História Continue Com Sangue (Remake) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Hentai, Mistério, Misticismo, Morte, Psicopatia, Romance, Sanguinario, Sociopatia, Suspense, Terror
Visualizações 3
Palavras 580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Steampunk, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


back back

Capítulo 1 - Família Ridícula


Fanfic / Fanfiction Continue Com Sangue (Remake) - Capítulo 1 - Família Ridícula

Os dias de Saotome normalmente eram somente com ela e sua irmã, Yoshino. Não que Saotome gostasse disso, mas ela não tinha escolha. 

   —  Mana! Vamos brincar com as roupas de nossos pais! Vai ser divertido! 
Yoshino tinha uma personalidade forte, feita de decisões exaltadas. Além de um certo vício por Saotome, por causas desconhecidas.
     — Faça sozinha se quiser. — Saotome estava jogada no chão, apenas olhando para o teto.
      Yoshino se enfureceu. Cruzou os braços e se sentou no sofá. Isso fazia Saotome pensar em como a irmã era frágil e sensível à qualquer coisa. A aparência de ambas também era extremamente diferente. Yoshino não se parecia com um demônio. Saotome era branca (de fato branca) de íris vermelhas e seus globos pretos. O cabelo curto também era preto. Já Yoshino, não. Yoshino possuía cabelo castanho em corte tigelinha e normalmente usava um suéter amarelo. 
   — Se recorda daquele dia? O que mamãe fez comigo? Não é complicado que te faça o mesmo. — A expressão da garota era minimamente de medo, mas ela não demonstrava isso. Diferente disso, Yoshino ficava cada vez mais espantada enquanto ela falava. — Se você tocar em algo dela...
    —  Eu não... vou mexer em nada.
  A mãe das meninas era físicamente bem parecida com Yoshino. A cor do cabelo e dos olhos era a mesma, somente a pele dela era meramente mais escura.
   Ouviram-se alguns ruídos na porta de madeira da sala. Saotome se colocou à frente de Yoshino e invocou uma faca. Saotome olhou para Yoshino com uma cara que diria qualquer coisa como ficar em silêncio. 
 Da porta vôou uma adaga pequena que cortou seu braço, o sangue desceu até seus dedos e respingou no chão.
  — Deve melhorar essa péssima mania de ficar com a guarda baixa, Saotome! — Disse Honoka, a famijerada mãe de Saotome.
  O pai de Saotome e Yoshino, Ayate (que era de fisiologia próxima à de Saotome) foi em direção à filha para atar o sangue. 
  Ayate tinha uma frase significativa para a filha: “Apenas sentimos ódio e amor, por isso nunca deixamos de ser calmos. Apenas quando nos afetam inteiramente à isso“. Saotome questionava o porquê do pai préssupor isso dela sendo que a mesma era apenas uma criança de 8 anos.
— Você deve ser mais paciente com ela, Honoka. 
Os pais então, foram ao quarto. Fazer algo.
    Saotome ficou no jardim, brincando com boneca - quebrando e arrumando - quando sua irmã chamou.
— Mana, entre e se limpe, mamãe disse que vai sair...
  Yoshino estava assustada com algo.
   Saotome então entrou dentro de casa e se despediu dos pais. Foi até o banheiro onde despiu-se do simples vestido preto de laços vermelhos. Ao entrar embaixo da água, sangue escorria de algumas cicatrizes que não estavam fechadas em suas costas.
  Terminou seu banho e se enrolou em uma toalha, se encarou de frente com o espelho, deixando a toalha cair. Observou o pequeno e magrelo corpo que tinha.
 Se vestiu e foi até a sala, lembrando da promessa que havia feito com Yoshino de brincar de algum jogo de esconder. Colocou a venda e foi a procura da irmã. 
     Não sentia sua respiração, procurou por tudo e não achou, decidiu desistir e assumir a derrota, mas, ela não estava em casa.
   Colocou um cachecol e pegou as chaves, correu por toda a aldeia, até que chegou no portão de saída da mesma, que era gigante. Em frente ao mesmo só tinha um colar, dourado com um coração...
E agora? Onde está Yoshino.


Notas Finais


remake remake


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...