História Contador de Histórias - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Casa de Cera (House of Wax), A Múmia, A Regra do Jogo, A Usurpadora, Agents of S.H.I.E.L.D., Anjos da Noite (Underworld), Arrow, Babilônia, Batman, Batman vs Superman: A Origem da Justiça, Blade: O Caçador de Vampiros, Capitão América, Criminal Minds, CSI: Crime Scene Investigation, Deadpool, Demolidor (Daredevil), Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado, Grimm, Guardiões da Galáxia, Heroes, High School Musical, Homem-Aranha, Homem-Formiga, Lanterna Verde, Legends of Tomorrow, Malhação, O Agente da U.N.C.L.E., O Massacre da Serra Elétrica, Os Instrumentos Mortais, Os Vingadores (The Avengers), Saga Crepúsculo, Sense8, Shadowhunters, Spartacus, Star Trek, Star Wars, Supergirl, Supernatural, Tarzan, Teen Wolf, The Flash, The Originals, The Vampire Diaries, Thor, Transformers, Troia, X-Men
Personagens Aaron Hotchner, Alexander "Alec" Lightwood, Barry Allen (Flash), Brett Talbot, Bruce Wayne (Batman), Capitão Sean Renard, Castiel, Clint Barton, Dante Stewart, Dean Winchester, Derek Hale, Derek Morgan, Dick Grayson, Eddie Thawne, Hal Jordan, Illya Kuryakin, Jace Herondale (Jace Wayland), James "Jimmy" Olsen, James Buchanan "Bucky" Barnes, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Jay Garrick, Jeremy Gilbert, Jordan Parrish, Juliano Pereira, Leonard Snart (Capitão Frio), Magnus Bane, Malcolm Merlyn, Mason Lockwood, Matt Murdock, Napoleon Solo, Nathan Petrelli, Nicholas "Nick" Stokes, Nick Burkhardt, Nick Jones, Obi-Wan Kenobi, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Peter Parker, Peter Petrelli, Peter Quill (Senhor das Estrelas), Pietro Maximoff (Mercúrio), Piotr "Peter" Rasputin (Colossus), Ray Palmer, Sam Wilson (Falcão), Sam Winchester, Scott Lang, Scott McCall, Scott Summers (Ciclope), Stefan Salvatore, Steve Rogers, Theo Raeken, Thor, Tyler Lockwood, Wade Felton, Warrick Brown, Will Gorski, Wolfgang Bogdanow
Tags Adultos, Filmes, Gay, Homossexual, Homossexualidade, Novelas, Series, Sexo, Sexo Explícito
Visualizações 654
Palavras 1.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Crossover, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nem tava nos planos, mas deu aquela vontade de escrever esses dois. Então eis aqui coisinha rápida (pwp) com Dale e Joe.

Dale um tanto fora do personagem, eu quis algo mais rustico entre eles desta vez.

Espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 31 - Encontro As Escondidas - (Under The Dome)


Fanfic / Fanfiction Contador de Histórias - Capítulo 31 - Encontro As Escondidas - (Under The Dome)

Dale “Barbie”Barbara E Joe Lancaster

 

Under The Dome

 

Encontro As Escondidas

 

Joe virou a trava na porta do motel e tirou os sapatos antes de cair de joelhos na frente de Dale. Ele já sabia como isso funcionava como fazê-lo o mais rápido e indolor possível para si mesmo. Em um movimento ligeiro estendeu a mão para o cinto, mas seus pulsos foram pegos.

 

– Huummm... Lamento, mas vamos começar com outra coisa hoje. – Disse Dale usando um tom irônico.

 

O garoto engoliu em seco, e tentou manter sua voz firme apesar de seu coração estar acelerado. – Eu sei que esse não era o negócio acertado, entretanto as ofertas são renegociadas o tempo todo, especialmente quando as circunstâncias mudam os acontecimentos.

 

O olhar severo no rosto de Dale o assustou, mas o mesmo não quis admitir isso. Ele bateu suas mãos molhadas uma na outra tentando se livrar do suor que denunciava o quanto estava nervoso. – A última vez em que nós dois estivemos aqui, eu fiz um boquete em seu pau, eu ainda tenho seu gosto em minha boca. Não que eu esteja reclamando, foi divertido, legal, só não pensei que você me chantagearia para me fazer voltar a vê-lo.

 

Sem dizer uma só palavra, Dale beijou os lábios do garoto. – Oh você poderia, mas então você teria que explicar a sua preciosa irmã e ao outros também, porque você me encontrou aqui antes. Não vai querer que todos saibam que estava tão desesperado por um pau, que foi atrás de mim enquanto eu estava dormindo, não é?

 

O suor escorria frio pelas costas de Joe, entretanto ele fingiu que as palavras de Dale não o incomodavam, apenas fingiu, porque a verdade era bem outra.

 

– Quero dizer, seria sua palavra contra a minha sobre como nós dois acabamos fazendo o que fizemos, e não se esqueça que em nenhum momento você fez questão que eu parasse, ou melhor, que em nenhum momento você quis parar, uma vez que eu apenas cedi a você o que tanto queria de mim.

 

Dando o assunto como por encerrado, Dale estendeu a mão para Joe. – Venha aqui e tire suas calças, nós dois sabemos que é exatamente isso que você quer fazer.

 

O garoto tirou fora o braço, mas depois decidiu alcançá-lo. – Repito: Isso não era para ser assim.

 

O descontentamento fez a voz de Dale áspera. – Sua irmã me procurou, veio atrás de mim querendo saber coisas a seu respeito. – Ela quer se encontrar comigo e eu acho que se você não me der uma boa razão pra não ir a esse encontro. – O homem mais velho ri torto. – Eu acho que vou aceitá-lo. – Aproveitando, Dale conseguiu pegá-lo e o levou até a mesinha do canto. Joe ofegou quando foi batido. – Foi você quem começou com isso, garoto. Agora é hora de ser um menino grande e seguir em frente.

 

Joe não lutou enquanto Dale desabotoava sua calça jeans, também não se moveu quando a mesma junto com sua cueca foi arrastada por suas finas coxas, deixando a mostra sua bunda magra. Ele sabia o que o loiro era capaz de fazer, sabia exatamente o quão bom se sentiria daqui a alguns minutos. Por mais que ele não quisesse isso, o interior de sua cabeça era apenas um grito interminável de "SIM!"

 

Foi algo completamente indesejado, mas Joe ronronou quando Dale lhe bateu fortemente com uma das mãos em seu traseiro. – Eu tenho quase certeza que ninguém nunca o castigou do jeito que você merece. Eu, realmente, acho que você precisa de disciplina.

 

Joe rangeu os dentes, recusando-se, ele ficou tenso ao ouvir Dale soltar o cinto da calça. – Eu preciso lhe ensinar alguma coisa, mínima que seja sobre respeito. Eu sei que essa vai ser uma tarefa muito difícil em se tratando de um degenerado como você, sendo que tudo que pode pensar é em meu pau, ainda assim, eu acho que vale a pena tentar.

 

Quando as palavras cessaram momentaneamente, Joe se surpreendeu quando sentiu os dedos de Dale se espalharem por seu rosto. Ele nunca imaginou que o homem pudesse ter uma atitude assim, então este era uma parte que deveria ser mais bem explorada. Seria mentira se não quisesse algo para no mínimo poder comparar com isto, contudo sua respiração ficou mais fácil quando as mãos calejadas abandonaram seu corpo.

 

– Você é tão virgem quanto parece, garoto? – Dale foi direto ao ponto, sem rodeios.

 

Não houve uma boa resposta para isso. – O que quer ouvir? Que eu estou tão desesperado por um pau que eu tenho espiado caras no banho? Ou você quer se sentir especial por ser o meu primeiro?

 

Joe voltou a ficar tenso quando os dedos de Dale voltaram a esfregar a sua pele. – Que tal uma mudança, você simplesmente tentar a verdade. – O garoto obrigou-se a respirar, relaxar embora nunca tivesse feito isso antes, ir até o fim, ele não era um completo ignorante. Esse fato facilitou muito as coisas e então o dedo foi empurrado até o segundo nó. O mais novo engasgou o gemido que queria soltar e concentrou-se em contar suas respirações uma por uma.

 

– É isso, garoto, você aprende rápido. – Joe começou a lutar para não ficar tenso enquanto Dale começava a trabalhar o dedo dentro de seu pequeno buraco. – Relaxe bem, porque daqui a pouco você vai ter algo bem mais grosso que um dedo dentro desse seu rabo. – Uma súbita torção da mão de “Barbie” fez com que faíscas de dor se acendessem pelo corpo raquítico. – Todavia não se assuste eu prometo ser bem cuidadoso.

 

Os gemidos dolorosos estavam bem diminuídos e agora eram mais como sons prazerosos sendo soltos junto de respirações enquanto que mordia seu próprio lábio inferior. Uma mão de Dale sovava suas bolas e a outra ainda trabalhava seu buraco o esticando. De repente o som de um preservativo sendo aberto foi ouvido e a ficha caiu para o que realmente estava a vir acontecer, o ato final se pronunciava.

 

Dale riu de canto. – Viu? Isso não foi assim tão difícil, foi?

 

Como numa espécie de recompensa, Joe sacudiu o rabo tal qual um cachorrinho para seu dono, gemeu mais alto um pouco quando os dedos revestidos de mais lubrificante voltaram para seu interior. – Vou te dar mais um tanto de preparação e alguns conselhos. Abaixe e expire mais devagar do que você respira normalmente, isso vai ajudar com a queimação e ajuda evitar que você fique muito tenso.

 

O garoto tinha que lembrar a si mesmo que era um bom conselho, não importa de onde veio, principalmente quando sentiu Dale trabalhar mais dedos dentro de si. Ele gemeu pela enésima vez, e voltou a morder o lábio até que provou um gosto amargo de ferro. Ele tentou ignorar o que estava acontecendo, mas não podia não desta vez devido à maneira como os dedos em seu interior o abriam e o separaram queimado bruscamente.

 

Quando Dale puxou seus dedos, Joe sentiu um tipo de pavor percorrer em seu estômago e então sentiu o homem começar a empurrar para dentro, aquilo era tão, tão diferente dos dedos que chegou a pensar que não conseguiria suportar tudo até o fim.

 

Dale colocou uma mão entre suas omoplatas, empurrando-o de volta contra a mesa. – Respire e abaixe, lembra do que eu disse?

 

Sua respiração engatou em torno do soluço que praticamente foi engolido. – Eu não posso fazer isso... Eu não consigo...

 

Dale empurrou seus quadris para frente, adentrando com seu pau algumas polegadas mais profundamente. – Não diga isso... Eu... Eu sei que você pode. Você consegue sim.

 

Cada músculo em seu corpo foi pressionado e Joe sentiu-se completamente apertado, foi inevitável não tentar fugir, tentar escapar da intrusão que o esmagava massivamente. – P... Por favor... Eu realmente... Realmente não posso, é demais pra mim. A pressão era demasiadamente intensa, ele sentia uma das mãos de Dale deslizando em suas costas, talvez uma tentativa de aliviá-lo, o que não estava ajudando muito. O membro não tinha um comprimento avantajado, mas sua grossura era algo a se considerar.

 

– Basta... Por favor, me dê um minuto.

 

– Ok, não há problema algum com isso. Pra ser honesto, eu sempre preferi saborear em vez de correr com as coisas. Vou dar o tempo que você precisa.

 

Isso foi suficiente para Joe conseguira relaxar para não sentir mais como se estivesse sendo empalado, mas estava longe de estar pronto para mais quando Dale começou a se mover puxando para trás e empurrando para frente de novo. O garoto começou a contar sua respiração, prestando a menor atenção possível ao que estava acontecendo, ele esperava que o homem fizesse o que tinha que fazer e que tudo logo acabasse.

 

– Você está fodendo com força... Ungh! Vá mais devagar... Ungh! Você é tão grosso... Ungh!

 

Depois do resmungo que ouviu, parece que Dale fez de propósito e estalou seus quadris com mais força contra a bunda de Joe e o mesmo teve que morder um leve suspiro de dor.

 

– Bom... Eu simplesmente acho que não preciso tratar você como uma moçoila... Não é mesmo?

 

Joe assentiu.

 

– Você deveria se tocar, isso com certeza, tornará as coisas muito mais fáceis e gostosas para você. – Dale bufou enquanto continuava estocando com veemência.

 

Por sua vez, Joe rangeu os dentes e mesmo não querendo concordar, isso era uma verdade. Então ele agarrou seu membro meio duro começando um tímido vaivém ao mesmo tempo em que percebia que o pau de Dale estava se tornando menos doloroso. O membro batia algum ponto dentro de si que ficava cada vez mais difícil esconder que não estava gostando do que sentia quando o alvo certo era atingido.

 

A partir desse momento, Joe não estava mais ignorando seu corpo, ele sentiu a maneira como o pau penetrava cada vez mais fundo em suas entranhas e se deliciava com a forma gostosa que o mesmo cutucava sua próstata, enviando faíscas que crepitavam em todas suas terminações nervosas. Ele sentiu a forma como seu corpo se deu, abrindo-se e levando-o de uma forma que ele próprio nem sabia que era possível. Quando Dale empurrou um pouco mais forte foi também chegou ao seu ápice.

 

Joe Lancaster podia mentir para Dale, mas não para si mesmo. Aparentemente era mais do que certo dizer que ele gostava de ser fodido. Ele não queria admitir, mas era a mais pura verdade, tanto que a mão ao redor de si mesmo trabalhou mais rápido o fazendo vir num grito libertador.

 

Continua...


Notas Finais


Eu tenho um pedido de Scott e Liam e outro de Theo e Liam, então pra agilizar as coisas vou fazer um threesome com eles.

Até o próximo. ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...