1. Spirit Fanfics >
  2. Consequences >
  3. Capítulo 13 "I'm Very Proud Of You"

História Consequences - Capítulo 13


Escrita por: e drunkmai


Notas do Autor


Oi oi gente, todo bem de quarentena?

Por aqui estamos no dia 02 e eu consegui escrever um capítulo inteirinho, então temos atualização yeyy

Eu vou tentar atualizar novamente na semana que vem, mas eu não prometo nada

Vou tentar também terminar a minha One para publicar pra vocês, isso se a nova marmota de EAD no curso de medicina não comer todo o meu tempo junto com a matéria acumulada né hihihi

Não queiram me matar depois das primeiras linhas hihihi

Boa leitura e lembrem de comentar, eu preciso saber o que vocês estão achando

Capítulo 13 - Capítulo 13 "I'm Very Proud Of You"


Fanfic / Fanfiction Consequences - Capítulo 13 - Capítulo 13 "I'm Very Proud Of You"

Narrador POV

“Após tentativa de sequestro, Lena Luthor é vista com loira misteriosa na delegacia da cidade”

Algumas horas antes…

    Kara, Lena e Dona Anna começaram a fazer os bolos animadamente, enquanto os gêmeos brincavam com Mike e Jack no jardim, afinal, a mais velha ainda não sabia de nada do que seu neto havia feito e, talvez, fosse melhor assim. Elas perceberam que faltava um ingrediente importante para o bolo seguinte, quando Lena se ofereceu para ir até o supermercado, Dona Anna pediu que a morena fosse com Jack, elas não se opuseram ao pedido da senhora, mesmo que ela estivesse percebendo uma certa tensão entre os três, pediu também que eles não demorassem e deixou que Kara descansasse um pouco enquanto tirava o bolo que estava no forno.

    A loira, começou a brincar com os gêmeos e Mike quando sentiu um novo desejo por algo que ela sabia não haver ali, então ela sacou o telefone e ligou para sua namorada enquanto ainda ria de Mike correndo entre as pernas dos meninos.

    — Kitty? — perguntou sorridente ainda admirando os garotos com o filhote.

    — Oi querida, deixa eu adivinhar, desejo? — perguntou sorridente enquanto caminhava para fora do supermercado, Jack estava lhe esperando no carro enquanto ela entrara para comprar o ingrediente que faltava.

    — Uhn, você me conhece muito bem — Kara resmungou arrancando uma gargalhada de Lena.

    — Largue o telefone! — A voz que a loira ouvira a seguir não foi a de Lena e ela se preocupou por isso — Já que Jack é incapaz de fazer seu trabalho, eu mesmo o farei! 

    — Por favor, não — Lena pediu se esquecendo completamente que estava com Kara na linha, a loira ouviu um barulho alto, provavelmente o telefone havia caído ou sido derrubado no chão, mas o que realmente chegou aos seus ouvidos foram os pedidos de socorro de sua namorada, o que lhe deixou apavorada pelo medo de perdê-la.

    — O que houve querida? — Dona Anna ajudou Kara a se sentar depois de perceber que a loira estava preocupada com alguma coisa.

    — E-Eu ouvi alguém atacando Lena ainda no supermercado, eles estão em perigo — sussurrou com a voz abafada pela vontade quase insuportável de chorar pelo pavor que começava a escalar a sua garganta.

 

Enquanto isso, com Jack e Lena… 

 

    Lena tentou não entrar em pânico, mas foi em vão, seu coração começou a bater mais rápido conforme o homem se aproximava dela, deixou seu telefone escorregar pela mão devido ao nervosismo, bem como a sacola que segurava com o ingrediente que havia comprado, ouviu o barulho do celular caindo no chão, pediu socorro mais de uma vez para Jack e, quando pensou que seria seu fim, um barulho alto chegou aos seus ouvidos, ninguém havia tocado em si, mas ela não conseguia abrir os olhos, seu corpo inteiro tremia e ela só queria estar com sua família, com seus pais, Lex, Kara, Mike, Leon, seu pequeno garotinho que sequer havia nascido, ela queria fazer muito mais ainda.

    — Lena! — Ouviu a voz distante lhe chamar, foi quando finalmente abriu os olhos e percebeu que o homem que tentara lhe levar estava no chão, provavelmente morto.

    — O-O que houve? — sua voz falhou e ela brigou mentalmente consigo mesma por ser tão fraca.

    — Eu o atropelei — Jack chegou até ela respirando ofegante enquanto várias pessoas se acumulavam ao seu redor — Não importa o que aconteça, eu sempre vou proteger vocês a partir de agora — confirmou as palavras, tudo o que ele queria era conseguir a confiança das duas de volta.

    — V-Você matou ele, não era para ser assim — ela continuava desconcertada, a polícia rapidamente se aproximou ao ver o tumulto em volta dos três.

    — Se eu não matasse ele, ele lhe levaria ao Jackson e seria muito pior — confirmou o que Lena já sabia e os policiais se aproximaram deles, atravessando a multidão.

    — Vocês terão que nos acompanhar até a delegacia — o policial afirmou depois de perceber que o homem estava morto.

    — Ele tentou sequestrar ela, se eu não tivesse feito isso, ele teria conseguido — Jack confessou e no segundo seguinte o policial estava lhe algemando e colocando-o dentro do carro da polícia. Lena apenas seguiu os dois, não queria causar mais problemas ou chamar mais ainda a atenção das pessoas ao seu redor, suspirou baixinho e pegou seu telefone, a tela estava completamente quebrada, mas ainda conseguiria fazer uma ligação. Avisou Kara que estavam indo para a delegacia e pediu que a loira lhe encontrasse lá.

    Alguns minutos depois, Kara entrou na delegacia e abraçou Lena assim que lhe viu, constatando que o corpo da morena ainda tremia, a loira lhe apertou mais contra si e acariciou seus cabelos com carinho.

    — Está tudo bem agora — murmurou para que apenas Lena lhe ouvisse e beijou seus lábios em seguida — Achei melhor avisar Lex, sobre, hm, isso.

    — Tudo bem, obrigada Boo — Lena sorriu levemente, respirando fundo e voltando a se aconchegar nos braços de sua namorada, era tão diferente o fato de que Kara a estava confortando e ao mesmo tempo lhe dava orgulho, orgulho de ver sua pequena Boo tentando consolá-la da mesma forma que ela fazia, o sentimento de reciprocidade crescendo em seu peito e preenchendo seus pensamentos, se ela já duvidara alguma vez, agora sabia, Kara lhe amava também, mas não demonstrava isso com palavras e, sim, com atos de coração.

    — E Jack? — o nome pareceu amargar a boca de Kara, mas não importava quanto tempo havia se passado ou se a culpa era de Jack, afinal, por culpa dele também conhecera Lena.

    — Ele está preso, ele atropelou o capanga de Jackson que tentou me levar, o capanga está morto — as palavras continuavam sussurradas.

    — Lex disse que estará aqui em algumas horas, pediu que você prestasse queixa e, hm, não voltasse para nossa casa, ele acha que pode ser perigoso — tentou se lembrar de todas as informações que Lex havia lhe passado e eram muitas.

    — Tudo bem querida — Lena suspirou baixinho — Jack vai precisar passar a noite aqui, até que Lex chegue com um amigo do FBI, o que acha de ficarmos com a Dona Anna? Ela deve estar preocupada também.

    — Acho que é o mínimo que podemos fazer por ela — as duas suspiraram, Jack lhes passou algumas instruções sobre os horários da medicação de Dona Anna e pediu que elas cuidassem de sua avó em sua ausência, mas é claro que elas o fariam.

{...}

    — E então meninas? Como está Jack? — Dona Anna estava aflita demais querendo entender tudo o que havia acontecido, Angela e Brad estavam ali com ela, haviam ido buscar os meninos e encontraram a senhora aflita.

    — Jack vai precisar passar a noite na delegacia Dona Anna — a morena suspirou baixinho — S-Se ele não tivesse feito o que fez eu nem estaria aqui agora — codificou um pouco a mensagem para que a mulher pudesse lhe entender sem revelar demais.

    — Oh, meu netinho vai passar a noite na delegacia? C-Como eu vou ficar sozinha aqui sem ele? — a senhora estava emocionada, para ela, seu neto não machucaria nem uma mosca.

    — Nós não vamos deixá-la sozinha Dona Anna — Angela e Lena disseram ao mesmo tempo.

    — Se quiserem, nós temos bastante espaço em casa, podemos passar a noite juntos — Brad sugeriu e as crianças começaram a gritar animadas.

    — Vamos vovó, tia Lena, tia Kara, uma noite do pijama — os dois garotinhos chamavam a senhora de avó porque ela se parecia com uma e seus pais não viam problemas com isso — Mike pode vir também mamãe?

    — Claro que pode meninos — a mulher sorriu para os garotos enquanto as outras três mulheres pensavam, o resto da tarde e à noite poderiam ser boas na presença das crianças, eles sempre deixavam o clima mais leve — O que acham?

    — Eu acho que pode ser divertido — Lena começou, tudo o que ela queria era esquecer um pouco seus problemas.

    — Eu também acho — Kara sorriu pegando Mike no colo e fazendo carinho em seu pêlo cinza — e Mike já me disse que amou a ideia.

    — Então temos uma noite do pijama para planejar — Dona Anna sorriu querendo esquecer um pouco de sua preocupação com o neto.

    Eles foram para suas respectivas casas para pegar tudo o que precisariam e se encontraram uma hora depois na casa de Angela e Brad.

    — Então, antes de nós começarmos isso tudo, eu tenho algo a contar — Lena começou com um pequeno plano que ela e Lex tinham em mente, realmente, era hora de perder seu anonimato ali naquele lugar para sua segurança e a de Kara e Leon também.

    — O que quer nos contar querida? — Dona Anna sorriu, como sempre compreensiva.

    — Quando cheguei na cidade, não fui completamente sincera quanto a quem eu sou — respirou fundo e segurou na mão de Kara, sentindo a loira lhe passar confiança.

    — Como assim? — Angela foi a primeira a lhe perguntar.

    — Acho que a pergunta certa é por quê? — Brad complementou a esposa e os gêmeos pareciam alheios a tudo, entretidos demais com Mike para prestar atenção na conversa dos adultos.

    — Quando você nasce em uma família como a minha, quando se possui certo prestígio e sucesso no mundo dos negócios, a mídia costuma viver assim ao nosso redor e, quando você decide ser o que eu decidi ser desde muito cedo, esse prestígio se soma e te faz alguém mais importante ainda, te transforma em uma espécie de prêmio, onde cada matéria rende muito dinheiro e você começa a se sentir sufocada e perseguida por tudo isso — suspirou pesado e a loira apertou sua mão com carinho — Então, por causa disso, eu fugi de onde morava para viver em um lugar em que poderia ser somente eu, somente Lena, sem o peso do sobrenome, da empresa da família ou da minha própria carreira, mas ao que parece, me descobriram e, eu prefiro que vocês saibam sobre mim, sobre essa parte da minha vida, por mim.

    — Por isso nunca nos disse seu sobrenome? — Brad perguntou curioso, parando para observá-la agora, ela lhe lembrava alguém que ele já havia ouvido falar.

    — Sim, meu nome é Lutessa Lena Kieran Luthor — ela ia continuar quando fora interrompida por Brad.

    — Luthor como na Luthor Corp? — Brad perguntou completamente fascinado, agora, muita coisa fazia sentido em sua cabeça.

    — Sim Brad, a Luthor Corp é a empresa dos meus pais e eu decidi ser atriz desde cedo, sou muito conhecida em Metrópolis, minha cidade natal, mas quando os paparazzis começaram a me perseguir eu me senti sufocada e fugi, foi muito bom encontrar verdadeiros amigos e o amor aqui também — ela sorriu e beijou a bochecha de Kara com carinho.

    — O que significa ser atriz tia Lena? — Rocco perguntou curioso, fazendo os adultos notarem que, sim, os dois prestavam atenção na conversa deles, Lena se abaixou na altura do garotinho e sorriu levemente arrumando a franja que caía sobre os olhinhos dele.

    — Sabe os personagens que vocês veem na televisão querido? — o garoto assentiu animado — Quem dá vida aos personagens são os atores e as atrizes — ele sorriu encantado junto com Jenson.

    — Então você é famosa tia Lena? — Jenson perguntou curioso também.

    — Sim querido, eu sou — sorriu levemente e beijou as bochechas dos dois.

    — Uau — os dois garotinhos disseram juntos — Nós brincamos com uma atriz famosa — os dois gritaram, assustando Mike que correu até Kara e começaram a correr ao redor das duas repetindo a mesma frase.

    — Ok garotos, nós já entendemos — Angela gargalhou barrando os garotinhos — Conte a ela querido.

    — Me contar o que? — Lena perguntou confusa enquanto voltavam a se sentar todos juntos na sala e Dona Anna lhe abraçou com carinho, como se com aquele simples gesto, demonstrasse seu orgulho de Lena.

    — Papai, sabe do que eu lembrei? — Jenson interrompeu sorrindo travessamente com Rocco e juntos disseram a próxima frase que arrancou gargalhadas dos adultos presentes — Nossa babá é muito famosa, uau.

    — awn, venham cá seus fofos — Lena trouxe os dois para si e encheu os dois de beijos nas bochechas enquanto eles riam sapecas.

    — Então Lena, uma vez eu tentei um emprego na Luthor Corp, porque sempre admirei demais os projetos que vocês fazem, nós moramos aqui porque obviamente não consegui — suspirou baixinho — queria poder fazer mais pelo mundo, mas meu atual emprego não é muito significante.

    — Porque não lhe contrataram? — a morena resolveu perguntar.

    — Disseram que eu não tinha experiência suficiente — suspirou baixinho — Eu tinha me formado a pouco tempo e precisava de uma chance, uma que não quiseram me dar.

    — SInto muito por isso Brad — ela realmente sentia — Meu irmão chega amanhã pela manhã, nós podemos conversar, ver se conseguimos uma vaga para você, uma oportunidade de ir embora daqui, conseguindo um emprego e vantagens melhores para vocês quatro.

    — Obrigado — ele sorriu realmente sincero, Lena sabia que ele não havia tocado no assunto antes porque não houve uma oportunidade, mas que ele também não estava citando apenas por descobrir que era a empresa de sua família, ela havia aprendido a confiar neles.

    — Agora vamos ao jantar — Dona Anna se pronunciou pela primeira vez — O que faremos para essas crianças comerem? 

    — Uh, podemos comer lasanha? — É claro que o pedido veio de Kara — Hm, eu senti uma vontade enorme agora por uma lasanha de frango bem quentinha — a loira sentiu a boca salivar enquanto Lena, Brad e Angela riam.

    — Bom, não podemos deixar a gravidinha na vontade né? — Dona Anna sorriu, apesar de tudo, era uma ótima distração para sua cabeça, cuidar das outras pessoas que eram importantes em sua vida.

    — Obrigada — a loira sorriu e logo voltou a brincar com os gêmeos e Mike enquanto os outros iam até a cozinha para fazer o jantar. Lena, não tinha cabeça para lidar com qualquer tarefa na cozinha, ela apenas se sentou ao lado de Kara e deixou se envolver na atmosfera infantil dos gêmeos, eles conseguiam tornar até o mais difícil dos dias, em atmosferas mais fáceis de se viver.

    O resto da noite foi regado a mais risadas e brincadeiras com os gêmeos, eles jantaram nessa atmosfera risonha e divertida, espaireceram as cabeças de todos os problemas que haviam e, depois do jantar, enquanto estavam todos de pijamas, fizeram uma pequena maratona de filmes, assistiram dois até os garotos dormirem e, depois, todos se recolheram aos quartos onde ficariam, Kara e Lena se deitaram juntas, com a morena aconchegada a loira e esta acariciava os cabelos negros de sua namorada, da mesma forma que a morena costumava fazer consigo.

    — Você está tremendo Kitty — a loira sussurrou trazendo o corpo da morena mais para si.

    — Eu senti tanto medo Boo — ela confessou, cansada de se fazer de forte e Kara entendia muito bem esse sentimento.

    — Eu sei Kitty, mas agora vai ficar tudo bem — sussurrou para as duas e continuou fazendo carinho nos cabelos negros, nenhuma palavra a mais foi dita, a loira começou a cantarolar uma música para Lena, da mesma forma que a morena fazia para ela tantas vezes e, escolheu a música que a morena havia cantado para ela no dia em que lhe pediu em namoro, parecia perfeita — ‘Cause every night I lie in bed / The brightest colors fill my head / A million dreams are keeping me awake / I think of what the world could be / A vision of the one I see / A million dreams is all it’s gonna take — a voz doce de Kara, ajudou Lena a relaxar, encantada com a voz perfeita de sua namorada, ela nunca havia ouvido-a cantar.

    — A million dreams for the world we’re gonna make — Lena cantarolou baixinho com um mínimo sorriso.

    — For the world we’re gonna make — as duas cantarolaram juntas e a loira continuou acariciando os cabelos negros até que a morena pegasse no sono, o que demorou a acontecer. Kara suspirou baixinho, aliviada por ver Lena finalmente descansando, só depois disso, se permitiu adormecer junto a outra.

{...}

    Na manhã seguinte, Kara foi a primeira a acordar, se sentia um pouco enjoada, provavelmente, por causa de tudo que estava acontecendo ao seu redor e seu pequeno Leon se mexia mais do que ela estava acostumada. Ela conversou baixinho com o filho enquanto tomava uma ducha rápida e fazia suas higienes matinais e logo desceu, Angela, Brad e Dona Anna tomavam café da manhã na cozinha.

    — Bom dia — Kara desejou procurando por Mike e logo o pegou no colo afagando seu pelo.

    — Bom dia — Brad e Angela responderam juntos como o casal fofo que também eram.

— Bom dia querida — Dona Anna sorriu, como sempre fazia, independente de qualquer situação — O que acha de se juntar a nós e tomar um belo café da manhã?

— Não sei, acho que vou esperar Lena acordar, estou um pouco enjoada, Leon não para de se mexer e eu ainda estou esperando por notícias de Lex, ele deve estar chegando a qualquer momento — fez uma pequena careta, estava tão preocupada com Lena que sequer sabia como agir.

— Hm, eu vou fazer um chá para você Kara, me ajudou muito quando eu ficava enjoada durante a gravidez dos gêmeos — Angela sorriu — Quanto a ele estar se mexendo mais, é normal, mas conversar com ele ajuda a diminuir isso também, mesmo tão pequenos, já entendem muito.

— Obrigada Angela — sorriu minimamente, mas seu sorriso se ampliou ao ver os gêmeos com as carinhas amassadas, de pijamas combinando, com Jenson de Bus e Rocco de Woody, e coçando seus olhinhos, era completamente adorável — Bom dia meus amores — desejou se aproximando deles e beijou o topo da cabeça dos dois.

— Bo dia tia Kara — as vozinhas roucas deixavam aquele momento ainda mais fofo para a loira, assim como os beijinhos carinhosos que recebera, ela não via a hora de ter seus próprios momentos assim com seu pequeno garotinho — Bo dia vovó — eles repetiram o mesmo ato com dona Anna e, por fim, seus pais — Bo dia mamãe, bo dia papai.

Os adultos ao redor deram bom dia para as crianças e Brad os colocou em suas cadeirinhas enquanto Angela servia o café da manhã dos dois, ela também entregou o chá para Kara e pediu que ela tomasse tudinho, assim se sentiria melhor. A campainha soou no exato momento em que Kara terminou o chá, ainda se sentia enjoada, mas como tinha certeza de que era Lex, se levantou e abriu a porta deixando o ruivo entrar, ele estava sozinho.

— Bom dia Kara — sorriu compreensivo para a loira.

— Bom dia Lex — a loira sorriu se aproximando do ruivo e lhe pegou completamente de surpresa ao abraçá-lo como ela nunca havia feito. Lex sequer sabia como reagir a esse ato, ainda mais porque os dois sabiam o que significava. Chamar Lex para ser padrinho de seu filho já demonstrava confiança de Lena e Kara a si, mas ter a loira lhe abraçando por vontade própria e sem uma crise mostrava plena confiança de Kara para Lex, mostrava que ela confiava sua vida e a de Lena nele e a morena não poderia estar mais orgulhosa ao presenciar a cena do pé da escada, uma lágrima solitária escorreu pelo seu rosto e ela logo tratou de limpá-la.

— Uau, nós fizemos muito progresso não é? — disse visivelmente surpreso assim que o abraço cessou — Eu estou muito orgulhoso de você querida — sorriu olhando nos olhos incrivelmente azuis — E como está meu querido e amado afilhado?

— Hoje ele está impossível — a loira fez um bico fofo nos lábios acariciando a barriga já saliente de 19 semanas (quase 5 meses) — Não para de se mexer, acho que é por isso que me sinto tão enjoada.

— Eu posso? — perguntou estendendo a mão para tocar na barriga de Kara, além dela, apenas Lena já havia o feito e o ruivo sorriu ao vê-la assentir — Hey meu pequeno Lion — Lex se abaixou enquanto acariciava a barriga de Kara, sentindo os chutes do garotinho — Você precisa ajudar a cuidar de sua mamãe, não deixá-la assim tão desconfortável, não é justo carinha — brincou como um bobo enquanto Kara e Lena sentiam seus olhos encherem de lágrimas, mas de felicidade — Vamos fazer um trato, sim? Você se comporta direitinho e eu convenço as suas duas mães a fazerem seu primeiro aniversário do Hércules, o que acha? — brincou recebendo um belo chute como resposta.

— Hm, eu acho que ele odiou sua proposta Lex — Kara brincou olhando o ruivo ainda abaixado na altura da barriga dela.

— Vocês também não ajudam fazendo a criança odiar meu filme favorito — revirou os olhos divertido e ficou mais algum tempo ali, conversando com seu afilhado — Como está Lena? — perguntou pouco depois, se levantando e olhando a cunhada nos olhos.

— Ela está bem agora, mas demorou a dormir, ela ainda dorme… — Kara ia continuar quando Lena se juntou aos três.

— Na verdade acordei a algum tempo, até vi você abraçando Lex quando ele chegou — sorriu abertamente e beijou os lábios de sua namorada com carinho — Bom dia Boo, bom dia filho, se comporte com a sua mãe — disse ao acariciar a barriga de Kara com carinho e logo depois se aconchegou ao abraço do irmão, sentindo os braços dele lhe apertarem com a mesma força que ela o apertava — Bom dia Lex, obrigada por vir, senti a sua falta — disse de uma vez só, causando uma risada no ruivo.

— Bom dia Mavis, eu também senti sua falta — beijou o topo da cabeça da irmã e a fez lhe olhar nos olhos — Eu sempre vou cuidar de vocês, sempre que precisarem — beijou a testa da irmã — Vocês tomaram café? Porque eu estou faminto — os três riram e se encaminharam para a cozinha, onde Lex conheceu o resto do pessoal e ficou igualmente encantado com a fofura dos gêmeos.

{...}

    — Tio Lex, Tio Lex — os gêmeos puxavam o ruivo pelos dedos, caminhando com ele até o jardim, eles haviam tomado café a algum tempo e, enquanto esperavam o amigo de Lex chegar na cidade, ele deixou que Lena ficasse um pouco com Kara, cuidando da loira que continuava enjoada, havia comido e vomitado tudo pouco tempo depois.

    — Oi tico e teco — brincou arrancando uma gargalhada dos garotinhos.

    — Vamos bincar — os dois disseram juntos, arrancando uma gargalhada do ruivo.

    — Vamos tico e teco, de quê vocês querem brincar? — perguntou vendo Brad rir em seguida.

    — Não devia ter perguntado isso a eles — Brad riu — Vamos, peguem a bola garotos — pediu e os meninos saíram correndo atrás da bola.

    — Vamos jogar futebol? — Lex perguntou arregalando os olhos, se tinha uma coisa em que ele era péssimo na época da escola, era futebol.

    — Na verdade vamos perder feio pros dois jogando futebol, não sei você, mas eu era péssimo nisso — os dois riram juntos concordando silenciosamente, separaram os dois garotos, Rocco ficou com Brad e Jenson com Lex, mas foi inútil porque os dois se uniram para vencer os dois homens mais velhos e conseguiram fazer vários gols, passando por um Lex completamente ofegante e um Brad jogado na grama, cansado de correr atrás das crianças.

    — Acho que preciso fazer algum exercício físico — Lex resmungou arrumando os cabelos ruivos.

    — Lena nos contou que vai ser o padrinho do Leon, vai precisar se preparar para quando ele aprender a correr e não quiser mais parar — os dois riram e Lex se jogou na grama junto com o outro homem.

    — Eu estou muito ferrado, não estou? — o ruivo riu mais uma vez enquanto os gêmeos corriam atrás da bola de um lado para o outro.

    — Olha pelo lado bom, Leon é só um — Brad gargalhou — Mas vocês têm o Mike também, então, sinto muito, você está muito ferrado — riu ao ver o cachorrinho correndo com toda energia atrás dos gêmeos.

    — Eu estou muito ferrado — gargalhou, poderia ficar exausto, mas não via a hora desse momento chegar — Já chega, o monstro da cosquinha vai atacar o tico e o teco — gritou se levantando e correu atrás dos meninos que começaram a correr pedindo socorro, Brad, ao invés de ajudar os filhos, acabou se juntando a Lex, correndo atrás dos garotos para fazer-lhes cosquinhas.

{...}

    — Querido, já viu o jornal de hoje? — Kelly sorriu mostrando o papel ao homem, a notícia de capa estampando seu novo objetivo.

    — Não Kelly — ele suspirou com raiva, por não obter respostas do capanga que mandara até a cidade para raptar Lena, olhou o papel e quase congelou ao ver a foto — Caralho, eles vão nos descobrir, mas que porra — gritou, a raiva passando por cada célula de seu corpo e ele sequer sabia porque a outra mulher sorria como se aquela notícia fosse minimamente boa.

    — Olhe melhor Jackson — suspirou baixinho — Eu sei que essa notícia em si não é boa, mas olhe a foto, a foto querido.

    Ele revirou os olhos antes de olhar novamente aquela notícia, respirou fundo focando sua atenção na fotografia daquela notícia e quase não acreditou no que viu.

    — Essa filha da puta está viva — Bradou amassando o jornal, ele reconheceria ela em qualquer lugar, Kara estava viva esse tempo inteiro, ele nunca deixava pontas soltas e havia acabado de descobrir que deixara uma.

    — Não só isso querido — Kelly continuava feliz por lembrar da foto — Ela está grávida, do nosso filho — sorriu abertamente — Como vamos recuperá-lo? Ela não vai ficar com o nosso bebêzinho, não é? — disparou as perguntas que rondavam sua cabeça já a algum tempo.

    — Não querida, ela não vai ficar com o nosso filho — ele acariciou o rosto da mulher e segundos depois seus olhos voltaram a escurecer conforme a raiva passava por si, o nome mostrado na reportagem, o homem que mandara estava morto, Jack havia o matado.

    — Aquele filha da puta está com elas, ele sabia de tudo — concluiu se afastando da mulher, pegou um dos vasos perto de si e jogou com força contra a parede gritando pela raiva — Jack vai aprender o que acontece com quem me trai — seus olhos estavam enegrecidos pela raiva, completamente cegos pelo ódio.

    — Pense Jackson, por favor pense — a mulher pediu tentando trazer o homem daquela atmosfera que sempre lhe rodeava quando ele estava com raiva, não importava se seu corpo inteiro tremia com medo dele descontar aquela raiva nela — Ninguém me conhece, nem mesmo Jack, nós podemos usar isso ao nosso favor.

    — Como assim Kelly? — suspirou pensando em como dar uma boa lição em Jack, em como fazê-lo aprender que com ele não se mexia.

    — Eu posso ir até a cidade, conhecer elas, me aproximar delas como quem não quer nada e, quando Kara tiver o bebê eu o roubarei para mim — ela sorriu olhando o homem.

    — Não quero que se coloque em risco querida — suspirou baixinho acariciando o rosto da mulher se sentindo um pouco mais calmo.

    — Mande o seu melhor capanga para me proteger Jack e assim eu não estarei em risco — sorriu beijando os lábios do rapaz.

    — Eu vou pensar Kelly, sabe que eu não confio em nenhum deles quando se trata de você — puxou ela para si e caminharam juntos até o quarto dela, Jack descontaria toda aquela raiva em um sexo selvagem, era o que ele queria, sempre o que ele queria.

{...}

    — Se sente melhor Kara? — Lex foi o primeiro a perguntar quando se sentaram todos juntos para almoçar, o ruivo estava completamente suado de ter passado a manhã quase inteira atrás dos garotos, mas eles estavam completamente radiantes, isso não poderia ser melhor, na visão de Lex.

    — Sim, um pouco melhor, Leon agora está mais quietinho e meu enjoo passou, obrigada por perguntar — ela sorriu tímida enquanto se serviam do almoço que Dona Anna havia feito.

    — Ótimo, fico mais tranquilo assim, nós precisamos conversar depois do almoço, meu amigo já chegou na cidade e vai nos encontrar na sua casa Lena — elas sabiam que ele falava sério e apenas assentiram, nem mesmo esse assunto seria capaz de acabar com a leveza e a alegria do almoço que prosseguiu, os garotos não paravam de falar em como haviam amado brincar com o “Tio Lex” e não paravam de cantar vitória no futebol, era irritantemente fofo.

    Depois do almoço, as crianças logo adormeceram, Lena, Kara e Lex caminharam para a casa que as duas dividiam, John já lhes esperava na porta e os quatro entraram.

    — Lena, Kara, este é John Johnes, ele é agente do FBI e estuda esse caso a algum tempo — Lex começou, arrumando os cabelos ruivos.

    — As provas que vocês nos forneceram ajudou a desenvolver bem o caso, nós não tínhamos nada, agora sabemos o nome do principal causador de tudo isso, sabemos o nome de algumas das pessoas envolvidas, que existe apenas uma mulher com eles e não parece que ela é uma vítima — suspirou baixinho — Mas, primeiro, precisamos conversar sobre o que saiu na mídia sobre ontem.

    — Nós vimos a notícia no jornal, avisando sobre a tentativa de sequestro — Lena suspirou baixinho.

    — O problema não é a notícia em si Lena, olha, não sei como, mas descobriram sobre você estar aqui, essa notícia viralizou e seus fãs estão preocupados, eu recebo mensagens a todo momento perguntando como você está, se não se machucou — suspirou baixo — Quando nossos pais viram a notícia, eu fiquei com medo do papai ter um infarto, acho que é hora de voltar para casa.

    — Lena vai postar alguma coisa para os fãs depois — Kara pontuou — Lionel está bem? — perguntou preocupada.

    — Eu vou? — a morena perguntou, mas o olhar que a loira lhe deu, foi o suficiente para saber que iria sim — Eu vou. Como está o papai?

    — Ele está bem, mas está preocupado com seu bem estar, com o de Kara e com o de Leon, ele quer que vocês voltem.

    — Eu sei que sim, mas ainda não podemos voltar — Lena pontuou firme.

    — Não podemos voltar Lex — Kara murmurou baixinho, mas alto o suficiente para que o ruivo lhe ouvisse.

    — Porque não podem? — perguntou tentando entendê-las.

    — Eu ainda não me lembro de tudo, eu sei que Lena sabe o nome dele, mas eu não me lembro de quase nada. Eu sei que para algumas pessoas seria melhor que eu nunca tivesse essas memórias horríveis, mas elas precisam fazer parte de mim para que eu possa virar essa página — suspirou baixinho.

    — Kara precisa de um fechamento antes de pensarmos em ir embora, se formos agora, ela nunca o terá — Lena finalizou e Lex assentiu suspirando baixinho.

    — Pode até ser, eu aceito isso, concordo que você precisa de um fechamento querida, mas então eu ficarei aqui com vocês até lá — foi firme, fazendo-as entender que não haveria nenhum plano em que elas conseguiriam deixar Lex fora disso.

    — Ok, o que as notícias dizem? — Lena suspirou baixinho.

    — Que você sofreu uma tentativa de sequestro, estava junto com um colega, no caso Jack e que não foi sequestrada porque ele atropelou o sequestrador que, infelizmente, morreu, isso torna as coisas bem difíceis para ele — Lex suspirou baixinho.

    — Não que ele mereça ficar fora da cadeia — Kara suspirou baixinho — Me desculpem, e-eu não sou assim — murmurou se retirando para o quarto que dividia com Lena.

    — Eu já volto — Lena avisou e foi atrás da loira, bateu na porta e quando ouviu um “entra” baixinho, entrou no quarto e sorriu levemente — Precisa de um abraço? — perguntou enquanto a loira ainda estava de costas para si.

    — E-Eu não, e-eu não… — Kara tentou colocar as palavras para fora, mas ela não era a melhor fazendo isso, não ainda.

    — Eu sei querida — Lena se aproximou e abraçou a loira com carinho, aconchegando-a em seus braços.

    — Eu não consigo acreditar nele, não depois de tudo que ele fez para mim — sussurrou baixinho — Ele não pode simplesmente me entregar ao demônio e depois se fazer de anjo — a raiva passava pelas palavras da loira e Lena sabia o quanto isso ainda iria machucar sua namorada.

    — Eu sei querida, eu também não acredito, mas também não podemos vendê-lo como o próprio Lúcifer na frente da Dona Anna, ela não merece isso e, se ele não estivesse lá, eu não estaria aqui — pontuou acariciando os cabelos dourados.

    — Eu sei Kitty — murmurou baixinho — E-Eu só, não, não consigo —suspirou sentindo a vontade de chorar encher seu peito enquanto Lena a aconchegava mais a si — Eu quero que me conte, tudo o que ele lhe disse, por favor — Os olhos azuis brilhavam em lágrimas, a loira estava completamente desesperada pelas suas próprias memórias, ela só queria entender tudo o que havia acontecido com ela, entender o caos que rodava sua mente todas as vezes que ela tentava entender o que estava acontecendo, o que havia acontecido, as atitudes de Jack, ela precisava desesperadamente entender.



 


Notas Finais


E então gente? Todos vivos? Todos bem?

Gostaram da nova interação da Kara com a Lena? Porque eu simplesmente amei

Lex com os gêmeos também é muito fofo, me diverti muito escrevendo sobre isso

Acabaram de descobrir quem é a mulher do Jackson e o que eles querem da Kara, chocados? Alguém desconfiava?

Quem quiser conversar comigo em privado, pode me chamar no twitter (@BGJunq20) - vão me ver surtando muito por causa de au (Eu leio umas 500 e surto em todas), no wpp (quem tiver meu número), por mensagem aqui, ou no instagram (@bibi_junqueira), estou sempre disponível pra tirar dúvidas, mas já vou avisando que não dou spoiler (mentira kk)
tt: https://twitter.com/BGJunq20
Insta: https://www.instagram.com/bibi_junqueira/

Pra quem não conhece minhas outras fics passem no meu perfil para ler e se encantar
My New Boss: https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-new-boss-15870689
Who Knew: https://www.spiritfanfiction.com/historia/who-knew-17653872
Take Me Home: https://www.spiritfanfiction.com/historia/take-me-home-16957768
Fractured: https://www.spiritfanfiction.com/historia/fractured-16278168
A Melhor Amiga da Noiva: https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-melhor-amiga-da-noiva-16116410
You Are Not Alone: https://www.spiritfanfiction.com/historia/you-are-not-alone-16048490

Nos vemos nos comentários

Biia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...