1. Spirit Fanfics >
  2. Consequences >
  3. 12. Boate

História Consequences - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


quem fazia as imagens do capítulo anda sem tempo então né
obrigado por todos os comentários
podem divulgar a fanfic que eu fico feliz

Capítulo 12 - 12. Boate


Algumas horas atrás.

 

Ser chamado por Blásio para conhecer sua primeira boate mista foi uma surpresa.

A família Zabini era conhecida pelos seus negócios com pedras preciosas e artefatos de magia negra que são permitidas pelo ministério da magia, porém desde que os pais de Blásio Zabini morreram, ele passou os artefatos de magia negra para uma das irmãs do seu pai e inovou abrindo bares e boates bruxas, depois de 4 lugares abertos e fazendo um sucesso além do normal, investiu em um local que mantenha os dois mundos: bruxo e trouxa, então é claro: era proibido qualquer ato de magia no local.

Foi muita mão de obra e muitos feitiços para o lugar estar em perfeito estado.

Não pode deixar de convidar os amigos para o evento mas se surpreendeu quando Draco confirmou a presença.

O loiro não tinha encontrado os amigos desde que fora viajar atrás de estudo e conhecimento, sabia que os amigos estariam lá então era uma boa ir mas uma parte sua clamava por algo, não sabia direito o que mas quando percebeu estava mandando uma carta a Luna Lovegood, convidando-a para ir junto e sugeriu que convidasse Hermione. A loira respondeu por celular e não por carta.

Iria e convidaria a "amiga emburrada" como ela mesma se referiu a Hermione, a excitação de Draco e o desejo que a noite chegasse aumentou mas ficou em atender os pacientes que estavam em St. Mungus.

 

 

ATUALMENTE

Ao chegar na boate acompanhada de Luna, roubaram as atenções. A loira ficara conhecida não somente por ser uma pessoa não muito certa das ideias, mas por ser uma ótima auror e um bom número de pessoas desejavam que ela voltasse para a carreira de auror embora demonstrasse estar feliz seguindo com o jornal de seu pai.

 

Hermione olhou em volta percebendo que o local era frequentado somente por adultos, era escuro, espaçoso e brilhoso, notou que algumas pessoas tinham desenhos neons em seu corpo, e quanto mais adentravam na pista, mais quente ficava. Hermione se arrependeu de escolher aquele vestido. Ele podia dar na metade de suas coxas mas o tecido em si se grudava ao seu corpo marcando as curvas que os anos e dois partos normais lhe deram.

 

— Luna! — gritou por cima da música eletrônica para a loira que caminhava na frente, mas a outra não lhe deu ouvidos.

 

Quando chegaram no bar, Luna pediu coquetel de morango, Hermione no entanto pediu uma água, o que fez Luna lhe olhar com um ar de exasperação.

— Hermione! Saímos para nos divertir e você vai tomar água? — a loira gritou para que pudesse ser ouvida acima da música.

— Eu sou mãe, Luna! Se Ronald me ligar eu não posso ir encontrar meus filhos bêbada! — ocultaria para todo o sempre a bebedeira da semana anterior e quem tinha a ajudado, não era algo que se orgulhava.

— Hermione: Ronald é o pai deles! Eles estão bem e os dois tem uma saúde de ferro, Rose quase nunca fica mal, o Hugo está tomando todas as vitaminas certinho, deixe disso!

Hermione respondeu a amiga com um severo e rígido não para bebida alcóolica e a loira deixou de insistir, Hermione bebeu a água se deliciando com o quão gelada estava.

— Ali! — Luna pulou no lugar apontando para algum lugar. — Meu amigo está chegando!

Hermione virou a cabeça para olhar e se engasgou com a água que estava tomando, começou a tossir no chão, e segundos depois sentiu tapas leves nas costas, ao se recuperar notou Luna lhe dando os tapinhas amigáveis e encarou o motivo do tumulto. Draco Malfoy agora a menos de dois metros dela.

— Espero que gostem da boate. — Draco gritou para que elas escutassem, e a voz dele fez com que o corpo da castanha se arrepiasse por inteiro, Hermione só podia estar louca!

— É linda! — a loira gritou para ser ouvida e ofereceu seu copo ao loiro que recusou, seu olhar desviou para Hermione e deu uma piscada para ela que arregalou os olhos surpresa e se virou de frente para o bar, de volta para sua água e de costas para o homem loiro.

Hermione se concentrou a olhar ao redor, mas não estava de fato ali. Seus pensamentos fixos nos filhos, em dúvida de como eles estavam. Espiou o celular e notou que tinha uma mensagem de Ronald. Xingou mentalmente imaginando o porque diabos esqueceu de olhar no celular nos ultimos 15 minutos. Abriu o aplicativo de conversa e percebeu que eram fotos. 3 delas, todas enviadas quatro minutos atrás.

Na primeira delas, mostrava Hugo deitado com os olhos arregalados e um leve sorriso, a boca suja da vitamina de morango que dava a ele antes de dormir pois ela o faria relaxar e dormir melhor, a próxima era de Rose, sua filha estava abraçada a um copo aparentemente novo já que Hermione não conhecia, a última foto mostrava Hugo dormindo, quando iria começar a digitar um vídeo chegou, quando baixou ela o assistiu.

De início Rose aparecia olhando para algo que tinha em mãos, Hermione pode ver que era um livro de histórias trouxa, quando olhou para o celular a castanha sentiu como se a filha lhe olhasse, seu coração apertou e quando Rose sorriu, seus olhos se encheram de lágrimas, não pode ouvir o que a filha disse, mas por leitura labial reconheceu o “Eu te amo, mamãe!”

Rapidamente digitou:

Já está tarde para Rose estar acordada, Ronald! Diga a ela que a amo muito mais! Amo muito Hugo também. Já sabe: qualquer coisa que acontecer você deve me ligar.

Quando enviou a mensagem, guardou o celular na bolsinha e olhou ao redor percebendo que Luna já não estava ali.

Bufou de raiva por ter sido abandonada no local mas percebeu que Malfoy não estava mais ali, olhou ao redor novamente e pode ver a amiga conversando com pessoas que não lhe agradaram.

Pansy Parkinson estava acompanhada de Astória Grengrass e as duas pareciam estar conversando com Luna numa boa. Pode ver que Draco estava ao lado de Luna e se virou para o bar novamente sabendo que provavelmente a amiga não corria riscos já que a boate tinha feitiços para que qualquer tipo de feitiço não funcionasse — além desse.

Bebeu mais de sua água e de canto de olho achou ter visto um dos antigos colegas de Hogwarts, virou para olhar e percebeu que era sim a pessoa que imaginou ter visto. Córmaco.

Ele tinha sido um dos poucos que lhe viram como uma pessoa atraente em Hogwarts e naquela época era uma garota tola sofrendo por um garoto que estava com outra. Os anos que passaram fizeram bem a Córmaco, ele era goleiro dos Chudley Cannons e estava maior do que nunca. Hermione o observou de longe, ele parecia mais educado do que era em Hogwarts e isso a aliviou porque naquele exato momento ele tinha lhe encontrado e lhe olhava com interesse estampado no olhar. Ele começou a se aproximar e deu um longo gole na água.

Engolir a água foi tempo suficiente para que ele chegasse ao lado da sua bancada e ficasse a olhando. Não falou nada e a castanha estava com o olhar fixo na frente, seu olhar acompanhando as bebidas serem servidas.

Ele tocou seu ombro e foi um susto. Não esperava um toque de primeira.

Quando se virou para ele não se surpreendeu quando o encontrou com um sorriso no rosto. Parecia mais alto do que se lembrava e os ombros mais largos, estava bem musculoso e naquela época nunca quis beijar ele, naquele momento queria embora fosse somente para passar o tempo. A muito tempo não se sentia bem nos braços de um homem já que Ronald e ela estavam a meses sem transar.

— Hermione!

Ele a cumprimentou aproximando seu rosto do de Hermione, deixou um beijo na bochecha dela e se afastou, sentando na bancada ao seu lado.

— Olá Córmaco.

Gritou por cima da música e no segundo seguinte ele tocou em sua coxa. Achou que o toque a deixaria arrepiada mas não deixou.

— Soube que está se divorciando do Ronald.

— É.

Concordou bebendo água e a confirmação da separação dela e do marido parece ter quebrado mais uma barreira pois a mão dele que estava em sua coxa foi para cima, como reflexo Hermione apertou mais as pernas, isso fez com que Córmaco desse um sorriso e com a outra mão puxou a bancada de Hermione para mais perto.

— Fico satisfeito, o que acha de irmos até minha casa?

Hermione sabia exatamente o objetivo daquilo. Era visível que ele queria sexo e talvez o desejo existisse desde a época de Hogwarts. Ela olhou os olhos brilhantes do homem e abriria a boca para responder porém algo chamou atenção atrás do homem.

Franziu a testa e se levantou, deixando Cormaco para trás. Ronald estava ali.

Como Ronald estava ali se os seus filhos estavam com ele? Percebeu que ele estava acompanhado de outra mulher, a reconhecia do St. Mungus. Se aproximou em passos rápidos e quando o puxou ele lhe olhou surpreso.

— Você deveria estar em casa, Ronald! Com os seus filhos que você procura somente no final de semana!

Falou exasperada, ele ergueu a sobrancelha.

— Deixei com Fleur e Gui.

Hermione achou graça, se tivesse somente 2 dias na semana com os filhos, os aproveitaria o máximo, dormiria com eles! Não conseguia acreditar no que Ronald fez mas agradeceu mentalmente por ele ter deixado os filhos com os padrinhos e não com Lucinda.

Hermione se virou de costas sentindo muita raiva e antes que desse o segundo passo seu braço foi puxado.

— E você? O que faz aqui? — a pergunta dele parecia vir com uma acusação.

Antes que Hermione respondesse braços rodearam sua cintura, ela não reconheceu a sensação mas o cheiro era impossível de não reconhecer e isso fez com que ficasse nervosa e seu coração disparasse antes mesmo de constatar quem era.

— Ela veio se despedir, é uma ótima mãe e achou que os filhos estavam com o pai mas já que você os deixou seguros ela irá voltar para mim.

Antes de Draco terminar de falar, já guiava Hermione para a pista de dança, a troca de olhares que ocorreu fez com que Hermione sentisse muita vontade de dançar e foi exatamente o que aconteceu na pista assim que Draco firmou as mãos em sua cintura e passou a tentar dançar com ela.

Fechar os olhos foi o primeiro passo para se soltar completamente e se deixar levar pela batida da música. As mãos grandes de Malfoy passeavam pelo seu corpo deixando rastros de excitação. Seus pelos ficaram em pé, os mamilos enrijeceram esfregando contra o vestido que usava e a calcinha encharcou assim que sentiu algo duro esfregando contra a curva da sua coluna. Sua mente a mandava fugir mas seu corpo clamava por mais. Mais proximidade, mais pele com pele...

— Merlin!

Ofegaram juntos quando caíram em um sofá que estava em um canto da boate, ao se olharem foi impossível desviar o olhar até que um flash de razão surgisse no cérebro de Hermione e mesmo com ele, ela não quis levantar e nem se afastar. O colo de Malfoy parecia interessante até demais.

— Eu vou ao banheiro.

Levantou com certa dificuldade e enquanto o fazia pode ver a protuberância que Malfoy exibia por dentro das calças, o pior foi ver que ele sorria como se tivesse ganhado um prêmio. Se afastou dele e logo chegou na fila do banheiro. Eram 2 banheiros femininos com diversas cabines, ao entrar em um deles teve de esperar uma das cabines esvaziar, ao entrar sentiu uma necessidade gritante de se tocar. Estranhou o fato do local de repente ficar super silencioso, conseguia ouvir uma respiração ofegante e a curiosidade venceu. Antes que levasse os dedos a parte intima e fazer o que queria, abriu a porta da cabine e quase gritou de susto quando seu corpo foi puxado para fora.

— Você não me escapa, Granger!

Ele lhe beijou com força, seus lábios mexendo em um ritmo faminto e não durou muito, ele rapidamente puxou seus seios do vestido e chupou, naquele momento Hermione esqueceu até que amamentava... Quando o leite começou a vazar Draco rapidamente parou. O gosto não era ruim mas ver e sentir aquilo. Algo primitivo se acendeu nele, conseguiu ver a careta de prazer e a respiração ofegante da mulher, provavelmente ela teria esquecido desse detalhe no meio do desejo que estavam sentindo naquele instante.  O leite vazou por alguns segundos e tratou de limpar com a língua porém não sugou o mamilo como estava acostumado a fazer, beijou mais abaixo e parou de beijar a curva dos seios para a barriga, se ajoelhou no banheiro e enquanto Hermione se escorava na parede, levantou uma das pernas dela e esfregou o nariz de encontro a calcinha que ela usava, o tecido estava molhado e com um odor forte de boceta, rapidamente começou a tirar e quando a calcinha estava fora dos pés da castanha ele guardou no bolso da calça.

— Eu não consigo acreditar.

Sussurrou baixinho e o gemido alto veio assim que ele agarrou o clitóris, chupou com força e sem delicadeza, fazendo com que a cada chupada Hermione ficasse mais excitada e molhada, a língua dele passava de cima a baixo, entrava na fenda dela e Hermione não pode conter os gemidos e nem os quadris que movimentavam de encontro a boca do loiro.

Gemeu sentindo sua bunda doer pela força que Draco usava no aperto para manter suas pernas abertas. Ele colocou sua perna sobre o ombro dele e a mão agora livre foi em direção a entrada dela.

— Draco! — não conseguia acreditar que era o nome dele que chamava de prazer, não acreditava que era ele lhe chupando, sentia seu corpo dar os sinais de que o orgasmo estava próximo e os gemidos aumentaram de intensidade.

Ele a penetrou com dois dedos enquanto sua língua ora chupava, ora lambia tudo a deixando completamente mole e quase desfalecida de prazer. Quando gozou ele pode a sentir pulsar ao redor de seus dedos e seu pau praticamente forçava para se soltar da calça. Seu pau sentia inveja dos seus dedos.

Enquanto a lambia, chupava e sugava seu sabor não pode deixar de se deliciar e a abrir bastante com os dedos para sua língua entrar com facilidade. Quando se deu por satisfeito ficou de pé e Hermione pode perceber os lábios inchados e o rosto dele menos pálido do que o normal, estava até vermelho. Seu olhar foi até o meio de suas pernas notando o volume e uma parte sua a mandava agarrar, outra parte a mandava fugir, correr para bem longe mas suas pernas nem forças tinham pra correr.

— O que fizemos? — Hermione se perguntou ofegante, seu olhar indo até o espelho que ficava de frente para ela, nem o notou enquanto era chupada por Draco.

— Eu lhe chupei, que boceta deliciosa, Granger!

Ela ofegou e tocou os seios pesados e mordeu os lábios com a caricia, lembrou-se que vazava e esperava que não tivesse ocorrido durante o ato...

— Obrigada... eu acho.

Começou a arrumar o vestido embora seu olhar estivesse na protuberância dele escondida dentro da calça.

Malfoy não falou mais nada, ainda sentia o cheiro e o gosto dela, queria guardar aquilo por um tempo, enquanto ajeitava melhor o pau dentro das calças lambia os lábios querendo mais porém saiu do banheiro antes de Hermione e olhou para as mulheres na fila e foi na direção de onde iria antes  de entrar no banheiro.

 

Algumas horas mais tarde.

Luna tinha encontrado Hermione e desde então as duas estavam juntas, porém a loira se despediu pois iria para um motel com um homem e deixou Hermione no local. Estava quase indo embora então desistiu da água e pediu um coquetel de morango, logo que começou a tomar soltou um gemido de satisfação, era uma delícia!

Pegou o celular e surpreende-se ao notar que já passava das 5hrs da manhã, quando estava perto de terminar a bebida, se surpreendeu com Draco novamente ao seu lado. Seu rosto adquiriu um tom vermelho de vergonha ao lembrar o que fizeram no banheiro da boate.

— Eu quero... — sentiu o cheiro forte de bebida nele e o olhou desconfiada.  — meter a boca na sua boceta!

Ele beijou seu ombro e Hermione pode sentir a mão dele tocar sua coxa e subir direto para a boceta, ela se derreteu nos dedos dele sabendo que todos poderiam ver. O cheiro de bebida que vinha dele era forte e logo que a penetrou com um dedo ela abriu os olhos soltando gemidos de prazer e olhando em volta. Afastou a mão de Draco e ele a olhou sorrindo.

— Safada! — sussurrou e sem aviso enfiou os dedos na boca de Hermione que mesmo surpresa fez questão de chupar.

— Merda, Draco! Não pode atacar os outros assim!

Hermione tirou os dedos de Draco da boca e viu Blásio Zabini chegar gritando, Draco começou a rir enquanto o amigo o afastava de Hermione.

— Eu não ataquei, sou humano e não animal. — Falou olhando confuso para Blásio que sacudiu a cabeça.

— Vem, vou mandar te levarem pra casa.

— NÃO! — Gritou mais alto que o necessário e conseguiu se largar de Blásio. — Vou pra casa com ela!

Apontou para Hermione que olhou confusa para os dois e logo que Blásio começou a negar ela se aproximou.

— Eu levo ele.

— Eu não te conheço! — o olhar irritado que ele mandou a ela fez Hermione franzir a sobrancelha. Se encararam e foi só ela abrir a boca para começar a falar que ele a reconheceu.

— Granger!

— Isso. Vem, Malfoy!

Ela saiu na frente, o loiro ficou a olhando ir e logo saiu de atrás com um olhar divertido

— A dona chama, o cachorro vai atrás. — Falou sozinho achando graça porém se perdeu logo que seu olhar desviou para a bunda de outra mulher. Foram quase 20 minutos para Hermione o achar e quando o achou ela o puxou para fora de lá.

— Aqui fora tá frio.

Ele reclamou enquanto ela o puxava para um beco.

— Safada, quer me abusar num beco.

Hermione o olhou achando graça e começou a rir. Ao chegarem no beco ela o segurou firme e aparataram diretamente em sua casa.

É, mudanças podem ocorrer com uma rapidez inexplicável. 


Notas Finais


Criticas, elogios e ideias
todos bem vindos
obrigado pelos comentários anteriores
até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...