1. Spirit Fanfics >
  2. Contato interrompido >
  3. Corando mais que o próprio sol

História Contato interrompido - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Sim, eu negociei com a Usagi um capítulo de Raison por esse daqui, como descobriu???

Capítulo 2 - Corando mais que o próprio sol


Fanfic / Fanfiction Contato interrompido - Capítulo 2 - Corando mais que o próprio sol

Mãos enfaixadas roçavam na cintura de Chuuya, lábios não muito macios pressionados contra a sua clavícula


— Você tem certeza? - Dazai sussurra a pergunta na curva do pescoço do ruivo, sua respiração quente se espalhando pela pele branquinha dele.


Inevitavelmente um tremor percorreu a espinha de Chuuya, suas pálpebras fecharam-se com força e sua cabeça se abaixou quando Dazai começou a sugar sua garganta, cada movimento do moreno enviava faíscas de calor e luxúria para seu pênis já endurecido, o ruivo começou a rebolar no colo de Osamu, suspiros quase que silenciosos escorrendo dos lábios de ambos a cada rebolada.


Chuuya deslocou os dedos pelos cachos castanhos, colocando alguns atrás da orelha do maior, aproveitou para puxar a cabeça dele para trás enquanto inclinava a sua para frente para ambos os olhos se encontrarem.


— Absoluta. - Chuuya sorri assim como Dazai em seguida.


Dazai pegou na gravata preta de Chuuya, demorando para desfazer o nó. — Ane-san sempre teve uma capacidade irritante de nos pegar antes de chegarmos longe demais não é?


Os dedos ágeis de Chuuya se esgueiraram até o cinto do outro, o jogando longe, abrindo o botão da calça e puxando o zíper, expondo a cueca preta de Dazai quando finalmente o respondeu. — Provavelmente ela estava apenas tentando me proteger desse seu enorme pau.


Dazai riu com o comentário do outro, jogando a gravata acima do ombro. — Está com medo chibbi? Ou saudades?


— Você prefere que eu te mata antes de fodermos ou você vai finalmente calar a boca Osamu?


— Acho que eu posso calar a minha boca, ainda mais com você me chamando de Osamu. - Seu canto dos lábios se curvou em mais um sorriso antes de colidir as costas ainda vestidas do outro no futon, Dazai sentou-se acima de si e reinvindicou seu lábios.


O beijo terminou com ambos corados e sem fôlego, os olhos castanhos do moreno eclipsados por pupilas estouradas, seu sorriso era malicioso, ganancioso, faminto, possessivo e sedutor. — Temos a 'merda de quatro anos de 'merda para compensar não é? Ficarei quieto dessa vez enquanto você aproveita o meu enorme pau, Nakahara.


Finalmente estavam quase lá, os braços de Chuuya passaram em volta do pescoço e outro, puxando para outro beijo, Dazai aproveitou a oportunidade de lamber a sua boca se aprofundando em seguida em mais um beijo quente e desesperado, imprudente e implacável, o corpo pequeno de Chuuya pedia por mais, implorava por mais, seus quadris iam para cima, seu membro coberto se esfregando na protuberância da cueca de Osamu.


Arrepios percorreram a espinha do ruivo com cada toque provocador se Dazai enquanto desabotoava os botões da sua camisa.


— Perfeito… - Dazai murmurou com a voz mais pecaminosa que podia, sua mão passeou pela a extensão dos músculos bem definidos do outro. — Você tem alguma ideia de quanto tempo eu imagino isso? De quanto tempo eu espero para te ver assim? Para ver o quão lindo você ficaria comigo entre as suas pernas? - Dazai sussurrava roucamente no ouvido do outro alternando a fala entre mordidas em seu lóbulo. — Eu poderia fazer isso com você todos os dias só para ver esse rubor rosa se espalhando por sua pele, você se perdendo com cada toque meu, você emitindo cada som maravilhoso, céus Chuuya eu poderia ouvir isso até o fim da minha vida.


Era lento, era suave, Dazai começou deslizar seu rosto, seus lábios da orelha até o pescoço do ruivo, até seu peito.


— A maneira como você grita meu nome enquanto eu estou te fodendo com força como você gosta, com a rapidez que você deseja. - Sua língua passeava por cada plano abdominal de Chuuya. — Você gemeria o meu verdadeiro nome quando o seu limite chegasse Nakahara Chuuya?


Um gemido escapou dos lábios do ruivo, e mais um, e outro, não conseguia mais evitar de se deliciar só com essas ameaças e esperava que todas fossem fielmente realizadas, Dazai já havia tirado as suas calças e agora brincava de raspar o queixo no membro de Chuuya mesmo sob o pano da sua cueca.


— Lá vamos nós, chibbi… - Dazai murmurou, tirando a última peça do outro lentamente propositalmente, quando sua respiração se chocou com o membro que saltou para fora, Chuuya choramingou.


Ali, finalmente ele estava ali, depois de quatro longos anos ele estava ali a meros centímetros do seu pau dolorido, nenhum dos dois ouviu o rangido da porta do dormitório de Dazai se abrindo e muito menos dos passos ali dentro.


— D-D-Dazai-san?! 


Chuuya abriu os olhos assustado, Dazai ainda tinha sua derme na boca quando encarou a vítima desavisada, Atsushi com os olhos bicolores arregalados e em um completo choque, estava corado, corado mais que o próprio sol.


Dazai ficou parado por longos segundos com o pau do outro na boca, se levantando abruptamente quando seu choque de realidade o atingiu, não ligou para as suas calças arriadas e nem para a sua cueca completamente exposta, se prontificou de tirar Atsushi dali perguntando o que ele queria enquanto o garoto pedia um milhão de desculpas, gaguejava e fazia barulhos assustados, como um filhote de gato em desespero.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...