1. Spirit Fanfics >
  2. Contos eróticos >
  3. Meu melhor amigo (Conto gay)

História Contos eróticos - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Meu melhor amigo (Conto gay)


Fanfic / Fanfiction Contos eróticos - Capítulo 6 - Meu melhor amigo (Conto gay)


Oi... me chamo João Pedro, e sou secretamente apaixonado pelo meu melhor amigo, Vini. É super aparente o quanto somos diferentes um do outro... eu tenho cabelo castanho claro... gosto de coisas simples e bonitas... sou geminiano... prefiro ficar em casa do que sair... tenho 1,75 e de vez em quando eu curto cozinhar... agora o Vini... meu Deus, ele tem cabelos loiros medianos... quase sempre está com um pirulito na boca, só usa roupas pretas... é sagitariano... anda de moto e adora uma festa... ah... e está SEMPRE cheiroso. Nos conhecemos com seis anos... minha mãe estava me deixando no jardim de infância, chegando lá eu fiquei sozinho em um canto, brincando de giz de cera, quando ele apareceu e começou a conversar comigo... depois desse dia, não nos desgrudamos.

Ano retrasado, eu finalmente me assumi gay... fiquei em negação por muitos anos... mas finalmente tive coragem... me sinto bem melhor assim. Mas o que eu não esperava, é que eu meio que "encorajei" meu melhor amigo a sair do armário também... até que me senti bem, sabendo que depois de mim ele se sentiu confortável para se assumir bissexual... de primeira ele acabou contando só para mim, pois a família dele tem mente fechada... mas depois ele contou à eles, e hoje todos sabem que eu sou gay e ele bissexual assumidos. Eu só não sabia que acabaria em completa paixão por ele... mas infelizmente não é recíproco... fazer o quê?

Altualmente temos 24 anos... estamos no último ano da nossa faculdade de publicidade... todo mundo animado para se formar... aquela farra toda. Estávamos saindo da última aula quando o Vini se virou pra mim, sentou numa carteira e disse:

-'Tamo indo pra um bar, bora?

-Você sabe que eu não bebo...

-Sim, eu também não...

-Ué?

-Ah, é que eu queria ir com o pessoal mas não tô afim de ir sozinho... só queria a companhia da única pessoa que eu converso haha...

-Ah Vini... sei não, acho que vou para casa direto...

Ele me olhou com uns olhinhos tristes... 

-Você vai deixar esse carinha - ele apontou para si mesmo - muito, muito triste...

Tentando fazer chantagem emocional? Ah meu querido... então funcionou.

-Tá booooooooooom!

-Uhu! Valeu amigo.

Chegando no bar, nos sentamos em um banco do lado do bartender... como não bebemos, apenas ficamos comendo alguns amendoins e ficamos conversando com alguns colegas de classe. Até que o Vini tirou um pirulito de cereja do bolso, sempre o mesmo pirulito que deixava a parte interna dos seus lábios e a língua vermelha... lindo.

-Vai acabar ficando diabético...

-Ah, vou nada... haha...

Uns cinco minutos depois ele começou a rir de alguma piada que alguém disse, me hiptotizei com aquela cena... como ele conseguia ser lindo, engraçado, fofo e sexy ao mesmo tempo? Sempre fiquei louco com aquilo. Depois de um tempo assistindo ele socializando, ele se virou para mim, mas não consegui tirar os olhos dele...

-Só não vai se apaixonar, hein?

-Já sou - falei sem pensar, puta que pariu! - quer dizer... ehhh.... tô zoando....

-Aha! De boas...

Ele me encarou um pouco enquanto lambia aquele pirulito, me senti comido vivo... ai Jesus... não olha assim pra mim... 

Ficamos umas duas horas nos divertindo, quando decidimos ir pra casa...

-Vem, eu levo você... sobe aí... - ele jogou um capacete preto da sua moto pra mim.

-Tá louco Vini? Eu não subo aí nem que me dê um milhão.

-Não se preocupa não, eu vou devagar...

-Sério?

-Sim... sobe aí...

(Nossa, isso tá parecendo um diálogo antes da transa...)

Coloquei o capacete, subi atrás dele e segurei forte ao redor da barriga dele...

-Vini?

-Oi?

-Não me deixa cair... tá?

-Haha... - ele deu um riso fofo e virou pra mim - jamais...

E realmente aquela moto saiu devagar... ele sabia que eu tinha medo de moto, pelo simples fato de causar acidente em várias pessoas todos os dias, causando até a morte, sempre briguei com ele por conta disso, mas ele, tão rebelde que é, nunca deu ouvidos. Agora eu estou aqui,  abraçando ele o mais forte que conseguia para não cair daquela máquina mortal, depois que ele estacionou na frente do meu prédio, me arrependi de não ter pego um uber, poderíamos ter caído daquela coisa... mas pelo menos, fiquei abraçado nele o tempo todo... e nossa, nunca percebi o quanto seu corpo era forte. Ele desceu da moto depois que estacionou de qualquer jeito, eu desci também.

-Nunca mais eu vou na sua onda. - exclamei - entendido?

-Claro, chefe.

-Bom, valeu pela carona... vou subir lá...

-Hm... ok...

Ficamos um pouco em silêncio, um esperando o outro fazer alguma coisa, até que ele tomou uma iniciativa e veio me abraçar...

-Vem cá vem... haha...

-Opa!

Me puxou pelo pescoço e me abraçou apertado... ahhh que abraço gostoso... eu amava abraçar ele, e amava quando ele me abraçava naturalmente em qualquer momento... será que é um bom momento dizer que eu queria aquele corpo só pra mim desde os 13 anos? Que eu queria que ele subisse agora comigo e ficasse lá para sempre? Acho que não...

-Eaí? Está pronto para a última semana da facul? - ele perguntou...

-Na verdade não... mas foram bons anos... vou sentir saudade de você me irritar todo dia ás 13h00...

-Ahh... eu ainda vou continuar te irritando... pro resto da vida... haha!

-Ai de mim... hahahaha...

Ele se desencostou do nosso abraço e acenou...

-Tchau pequeno!

Acenei de volta, revoltado... pequeno? ELE ERA 5CM APENAS MAIS ALTO QUE EU!

Entrei no hall e subi pro meu quarto...

No dia seguinte, ele me mandou mensagem enquanto eu cozinhava um risoto com camarão de almoço...

"Opa! Posso passar aí? Não precisa responder, já estou a caminho mesmo... ah, está cozinhando? Claro, você sempre cozinha... espero que sim, tô levando champagne de maçã verde sem álcool para os dois gays bêbados falsos... beijos..."

-Ai ai...

Cinco minutos depois o interfone tocou, corri e apertei o botão...

"Oi..."

"Vini..."

"Pode subir..."

Do nada ele me aparece com sua mochila, me cumprimenta com um cheiro na bochecha e coloca o champagne gelado em duas taças... 

-Hummm o cheiro está ótimo... o que está fazendo?

-Risoto de camarão...

-Então acho que chegei na hora certa... - brincou...

Olhei para ele de cima a baixo... uau... que homem mais sexy meu Deus... ele estava com uma blusa manga longa preta, mas estava dobrada até os cotovelos, seus cabelos  loiros e encaracolados  emolduravam seu rosto perfeito... ele estava com a barba recém feita, um cheiro de hortelã incrivelmente excitante que perfumou o ar quando ele passou... e um óculos de sol bagunçado na cabeça... me arrepiei ao fantasiar com ele durante dois segundos... ele se arrumou tanto, só pra vir me ver...

Passamos o dia todo juntos... bebemos aquele champagne que ele trouxe e comemos meu risoto, que ele fez uma careta de prazer quando deu a primeira garfada no camarão... disse que estava incrível, e que eu era um ótimo chef. Conversamos sobre tudo da vida... até que começou a anoitecer, e ele teve a ideia de ir para a minha varanda assistir o espetáculo que o céu fazia. Fomos juntos até a minha pequena varanda e nos sentamos no banco, o sol começou a baixar, como consequência meu apartamento todo ficou laranja... muito lindo... e também, o sol dava um show do rosto do Vini... meu Deus... que homem mais lindo... tudo que eu queria era pular no colo dele, beijá-lo o mais quente que eu conseguisse e deixá-lo fazer o que quiser comigo... o clima estava leve, calmo, simples... estava tão perfeito, parecia que o mundo girava entre nós dois. Alguns segundos se passaram até que ele me flagrou encarando seu rosto, maravilhado com tamanha beleza...

-O que foi...?

Só tive uma única reação instintiva... eu sei que eu poderia arruinar nossa amizade, mas eu não conseguia mais me segurar. Entrelacei minhas mãos no seu pescoço... o encarei por uma fração de segundos... quando me aproximei para beijá-lo, vi seus lábios formarem um sorriso tímido e senti suas mãos puxarem meu corpo para si, foi quando percebi que seus sentimentos eram tão verdadeiros quanto os meus... e sem nenhuma dúvida, o beijei. Nossos lábios se encaixaram de primeira... nossos corpos estavam em perfeita sincronia... o céu começou a escurecer e tudo que eu queria, era ele.

-Uau... - foi tudo que consegui dizer...

-Eu não fazia... ideia...

-Você também... gosta de mim... como, como eu gosto?

-E eu acho que até mais... - ele brincou, e voltou a me beijar de língua...

Com aquela força de outro mundo, ele me pegou no colo, e sem olhar o caminho, me levou para o quarto...

Nós dois estávamos deixando nossos corpos agirem por eles mesmos... comecei puxando sua blusa para cima, relevando aquele corpo musculoso, mas não exagerado... e ao mesmo tempo lindo, ao passo que também começamos a tirar nossos cintos... e sapatos... e calças... e... meu Deus...

Ele começou a dar altos chupões no meu pescoço... me enchendo de marcas... passei uma mão pela suas costas e a outra pelos seus cabelos... me entregando completamente á ele. O clima começou a ficar quente... espera... quente não, pegando fogo! Quando senti seu pau duro já encostar na minha cueca... uau... era tão grande... ele começou a beijar a minha barriga... e foi descendo... até dar de encontro com meu pau já duro...

-Espera... - falei baixinho... ele me encarou lá de baixo... - você... tem certeza...?

-Nunca tive tanta certeza na minha vida toda... e você...?

-Bem... eu também te quero... muito.

Ele me deu um sorriso fofo, em seguida puxou a minha cueca para baixo, e começou a me chupar forte...

-Hummmm.... ahhnn... delícia...

Vendo que eu estava gostando, aumentou a profundidade e velocidade da chupada, ao mesmo passo que começou a me masturbar...

-Ahhhnnn... gostoso...

Ele me fez ter um orgasmo em apenas um minuto... e enquanto voltava a me beijar, acabou soltando um "eu te amo"... corei de vergonha, acabei fingindo que não escutei... não sei se estava pronto para dizer "eu também te amo"... é claro que eu também o amava, e muito, mas resolvi esperar um momento mais adequado...

Ele voltou a me beijar de língua... senti muito tesão quando senti seu pau molhado de prazer encostar no meu cu... eu queria... eu queria aquilo logo...

-Vai amor... coloca... pode colocar...

Ele agarrou meu pescoço, me fazendo olhá-lo nos olhos, e devagar, foi enfiando seu pau duro naturalmente lubrificado... e nunca senti nada tão bom quanto o pau do homem que eu amava entrando e saindo de mim...

-Ahhhhnnnn.... humm.... 

-Hummm... gostoso...

Ele me colocou de quatro na cama e voltou a meter fundo em mim... ele apertava a minha bunda com uma mão e com a outra começou a bater uma no meu pau... ahhhhnnn... estava prestes a gozar... hummmm. E sem querer, acabamos por gozar juntos... sujando todo meu colchão... mas não importava, aquela noite, foi... quente. E a melhor da minha vida... dormimos juntos e abraçados. No dia seguinte àquela noite, esclarecemos melhor nossos sentimentos no café da manhã... e, oficialmente, eu sabia o quanto estávamos apaixonados... e que passaríamos o resto dos dias que nos restavam juntos. Ele se mudou para o meu apartamento, e oficializamos nosso relacionamento...


Notas Finais


Gostou? Comenta aí o que achou... aproveita pra me seguir também...
E se quiser deixe sugestões para próximos capítulos 😉🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...