História Conta Comigo - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amizade, Amor Doce, Drama, Relacionamento, Romance
Visualizações 27
Palavras 1.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 36 - Entre corredores


Fanfic / Fanfiction Conta Comigo - Capítulo 36 - Entre corredores

Ellie estava em um sono profundo, não sonhava, raramente tinha sonhos. Suas noites eram baseadas apenas em deitar, fechar os olhos e como Letty dizia, entrar em coma. Por isso, foi um pouco difícil para Phillipe acordar sua filha naquela manhã. Ele tocou em seu ombro e a balançou  de leve. Ellie vagarosamente abriu seus olhos resmungando algo incompreensível.

- Bom dia Aurora! – Phill cumprimentou sua filha com um sorriso. 

- Bom dia pai! – Ela também  sorriu. Olhou para o relógio  em  cima da sua cômoda e tornou a olhar para  o  seu pai. – Pai são  sete horas ainda! Não  está  tão tarde  assim. 

- Mas se eu não  te acordar agora logo será  tarde! – Phill ainda ria em ver sua filha reclamar. Ellie se espreguiçou  e sentou-se. 

- Senti falta da Aurora! – Ellie pegou uma de suas mechas usando-a como  um cordão e amarrou todo o seu cabelo. 

- Vim te dar um beijo antes de sair. Passarei a manhã toda fora. No  almoço  nos  encontramos. E... – Ellie assentiu com um movimento  leve de sua cabeça.  Phill abriu seus lábios  para dizer algo e fechou de novo. Não  encontrava as palavras certas. 

- E...? – Sua filha o incentivou a continuar. Ele respirou fundo. 

- Você se importa de passar a manhã  sozinha com a Crystal? – Phill perguntou  tão  rápido  e baixo  que se Ellie não estivesse prestando  atenção  não  teria entendido.  Ellie riu o que fez com  que seu  pai  ficasse mais receoso ainda. 

- É  claro que não pai.  Pelo contrário  é uma ótima maneira  de nos aproximarmos.  – ela ainda rindo movimentou sua cabeça  negativamente. – Não  acredito  que  estava preocupado  com isso!

Phill sorria para sua filha. Não poderia desejar uma filha tão compreensiva quanto sua Ellie. Mas teria que compensar toda essa compreensão. Sabia que por mais que ela fosse assim, não era exatamente o que eles haviam planejado.

- Obrigado  Ellie! – Depositou um beijo em sua testa. – Agora preciso  ir. 

- Bons negócios! – Ela lhe respondeu e o abraçou de repente. Após dois segundos  sem ação  diante do abraço repentino ele também a abraçou.

****************************

Após o seu pai sair do quarto Ellie se levantou e se preparou para a manhâ com Crystal. Procurou ela pela casa toda, mas não a encontrou. Nem sinal de Crystal e nem de Rosalia. 

Rosalia iria fazer alguma coisa? O que era mesmo?

Ellie então saiu para o jardim encontrando Crystal brincando com o Bandit, um dos mais velhos dos cachorros de seu pai. Ellie recordou-se de quando Bandit chegou naquela casa, um Buldogue branco com manchas pretas no colo de seu pai, não poderiam deixar de chama-lo Bandit, mesmo porque Johnny Quest era um dos desenhos que seu pai adorava e que ele ensinara Ellie a gostar também.

Bandit teve que conquistar o carinho do Milou que não era um Fox Terrier como o de Tintin, mas um labrador que de branco só tinha o no globo ocular. O seu maior problema foi o Costelinha, um Pinscher que vivia atormentando tanto o Milou como o Bandit. Os únicos que não sofriam as ameaças do pequeninho era o casal de Border Collie, Rex e Fly, que Costelinha apenas se aproximava para dormirem juntos. E era o que todos estavam fazendo naquele momento exceto o Bandit.

- Bom dia Crystal! – Ellie se aproximou da noiva de seu pai e começou a acariciar o Bandit.

- Bom dia querida! Dormiu bem? – Crystal respondia sempre com um sorriso para ela.

- Como uma pedra! – Ambas riram. – Papai disse que você tem planos para nós hoje, estou ansiosa para saber quais são.

- Ele ficou triste por ter que deixa-la essa manhã. Não sei se ele te disse o porquê.

- Disse sim. Disse inclusive que iriamos almoçar fora, porem não disse aonde.

- Iremos almoçar na casa do Leigh. Os pais dele estão aqui. Você irá adorá-los. São uns velhinhos adoráveis.

- Legal! Amo conversar com velhinhos!

- Bem, acho melhor então começarmos a nos organizar. Joseane nos incubiu da sobremesa.

- Uau! Um dos pratos mais importante da refeição! E o que vamos preparar?

- Não sei. – Crystal estava um pouco preocupada. – O que você sugere?

- Eu? – Ellie a olhou surpresa.

- Eu não faço ideia do que fazer. – Crystal deixou seus braços caírem numa desolação total. Ellie tocou em seu braço.

- Não se desespere. Eu sei fazer um cheesecake de limão. Não é muito doce. Normalmente todos gostam. Ou eles têm problema com diabete? Porque eu não sei qual o teor de açúcar que esse doce possui.

- Ah não! Quanto a isso a saúde deles é de ferro.

- Então pronto. Você me ajudar a prepara-lo? – Ellie estava empolgada. Não cozinhava com alguém já havia certo tempo.

- Com certeza! Mas primeiro precisamos ver se temos todos os ingredientes, se não teremos que comprar.

- Tudo bem. Mãos a obra!

****************************

- Armim você quer para com isso e me ajudar aqui! – Kim estava ficando nervosa com o moreno que mais a irritava do que ajudava.

- Deixa que eu te ajude! – Viollete ria com a distração de seu amigo. – Não sei por que insistimos em trazê-lo para as compras.

- Por que vocês não vivem sem mim. Está mais do que na cara que... – Armim sente um pequeno tapa em sua cabeça que o impede de continuar a frase.

- Seu convencido! Elas te chamam porque precisa de alguém para me ajudar a carregar as compras. – Dajan completava a sua teoria caçoando de seu amigo.

Os quatro sempre se reúniam nas manhãs de sábado na casa de Armim ou de Pryia. Dessa vez eles se reuniriam na casa da indiana. Ela e Iris já estavam preparando alguns dos quitutes para eles comerem. Apesar de serem apenas dois garotos, esses comiam por um batalhão.

- Então senhor Irresisitivel, que tal ir pegar o refrigerante hein? – Kim empurrava Armin em direção ao corredor das bebidas.

- Ok, ok! Estou indo. – Armim estava com os braços para cima de frente para Kim caminhando de costas. Assim que as meninas e Dajan viraram para irem a outro corredor Armim também se virou para a direção que Kim o mandara.

- Calminha ai garoto! Vai querer ser atropelado é? – Armim reconheceu a dona da voz.

- Oi baixinha! – Ele disse rindo sem se recordar do que acontecera da ultima vez que a chamara de baxinha.

- Você não tem noção do perigo né? – Ellie estava diante dele com um sorriso torto. Não acreditava que iria sempre encontrar ele quase esbarrando um no outro. Armin riu do comentário e acrescentou.

- Eu rio na cara do perigo! Ha ha ha! – Ellie tinha suas sombrancelhas arqueadas. Esse garoto é fora do comum. Manteve sua postura e com o mesmo sorriso segurou firme no carrinho que tinha ao seu lado e ameaçou jogar sobre ele.

- Não! Espera! Era brincadeira! – Armim agora estava começando a sentir um arrepio em sua nuca. Ela não vai fazer isso, ou vai?.

Ellie apoiou seus dois braços sobre o carrinho, deixando seu rosto apoiado em uma de suas mãos.

- Estranho, ouvi alguém dizer que ri na cara do perigo! Que medo é esse? – Ellie ria da cara do garoto a sua frente. Esse agora mantinha o seu rosto fechado.

- Esse senhor está te perturbando senhorita? – Dajan se aproximou de Ellie que levou um susto. – Desculpe Ellie, não queria te assustar.

- Tudo bem. É que realmente não esperava. – Dajan segurou Ellie preocupado. – Desculpa!

- Dajan! Quer parar com isso! Vê se larga do meu pé! – Ellie já estava rindo novamente.

- O que está acontecendo aqui? – Kim e Viollete chegou nesse momento. Elas cumprimentaram Ellie – Olá Ellie!

- Olá meninas! – Ellie as comprimentou.

- Não podemos deixar vocês dois sozinhos que vocês já arrumam confusão. Acho melhor irmos embora se não vocês vão acabar quebrando tudo aqui.

- Vocês já se conheciam? – Viollete perguntou para Ellie praticamente sussurrando em seu ouvido. Ela virou-se para a amiga surpresa pela pergunta. Lembrou-se então que Armim ainda não havia voltado para o colégio.

- Tive o “prazer” ou o “desprazer” de conhecê-lo no dia que fui almoçar com meu pai. – Ellie sorria.

- Ah! Entendi. – Viollete sorriu-lhe. – Pelo menos vocês já são amigos.

Ellie não entendeu o comentário de Viollete, mas achou melhor deixar pra lá.

- Foi um prazer te rever Ellie. Mas precisamos ir! – Dajan disse.

- Tudo bem! Foi divertido estar um pouco com vocês!

- O que você vai fazer hoje? – Kim perguntou para sua amiga

- Na verdade tenho um almoço para ir. Inclusive estou ajudando Crystal com alguns preparativos. Por quê?

- Porque você poderia ir com a gente né? – Ellie se surpreendeu com o convite principalmente porque ele veio do Armim.

- Ir aonde? – Ellie estava confusa. Kim explicou sobre os encontros dos amigos e reforçou o convite. – Obrigada pelo convite. Fica para uma próxima.

- Até mais então! – Eles se despediram e Ellie retornou as compras e foi se encontrar com Crystal.

- Ah Ellie! Achei que havia te perdido! – Ellie sorriu.

- Na verdade encontrei com uns amigos e acabei me distraindo. Sinto muito!

- Tudo bem querida! Fico feliz por você já ter amigos aqui.

- E são bem divertidos. – Ellie acrescentou se lembrando do ocorrido naqueles corredores.

Pagaram as suas compras e voltaram para casa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...