

Dois dias haviam se passado desde a última aparição (e desaparição) de Hendery, eu tornei a não me recordar dos sonhos e meus minhas doses dos remédios aumentavam, já não temia mais que eu pudesse morrer mas que não pudesse permitir que minha mente vagasse por sonhos iguais aqueles que meu subconsciente foi capaz de criar, durante as visitas de Madelyn ela evitava comentar sobre o "ocorrido" pois nem eu nem ela sabíamos ao certo o que havia acontecido, e embora fosse reconfortante saber que ela não me apontaria dedos, eu tinha a sensação de que ela a aquela altura do campeonato me achava louca, meus pais decidiram que iriam ligar naquela manhã pois os psicólogos da clínica os induziram a tal ato, foi bom ver os meus pais, pra que eu tivesse algo a mais a me preocupar tirando o fato de que eu achava q estava ficando louca e morrendo aos poucos, eu não sei se vc meu caro leitor entende o limbo em que a minha mente estava, eu estava matando e morrendo para rever alguém que nem ao menos sabia se existia.

Não consegui ler livro algum depois do ocorrido mas a tarde fui para a janela observar a movimentação do jardim e uma frase de um livro que li aos 13 me tornou a memória.

“𝑸𝒖𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒖 𝒆𝒔𝒕𝒂𝒗𝒂 𝒄𝒐𝒎 𝒆𝒍𝒆, 𝒐 𝒕𝒆𝒎𝒑𝒐 𝒆 𝒐 𝒆𝒔𝒑𝒂𝒄𝒐 𝒆𝒓𝒂𝒎 𝒕𝒂𝒐 𝒆𝒔𝒄𝒐𝒓𝒓𝒆𝒈𝒂𝒅𝒊𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆 𝒆𝒖 𝒂𝒄𝒂𝒃𝒂𝒗𝒂 𝒑𝒆𝒓𝒅𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒏𝒐𝒄𝒂𝒐 𝒅𝒐𝒔 𝒅𝒐𝒊𝒔”

Vamos concordar, Bella era uma louca, e Edward era um assassino, a história em si não tinha premissas de dar certo, mas eu era uma pré-adolescente fissurada por vampiros e o apreço pela nostalgia da história ficou, e essa frase fazia sentido naquele momento, o tempo foi passando e a tarde caindo e eu não me esforcei para fazer mais nada além de pensar sobre as possibilidade de algo daqueles sonhos terem sido reais, resolvi me dar um desconto, minhas condições físicas realmente não me permitiam ser intelectualmente saudável, eu podia ser sim um pouco desequilibrada as vezes, não é como se eu tivesse amigos, ou faculdade ou uma vida, qualquer lapso de carisma alheio me emocionaria.

Ao cair da noite decidi me dirigir a estante que ficava próxima a minha cama e buscar pelo primeiro livro da saga crepúsculo, não achei que ousaria ler nada daquela série de livros novamente e cá estou, gargalhei mentalmente ao pensar que minha tentativa falha de romance era ainda mais ridícula que a de Edward e Bella.

Depois de ter lido todas as partes grifadas por mim mesma alguns anos atrás no livro chegou o momento da noite em que eu me alimentava e tomava meus remédios, que agora eram seis e iriam me derrubar em menos de 10 minutos, guardei o livro certa de que no outro dia iria ler as partes destacadas dos outros da saga, um pouco de nostalgia as vezes cai bem.


“𝑬 𝒆𝒏𝒕𝒂𝒐 𝒐 𝒍𝒆𝒂𝒐 𝒔𝒆 𝒂𝒑𝒂𝒊𝒙𝒐𝒏𝒐𝒖 𝒑𝒆𝒍𝒐 𝒄𝒐𝒓𝒅𝒆𝒊𝒓𝒐”


Aos poucos a claridade alcançou meu campo de visão, eu estava sentada em uma espécie de cadeira antiga de madeira escura em um lugar de clima frio e janelas com vitrais em estilo gótico, de frente a mim não havia muito além de um piso de mármore branco e umas pilastras de cor cinza escuro.

-Mas que diabos?

Enquanto eu me levantava e olhava ao redor não pude perceber a chegada de uma figura ao meu lado.

-Madame...

-HENDERY?-fazia muito tempo que não me empolgava tanto com algo (ou alguém)

-Você demorou-ele disse me abraçando-pra quem ia sentir saudades você esqueceu que eu existia muito fácil

-Como assim? é claro que eu senti saudades, mas você não explica nada

-Você toma o controle de quase tudo aqui, dispensa explicações

-Aonde a gente tá dessa vez?-perguntei andando em direção ao corredor cercado de pilastras

-Castelo dos Volturi-ele aponta como se apresentasse o recinto

-Não me diga que...

-Sim-ele gargalhou

-CREPÚSCULO? FALA SÉRIO

-Ah qual é, a estética é legal, gostou da minha roupa?-ele disse dando uma voltinha

E ele realmente estava lindo, os cabelos anteriormente tingidos de rosa agora estavam pretos, ele usava uma roupa social de tom marsala por baixo de uma capa preta e vermelha igual a dos Volturi.

-Está lindo parece um...-parei de falar assim que me deparei com um grupo de pessoas (vampiros) que discutiam algo no meio de um salão repleto de quadros antigos e castiçais, as janelas agora eram maiores e cobertas por cortinas colossais em vermelho vivo.

-Mais uma vez, eles não podem nos ver.

-Tudo pode acontecer Hendery, são vampiros

-Não são vampiros, são criações da sua cabeça-ele riu descontroladamente

-De fato, e já que estamos aqui vamos conhecer o lugar

Eu segui em direção a uma porta longa por onde entravam feixes de luz e Hendery seguiu logo atrás de mim, quando alcancei o lado de fora do lugar me deparei com pinheiros de porte grande e o frio aumentou, jurava que minhas juntas parariam de funcionar por conta da temperatura, porém senti dois braços envolverem meus ombros.

-Você não pode ficar doente, mas não significa que precise sentir frio-Hendery tinha um tom de cuidado enquanto me abraçava, me permiti olha-lo mais uma vez, era uma pena que estivessemos numa situação ridiculamente impossível de acontecer, uma utopia cinematografica, pois se as circunstâncias fossem outras eu de certa forma me permitiria apaixonar pelo rosto bem desenhado e a personalidade alegre do garoto.

-Vamos indo

O de repente a temperatura havia de certa forma aumentado, agora estavamos em uma praia, onde um grupo de adolescentes com traços nativo americanos corriam abertamente, sentei junto a Hendery em uma das pedras e havia ali e me dispus a olhar o mar junto com ele.

-Já está quase na hora de nos despedirmos-ele disse pela primeira vez desanimado

-Porque tão cedo? da última vez ficamos juntos por um bom tempo

-Noites de sono tem períodos diferentes meu bem

-De fato-sorri fraco

Estavamos olhando um casal também de traços nativos andar pela praia de mãos dadas, tomei a liberdade de encostar minha cabeça em seu ombro e pela proximidade eu sentia meu coração descompassar

-Será que a atmosfera de romance dessa saga influencia em tudo aqui?-ele questionou sorrindo

-Para, só estou descansando minha cabeça-olhei nos olhos dele-eu me canso mais fácil que uma pessoa saudável sabia?

-Será que estaria cansada também pra me dar um beijo?

-Não acho que seja o caso

E em uma fração de segundos nossos rostos se aproximaram, e nós nos beijamos, de forma calma e eu ousaria dizer apaixonadamente, assim como nos próximos 40 minutos, que foi o que restou daquele "sonho" nos beijamos outras diversas vezes e quem pudesse nos ver de longe diria que parecíamos o casal mais apaixonado da face da Terra, e então, sentados próximo a uma árvore ele me abraçou.

-Até a próxima-ele apertou o abraço

-Mas já?

-Me desculpa

-Quando vou te ver novamente??

-Logo

-Logo? logo quando? entenda meu lado Dery, é muito difícil estar aqui e duvidar de tudo, eu não entendo nada do que está acontecendo e me sinto uma louca a maior parte do tempo

-As coisas vão se acertar, logo tudo vai ficar em seu devido lugar, tenha paciência, você não é louca

-Eu nem sei se você existe mas é a primeira criatura a me fazer tão bem...-deixei as lágrimas caírem

-Sim, já conversamos sobre isso...olha-ele tirou uma caneta de seu bolso e desenhou uma pequena estrela no meu pulso-eu tô com você nessa lembre-se, agora eu tenho que ir-ele me beijou uma última vez antes de desapareçer sendo arrebatado por feixes de luz fortes.

"𝑺𝒆 𝒆𝒖 𝒑𝒖𝒅𝒆𝒔𝒔𝒆 𝒔𝒐𝒏𝒉𝒂𝒓, 𝒔𝒐𝒏𝒉𝒂𝒓𝒊𝒂 𝒄𝒐𝒎 𝒗𝒐𝒄𝒆 𝒆 𝒏𝒂𝒐 𝒎𝒆 𝒆𝒏𝒗𝒆𝒓𝒈𝒐𝒏𝒉𝒂𝒓𝒊𝒂 𝒅𝒊𝒔𝒔𝒐"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...