1. Spirit Fanfics >
  2. Contos Da Legião >
  3. Assassina Fofa

História Contos Da Legião - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Konichiwa,
Kallen aqui e alguém sentiu esse cheiro
cheiro de capitulo saindo do forno pra você
espero que gostem

Capítulo 14 - Assassina Fofa


Fanfic / Fanfiction Contos Da Legião - Capítulo 14 - Assassina Fofa

Dou alguns passos me distanciando dele, olho para trás e vejo ele, aquela máscara não me assusta, mando um beijo para ele e corro na direção que ele disse, quem diria que depois de dias passando por aqueles pesadelos e toda a confusão eu iria encontrar ele, me sinto tão feliz e solta que começo a saltitar e rodar como se estivesse dançando, por um momento esqueço que estou na Fog e me sinto tão feliz, ele consegue me deixar boba tão facilmente mesmo nem estando aqui, e o que ele me faz sentir quando me toca... Ninguém nunca me tocou daquele jeito, tem um jeito gentil de cuidar de mim, acho que isso é amor de verdade, meus devaneios param quando olho por lado e vejo um menino me olhando, ele esta confuso... PERA ele me pegou dançando desse jeito?? Levo minhas mãos ao rosto, estou vermelha por baixo da máscara, olho para ele e agora está rindo, empunho minha faca e começo a ir em direção a ele, sua feição de felicidade some e ele começa a correr, pena que eu também sei fazer isso, entro em frenesi e começo a persegui – ló ele não vai escapar de mim, ele da a volta em uma caixa e fica indo na direção contrária que eu vou:

- Por quanto tempo pretende me perseguir?

- Por quanto tempo pretende fica sapateando aí?

- Bem não era eu que estava dançando no meio do nada – ele ri

- Vou te dizer uma coisa, eu já fui atrás de vários como você, ficam se escondendo ou tentando fugir, mas no final sempre são pegos sabe por quê? – falo enquanto passo a faca em cima da caixa – Porque me acham fofa – falo cravando a faca na caixa

- Olha eu vi seus amigos antes, eles passam mais medo que você

- E-então você, n-não quer fugir de mim?

As bochechas dele coram enquanto e fico com o dedo em cima da faca e faço meus joelhos se tocarem, fazendo uma pose fofa esses trouxas sempre caem nisso:

- Bem é que...

- Eu sou uma inútil, não é? Meus amigos são melhores do que eu nisso, eu acho que deveria desistir – falo enquanto caio no chão fingindo um choro

- Hey calma... Você é boa, você quase me alcançou antes

- Mas eu nunca vou pegar alguém que nem eles fazem, eu não consigo sou frágil demais

- Calma olha – ele fala dando a volta no caixote e se aproximando

- Viu eu falei que ia conseguir

- Como é?

Eu cravo a faca em sua perna e me levanto:

- Eu disse que no fim eu pegaria você – eu começo a rir dele, cada vez mais alto – vocês são tão inocentes, cara eu sou uma assassina, achou mesmo que conseguiria dar em cima de mim?

- Sua puta, minha perna

- Você devia ta vendo sua cara, sabe, eu vou ficar aqui alguns segundos, você vai tentar correr, julgando por ser inocente você vai ir até aquele lugar lá – digo apontando para o Basement – vai tentar fazer um curativo, mas eu vou te achar... Hm você já foi? Vocês garotos sempre deixando as mulheres esperando

Começo a caminhar na direção do Basement brincando com a minha faca:

- Bobinhoo cadê você? – Entro no Basement e olho para as escadas – vem cá eu não mordo... A não ser que você queira, hmm então foi aqui que se escondeu? – Começo a descer as escadas – vem cá, eu sei que você ta aqui, deixa eu pensar será que ta... AQUI – olho em uma das paredes para ver se ele esta ali, porém como eu desconfiava, viro meu olhar para um armário – ah que pena, você não ta aqui, parece que eu errei né, bem acho que você deve estar em outro lugar – passo na frente do armário - ... Buh

Ele solta um grito, eu abro o armário e cravo minha faca na madeira do lado de sua cabeça:

- Tão ingênuo, tão inocente, é a sua primeira vez aqui é, que peninha se tivesse me ouvido talvez escaparia

- P-por favor n-não me mata

- Isso, implora pela sua vida miserável que eu gosto mais, chore, grite, esperneie, no fim você vai ser só mais um

- Por que ta fazendo isso comigo?

- Porque você fez algo de ruim, e eu sei exatamente o que foi, qual era a idade dela?

- Que do que você ta falando?

- DA MENINA QUE VOCÊ ESTUPRO SEU BABACA, QUAL A IDADE DELA?

- Eu não fiz nada eu juro

Eu corto seu braço lentamente

- E eu acredito, fala logo

- V-vinte e um

Eu viro minha cabeça:

- Você ta mentindo

- Eu juro

- Foi de quinze pra baixo seu merdinha, eu sei que foi, qual a idade

- ... T-treze

- TREZE, você é mais merda do que eu pensei, como tem coragem filho de uma puta – eu dou uma joelhada em seu estomago e tiro ele do armário – você deve ter destruído a vida de... Você era irmão dela né?

- N-nã...

- RESPONDE PORRA, PARA DE MENTIR – eu cravo minha faca na sua outra perna

- Sim ela era – ele grita e as lagrimas escorrem pelo seu rosto

- Eu sabia, como pode fazer isso com sua própria irmã?

- Eu me arrependi, é sério

- Não, não se arrependeu, você não estaria aqui se tivesse se arrependido

Olho para os ganchos e depois pra ele:

- Você não merece esse gancho

- Por favor não

Eu vou pra cima dele para cravar minha faca em suas costas, ele tenta me dar uma cotovelada e sair rastejando, eu cravo a faca em sua perna e o puxo com a mão, logo depois esfaqueio suas costas sujando minha máscara de sangue, ele para de se mexer:

- Sua irmã vai estar bem melhor agora arrombado

Eu fico vasculhando por um tempo para ver se ninguém vai ir para aquele caminho, mas logo saio e começo a procurar em outros lugares, como é possível alguém fazer algo desse tipo? As vezes penso que ter sido escolhida pela entidade foi bom, gosto de punir babacas como aqueles, e pensando bem, senão fosse a entidade Alex não estaria do meu lado agora, então tudo tem seu lado bom, eu ando para uma floresta, e acabo escutando alguns barulhos, o que me deixa meio alerta, pensava ter ouvido tiros de arma antes, mas pensei que era minha imaginação, mas agora começo a ficar preocupada, começo a correr pela floresta em busca desse barulho, acabo em uma clareira e me deparo com os corpos de Amanda, Frank, Julie e Joey atirados no chão, um homem ferido olhando assustado para o Alex?... Não aquilo não pode ser o Alex, aquilo só pode ser um...

 

DEMÔNIO


Notas Finais


Email para fanarts: [email protected]
sayonara ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...