1. Spirit Fanfics >
  2. Consequências do Amor 2 (SasuNaru) >
  3. Halloween

História Consequências do Amor 2 (SasuNaru) - Capítulo 6


Escrita por: roxyw e leviw

Notas do Autor


Oi, oi. Como vocês estão? Espero que bem ;))

Cheguei tarde dessa vez, mas cheguei. Hoje vamos aprender a não questionar as escolhas do outro quando as suas são piores AKAKAKAKAKKAKAKAKA

Estou atualizando pelo celular, então desculpa qualquer erro.

Boa leitura!

Capítulo 6 - Halloween


– Eu não entendo por que não posso ir fantasiado assim! – Raiden ralhou, irritado com os pais.

O halloween seria em dois dias e eles estavam decidindo as fantasias quando o filho contou do que queria se vestir.

– Ninguém aqui está falando que você não pode se fantasiar assim, Raiden – Sasuke disse em tom de repreensão. – Estamos apenas questionando se é isso mesmo que quer.

Naruto sentado no tapete da sala com os gêmeos nem prestava atenção mais no pequeno desentendimento dos dois. Raiden tinha oito anos e sua personalidade calma estava se perdendo aos poucos, se tornando um mini rabugento, lembrando vagamente Sasuke na infância.

Procuravam sempre conversar com o filho e ensinar que nem tudo é tão extremo quanto ele achava. Todavia, apesar de Sasuke ter melhorado quase 100% sua personalidade difícil, ainda era um Uchiha. Os dois discutiam mais que o aceitável — por coisas mínimas —, eram arrogantes e orgulhosos.

As brigas sempre terminavam em pedidos de desculpas resmungados e os dois dormindo embolados. No fim, eram dois molengas tentando pagar de badboy. Nada de novo na sua família.

Focou em Sayuri que desenhava distraída, os cabelos pretinhos em duas marias-chiquinhas e divagou no quanto ela era grande para a idade, com certeza seria alta. A garotinha amava pintar, sempre estava correndo por aí com seus gizes de cera ou com as roupas manchadas de tinta. Era uma sapequinha.

A casa tinha inúmeros rabiscos da pestinha, as paredes eram marcadas com mãozinhas pequenas e gordinhas, apesar de repreenderam e a deixarem de castigo, ela não se importava nenhum pouco, voltando a fazer arte pela casa quando conseguia sair da visão dos pais. Às vezes, Naruto tinha que forçar muito para repreendê-la, já que a achava uma fofa toda pintada.

Nostálgico, voltou a atenção para Sasuke e Raiden — que ainda falavam sobre a bendita fantasia , quase se derreteu de amor com a visão de Ryujin sentado no colo de Sasuke observando quietinho o rosto do pai e às vezes olhando o irmão no outro sofá.

Ryujin era simplesmente fascinado em Sasuke. Ele sempre queria estar perto, pedindo colo ou apenas olhando-o, como agora. O pequeno garotinho era a cópia cuspida e escarrada do companheiro e Naruto não conseguia ver nenhuma diferença entre os dois, literalmente.

Ultimamente, eles ficaram preocupados com o quão tímido e quieto Ryujin era, principalmente com outras pessoas se não eles, Kakashi, Iruka, Yura e Kyami, a babá. Seus amigos sempre tentavam deixar o pequeno confortável na presença deles, mas era missão impossível. Toda vez que alguém de fora tentava falar com ele, o garotinho escondia o rosto, com as bochechas e orelhas vermelhas.

Tinham o levado recentemente ao pediatra e foram aconselhados a respeitar suas limitações. Ele era muito novinho ainda, com tempo iria se adaptar e aprender a lidar com a vergonha, mas isso não amenizava a preocupação de Sasuke e Naruto.

– Escuta – resolveu acabar com aquele assunto antes que tivesse que lidar com dois Uchiha mau humorados. – Raiden, fica com a sua fantasia de cabide. Ryujin já tinha escolhido dinossauro e Sasuke vai de livro, agora sem mais discussões. Por que vocês três não vão preparar o lanche da tarde? – findou, se deitando ao lado da filha que ainda estava focada na pintura.

– E você e a Sayuri, papai? – Raiden indagou.

– Nós vamos ficar aqui, deitadinhos, enquanto os homens trabalham – respondeu com superioridade, olhando as unhas, pensando que elas precisavam ser lixadas.

– Você também é homem, amor. – Sasuke disse revirando os olhos.

– Oras, mas eu sou mais novo. Você tem que me alimentar e cuidar de mim. – Fez drama. – Além do mais, Sayuri não gosta de cozinhar, alguém tem que ficar com ela, né, filha? – A garotinha apenas assentiu sem dar importância.

– Meu Deus, estou criando monstros – o moreno resmungou indo para a cozinha com os filhos.

Naruto riu, satisfeito. Era ótimo ser “casado”. A desculpa que usou era válida, alguém tinha mesmo que ficar com Sayuri na sala, mas a verdade era que estava exausto. Tinha voltado para o trabalho há quatro meses, quando os gêmeos tinham um ano e sete meses, e desde então vinha se sentindo sobrecarregado. Queria ficar em casa com os filhos ao mesmo tempo que queria ir trabalhar. Era tão difícil.

Tinha suas obrigações com a vila, como pai, como companheiro e para completar, sexta-feira seria o bendito Halloween e teria uma festinha na escola de Raiden para os pais e alunos. Todos deveriam ir fantasiados e deixar os filhos escolherem suas fantasias talvez não tenha sido uma boa ideia, afinal, teve que ouvir resmungos sobre isso por vários dias.

E de todas as fantasias no mundo, um escolhia cabide e outro livro. Dá pra acreditar? E Sasuke ainda tinha coragem de questionar a escolha de Raiden, e ele nem falava de Sayuri que escolheu se vestir de kunai, para completar a vergonha familiar. Apenas Ryujin tinha uma fantasia normal, de dinossauro. Já ele estava em dúvida sobre ser um vampiro ou um anão.

Será que Ryujin sentiria vergonha deles quando crescesse?

+

Sasuke colocou Ryujin sentado na pia e o ajudou a lavar as mãozinhas. Raiden fazia o mesmo, brincando com as mãos do irmão. Secaram as mãos e ficaram parados.

– O que vamo fazer, pai? – Ryujin perguntou baixinho.

– Hmm... Que tal sanduíches e suco de laranja? – Questionou, tendo a aprovação dos dois.

Deixou o filho menor em pé na cadeira da mesa e disse para Raiden olhá-lo enquanto pegava os ingredientes. Colocou o pão, peito de peru, queijo, tomate e alface na mesa.

– Vocês dois montam os lanches enquanto eu faço o suco, ok?

– Ok!

Raiden pegou um prato e começou a montar os sanduíches com o irmãozinho.

– Pai, é pra fazer quantos? – indagou, confuso.

Sasuke que descascava laranjas ponderou, eles comiam muito, isso é fato. Sayuri comeria três sanduíches em um piscar de olhos. Ele, Raiden e Naruto sem comentários, apenas seu pequeno Ryujin comia civilizadamente naquela casa.

– Faz o pacote de pão todo, filho. – Era melhor sobrar do que faltar.

Concentrado no suco, ouvia Raiden ensinando com paciência o irmão. Ele era sempre muito calmo e prestativo com os gêmeos, o que agradecia. Não queria que os filhos fossem desunidos por conta da diferença de idade, mas Raiden era completamente apaixonado pelos irmãos, ele nem gostava de algumas brincadeiras mais, porém, sempre era o primeiro da fila para brincar de qualquer coisa que os menores quisessem.

– Eu não quero tomati, nii-chan – Ryujin disse.

– Pai, você ouviu isso? Nosso trigêmeo está negando nossa essência – dramatizou.

– Oh, não, meu dragãozinho negando tomate. O que será dessa família? – disse com humor, entrando na dramatização.

Ryuu não entendeu metade das palavras que foram ditas, contudo soltou uma risada gostosa, deixando ambos os Uchihas maiores derretidos com a fofura.

Fizeram o lanche da tarde com muita bagunça, depois arrumaram tudo e assistiram um filme da escolha de Sayuri, ou seja, Tinker Bell pela enésima vez.


Notas Finais


E então, o que acharam? Gente, eu super imagino eles discutindo sobre fantasias com elas sendo uma pior do que a outra, sério KAKAKKAKAKKKK

Ahhh, achei vocês bem quietinhos no último capítulo, estão cansados? Espero que não hahaha, não deixem de curtir e comentar, amo vocês ❤️

Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...