História Continente Medio: O Conto de Um Estranho - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais, Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu, Zero no Tsukaima
Personagens Personagens Originais
Tags Zero No Tsukaima
Visualizações 5
Palavras 780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Saga, Shounen, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ideias vindas mais sem desenvolvimento. O que esperar do desconhecido, espere pra ver.

Capítulo 1 - Que lugar seria esse.


Fanfic / Fanfiction Continente Medio: O Conto de Um Estranho - Capítulo 1 - Que lugar seria esse.

Estamos na cidade de Brasilia, no Brasil. Uma feria esta rolando no meio de uma rua. Ja eram quaze onze horas. De repente, um garoto chamado Nelson, apelidado de Neo pelos seus amigos, avista uma pessoa suspeita.

-Mais um assalto. Caramca, esse pais ja ta entrando pelo ralo. Sinceramente.

Esse era homem, e estava indo em direção de uma senhora de quarenta anos. Estava armado com uma faca em sua mão.

-Sorte. Vamo la, acabar com alegria dele.

Ele sai em disparada na direção do bandido, quando se aproximou gritou.

-SENHORA. CUIDADO, ATRAZ DE VOCÊ!

Ela olhou, e viu o bandido pronto para ataca-la. O homem apontou a faca e disse.

-Passa a merreca coroa. Se não eu enfio isso na tua bunda ouviu...

Neo acabava de dar com o ombro no bandido. Se ouve o grito dele junto com o do homem.

-SAI DAQUI.

-FILHO DA PUTA.

A senhora correu, mais o bandido revelou estar armado com uma pistola, de repente todos aue estavam perto sairam correndo. Ele puxou a trava e quase disparou mais Neo impediu.

-ME LARGA ARROMBADO.

Ele conseguiu desarmar o assaltante, mais foi empurrado para traz com o grito dele.

-VAI ME PAGAR MISERAVEL.

O homem enfiou a faca no estomago de Neo que gritou quase sem parar. Mas então o homem pegou a arma novamente, apontou e disse.

-Adeus idiota.

Ouvisse a sirene do carro da policia, mas ja era tarde. O homem dispara uma vez, e logo depois ouvesse mais cinco disparos ate o click da arma junto com ele dizendo.

-Droga. Me empolguei demais!

Logo depois ouvesse um policial gritando junto com um disparo.

-PERDEU PLAYBOY.

Um som muito alto de ventania ecoa nos ouvidos de Neo. Parecia que ele estava caindo. Finalmente ele abre os olhos e vé uma imensa extenção de terra se aproximando. Realmente ele estava caindo, a primeira coisa que ele disse foi.

-QUE PORRA É ESSA. HA EU VOU MORRER, EU VOU MORRER DROGA.

Ele só via aquela area se aproximar mais e mais, ate que uma luz se aproximou dele, possuia um formato humanoide. Uma voz doce e gentil saiu dela, era voz feminina.

-Nelson Azevedo.

Neo estava sem entender nada no momento, e então disse.

-Sim,sim...Sou eu. Quem é você.

Estranhamente, Neo se sentiu mais aliviado com a voz dessa criaturinha.

-Não tenho nome. Mais, tenho uma proposta, se aceitar eu lhe ajudo a descer. Se recusar...Bem você ja sabe.

Ele não pensou duas vezes e disse.

-Ok eu aceito. Seja la o que for...MAIS NÃO ME DEIXE MORRER POR FAVOR.

O chão ja estava muito mais proximo do que aparentava, mais de repente Neo começou a diminuir de velocidade. Ao olhar pro lado viu a criaturinha brilhar ainda mais, só que seu brilho estava cobrindo o corpo dele tambem. E então veio isso.

-Nelson Azevedo. Você aceitou a proposta sem mesmo saber o que é.

Se sentando no chão muito assustado respondeu.

-Qualquer coisa, pra viver. Mais, o que seria você ezatamente. Um anjo, uma fada?

Ela respondeu.

-Eu sou um Lumem. E a proposta que você aceitou, seria a de me arranjar uma familia.

Grande surpresa, Neo se levantou e disse depois de um minuto em silencio.

-Pra começo de conversa. Que caralho de lugar é esse. Eu to vendo um monte de pterodactilos voando no ceu, e tem um bando de criaturas parecidas com emas andando naquela direção(lado oeste ao ver de Neo). Como que diabos eu vou te arranjar uma familia, se eu nem mesmo sei onde eu to

A criaturinha se aproximou dele, dava pra ver o belo rostinho que ela tinha, e disse com um olhar sorridente.

-Arranje uma esposa e nosso acordo sera cumprido. Você tem sua vida toda pra fazer isso.

Ele colocou a mão no rosto e disse.

-Esposa...Hum. quer dizer que você vai me usar pra conseguir nascer?

Do nada ela ficou envergonhada e disse.

-C-como você sabe.

Ele deu uma rizadinha e disse.

-Ja vi isso numa novela que passava na globo. Era bem diferentona. Mais de qualquer forma, vai demorar um pouquinho pra você nascer. Eu sou meio devagar em conseguir arranjar um par. Me desculpe.

-Não se preoculpe. Eu espero, ja estive te esperando por muito tempo papai.

Ele olhou pro rostinho dela, e viu uma lagrima descer de seu rosto.

-Olha, eu vou ter que te chamar de algum jeito. Eu vou te chamar de Maron...Não...Emilia...Não...Bulma...Tambem não...

-Eu gostei de Emilia.

-Jura?Então ta Emilia. Agora a senhorita vai ter que me judar a chegar na cidade mais proxima daqui sabia.

Ela vou para cima e disse.

-Infelismente. Pro seu azar, a cidade mais proxima fica a 14 quilometros daqui. E tem muita coisa perigosa no caminho.

Neo deu um olhar de infelicidade e disse.

-Coitadin de mim. Tomei no ralo.

Ele viu um galho no chão e o pegou. Era bem grosso. Mas então disse.

-Vamos la Emilia. Vai ser uma longa viagem.

Um olhar bem alegre veio dela, e então veio a resposta com mais alegria ainda.

-HunHum. Vamos


Notas Finais


Novela. Que novela era..? Alto Astral.
Espero que algum dia, aguem veja essa historia. Eu ficaria muito feliz se tivesse no minimo um comentario. Mesmo xingando, mais tivesse.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...