1. Spirit Fanfics >
  2. Consequences >
  3. Revelações Surpreendentes - Final de Temporada

História Consequences - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, como estão? Espero que bem. Sim, esse é o único capítulo dessa temporada, mas teremos segunda, que aliás já está postada. Bora ler?

Capítulo 16 - Revelações Surpreendentes - Final de Temporada


Um mês depois...

Nessas quatro semanas que se passaram, tudo seguia na mesma para Balsano. Ele continuava de cama, frustrado por precisar de ajuda para praticamente tudo, triste e abatido, mas ao menos já parecia um pouco mais conformado com a idéia de que era aquilo que o destino havia lhe reservado e teria que aceitar. Claro que ainda lhe doía e muito não poder voltar a andar, mas entendia que nada poderia fazer para mudar isso então deveria ao menos tentar se adaptar à nova realidade, embora não lhe resultasse nada fácil. Nem a fisio que havia começado a cerca de duas semanas parecia estar dando algum resultado, então definitivamente Balsano havia perdido as esperanças. O fato de Luna parecer estar caminhando para uma relação firme com Benicio não ajudava Matteo a superar a sensação de melancolia. A morena saia com o médico italiano praticamente toda semana, o que havia virado o assunto preferido da Cobra, quem havia lançado vários vídeos sobre o suposto casal desde então, mas Luna nem sequer ligava para isso e Matteo via a felicidade estampada no rosto da mexicana sempre que voltava desses encontros.

Benicio a estava conquistando, isso era fato. Matteo ficava triste pois ainda a amava profundamente e pensava que suas chances de voltar a ter algo com a mesma estavam cada vez mais se esvaindo, apesar que uma parte do italiano pensava que era melhor assim, por não querer lhe prender a ter algo com ele sendo que agora estava deficiente e se antes não poderia dar tudo que ela merecia por estar preso a uma relação falida por pura covardia, agora ainda menos. Ainda assim, não podia evitar se sentir mal ao saber que ela estava indo para os braços de outro italiano, mas que poderiam ser os seus se ele tivesse agido diferente e deixado de ser covarde muito antes. Teve todas as oprtunidades de se livrar de Mara anteriormente, porém não o fez e agora não estava apenas sem o movimento das pernas como também sem a mulher amada.

Mara nesse um mês não havia voltado nem dado sinal de vida, era quase como se tivesse sumido do mapa, o que estava deixando Luna e seus pais extremamente aflitos, afinal a moça apesar de tudo seguia sendo da família, embora Matteo não estava se importando com a mulher, na verdade para ele era um alívio não ter que aturar mais sua presença e esperava mesmo que a mesma houvesse fugido, assim se livrava dela de uma vez.

Mas outra coisa que não saia da mente do italiano era Jonay. Matteo não sabia porque, mas não conseguia deixar de pensar no irmão de Alice desde aquela primeira e única conversa que haviam tido. Não mais se viram, mas o espanhol cadeirante seguia na mente de Balsano desde então. Se sentia culpado pelo sofrimento que causou a ele mesmo sem ser sua intenção é queria fazer algo para se redimir, contudo ainda não sabia o que e sabia que nada do que viesse a fazer iria aliviar a dor e revolta do jovem, ainda assim queria tentar. Todavia, não era só isso. Matteo também não esquecia as sensações estranhas as quais sentiu perto dele e com a ajuda de vários sonhos estranhos que teve ao longo desse mês, começava a entender. Eram sonhos em que ambos os morenos ficavam sempre muito próximos, uma tensão pairava no ambiente e era notável que havia uma atração mesmo que implícita ali. Em um desses sonhos, inclusive, quando os dois encostaram os lábios, Matteo acordou frustrado. Para ele não era anormal que estivesse sentindo atração por um homem, muitos não sabiam mas Matteo na época da faculdade e em meio a festas e bebidas fortes tivera experiências diferentes, embora sempre decidiu que preferia o tradicional, as mulheres.

O que lhe espantava era estar atraído por Jonay sendo que não havia rolado nada entre eles além de um intenso acerto de contas e lhe parecia muita loucura sentir algo assim tão repentinamente. Além de que ele era o irmão da garota a quem tirou a vida e parecia disposto a se vingar, além de que havia o amor o qual sentia por Luna, que não havia ido embora, pelo contrário, parecia crescer ainda mais com o passar do tempo. Crescia tanto que as vezes chegava a lhe sufocar. Mas se esse amor fosse assim tão forte como pensava, sentiria ele atração por outro? Argh! Estava demasiado confuso. Precisava de respostas as quais no momento não tinha nem sabia quando teria.

- Matteo, tem visita pra você, querido. - Mônica avisou, entrando no quarto sorridente juntamente com Simón que o olhou de forma séria. - Aproveitem que a fisioterapeuta disse que a sessão de hoje vai atrasar e conversem. - Disse a mulher, saindo e fechando a porta em seguida.

- E aí, cara? - Simón o cumprimentou com um toque de mãos e se sentou ao seu lado. - Como vai?

- Indo. - Matteo respondeu apenas. - Mas não foi pra saber como estou que me procurou, não é? Aconteceu algo?

- Aconteceu sim.

- Então diga logo. - Pediu, curioso e com certa aflição pelo que o amigo tinha para falar. Algo lhe dizia que era algo que mudaria sua vida.

Simón umedeceu os lábios por alguns segundos, tomando coragem para falar. - Então, sabe que Jonay conseguiu que reabrissem o caso da morte de Alice junto a delegacia né? - O italiano assentiu ciente disso, pois Álvarez já havia lhe dito. - Parece que encontraram uma pista a qual não tinham reparado antes. O DNA da garota que enterraram no lugar de Alice não batia com o dela, mas por algum motivo fizeram parecer que sim.

- Então, está dizendo que Alice pode não ter morrido? Não, é impossível ter sobrevivido a uma queda como aquela. - Ponderou Balsano incrédulo. - Além do mais, nós a vimos morta e tudo.

Simón negou.

- Isso era o que eu também pensava, mas ao que tudo indica a garota que vimos morta não era Alice, e sim alguém parecida com ela. Ou até podia ser ela sim, mas não estava morta como pensamos.

- Mas mesmo assim, Simón. Não tem como ela ter sobrevivido. A menos que ela tivesse algum poder sobrenatural, mas como não estamos em nenhuma história de ficção, isso é impossível. - Ironizou.

- Eu entendo seu ponto de vista, amigo e concordo. A questão é que não era ela naquele caixão, então onde ela está? - Indagou abismado o mexicano.

Ambos se olharam confusos e sem entender absolutamente nada.

...............

Jonay estava com Nina parado em frente a uma cabana abandonada aos arredores da cidade de Buenos Aires, confuso. A amiga havia lhe dito que tinha algo para lhe mostrar, ou melhor alguém e o cadeirante estava tentando entender o que tudo isso queria dizer, sem sucesso.

- Nina, não estou entendendo o que fazemos aqui. Parece cenário saído de um filme de terror. - Disse o cadeirante, sentindo arrepios percorrem por sua espinha.

- Calma, amigo. Logo vai entender. - Afirmou Simonetti, abrindo a porta da madeira da cabana e ouvindo o ranger dela. Mesmo assustado e desconfiado, Jonay acompanhou a amiga para dentro do local, que surpreendentemente era até aconchegante. A parte de dentro em nada se parecia com a de fora. Mas o espanhol não teve muito tempo para reparar no local em si pois o que viu o que deixou completamente espantado e boquiaberto.

Tapou a boca com as mãos, sentindo lágrimas inundarem seus olhos. Não era possível. Só podia ser uma miragem, uma brincadeira de muito mal gosto.

- Ma, maninha? - Gaguejou, sem acreditar que Alice estava ali, bem e viva.

- Sou eu sim, irmão. - Respondeu sorridente. - Só que agora, me chamo Chiara!

........

Luna estava conversando animadamente com suas amigas - faltavam Chiara e Nina, mas ninguém conseguiu descobrir onde elas estavam - sobre Benicio e Matteo.

- Benicio está me fazendo muito bem, é lindo, charmoso, carinhoso. Mas ainda amo Matteo. - Confessou.

Celeste, Bia e Ámbar sorriam cúmplices afinal isso já estava mais do que na cara.

De repente, Luna sentiu uma forte pontada na cabeça, a visão turva e sem aviso prévio tudo ficou escuro.

- LUNA! As três amigas exclamaram em desespero.

Em poucos minutos, todos descobririam que o câncer dela realmente sempre existiu. E estava vindo com força total.

FIM? NADA DISSO, AINDA TEMOS MUITA HISTÓRIA PRA CONTAR!


Notas Finais


O QUE ACHARAM DO FIM DESSA TEMPORADA? ESPERAVAM POR ISSO? ACHO QUE NÃO KK
LINK DA SEGUNDA TEMPORADA:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/consequences--second-season-20080884


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...