1. Spirit Fanfics >
  2. Consequências de um Passado - Jeon Jungkook >
  3. Strange

História Consequências de um Passado - Jeon Jungkook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


❤️Eu vou dar um avisinho rápido aqui para quem me acompanha há algum tempo. Caso você não tem visto, não tenha entrado na sinopse —e eu também não quis postar um capítulo só para avisar isso; WTTA entrou em hiatus temporário.

💜Eu avisei no grupo que não estava conseguindo escrever os capítulos da mesma forma e energia que eu escrevia antes, as coisas não saíam do jeito que eu deseja, e como eu odeio me forçar a escrever, desistir parar a história por enquanto. Eu não estou desistindo dela, está bem?! Eu pretendo sim voltar a escrevê-la, mas quando terminar um das três que estão em andando, as ideias estão todas salvas no meu celular, então tudo irá ficar certinho

🖤Me perdoem por qualquer coisa.

💕Boa leitura.

Capítulo 1 - Strange


Fanfic / Fanfiction Consequências de um Passado - Jeon Jungkook - Capítulo 1 - Strange

"Seu coração bate como um tambor; a perseguição acaba de começar"

Ruelle - Monsters


EU DESVIEI O olhar da professora à minha frente para o garoto sentado do outro lado da sala de aula, passando a observá-lo atentamente, me perguntando mentalmente como alguém podia ser tão estranho e intrigante ao mesmo tempo. Com um jeito peculiar, sempre andando com os mesmos amigos, afastando as pessoas que tentam algum tipo de amizade —e mesmo assim continua sendo estupidamente conhecido na escola; além disso, nunca parece estar prestando atenção na aula, sempre alheio ao que os professores falam, mas sempre sabe as resposta do que é perguntado à ele.

— S/n! —Joo chamou a minha atenção, acertando um tapa razoavelmente fraco na minha nuca; apenas para me fazer parar de encarar o garoto que estava à algumas cadeiras de distância de nós.— Toda aula agora? Vai chegar nas provas práticas e você não vai nem saber diferenciar uma colher de sobremesa de uma de sopa. —Repreendeu, me fazendo virar na sua direção, com uma expressão confusa no rosto.

— E tem alguma porra de diferença? —Perguntei, recebendo outro tapa, o que me fez resmungar baixinho, acariciando o local acertando; xingando a minha amiga bem baixo para ela não escutar. Bae Joo-hyun costumava ser um amor de pessoa na maior parte do tempo, mas por querer muito orgulhar seus pais ao sucedê-los na liderança do estado, se tornando a próxima duquesa de Seul; acabava sendo um pouco implicante comigo às vezes, por eu me meter em problemas e quase levá-la junto. O único problema, visto por grande parte da sociedade da nobreza, mas não por mim; é que ela queria governar sozinha, não pretendia se casar apenas para ter alguém com quem possa dividir o "trono".

— O que você tanto vê naquele garoto, S/n? —Jennie perguntou, olhando para onde eu olhava anteriormente, observando as costas do garoto, parecendo intrigada. Jennie Kim era filha do maior duque da Coréia do Sul, sendo este dono das terras chamadas de Incheon; também pretendia assumir o trono, mas isso só aconteceria se o seu pai morresse, ou desistisse do cargo, antes do irmão mais novo da garota completar o ensino na escola. 

Eu ficava ridicularizada com o quão preconceituosa a nobreza, ou a Elite, de modo geral; podia ser, homens são sempre desejados para o comando, ninguém queria uma mulher governando, o que quer que fosse, sem a companhia de um homem, porque eles sabiam que se a sucessora se casasse, era o marido quem mandaria em todas as decisões; e se sentiam mais seguros dessa forma, o que é obviamente um absurdo. Estamos no século XXI; as mulheres já ocupam cargos super importantes fora da Elite —e nela também, inclusive; mas o povo ainda não se sente seguro com uma mulher governando sozinha, por medo das decisões que ela possa ter.

Sinceramente, já passou da hora de o mundo perceber que mulheres não pensam apenas em roupas e sapatos, como todos acham.

— Eu não sei... —Murmurei, voltando a encarar o moreno, mantendo meus olhos fixos na parte que era possível de se enxergar de seu rosto.— Vocês não o acham terrivelmente intrigante, não?! —Perguntei, encostando o cotovelo na mesa e apoiando minha bochecha na minha mão; sentindo a coroa deslizar da minha cabeça até cair na mesa, o que chamou a atenção das pessoas por conta do barulho, incluindo do garoto que eu estava encarando sem vergonha alguma.— Inferno, por que eu tenho que ser obrigada a usar essa droga desse negócio? —Reclamei, pegando a coroa jogada na mesa. Jennie deu risada, me virando para ela; colocando o objeto prateado de forma adequada na minha cabeça, ajeitando os fios do meu cabelo que estava fora do coque.

— Porque você é uma princesa, S/n. —Afirmou, ajeitando com cuidado; enquanto eu revirei os olhos ao escutar alguns murmúrios sobre o fato de eu ser ridiculamente metida apenas por ser filha do rei e da rainha. 

A Coréia do Sul ficou super famosa depois de criar uma escola cujo objetivo é ensinar aos filhos dos integrantes mais importantes da nobreza a como se comportar em devidas situações, como lidar com os problemas, como sempre sorrir em público, mesmo querendo chorar mais do que tudo, como esconder as emoções e tudo relacionado à ser um nobre super educado e bem próximo do que era visto como perfeito. Fora um dos meus antepassados que criou essa escola, e eu quis matá-lo —se ele já não estivesse morto; quando coloquei os pés aqui pela primeira vez, com apenas dez anos de idade. Os funcionários me amavam pelo meu jeito desengonçado e pela alegria contagiante, mas meus professores me odiavam, porque parecia que nada do que era ensinado entrava na minha cabeça; eu me lembro que, quando entrei para a ala separada para os mais velho, no meu primeiro dia de aula eu soltei um palavrão super alto por ter derrubado minhas coisas no chão, e fiquei na detenção por uma semana por conta disso.

A escola era apenas para os sucessores do lado oriental, e ficava localizada na Coréia do Sul por ser a potência mais forte até então. Tínhamos diversos aliados, já que a maioria das pessoas tinham medo de entrarem em guerra conosco; e como meus pais queriam manter esses aliados e seus devidos acordos, eu era obrigada a me dar bem com todos os outros príncipes e princesas que estão nessa escola, e isso seria deliberadamente mais fácil se metade dela não me odiasse, já que todos me acham uma metida estúpida que se achava apenas por ser filha dos comandantes do país mais forte do mundo. Mas olha que ironia, na maior parte do tempo eu penso em uma forma de fugir desse país e ir para outro, de preferência em algum lugar que ninguém me reconheça.

— Além disso —Joo começou, completando a fala da minha amiga; enquanto ajeitava o meu blazer de uniforme, puxando as mangas para baixo.— Ajuda na postura e na elegância quando você está andando.

— Postura e elegância, aish... —Reclamei, soltando uma risada seca.— Esse lugar vai ver a minha postura e a minha elegância quando eu mandar todo mundo tomar...

— Algum problema aí, princesa S/n? —A professora perguntou, provavelmente odiando o fato de ter que me tratar como alguém que tinha um cargo mais importante do que o dela, mesmo eu sendo claramente mais nova.

— Nenhum, professora. —Respondi, quase irônica; ajeitando aquela maldita coroa com certa força, murmurando todos os palavrões coreanos que eu sabia falar. Corri o olhar pela sala, parando no garoto que eu encarava anteriormente, vendo que ele tinha um sorriso ladino nos lábios enquanto olhava na minha direção.

Jeon Jungkook, o único garoto daquela maldita escola que me parecia interessante. Era filho de Kim Mina e Jeon Baek Hyeon, claramente, herdou o sobrenome do pai; era príncipe da Coréia do Norte, adorado na escola inteira por ser tão bonito e tão reservado ao mesmo tempo. Nós não sabíamos quase nada sobre ele, o que me deixava cada vez mais curiosa sobre sua história; eu queria descobrir sobre aquele garoto mas, sinceramente, não queria correr o risco de ser morta em um beco.

[...]

— Você já sabe o que vai usar no baile de amanhã? —Joo perguntou, caminhando ao meu lado com uma bandeja em mãos. Eu suspirei, me sentando em um dos bancos da mesa que ficava no centro do refeitório; ajeitando a saia do meu uniforme e arrancando aquela coroa da minha cabeça, furiosa por aquilo não ficar quieto.

— Eu não sei; mas pode ter certeza que minha mãe fez um vestido bem brilhoso e pomposo para eu usar. —Resmunguei, separando os hashi's e pegando um rolinho de Kimbap, sorrindo satisfeita ao sentir o gosto do alimento, sentindo meu estômago revirar devido o nível da minha fome.

— Eu não entendo porque você reclama tanto disso —Jennie começou, colocando os hashi's sobre a bandeja enfeitada, virando o corpo na minha direção, atraindo também a atenção de Joo, que estava sentada do meu outro lado—; você não gosta de vestidos? —Perguntou, erguendo uma das sobrancelhas.

— Sim, claro que sim! —Afirmei, suspirando com força.— O problema, é que minha mãe quase nunca me deixa usar os vestidos que eu quero! O meu guarda-roupa é cheio de vestidos bonitos, e ela fica desperdiçando dinheiro para fazer mais; que eu vou usar apenas uma vez na minha vida! —Argumentei, arrancando risada das garotas; que balançaram a cabeça para o lado, negando algumas vezes, antes de darem de ombros, resolvendo ignorar.

— Enfim, vocês vão acompanhadas? —A Kim perguntou, se esticando para pegar minha coroa, colocando na minha cabeça novamente, escutando meus resmungos sobre o quão ruim era usar aquilo, e o quanto incomodava.

— Eu vou; eu e a minha vontade de voltar para a cama. —Joo me acertou um tapinha fraco no braço, repreendendo minha resposta irritada. Bufei, enfiando um pedaço de Kimbap na boca, decidindo ficar de boca calada por enquanto.

— Eu estou desacompanhada por enquanto. —Bae respondeu, cobrindo a boca por estar mastigando um pouco de comida.— Mas se alguém interessante me chamar, pode ter certeza que eu aceito.

— Para alguém que quer governar sozinha, você me parece bem interessada em alguém. —Murmurei, quase recebendo outro tapa em repreensão; mas Jennie interviu, dizendo que ela me conhecia e sabia que aquilo não iria adiantar de nada.

— Seok-jin me chamou, eu vou com ele. —Arregalei os olhos, me virando em sua direção, um pouco assustada. 

— Um dos amigos de Jungkook? —Perguntei, um pouco alto demais, já que algumas pessoas do refeitório rapidamente se viraram na nossa direção, curiosas. Jen cobriu minha boca, me repreendendo por ser tão escandalosa, mas assentiu com a cabeça, confirmando algumas vezes.

Eu estava prestes a dizer que também estava desacompanhada até então, e que provavelmente iria sozinha, já que não me importava nem um pouco com aquilo; quando um garoto começou a vir na direção da mesa que eu estava sentada, o que chamou a minha atenção no mesmo segundo. Eu o conhecia; Zhang Yixing, príncipe da China, uma das maiores aliadas do meu país, mamãe e papai iriam adorar se eu me casasse com ele, para fortalecer os laços de ambos os países. Confesso que ele era bonito, muito bonito, mas o que tinha de beleza tinha de metido, se achava o dono do mundo porque seu país estava se fortificando, fazendo alianças com o lado ocidental —que, por sinal, eram coisas que a Coréia e outros países já tinham.

— Kim S/n? —Eu ergui uma sobrancelha; esperando ele dizer o que queria, sem me importar nem um pouco com a possibilidade de passar uma imagem de uma pessoas esnobe. Eu não gostava de Zhang, e não fazia questão de esconder aquilo; apesar de, particularmente, acreditar que aquele garoto tinha ciência disso, mas fingia não saber.— Você gostaria de ir no baile de amanhã comigo? —Franzi o cenho, arregalando os olhos ao processar seu pedido; contendo uma risada debochada logo em seguida. Yixing era um puta de um interesseiro, não se importava nem um pouco com a minha companhia, queria os benefícios que ela lhe traria.

— Olha, Zhang; não querendo te ofender não, mas provavelmente já ofendendo esse seu ego evoluído, eu não quero não. —Pisquei, me virando de frente para a mesa novamente, voltando a comer, sentindo os olhares de todo o refeitório sobre mim; provavelmente muitos me julgando pela resposta dada.

Quando eu e as garotas terminamos de comer, caminhamos até onde as bandejas sujas ficavam, e colocamos as nossas lá, acompanhadas dos talheres. Peguei um bolinho que havia como sobremesa, e puxei uma colher; comendo enquanto nós três caminhávamos para fora do refeitório, querendo apenas sair daquele lugar para podermos ficar um pouco sozinhas. Foi quando eu reconheci o rosto de Jungkook, caminhando lentamente em minha direção; me fazendo ficar paralisada, estranhando sua ação.

— Kim S/n... —Começou, se curvando em cumprimento, o que me fez fazer o mesmo; desengonçada pela surpresa.— Eu sinto que devia ter pedido antes, porque quase perdi minha chance há alguns minutos atrás... —Deu uma risada fraca, o que me fez ter a mesma atitude.— Mas; você quer ser o meu par no baile de boas vindas de amanhã? 


Notas Finais


❤️Bem-vindas (os), haha! Essa história vai ter uma reviravolta incrível, apesar de a capa dar um breve spoiler do que será. (Ps.: Eu ainda vou trabalhar nesse banner, tenham paciência sksksk).

💜Eu uni os dois temas que eu mais amo em apenas uma história; que são história que envolvem princesas e príncipes (queria que fosse de época, mas são muitos detalizinhos que eu não queria aprender, desculpa) e tudo que envolve o mundo sobrenatural. Céus, não tem coisa mais incrível!

🖤O uniforme da escola;
https://pin.it/66kU6H0

Xoxo, Juh💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...