História Contos de MikaYuu - Capítulo 6


Postado
Categorias Seraph of the End (Owari no Seraph)
Personagens Akane Hyakuya, Crowley Eusford, Ferid Bathory, Guren Ichinose, Mikaela Hyakuya, Mitsuba Sangu, Shihou Kimizuki, Shinoa Hiiragi, Shinya Hiiragi, Yoichi Saotome, Yuuichirou Hyakuya
Tags Anime, Gay, Gureshin, Kimiyoi, Lemon, Mikayuu, Mitsunoa, Owari No Seraph, Yaoi
Visualizações 317
Palavras 3.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Uhuhu Olha só quem voltou
Mary Kay

Vejam a seguir um lemon muito goxtoso na visão do Yuu

(N gosto muito de escrever em 1° pessoa, mas até gostei desse viu)

Boa leitura

Capítulo 6 - Conto 6


Fanfic / Fanfiction Contos de MikaYuu - Capítulo 6 - Conto 6

- Yuu... Já pensou se namorassemos?

E foi assim que tudo isso começou.

- Mas somos irmãos, Mika!

- Moramos em um orfanato! Nem somos filhos da mesma mãe.

- Eu sei, mas todos aqui são considerados como irmãos. - Ele simplesmente me deixa plantado ali e vai pro quarto. Sei que somos amigos a muito tempo, mas é estranho... - Mika!

Começo a correr atrás dele e quando entramos no quarto, fecho a porta.

O loiro me encara com braços cruzados, encostado na parede do cômodo, enquanto eu me sento na cama, o olhando.

- Fala o que você quer.

- Para de ser grosso comigo! O que eu te fiz?! - Ele começa a rir da minha cara, quebrando aquela tensão que estava antes. - Ainda ri da minha cara! Mas é um cretino - Jogo o travesseiro nele e começamos a rir juntos.

Ele vem e se senta do meu lado. Ele coloca uma de suas pernas em cima da minha, coisa que ele sempre fazia, e segura meu queixo.

- O que você fez foi roubar meu coração.

Seus lábios quentes encostam os meus, fazendo tudo a minha volta parar repentinamente.

Meu irmão estava me beijando???

E por que é tão bom? Por que eu sinto vontade de prensá-lo contra a parede e sentar em teu colo? E POR QUE EU ESTOU FAZENDO TUDO ISSO AGORA?

- Aí meu Deus como vim parar aqui?! - Tampo meu rosto vermelho.

- Yuu-Chan, se eu pedisse pra fazer com você - seus lábios descem até meu pescoço, enquanto coro horrores - Você resistiria em dizer não? - Seus olhos me encaram enquanto o mesmo puxa meus lábios com seus dentes. E meus amigos, que olhos.

- Eu não sou gay, Mika. - Fico sentado em teu colo enquanto ele me encara sorrindo.

- Então você não sente nem um pouco de prazer quando eu sussurro - sua boca se aproxima de minha orelha - que quero te foder de quatro nessa cama até nós enxergarmos embaçado por conta da onda de prazer que veio? - ele roça seus lábios no meu ouvido, enquanto solta uma risada sádica. - Seria incrível ver meu Yuu-Chan chorando de prazer enquanto delirava, chamando meu apelido. Gemendo enquanto a cama de solteiro range e meu membro te estoca diversas vezes, acertando teu ponto fraco, lhe fazendo bambear as pernas e não ter mais controle sobre suas emoções.

- M-M-MIKA! E-Eu não vou sentir prazer com você falando essas putaria... Não tenho mais 13 anos de idade.

- Então quer dizer que meu menino de 17 quer que eu aja? - Suas mãos estavam dentro da minha calça, e seus dedos roçando minha entrada me causava arrepios. - Não tem nada de errado em gostar de garotos, Yuu-Chan. - sinto meu interior arder, seus dedos estavam secos.

- Para, Mikaaaa! - dou tapas no ombro dele e agarro sua blusa. - Isso queima pra caralho! Você sabe que precisa de lubrificante pra essas coisas né?

- Então quer dizer que você vai aceitar ser um só comigo?

- EU NÃO TO FALANDO NADA! E-Eu só... Não tem nada aqui no quarto, sabe? Eu não fiz chuca, nem tem lubrificante, não tem camisinha... No seco? Vai me machucar demais, Mika...

- Yuu-Chan... Quando não se tem, a gente faz no improviso.

- EU NÃO QUERO UMA PRIMEIRA VEZ IMPROVISADA! - Empurro ele e saio do teu colo, sentindo um desconforto quando seus dedos saíram do meu interior.

- Yuu-Chan - ele segura meu braço - Você ainda é virgem?

- E VOCÊ NÃO?! - Corro de lá e vou para meu quarto.

[>>>]

- AAAAAA, por que eu tô preocupado se ele é virgem ou não? - começo a rolar na cama enquanto gritava com o travesseiro. - Será que ele já transou com meninas? Ele lá gosta de alguém? Por que ele nunca me disse nada?...

Sossego, olhando para o teto, enquanto respirava ofegante. A madrugada estava fria, mas eu sentia como se tivesse um inferno dentro de mim por conta da rolação.

- Mika... Por que você nunca me contou nada sobre seus sentimentos? - viro de lado e abraço o travesseiro - Eu fui muito mal quando sai correndo? Eu tenho medo de sentir coisas por você...

- Ficar triste por mim não vai adiantar nad-

- QUEEEE? DE ONDE QUE VOCÊ SAIU DEMÔNIO? - Mikaela tinha acabado de entrar no meu quarto

- Do corredor, talvez? É difícil dormir no quarto do lado quando alguém fica se questionando sobre suas razões de existir. - ele revira os olhos e se senta na borda da cama, enquanto encolho minhas pernas, me cobrindo com o coberta.

- Desde quando você tá escutando meus murmúrios?

- Desde que você começou a gritar e fazer essa cama ranger - penso merda e coro - Safado.

- EU NÃO SOU SAFADO! Você que é... - falo a última frase com vergonha.

- Você quer que eu te conte como que foi minha primeira vez?

- VOCÊ JÁ PERDEU ELA?! AAAAH MIKA! - Afundo meu rosto na coberta, meio triste.

- Foi no outro orfanato que eu morava.

- Tara por órfãos?

- Yuu, cala a boca e me escuta. - faço o que ele fala e fico emburrado. - Você sabe que eu vim para esse orfanato por que o que eu morava antes foi fechado, não é?

- Acho que sim...

- Ele foi fechado por que moradores vizinhos denunciaram o estabelecimento, falando que as péssimas condições de lá estavam trazendo ratos para as casas deles. Então a vigilância sanitária o fechou. Mas as causas "menores" que nunca foram relatadas, eram piores.

- Você não tá contando uma história falsa pra eu sentir dó de você e transar contigo, né?

- Yuu! Eu não sou desses tipos! - ele fala bravo e eu paro de atrapalhar. - Por mais que odeie meu passado, acho que posso confiar o suficiente em você pra te contar. Nem todo orfanato é tão bom quanto esse que temos. Não são de famílias ricas, muitos grandes são misturados com os pequenos e bem... Acaba acontecendo estrupos.

- NÃO VAI ME FALAR QUE VOCÊ ESTRUPOU UMA CRIANÇA, MIKAELA HYAKUYA!

- NÃO! TA LOUCO YUICHIRO? EU NEM SABIA O QUE ERA TRANSAR QUANDO EU MORAVA LÁ... Foi pior...... - ele abaixa a cabeça e enfia suas unhas curtas em teu braço, fazendo diversos arranhões.

- Wow.... Você.... Ai mano.... Tá zuando? - Começo a me sentir péssimo por ele.

- Yuu, vou te dar uns tabefe até você entender que não tô brincando com essa merda! É, um arrombado de lá me fudeu quando eu tinha 5 anos, que maravilha.... Logicamente como se não bastasse, me chamavam de menininha por ter esse nome e todo mundo soube do que havia acontecido.

- E ninguém fez nada?!

- Não. Nada. Eu nunca achei que o inferno poderia existir aqui na terra...

- A diretora não fez nada? Não chegou até ela?

- Era um diretor canalha que também cometia crime de gravar pornografia infantil em secreto.

- ELE FAZIA VOCÊS.... FAZEREM SABE... ENTRE SI?

- Infelizmente... Eu tentei fugir um monte de vezes mas não tinha pra onde ir. Sabe... Crianças órfãs não são valorizadas, fomos abandonadas pelos próprios pais. Muitos queriam abortar a gente, mas no final desistiram. Você foi abandonado quando tinha 8 anos não foi? - confirmo com a cabeça - eu cheguei nesse orfanato aqui um pouco antes que você.

- Mika... Me perdoa ter corrido antes de você. Eu sei que você não me machucaria caso eu não quisesse.

- Você tá confuso com seus sentimentos, eu entendo. Também estive por muito tempo. Eu achava que nunca iria arranjar uma esposa por conta dos meu lado podre. Mas quando você chegou aqui no orfanato, eu tive a absoluta certeza de que não ia casar com mulher alguma.

- NOSSA MIKA, QUE QUE EU TE FIZ? - Finjo estar magoado.

- Como disse antes, você roubou meu coração - Ele solta um sorriso belo e alegre.

- Mika... Tá tudo bem mesmo eu estar meio confuso?

- Se é o que o Yuu-Chan sente, então não posso forçar nada, no máximo provocar. - rimos e ele se deita do meu lado. Sua mão sobe até meu rosto e o acaricia. - Você foi a única pessoa na qual eu desejei que nunca descobrisse o que eu era por medo de te perder...

- Você ainda é essa pessoa. Não importa o quanto que você tente mudar, isso foi o que te tornou o que você é hoje, mas você não precisa ser rotulado com isso. E não se preocupe - abraço teu peito, sentindo teu cheiro bom me invadir. - Eu não vou sair do teu lado nem se eu quisesse, seu loiro oxigenado.

- Loiro oxigenado?! A senhora tá muito abusadinha pro meu gosto, rainha do sal!

- PARA DE ME ZOAR SÓ POR QUE EU SAI JOGANDO SAL EM TODO MUNDO FALANDO QUE ERA PRA ESPANTAR COISA FEIA QUANDO EU TAVA BÊBADO!!

- Yuu-Chan - Ele me abraça e nos cobre.

- Eu.

- Se eu fazer um churrasco você vai ficar bem longe da churrasqueira, se não vai matar todo mundo de pressão alta.

- .... Eu ainda vou te tosar seu puddle oxigenado.

- Nousa Yuu-Chan, um puddle? - viro de costas pra ele e o mesmo me abraça por trás. - Se eu sou um puddle, você é aqueles chihuahua todo arrepiado, sabe? - Jogo meu cotovelo para trás, acertando a barriga dele.

- Me chama de chihuahua arrepiado de novo que você vai acordar sem pinto.

- Você é um chihuahua por que só ameaça e treme. - Puxo teu cabelo e ele começa a gritar desculpas enquanto ri.

- Eu vou te matar um dia ainda...

- Só se for engasg- TA TA TA DESCULPA SOLTA MEU PINTO. - Volto a encostar a cabeça no travesseiro e sorrio bobo. Esse idiota me faz feliz já faz tanto tempo...

- Sabe, Mika... Você se equivoca as vezes. Eu também tenho criado sentimentos pra você desde muito tempo.

- Sabe, Yuu-Chan... Você se equivoca as vezes pensando que eu nunca ouvi você gemer meu nome enquanto bate punheta.

- P-Punheta? Que isso? É de comer?

- Em Portugal é - rimos e eu me aconchego mais perto dele. - Tô me sentindo uma galinha aquecendo um pintinho.

- Awnnn não se engane, você é piranha mesmo. - Ele belisca minha coxa me fazendo soltar um grito fino em meio as risadas.

- Se você namorasse comigo eu seria uma piranha domesticada.

- Vou pensar no teu caso...

- Mas enquanto não sou domesticado, talvez eu possa fazer algumas coisinhas de errado com uma pessoa que começa com a letra Y...

- A YAYOI? TA ME TRAINDO?

- Eu nunca faria isso com você Y U I CH I R O - Ele abraça minha cintura mais forte enquanto eu fico envergonhado quando ele fala meu nome lentamente.

- Larga de fazer isso comigo, seu besta. - Me encolho. Desde pequeno eu e o Mika dormíamos juntos quando tava frio. A gente pegava as duas cobertas nossas, se apertava e se cobria.

- Tinhamu - Ele beija minha nuca, me deixando arrepiado.

- Também tinhamu, galinha oxigenada. - rimos e passo o resto da noite acordado. Não estava com sono, já o Mika... - Galinha barulhenta, fica esmagando os pintinhos. - Empurro ele pro canto da parede de novo e viro de frente pro mesmo.

- Tô com fome... - Ele fala dormindo e me abraça, deixando um dos braços por cima do meu corpo.

- Você é um esfo... me... ado.... - Nossas cinturas se colam e bem... Digamos que eu senti algo que eu acho que não deveria ter sentido...

Levo um susto e empurro o Mika um pouco forte demais, fazendo ele bater a cabeça. Mas ele continuou dormindo, então tá de boa.

- Você tá duro...? - sussurro e toco no membro dele por curiosidade, em cima da calça, obviamente. - Deve ser por isso que você não para de se mexer, deve tá doendo... Você tá assim por causa que tá segurando xixi ou por... - coro e abaixo meu rosto.

- H-Hm - Ele geme baixo e faz cara de prazer enquanto se virava de barriga pra cima. Meu santo caralhinho.

- Se eu relar isso vai ser estrupo, se eu acordar ele, ele vai tirar com a minha cara. E se eu for dormir ele vai ficar roçando isso na minha bunda... Tô fudido.

4 da manhã e lá estava eu, plantado.

Mika rolando na cama, vem e para de cara com um lugar onde ele não devia.

- KYAAA! TARADO - Dou um tapa nele, que acabou o acordando.

- Noza Yuu, caralho tá doendo.

- Tua cara ou teu pinto?

- Por que a pergunta? - ele senta na cama com cara de sono.

- Você tá duro e não para de rolar em cima de mim.

- Você tá acordado a quanto tempo? - ele coça a cabeça.

- Não cheguei a dormir. Você ficou me esmagando.

- Então você ficou bisbilhotando os pintos alheios? - ele sorri pervertidamente pra mim e eu coro.

- Você ficou roçando essa coisa em mim, aí eu vi que tu tava duro.

- Quer me ajudar? Tô com muito sono pra bater punheta.

- Não é vontade de mijar? - Coço a nuca com vergonha.

- Nah, fiz um pouco antes de vir pra cá... É que sabe, dormir com a pessoa que você gosta não é muito fácil quando você cresce. - Já tava vermelho, mas é aquele ditado, não há nada que não pode piorar.

- Mika... - coloco meus dois braços no meio das pernas com um pouco de vergonha. - fazer sexo dói demais?

- Huh? Ah... - ele coça a nuca - Nas primeiras vezes dói se a pessoa não tiver cuidado... Sabe, depois de um tempo o corpo vai acostumar de qualquer forma. Tu não viu isso na aula de sexologia?

- Mais ou menos... Eles não ensinaram sexo... Entre dois homens - Fico entrelaçando meus dedos. - E quando você enfiou o dedo em mim doeu.

- Senta aqui no meu colo de frente pra mim. - ele bate as mãos nas coxas dele.

- Você tá duro - falo emburrado

- Vem logo, Yuu! - ele ri e eu faço o que ele pediu. Suas mãos sobem para meu rosto enquanto ele me encarava nos olhos. Me sentia um pouco paralisado por não gostar muito de encarar as pessoas nos olhos. - Seja qual for sua insegurança, eu estou aqui, e vou esperar até você se sentir pronto.

- Então... E-Eu tenho... Lubrificante no armário - Digo envergonhado e escondo o rosto no peito dele.- Eu tô com vergonhaaaa

- Safadinho você em - Mika inicia beijos por toda a extensão do meu pescoço e começa a me apertar contra ele.

- Mika...

- Você não quer continuar? - Ele para o que tava fazendo, mas seguro tuas mãos.

- Eu te amo - junto nossos lábios fazendo Mika cair de costas e eu por cima dele. Quando nos separamos seu rosto estava corado e ele não conseguia parar de sorrir. - Por que tá sorrindo tanto? - começo a rir

- Não deveria essa ser a reação que eu deveria ter quando o amor da minha vida fala que me ama? - sou pego de surpresa e quem começa a sorrir que nem besta, sou eu.

Sua mão ia contornando todo meu torço, me fazendo gemer cada vez mais alto. Era bem provável que alguém escutasse, mas que diferença faria?

Nossos lábios estavam inchados, e nossas ereções estavam ficando duras até demais.

Meu peito subia e descia ofegante a cada beijo, porém não parávamos.

- Você é uma galinha oxigenada muito linda pro meu gosto.

- Sou uma galinha importada da Rússia, meu bem - tornamos a selar nossas línguas, uma em volta da outra.

- Então eu acho que deveria te vender. Vai que você bota ovo de ouro?

- Nossa, como você é mal, neném - ele me pega no colo, colocando minhas pernas em sua cintura, enquanto pegava minha bunda.

Em meio aos beijos ele fuça minha gaveta de cuecas atrás do meu lubrificante.

- É bom saber que você usa isso pensando em mim. - ele morde meu lábio

- Você é muito convencido, amore. - desço do colo dele e sento na cama, arreganhando minhas pernas. - que tal você experimentar um prato novo?

- COF COF - Mika engasga

- Pera, você tá bem?? - Digo levantando e ele afirma com a cabeça e fica me olhando, iria babar daqui a pouco.

- Caralho, usa teu lado safado mais vezes pelo amor de Deus - ele me vira, fazendo eu me ajoelhar no chão de costas pra ele. Mika levanta minhas duas pernas, arrancando minha calça.

- Você prometeu que ia devagar!

- O trato é só quando eu estiver dentro de você. - Ele começa a morder forte minha bunda e costas. Sinto meu membro pulsar e meus joelhos doerem pelo frio. Subo de volta pra cama, deitando de barriga pra baixo, enquanto empinava a bunda.

- Vem Mika - falo com uma voz manhosa - meu membro está doendo - começo a rebolar e olho para o lado, tendo uma das melhores visões que já tive. Aquele homão da porra se despindo sensualmente selvagem, com seus cabelos bagunçados e rosto corado. - Fode o amor da tua vida - sorrio ao ouvir o pote de lubrificante se abrindo.

Sinto ele subindo na cama e enfiando os dois dedos na minha entrada, forçando bastante ela, pois estava apertada.

- Owwwh M-Mikaela - mordo o lençol enquanto sorria com a sensação boa.

- Você quer me fazer gozar antes de te penetrar? - ele pergunta assustado.

- Hum? Por quê? Não quer joguinhos? - sento no colo dele e coloco seus dedos de volta. Mordo tua orelha e sussurra - Não quer que eu cavalgue no teu membro, enquanto a cama range, nossos corpos se roçam. Minha entrada se aperta mais enquanto eu arranho tuas costas suadas e gemo teu nome. Seus dedos puxam meu cabelo para trás, me dando uma sensação de dor prazerosa. Não era isso o que você queria, Mikaela Hyakuya? - olho pra ele, sorrindo, e o mesmo engole seco, apertando minha cintura com uma mão. - apenas me foda, baby - puxo seu cabelo, fazendo tua cabeça virar para o lado e mordo teu pescoço.

Em um movimento brusco ele me põe de quatro na cama e tira seus dedos, enquanto eu sorria à espera de mais.

- Você é uma cadela, Yuu - Mika diz sorrindo malicioso e vira meu pescoço para o lado, me beijando com muito fogo no rabo.

- Sempre fui amore, só sei esconder muito bem. - jogo minha bunda pra trás, roçando em tua glande. Ele soltou um gemido muito gostoso de ouvir.

Mika segura minha cintura e vai me penetrando aos poucos enquanto cravo minhas unhas em tudo o que tiver na minha frente e minhas lágrimas caiam enquanto eu gritava.

- Isso é bom pra caralho, se fuder, Mika, quero mais dor, me faz tua puta. - gemo rebolando.

- É melhor eu esperar você se acostumar.

- Cala a boca e me fode logo - pego tua mão e levo até meu membro, masturbando-o. - Ah... Nhg - sinto ele apertando meu membro me fazendo sentir um pouco de dor.

Os movimentos iniciaram e meus gemidos de desespero começaram. Eu queria mais, doia, ardia e eu chorava, mas essa sensação era excitante e me fazia enlouquecer em meio lençóis molhados de suor.

A chuva caia lá fora e a madeira da minha cama era ameaçada de se quebrar.

Meu peito ardia e minha garganta doía, pedindo mais fôlego. Aquele prazer poderia me matar? Que eu morra gemendo com o Mika puxando meu cabelo, enquanto bate em minha bunda.

- M-Mikaaa, para de segurar meu membro, eu não aguento mais - digo sentindo o ápice vir. Eu havia segurado até meu máximo.

O mesmo rio e me lançou um olhar predador enquanto eu olhava pra trás. Aquele olhar foi meu máximo, fechei os olhos e o sêmen veio, mesmo sem estimulação e sendo bloqueado pela mão do Mika, apertando meu membro. Sinto minha visão embaçar e caio com o rosto na almofada, enquanto Mika me estocava mais rápido. Eu estava mole, não tinha mais controle, apenas gemia e sentia lágrimas caírem sem eu mandar.

Ele começa a me masturbar até que saia todo meu gozo.

- Nyaaaan - mordo o travesseiro enquanto ele aperta meu membro e chega em seu limite, se despejando dentro de mim com uma estocada forte.

Ele sai de dentro de mim e cai por cima do meu corpo morto, suado e melado.

- Foi dentro, desculpa. - Mika após alguns segundos fala e eu sorrio envergonhado.

- Não tem problema nenhum - beijo Mika novamente - Eu te amo muito, então deixo gozar dentro de mim. Aliás, teu leitinho é bom?

- Y-Yuu! - ele diz envergonhado e vira de barriga pra cima, me abraçando.

- Mas é sério, eu não experimentei.

- Se tiver outra vez, quem sabe - Mika sorri malicioso e eu rio

- Acabou o estoque? Mas já? Tá batendo muita punheta né burguês safado?

- Cala boca, Yuu, deixa eu me recuperar - Rimos e ele acaricia meu cabelo. - Você é incrível em todos os aspectos. Como consegue ser tão perfeito?

- Tô longe de ser perfeito - encosto minha cabeça nele, sentindo teu cheiro.

- É lindo, tem olhos lindos, um cabelo cheiroso, tem uma voz excitante, geme gostoso, tem uma bunda, que meu Deus.

- Use produtos Ivone - dou uma piscada pra ele e rimos.

Éramos dois idiotas que acabaram dando certo nesse assunto de amar. 


Notas Finais


Hihihi
espero que tenham gostado
Orfanatos não são iguais em Chiquititas
Desculpa qualquer coisa
Amo vcs
Bjs da Mary e fui! Tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...