1. Spirit Fanfics >
  2. Consequences -Snowbarry >
  3. Eu estou aqui

História Consequences -Snowbarry - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


O dia dá ultrassom é hoje, É HOJEEEEE KKKKK

Façam suas apostas menina ou menino?

Preparem seus lencinhos, o negócio aqui vai ser sad

Capítulo 15 - Eu estou aqui


Caitlin Snow

Dizem que mudança são Sempre necessárias, e no fundo é verdade, muitas coisas mudaram desde que Barry viajou no tempo, e com as mudanças temos um pacote completo de responsabilidades, problemas e deveres, e um dos meus deveres era desempacotar caixas e mais caixas na minha nova casa. A residência Snow-Allen.

E eu estava empolgada, a casa era grande, com três quartos e um jardim grande que provavelmente seria ocupado por flores e um balanço para crianças, idéia de Barry. E também havia o quarto do bebê, Barry e eu conversamos e depois da ultrassom poderíamos pintar e redecorar o quarto. Também havíamos conversado sobre nada velocidade, faríamos tudo com calma e em uma velocidade normal, queríamos aproveitar ao máximo o momento, e era por esse exato motivo que ainda desempacotavamos caixas.

-Ok... Essa é a última! -Barry disse se jogando no sofá. -Como você tem coisas Cait.

-Tudo isso é útil. -Ele riu.

-Preparada para a ultrassom?

-Não... Mas estou curiosa. -Digo me sentando na bancada e abrindo um pacote de biscoitos. -E não consigo parar de comer, acho que vou explodir!

-Você só está nervosa.

-Mas Barry isso é compulsão por comida, onde eu vou parar desse jeito? - Perguntei com os olhos arregalados enquanto gesticulava com as mãos, Barry riu e caminhou até mim.

-Relaxa, isso é normal.

-Você fala como se fosse médico. -Provoquei.

-E eu sou, o Doutor Barry Snow-Allen. -Reviro os olhos ele sorri. -E você pode ser minha paciente.

-Não, não, eu sou a médica aqui e... -Desco da bancada e vou para o meio da sala. -Barry você não acha que essa casa é muito grande não?

-Ela não é grande é apenas espaçosa.

-E muito bonita. -Sorrio e o beijo.

-Eu adoraria ficar aqui... Mas não podemos nos atrasar.

-Ah meu Deus, a ultrassom! -Digo com os olhos arregalados, ótimo eu havia esquecido da minha própria ultrassom, eu seria uma ótima mãe.

-É a ultrassom. -Barry riu, peguei minha bolsa e ele seu casaco, e entramos no carro.


Havíamos acabado de chegar no consultório, e eu estava visivelmente nervosa quando a médica nos chamou, Barry segurava a minha mão quando me deitei na maca.

-Como você se sente Caitlin. - A médica perguntou, todos os médicos sempre faziam a mesma pergunta desde a quase perda do bebê.

-Estou me sentindo bem. -Sorri.

-Anda se alimentando bem?

-Sim, até demais. -Sussurei, ela riu.

-Tudo bem, pelos exames você está ótima e seu bebê está visivelmente saudável. -Ela disse enquanto passava algum tipo de gel em minha barriga, aquilo era gelado, e não era muito confortável.

Ela colocou o aparelho em minha barriga, e a imagem apareu. Senti que meu coração ficou apertado ao ver a imagem do meu bebê, e uma felicidade tomou conta de mim.

-Ah vejam só... Parabéns é uma menina! -A médica disse animada, meus olhos se arregalaram e um sorriso surgiu em meu rosto. 

-Uma menina? -Perguntei, a médica assentiu, olhei para Barry que tinha um sorriso no rosto.

-É uma menina. -Barry disse passando a mão pelos meus cabelos. -Vamos ter uma filha.

-É... Nós vamos. -Senti meus olhos lacrimejarem, eu não podia chorar agora, ultimamente eu andava chorando bastante às vezes por coisas bobas. Mas naquele momento eu me sentia completa e feliz.


Nós estávamos no carro, eu ainda olhava a foto da ultrassom pensativa, Barry cantarolava Counting stars , que tocava no rádio e confesso que a melodia de sua voz era agradável, Barry sempre cantou muito bem.

-I feel somethings so right doing The wrong thing...Qual é Cait, vamos lá é uma das suas músicas favoritas. - Barry me olhava e sorria, então continuou.-I feel somethings so right doing The wrong thing. 

-I couldn't lie, couldn't lie, couldn't lie, everything that kills me makes me fell alive. -Completei desajeitadamente, Barry sorriu.

-Lately, i've been, i've been losing sleep dreaming about the things that we could be but baby, i've been praying hard, Said no more Counting dollars we'll be counting stars. -Barry e eu cantamos juntos e sorriamos animadamente, minha atenção foi voltada para a janela.

-Ei, você está bem? Parece... Pensativa. -Barry disse.

-Eu estou bem.

-Cait... O que foi? -Barry insistiu.

-É que... Barry eu queria falar com a minha mãe. -Digo baixinho.

-Falar com a sua mãe? -Ele perguntou.

-É... Eu queria que ela soubesse. -Digo olhando para a foto da ultrassom. -Eu ainda não contei pra ela.

-Tem certeza?

-Sim, talvez... Fosse bom conversar com a minha mãe.

-Tudo bem. -Barry disse mudando o rumo.

-Barry? O que você está fazendo? -Pergunto olhando pela janela.

-Vamos vistar a sua mãe. -Ele sorriu para mim e segurou minha mão.


Eu estava parada em frente ao laboratório de minha mãe, Barry esperava no carro ele disse que eu precisava de um tempo com a minha mãe, e ele estava certo. Minha camiseta era larga o suficiente para que minha mãe não notasse nenhuma mudança, então sem primeiras impressões. Juntei todas as minhas forças e entrei, fui até a recepcionista.

-Oi... Eu gostaria de falar com Carla Tannhauser.

-Tem hora marcada?

-Não verdade eu...

-Caitlin? -Olhei em direção as escadas e lá estava minha mãe me encarando.

-Oi... Mãe.

-O quê faz aqui? -Ela perguntou cruzando os braços.

-Nós temos que conversar.

-Ok, na minha sala.

Em questão de segundos já estávamos na sala de minha mãe, ela se sentou em sua mesa, me sentei a sua frente.

-Então sobre o quê precisamos conversar?

-Mãe... Tem uma coisa... Que eu preciso te contar.

-Pode falar. -Ela estava concentrada demais em seu computador.

-Eu estou grávida. -Disparei, ela me olhou boquiaberta.

-O quê?

-Eu iria contar antes mas... -Dei de ombros. -Você não atendia minhas ligações.

-Quanto tempo?

-Estou com três meses... Eu fiz a ultrassom hoje e é uma menina. -Digo sorrindo, minha mãe passou a mão pelos cabelos.

-Caitlin... Como fica a sua situação com o Barry, vocês não estavam bem antes e...

-Tá tudo bem... Estamos bem agora, eu me mudei, estamos em uma casa, e eu estou tão feliz e...

-Caitlin. -Ela balançava a cabeça negativamente.

-O quê? -Perguntei confusa.

-Minha filha... O quê você ainda quer com o Barry? -Eu não entedia aonde ela queria chegar.

-Como assim?

-Caitlin... Você e Barry não dão mais certo, por que ainda insiste em algo que não vai dar certo?

-O quê? Não, as coisas então indo bem, estamos morando juntos e tudo voltou ao normal.

-Você realmente não entende não é?

-Entender o quê.?

-Que ele apenas está com pena. -De certa forma aquilo me atingiu.

-Pena? Do quê você está falando? Ele...

-Caitlin qual é? Você e Barry não estavam bem, ele descobre que você está grávida e volta correndo feito um cachorrinho, filha eu não quero que se machuque, mas isso não vai durar... Um bebê não vai prender o Barry a você. -Aquilo me deixou furiosa, senti meu olhos ficarem marejados.

-Não! Eu não acredito que você está insinuando isso, não... -Digo balançando a cabeça negativamente.

-Eu não estou tentando insinuar nada...

-Está sim... Pelo menos uma vez na vida poderia ficar feliz por mim?

-Caitlin...

-Não! -Digo me levantando. -Eu só vim aqui porque eu queria falar com a minha mãe... Eu estou sozinha nisso, eu nem sei o que fazer, é uma experiência totalmente diferente. Estou me sentindo perdida, eu só queria conversar com a minha mãe.

-Caitlin espera.

-Foi um erro ter vindo. -Meus olhos se inundaram de lágrimas. -Por que você nunca fica feliz por mim? -Ela ficou em silêncio, me afastei e saí de lá.

Entrei no carro, não olhei para Barry, sabia que se olhasse em seus olhos desabaria em lágrimas, e aquilo era o que eu menos precisava agora.

-Então como foi lá? -Barry perguntou, desviei o olhar.

-Podemos ir pra casa, por favor? -Pedi em um sussurro, Barry assentiu e não fez perguntas no caminho, ele me deixou sozinha com meus pensamentos. Ao chegarmos em casa corri para o Banheiro.

[...]

Eu nunca entendi por que coisas ruins acontecem com pessoas boas, mas aprendi a lidar com isso, a lidar com mudanças, problemas, perdas, segurei muitas lágrimas ao longo dos anos, mas as vezes não podemos fugir do que está dentro de nós, guardamos nossos problemas, nossas inseguranças, nossas lágrimas, tudo em uma caixinha dentro de nós mesmos. Mas um dia essa caixinha explode, só não imaginava que isso fosse acontecer comigo.

A água quente caía sob meu corpo, encharcando minhas roupas e meus cabelos. Eu estava sentada no chão, abraçando meus joelhos, e eu colocava tudo pra fora, todas as lágrimas guardadas. Eu já não sábia mais se o que caía sob meus joelhos era a água do chuveiro ou minhas lágrimas. Ouvi leves batidas na porta.

-Cait? -Barry chamou, abrindo a porta do banheiro. -Cait? -Ele chamou novamente mas não obteve respostas.

Barry se aproximou, eu podia ver sua silhueta pelo vidro do box do banheiro, ele abriu o vidro que nos separava.

-Cait... -Ele disse me analisando, Barry desligou o chuveiro, ele se molhou um pouco mas não parecia se incomodar, ele se abaixou em minha frente.

-Cait o que você está fazendo? -Ele perguntou segurando as minhas mãos. -Ei, o quê aconteceu? Você está bem? -Naquele momento não encontrei minha voz dentro de mim, apenas desabei em lágrimas enquanto balançava minha cabeça negativamente.

Barry pegou uma toalha que envolveu em meus ombros, e me ajudou a sair dali. Me sentei no chão e encostei minhas costas na parede do Banheiro. Barry acariciava meus cabelos molhados o fazendo olhar para ele.

-Cait... O que aconteceu com você? -Barry parecia preocupado, me olhava de cima a baixo para garantir que eu não estivesse machucada.

-Eu não quero ser um problema na sua vida Barry... -Digo com a respiração pesada.

-O quê? Do que você está falando?

-Eu entendo se quiser seguir com a sua vida, não precisa estar aqui... Eu não quero que fiquei aqui por pena... Eu não quero que tenha pena de mim Barry... Eu não quero. -Minhas palavras saíram emboladas.

-O quê? Não! Quem te disse isso? -Desviei o olhar. -É por isso que acha que eu estou aqui? Por pena? Caitlin eu jamais faria isso com você, eu te amo, você é minha vida, não sigo com ela sem você.

-Barry... -Ele limpou minhas lágrimas.

-Foi a sua mãe não é? Ela encheu sua cabeça. -Barry parecia furioso. -O quê aconteceu lá?

-Eu só queria que ela ficasse feliz por mim... Eu só... Eu só... Eu não sei se posso fazer isso Barry. -Desabei, ele me abraçou.

-Vai ficar tudo bem... Eu estou aqui, estou aqui com você.





Notas Finais


aaaaaa é uma menina!!!!!

Barry e Caitlin cantando eu amoooo

Esse foi o capítulo espero que tenham gostado e comentem o que acharam, adoro a opinião de vcs💓

Genteeeee é o seguinte, eu vou viajar amanhã então não teremos capítulos novos por no mínimo uma semana, massss eu prometo que volto com força de capítulos novos aqui kkkkkk
Por favor não desistam de mim!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...