História Consequências de uma noite ( Jeongcheol ) - Capítulo 85


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meu povo.

Espero que gostem.

Boa leitura...

Capítulo 85 - Capítulo 85


Fanfic / Fanfiction Consequências de uma noite ( Jeongcheol ) - Capítulo 85 - Capítulo 85

               Pov. Autora

A casa estava com o clima ainda mais péssimo. 

Ninguém se falava.

Deixando os pais irritados.

Já que os mesmos já estão cansados de tudo isso.

Não sabiam que seus filhos eram tão difíceis assim. 

Ninguém saia do quarto, só para comer e pronto.

Mas depois voltavam de novo.

Os mais velhos estavam deitados no sofá, e alguns liam e outros assistiam TV. 

Seulgi e Irene estavam com eles, e estavam deitadas juntas.

- Eu não gosto desse silêncio. - Irene disse.

- Ninguém gosta, filha. - Jeonghan disse.

Todos suspiraram. 

- Eu acho perda de tempo eles ficarem nesse enrola, pois poderiam está aos beijos ou transando por aí.  - Suelgi disse.

Todos olharam a menina.

- Que tal trancarmos eles em casa e deixar eles se resolverem aí? - Soonyoung sugeriu. 

E recebeu um tapa do marido.

- Meu Deus, cala boca. - Jihoon pediu.

Riram.

- Eles vão se matar e ainda destruir a casa. - Mingyu disse rindo.

- A casa não merece isso. - Irene respondeu. 

Todos Riram. 

- Mas esse clima está péssimo. - Seungkwan comentou. 

- verdade. - Jeonghan concordou.

Suspiraram. 

- mas não podemos fazer nada, a não ser olhar. - Joshua. 

- Se nós nos meter será pior. - Junhui disse.

- Realmente. 

Eles não podiam fazer nada, pois vida amorosa de uma pessoa só da respeito à ele ou a eles.

Ninguém deve se meter.

Mas aquilo estava chato.

Eles se amavam, poxa. 


                      {.....}


Seungkwan entrou no quarto de Jeongin e viu o filho deitado na cama todo encolhido.

Doeu seu coração ver aquilo. 

Ele suspirou e entrou.

Caminhou devagar até a cama do mesmo e sentou-se e viu os olhinhos bonitos chorosos.

Jeongin olhou o pai e sorriu com lágrimas nos olhos e foi pedir colo do mesmo.

Sentia seu coração tão fraco e dolorido. 

Seungkwan o abraçou forte e deixou um beijo nos cabelos pretinhos e cheirosos.

- Por que ele não fica só comigo, papai? 

Seungkwan suspirou. 

- me sinto insuficiente. 

Seungkwan o olhou e levantou o rosto do mesmo para si.

- Nunca Mais fale isso, ok. - Seungkwan pediu - Você não é insuficiente, e jamais seria. Meu filho, você nem ao menos o ouviu.

Jeongin suspirou. 

- Pra quê vou ouví-lo? - Jeongin perguntou - Já estou cansado de mentiras.

- Como sabe que é mentira? 

- Pois ele me prometeu que não iria ficar com ninguém, e estava quase aos beijos com um menino ontem - Jeongin  respondeu. 

Seungkwan riu.

- Me fale uma coisa, você viu ele mesmo tomando iniciativa? - Perguntou 

Jeongin negou. 

- Viu ele o tocando ou beijando? - Perguntou de novo.

E de novo jeongin negou. 

- Mas ele ainda estava lá deixando o mesmo o tocar. 

- Meu filho, Hyunjin te ama muito para fazer uma coisa dessas, ainda mais estando quase se acertando com você.  - Seungkwan disse tirando os fios pretos do belo rosto. 

Jeongin suspirou. 

- Não sei o que fazer, pai.

- De uma chance para ele. 

Jeongin riu.

- Outra?

- Faça assim, peça para ele ser sincero com você e o pressione. - Seungkwan disse - Se ele quiser ficar só com você, ele nem vai pensar. Mas se não quiser e demorar séculos para responder, cai fora e siga sua vida. 

Jeongin suspirou.

- Pai, a minha vida é ele.

Seungkwan sorriu e o abraçou..

Seu menino está tão apaixonado que se vê ali.

Mas sem a safadeza.

Deixou um beijo nos belos cabelos e suspirou.

 

                     {......}


- Cadê o Jisung? - Chenle perguntou irritado.

Estavam todos deitados pelos sofás da sala.

E olharam o Rapaz.

- está lá fora. - Mark respondeu

- O que houve? - Minghao perguntou vendo a feição do filho.

Chenle bufou.

- O que houve e que eu vou matar o Jisung.

E saiu porta a fora irritado.

Todos se olharam.

- Eu quero ver. - Soonyoung disse e saiu indo para a enorme janela.

E assim todos foram.

Um bando de curiosos.

Chenle andou rapidamente e deu um chute na perna de um Jisung sentado no banco mexendo no celular. 

Jisung o olhou assustado.

- Ficou maluco? - Perguntou levantando-se.

Chenle bufou.

- Você que ficou, como você ousa dizer para meu amigo que eu Estou namorando com você?

Jisung riu.

E cruzou os braços.

Os que assistiam a cena, riram.

- Ah, foi mal.

Chenle bufou. 

- Ele disse que não quer mais falar comigo, seu infeliz.

Jisung riu.

- Ainda bem, não é? - Jisung disse - até porque ele nunca quis ser só seu amigo.

Chenle o olhou. 

- Como é?

- Chenle, aquele garoto gosta de você a muito tempo.

Chenle piscou os olhos.

- Claro que não. 

Jisung revirou os olhos. 

- Então porque ele não quer mais falar com você? Só porque eu disse que você e eu namoramos? - Jisung questionou. - Ele deveria te apoiar, não parar de falar com você. 

Chenle o olhava atordoado.

Ele sabia que era verdade.

Droga.

Nunca percebeu.

- Mas...Fala para ele que era mentira.

Jisung o olhou sério.

- Não vou falar.

- E porque não? - Chenle questionou.

- Porque eu não quero você perto dele.

Chenle bufou.

- Ele é meu amigo. 

- Amigo esse que estava afim de você e te largou só por estar namorando. 

- Mas eu não estou.

Jisung revirou os olhos. 

- Ainda não. 

Chenle o olhou confuso.

- Ou você fala ou eu...

Jisung virou com tudo.

- Você o quê? 

Os rosto próximos de mais.

Chenle arregalou os olhos e engoliu em seco.

Jisung o olhava Intensamente.

Os mais velhos olhavam a cena com expectativa. 

- Por que você foi dizer isso para ele?

Jisung respirou fundo. 

- Eu preciso de um motivo?

- Claro que precisa.

Jisung bufou.

- Eu estava com ciúmes, satisfeito? - Jisung disse. - Agora me deixa, eu falo com seu amiguinho depois.

Chenle calou-se e apenas olhava para aqueles olhos escuros e mordeu os lábios. 

Droga.

Ele querendo ou não, ele gostou do que o mesmo fez.

Mas prefere discutir. 

Chenle aproximou-se mais e viu o mais alto ainda o olhando.

Ele pós sua mão no peito do mesmo e sentiu as batidas do coração dele aceleradas.

E olhou para cima de novo.

Ele sorriu.

 E Puxou a camisa do mesmo e o beijou.

Jisung correspondeu de imediato.

Os que assistiam quase gritaram.

Chenle subiu suas mãos e enfiou nos cabelos macios do mais alto e ficou nas pontas dos pés.

Ele sentiu as mãos fortes o puxando para mais perto e uma das mãos foram para seu rosto.

Chenle mordeu os lábios de Jisung e Logo enfiou a língua na boca do mesmo de novo. 

O coração do dois estavam acelerados. 

Os dois nunca haviam de fato se beijado.

Mas ambos sempre quiseram, porém um era mais complicado que o outro.

Chenle sentiu seus lábios serem sugados e logo mordidos e suspirou apertando os cabelos do mais alto.

E logo o beijo encerrou-se. 

Ambos se olharam e ficaram sem saber o que fazer.

- Chenle você...

Chenle pós o dedo na boca do mesmo o fazendo calar-se. 

- Não diga nada.

Chenle pediu encostando as testas.

Jisung suspirou.

- Não diz....pois vamos brigar. - Sussurrou esfregando os narizes.

Jisung pegou sua mão e tirou uma mexa de cabelo do rosto tão fofo e viu os olhos abrir-se. 

Ele fez um carinho com seu dedo na bochecha do mesmo e deixou um beijo ali.

- Eu não quero mais brigar. - Jisung Sussurrou.

Chenle o olhou.

- E o que você quer? 

- Eu quero ficar com você....

Chenle sorriu e apertou o braço do mesmo e respirou fundo.

A cena estava tão linda.

- E se você fizer igual aos meninos? 

Jisung suspirou. 

- Entenda uma coisa, você é a única pessoa que eu quero. - Jisung disse olhando aquele rosto. - E sempre foi assim.

Chenle tirou os cabelos escuros dos olhos do mesmo e sorriu.

Tão lindo.

- Isso é uma promessa? 

- Eu não faço promessas, eu faço acontecer.

Chenle sorriu e com os olhos cheios de lágrimas o mesmo o abraçou.

Jisung deixou um beijo no ombro do mesmo e suspirou. 

- Eu te amo, Jisung. 

Jisung sorriu e o apertou nos seus braços. 

- Eu também te amo, coisinha insuportável.

Chenle sorriu.

E deixou vários beijos pelo rosto do mesmo.

Eles estavam tão perdidos um no outro que nem perceberam que tinha gente os olhando. 

Esses que sorriram com a cena.

Pelo menos um.

Junhui sorriu e abraçou Minghao, assim como Jihoon que quase chorou vendo o filho tão fofo.


                   {.......}


- Eu amo esse casal. - Jaemin disse abraçando Irene.

Eles falavam de Chenle e Jisung que estavam dormindo no sofá.

- Já não fazem mais homens igual a Jisung. - Jimin disse abraçando Jeongin.

Os meninos o olharam. 

Jungkook apenas revirou os olhos. 

- Jisung é homem para dar e vender. - Seulgi disse.

- Será que tem pra vender? - Haechan perguntou.

- Eu quero comprar, hein. - Jeongin disse.

Os mais velhos riram.

Principalmente da cara dos outros.

- Chenle vai nos matar se ouvir a gente falando assim do Jisung. - Irene disse rindo.

Esse que não Demorou a acordar e olhar todos com aquela bela carinha de sono. Jisung apenas abriu os olhos e fechou de novo.

- Chenle, me empresta teu namorado? - Jaemin pediu.

Esse que o olhou.

Jisung riu de olhos fechados.

- Vou emprestar é um murro na tua cara. - Chenle respondeu.

Todos riram. 

Jisung abraçou Chenle e o fez deitar de novo.

- Vão dormir, crianças. - Jeonghan  disse - Pois amanhã e dia de festa.

Todos fizeram bico.

Amanhã iriam fazer uma festa na casa, para receber algumas pessoas importantes.

E amigos próximos. 

- Aqueles riquinhos não vem, não é? - Mark perguntou. - Pois se vim, já aviso logo que dessa vez ele morre.

E saiu resmungando.

Haechan revirou os olhos. 

E logo todos foram dormir.

Assim como os mais velhos.

O noite estava fria e chuvosa.

A casa estava em um silêncio total, as luzes todas desligadas.

Hyungwon que estava com sede, acabou se levantando e desceu para beber água. 

Ele não ligou nenhuma luz, apenas caminhou até a cozinha e abriu a geladeira.

Pegou e  bebeu.

Deixou o copo na pia.

Ele ia se virar, mas sentiu braços ao redor da sua cintura e gelou. 

Sabia muito bem de quem eram.

- Hoseok...

Ele não terminou a frase, pois sentiu os lábios do mesmo no seu pescoço e suspirou. 

Hoseok o virou para si e encostou o mesmo na pia.

- O que está fazendo?

Hoseok não o respondeu. 

Apenas pegou sua mão é desceu pelo braço alheio e segurou a mão do mesmo.

Hyungwon o olhava.

E droga.

Como estava gostando. 

Hoseok tirou os cabelos longos do rosto do mesmo e deixou um beijo na testa dele, e um beijo nas duas bochechas e um no nariz.

Hyungwon fechou os olhos. 

Que saudades.

Ele sentiu um beijo no canto de sua boca e abriu os lábios já esperando pelos dos mesmo.

Hoseok sorriu e logo o beijou.

Os dois estavam morrendo de saudades um do outro. 

Hyungwon subiu suas mãos pelos braços fortes e abraçou o pescoço do mesmo.

Hoseok aproximou-se ainda mais e os corpos colaram um no outro.

Hoseok mordeu aqueles lábios carnudos e sugou os mesmo e logo enfiou a língua na boca do mesmo. Esse que suspirou.

Hyungwon apertou os cabelos alheios e sentiu as mãos fortes apertar sua cintura.

Acabou soltando um suspiro.

Jeonghan que acordou para beber água, acabou vendo a cena na cozinha e quase soltou um grito.

De susto.

Ele sorriu.

Hoseok sentiu as mãos macias adentrando sua camisa e suspirou mordendo os lábios do mesmo. 

Hyungwon morria de saudades daquele homem.

Jeonghan vendo que aquilo iria avançar, resolveu sair. 

Porém esqueceu que é um desastrado, pois ele acabou ligando a luz da cozinha.

E os dois se afastaram rapidamente e olharam para trás. 

Jeonghan os olhava risonho.

Hoseok ficou vermelho e olhou Hyungwon - esse que estava Ainda mais vermelho - e saiu correndo escada acima.

Hyungwon suspirou enfiando as mãos nos cabelos.

- Eu não queria atrapalhar. - jeonghan disse olhando o filho. 

Esse que o olhou  com os olhos cheios de lágrimas. 

Jeonghan suspirou e aproximou-se abraçando o filho maior que si.

Oh Deus. 

- eu não aguento mais, pai.

Jeonghan suspirou.

- Não chore. - Jeonghan pediu. - Ele gosta de você, porém você é complicado e não dá uma chance pro coitado. 

Hyungwon tirou o rosto do pescoço do pai.

- E se ele me machucar de novo? 

Jeonghan riu.

- Tenho certeza que ele não fará isso. - Jeonghan respondeu - Hoseok te ama, meu filho. 

Hyungwon sorriu e abraçou o pai de volta.

Jeonghan sorriu.

Tão bobinhos. 


Notas Finais


MEU DEUS, NINGUÉM SAI. MEUS CASAIS SE BEIJARAM.

Socorro.

Eu amo Chensung, ok. E amo ainda mais 2Won rsrs.

Mas um capítulo grande para vocês.

Aliás, vocês querem que eu faça lemon de todos os mais novos?

Até.

Bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...