História Contos eroticos XXII - namoradas 2 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Hentai, Orange
Visualizações 331
Palavras 1.610
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Orange
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capitulo unico


Luana corou, como sempre acontecia, quando seus lábios tocaram os da namorada. Já namoravam a quase dois anos, mais para Luana ainda havia um resquício da sensação de primeiro beijo toda vez que se beijavam. Ainda sobrara um pouco daquele encanto mágico, o mundo podia não mais girar quando elas se beijavam, mas ao menos tremia um pouco, e seu coração acelerava levemente.

Estavam as duas na área oeste do campus da faculdade, o local mais deserto do campus aonde quase ninguém ia. Ate mesmo os funcionários da limpeza pouco passavam por ali. Não era que Luana, ou sua namorada, Amanda, tivessem vergonha de se beijarem em público, longe disso, mas os olhares de reprovação, espanto, ou, ainda pior, aqueles olhares de fetiche dos homens que adoravam ver duas meninas se agarrando era por demais incomodo, e, com toda certeza quebrava qualquer clima romântico que pudesse surgir.

Aonde estavam não haviam bancos, apenas um pouco de grama, paredes por todos os lados em uma espécie de “beco”, que se formava entre o prédio do curso de informática e o do curso de matemática. As duas estavam sentadas lado a lado no chão, Luana, de cabelos negros longos e olhos da mesma cor, com um rosto delicado e traços sutis, vestia uma calça jeans e uma blusinha curta de cor laranja que deixava os ombros e braços a mostra. Amanda era bem semelhante a namorada, cabelos negros, também longos, mas os olhos possuíam um azul claro encantador. Vestia um short curto, mas sem ser vulgar, sandálias e um tomara que caia preto. Ambas estavam no quarto semestre de seus cursos.

Quando o beijo terminou Luana recostou a cabeça no ombro da namorada que acariciou-lhe os cabelos. Ela sorriu, levemente tímida, gostava dos carinhos, não só dos de Amanda, mas de qualquer um.

- Então... como ficou aquela situação da sua tia? – perguntou Amanda delicadamente. Luana e sua mãe estavam tendo sérios problemas por causa da tia, problemas financeiros.

Luana respirou pesadamente, não queria falar sobre aquilo, não naquele momento. Os problemas familiares já a atormentavam todos os dias, ficar com a namorada era uma de suas poucas fugas e ela queria aproveitar cada segundo com Amanda.

- Esta tudo bem, esquece isso Amanda – respondeu evasivamente.

- Ok, mas se você quiser conversar eu...

- Amanda, eu estou bem – disse de forma rude, mas foi algo que não teve como evitar, as palavras simplesmente saíram.

O assunto morreu e o silencio tomou conta do ambiente como uma nuvem pesada de tempestade. Luana se sentia culpada por ter respondido daquela forma, sabia que a namorada estava apenas preocupada com ela. Sem vontade, porem, de pedir desculpas ou voltar ao assunto pegou seu celular e começou a fingir que prestava atenção nas mensagens que lia.

Amanda por sua vez baixou a cabeça e distrai-se olhando para o chão, perdendo-se em pensamentos banais. Ficaram as duas assim, cada uma tentando se distrair a sua maneira ate que não aguentaram mais aquele clima de indiferença. Amanda foi a primeira a ceder.

Sem dizer palavra alguma puxou a namorada mais para perto, abraçando-a de lado com carinho e posse, beijou-a novamente, dessa vez com mais intensidade que o beijo anterior. Luana retribuiu, o beijo havia selado uma espécie de pedido de desculpas entre elas. As duas se abraçaram mais forte. Luana apoiou as mãos nos ombros de Amanda que por sua vez acariciava-lhe as costas.

- Desculpe por ter sido rude... sabe que eu amo você não sabe? – perguntou Luana com um sorriso meio bobo e apaixonado no rosto. Seus mamilos estavam levemente enrijecidos, ela sempre se excitava fácil, mas também como poderia ter alguma dificuldade tendo uma namorada tão linda e amável?

- Sei sim amor – respondeu Amanda com um sorriso e voltou a beijar a namorada.

As duas continuaram por algum tempo ate que os beijos se tornaram mais quentes e, sem perceber, elas já começavam a passar dos limites. Amanda deslizou as mãos pelos seios de Luana, por cima do tecido da roupa, e ela gemeu em resposta.

- Amanda, ahh... estamos indo meio rápido...

- Na verdade acho que deveríamos acelerar mais... estamos indo devagar, isso sim – respondeu a outra beijando o pescoço de Luana e então continuou, ainda mais quente e excitada – já disse que você fica uma gracinha gemendo?

Luana corou mais e sentiu que seu corpo começava a ferver e suas roupas se tornavam bastante... incomodas. Mesmo assim a voz da razão falou mais alto, educadamente ela tentou afastar Amanda, mas como ela não cedeu Luana a afastou sem educação nenhuma com um empurrão um pouco brusco.

- Droga Lu... você sabe mesmo como quebrar um clima! – disse irritada depois de ser afastada.

Luana ainda precisou de alguns segundos para se recompor. Só porque o clima fora quebrado não significava que ela havia esfriado, seu corpo ainda estava bem quente e ela ainda podia sentir o gosto dos lábios da namorada.

- A culpa é sua por tentar “criar um clima” em um lugar desses. Já pensou se alguém nos vê aqui? Se dependesse de você já estaríamos nuas no chão em uma cena típica de um filme pornô!

Amanda segurou um risinho, em sua mente pretendia fazer um belo filme pornô ali, mais que um filme, uma trilogia. Mas mesmo ela sendo a menos sensata do casal Amanda também pensava com sensatez, sabia que não podiam se agarrar ali, se alguém visse poderiam ate serem expulsas da faculdade.

Ela se levantou e sem dizer nada puxou Luana pela mão que precisou quase correr para acompanha-la.

- Esta me levando para sua casa ou para um motel? – perguntou Luana olhando confusa para Amanda. A namorada apenas virou o rosto para fita-la e respondeu em um tom divertido e enigmático.

- Sejamos criativas Lu, vamos sair da rotina.

Para Luana sair da rotina era o mesmo que fazer algo imprevisível, e fazer algo imprevisível tinha riscos. Ela era do tipo de pessoa que gostava de ter tudo planejado, odiava surpresas.

- Eu gosto da rotina... – disse com um suspiro sabendo que não conseguiria fazer Amanda mudar de ideia, a namorada era tão teimosa quanto uma mula.

Amanda levou Luana ate uma sala no fundo do corredor e fechou a porta. Ao se ver sozinha entre quatro paredes sorriu maliciosa para Luana se aproximando dela de uma forma sensual. Seus lábios se moveram de uma forma erótica e cheia de desejo quando ela falou:

- Sempre quis transar em uma sala de aula, você não? – envolveu o pescoço de Luana com os dois braços e lhe deu um beijo demorado nos lábios.

- Não, não mesmo... – disse Luana tentando esconder a excitação. Realmente não queria transar em uma sala de aula, mas queria transar com Amanda independente de onde fosse.

- Mentirosa! – disse Amanda com um riso gostoso puxando a namorada para perto e beijando-a com firmeza e paixão. Luana tentou resistir, por uns dois segundos, mas depois se deixou levar pela onda de desejo que sentia. Retribuiu ao beijo e foi além disso, começou a despir as roupas de Amanda enquanto era despida por ela.

Não demorou muito para que as duas estivessem nuas cercadas por carteiras vazias e varias peças de roupa no chão. Eram bem parecidas, o que ficava ainda mais visível com a nudez. Elas se abraçavam e se apalpavam cheias de desejo, parecia uma guerra de mãos e línguas, gemidos e chupões. Os corpos estavam colados e Luana segurava com firmeza a bunda da namorada.

Amanda estava adorando aquilo, era melhor do que como ela tinha imaginado, e ela já havia imaginado a situação algumas vezes. Ela sentou a namorada na mesa do professor e abriu as pernas dela. Luana corou muito desconcertada. Aquilo só fez com que Amanda sentisse mais prazer no que faria a seguir.

- Adoro brincar com essa belezinha que você tem entre as pernas Lu – disse maldosa se ajoelhando e dando um chupão na vagina de Luana. A garota teve que morder o lábio inferior para conter um gemido.

- M... mais devagar... – Luana estava arfando, sexo oral era sua fraqueza, sempre se derretia feito manteiga quando faziam aquilo com ela.

Amanda fez exatamente o contrario, aumentou o ritmo, lambendo com gosto a vagina da namorada. Luana conteve os gemidos por um tempo, mas depois não aguentou mais e gemeu alto. Inconscientemente ela colocou as mãos na nuca da namorada empurrando-a com força contra a própria vagina.

Depois de alguns minutos Luana finalmente teve um forte orgasmo e precisou se apoiar na mesa com as mãos para não perder o equilíbrio. Amanda se levantou os lábios úmidos do orgasmo da namorada.

- Gostou disso Lu? – perguntou passando a língua pelos lábios.

- S...sim... – respondeu atrapalhada desviando o olhar para baixo. Havia mesmo gostado, mas se sentia muito indecente fazendo amor em um lugar como aquele.

Amanda sorriu satisfeita e disse que queria que ela fizesse o mesmo. Luana apenas assentiu positivamente muito vermelha e ajoelhou-se tocando a vagina de Amanda com cuidado e carinho. Começou com algumas lambidas tímidas, mas depois depositou alguns beijos e ate masturbou um pouco Amanda.

- Hmmm... isso. Quem te vê tão imagina que você é assim tão safadinha Lu.

Luana nada respondeu, estava muito envergonhada e com a boca ocupada. Depois de algum tempo Amanda chegou também ao orgasmo. Luana se levantou ainda vermelha.

- Vamos parar Amanda... se alguém entrar aqui e nos ver...

Amanda cedeu, já estava satisfeita e tinha que concordar que seria mesmo um problema se alguém as visse. As duas foram embora, aquela havia sido a primeira vez que haviam feito sexo em um lugar tão arriscado, mas seria a ultima?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...