1. Spirit Fanfics >
  2. Consequências >
  3. III. Lia

História Consequências - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - III. Lia


Fanfic / Fanfiction Consequências - Capítulo 3 - III. Lia

Daegu, Coreia do Sul

20 semanas de gravidez

 

-- Sugestão de nomes! Eu estou escrevendo.- Falei, sugerindo a ideia para Jungkook e IU. Estava precisando de ideias para o nome do meu filho, e nada melhor do que pedir ao pai da criança, sem que ele saiba.

-- Mas, que criança? Você está grávida? - Peguntou o Jungkook, confuso com a ideia que eu dei diferente.

-- Quê?! Claro que não! Minha prima vai ter um bebê, e me pediu sugestões, mas eu não sei. Pensei em vocês para me ajudar.- Inventei uma desculpa de última hora para ele, que compreendeu. IU sabia bem que eu estava apenas pedindo a sugestão para o meu bebê.

-- Eu acho que para menina... Jisso! Jisso é um nome fofo.- IU disse. Foi um bom nome, mas eu quero a ideia do Jungkook, até porque ele é o pai. Queria que pelo menos o nome ele escolhesse, mesmo sem saber.

-- Eu prefiro Mi-Cha. Aí dá para ficar chamando de Mi. Acho bem fofo.- Jungkook comentou. Anotado, caso seja menina, o nome é Mi-Cha. Pelo menos, alguma coisa minha filha ou filho vai ter algo do pai biológico.

-- E para menino? Ela ainda não sabe o gênero do bebê.- Questionei, vendo-os pensarem. Ele levantou a mão, se pronunciando:

-- Mesmo que eu preferisse menina, Soobin é um nome muito significativo. Acho que Soobin é o melhor nome para menino.- Ele sorriu. Como ele pode ser tão... Inteligente? Inteligente e prestativo. Ao menos, meu filho ou filha terá um nome de bom gosto.

-- Kwan também é bonito, não é? O que você acha? - Adicionou IU, encostando a cabeça no ombro do namorado, que sorriu mais ainda.

-- Prefiro a sugestão do Jungkook. É isso. Vou voltar para meu quarto, tenho que sair.- Me levantei do sofá, me direcionando ao banheiro do meu aposento. Tenho uma consulta daqui uma hora para descobrir o sexo da criança. Consegui cumprir minha missão de ter o nome do bebê, então, estou de muito, muito, bom humor. Porém, antes que eu saísse do cômodo, Jungkook perguntou:

-- ____? Por que você trancou a matrícula da faculdade? 

Meus músculos se tensionaram, culpa do nervosismo que eu estou sentindo. Tive vontade de falar em alto e bom som que estava grávida, mas, não acho que seja uma boa ideia. Posso até estragar o namoro dos dois caso ele saiba, o que eu não quero.

-- Eu... Estou trabalhando e não posso mais ficar comparecendo tanto as aulas. Preferi trancar a faculdade para não deixar minhas notas caírem.- Suspirei, aliviada por ter pensado rápido o suficiente para que ele não percebesse que estou mentindo.

~~••~~

-- Srta. Kim? - A enfermeira que estava andando pelo corredor me chamou, parando na minha frente.

-- Sim? - Me levantei, ficando cara a cara com a mulher, que fez um sinal para a porta.

-- O Dr. Jung está te chamando na sala dele. Já está na hora do ultrassom.- Informou, apontando para a porta número 15. 

-- Ah, sim. Obrigada.- Curvei levemente a cabeça, em sinal de respeito. Me dirigi a sala, batendo na porta calmamente. -- Dr. Jung? Posso entrar? 

-- Ah, claro! Está aqui para o ultrassom, não é? - Assenti, entrando no cômodo. Havia uma maca no canto da sala, em frente a um visor de computador. -- Deite-se ali, por favor.

E assim eu fiz. Como estava deitada, minha barriga ficou mais evidente. Eu tinha completado 4 meses de gestação e confesso estar ansiosa para o primeiro ultrassom do bebê. Eu vim sozinha, até porque não havia ninguém que pudesse vir comigo. Mesmo assim, eu ainda estava feliz para ver meu filho.

-- Bem, eu vou passar o gel pela sua barriga, está bem? - Perguntou, enquanto passava o gel gélido pela minha barriga. 

-- Está sim. O gel é tão gelado assim? - Reclamei. O líquido era frio demais, ainda mais para mim, que estava com o corpo quente. Em resposta, o Dr. Jung riu, continuando a passar o gel pela minha barriga.

-- Infelizmente, sim.- Riu fraco novamente. -- Logo, logo você se acostuma.- Passou um aparelho pela minha barriga. As imagens iam aparecendo no visor, mas, eu não entendia nada que estava ali. Eram apenas borrões amarelos e pretos, porém, se eu prestasse atenção, formava a imagem de um bebezinho.

-- Parabéns! É uma menina.- Falou o Dr. que sorriu largo. Minha surpresa foi grande, não esperava que fosse menina. E, de repente, eu estava me derramando em lágrimas. 

~~••~~

Saí do hospital, com as imagens do ultrassom em mãos. Caminhei pelas calçadas, observando as pessoas que andavam. Havia casais apaixonados, pessoas apressadas, crianças. Enfim, todo o tipo de gente.

Senti algo encostar na minha perna, forçando-me a para minha caminhada lenta. Quando olhei para baixo, avistei uma menininha de, aparentemente, 4 anos de idade. Ela tinha um semblante triste, parecia querer chorar. Ela olhava para a frente, ainda sem me olhar.

Ela afastou seus bracinhos da minha perna, estendendo para mim. Ela queria que eu a pegasse no colo. Exatamente o que eu fiz.

-- Olá, meu amor. Cadê sua mãe? Quer ajuda para encontrá-la? - Perguntei, vendo ela encostar a cabeça na curvatura do meu pescoço. Logo, ela passou suas perninhas ao redor da minha cintura, ficando encostada ao meu corpo e minha barriga com volume.

-- Não quero, moça. Eu estou fugindo dela, ela é louca. Mamãe quase me bateu, então tive que sair correndo. Me ajude, por favor.- Seus olhos marejaram, olhando para mim. Como alguém pode fazer algum tipo de coisa contra crianças? 

-- Eu vou ajudar, meu bem. Mas, preciso saber seu nome e o da sua mãe.- Falei, vendo ela assentir. A garotinha passou seus braços ao redor do meu pescoço, buscando apoio.

-- Meu nome é Lia, moça. Minha mãe se chama Ji-jun.- Explicou, voltando sua cabeça para o meu ombro. -- Minha mãe trabalha na... Casa de doces, caso queira encontrá-la. Por favor, moça, eu não quero voltar para ela. Todos os dias ela maltrata.

Senti algo molhando minha blusa larga, e entendi que Lia estava chorando. A pequena garota estava, realmente, parecendo falar a verdade. Afinal, qual seria o intuito de querer me enganar? 

-- Meu bem, se acalme. Vamos para minha casa, assim posso cuidar de você, está bem? - Assentiu. Comecei a caminhar com a garotinha rumo a minha casa.

~~••~~

Coloquei Lia no chão em pé, arrumando sua blusinha que tinha subido. Olhei bem seu rostinho e a criança era muito bonita. Seus cabelos eram ruivos e curtos, lisos no começo e encaracolados ao final, seus olhos verdes, as bochechas eram cheias e rosadas. Puxei sua mãozinha, andando para a porta do meu apartamento.

Busquei a chave pela minha bolsa, abrindo a porta. Avistei Jungkook e IU sentados na sala de estar, conversando sobre um assunto qualquer. Entrei no lugar, fechando a porta atrás de mim.

-- Moça? Quem é ela? - Lia olhou para IU, que ainda não tinha percebido a presença da menor. Ainda segurando sua mão, abaixei cautelosa com o bebê para ficar do seu tamanho.

-- Lia, esses são meus amigos. Aquele menino é o Jungkook e a menina se chama IU. E me chame de _____, está bem? - Afirmou com a cabeça. Ela corou um pouco, ao ver Jungkook a encarando, parecendo confuso.

-- Lia! O que faz aqui, pequenina? - Perguntou, caminhando até a garota. Abaixou, ficando de joelhos no chão.

-- Você a conhece? - Vi ele acenar positivamente com a cabeça, passando sua mão pelas bochechas grandes e rosadas da garota. Essa apenas sorriu largo. Em um ato rápido, Lia abraçou o pescoço de Jeon, que retribuiu.

-- Estou feliz em te ver, papai!


Notas Finais


🖤 Espero que tenham gostado

🌸 Perfil: @Pudinzinho442


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...