1. Spirit Fanfics >
  2. Contos fragmentados -Morgana >
  3. Dia Onze

História Contos fragmentados -Morgana - Capítulo 10


Escrita por: FoioMikael

Capítulo 10 - Dia Onze


Fanfic / Fanfiction Contos fragmentados -Morgana - Capítulo 10 - Dia Onze

Do nada Leda acorda, mas esta em um lugar estranho, um lugar banhado de aguas rasas e negras. Completamente sozinha, nua e confusa, olha para todos os lados e só vê o nada, quando olha para si mesmo vê que emitia uma luz, mas uma luz fraca.

Sua primeira reação é se cotar para ter uma ideia se era real, ela toca no seu rosto e percebe que seu cabelo esta curto, segue para região dos seios e percebe que estavam mais macios que o normal - Leda percebe essas sutis mudanças em seu corpo, mas não acha suficiente para se preocupar -.  Ate que ela olha para seus ante baraços, percebe que sua pele estava pálida, mas isso não a preocupou momentaneamente - mas tinha que ter algo estranho -. Leda então olha para parte de baixo do ante braço e vê vários cortes que formavam um desenho, um numero sete, mas aparentavam estar cicatrizados. Então Leda toca na cicatrizes, elas se abrem e começam a jorrar um liquido negro. Leda se assusta e começa a gritar, e esse mesmo liquido negro começou a sair de seus olhos e ouvidos.

Já desesperada Leda corre por puro extinto, um de sobrevivência, mas percebe que não adiantaria muito, pois mesmos correndo no desespero ela não saia do lugar. Então para, olha para os lados e só vê o nada um completo breu  molhado;

- Morganaa! Morgana! – Leda Grita -.

Já cansada de gritar ela se senta em posição fetal, assim começando a chorar - Mas suas lágrimas eram negras, como o liquido de antes -. Lá sentada em posição fetal ela percebe um pequeno movimento na agua, ate que começa a diminuir o nível, e sente um toque molhado no seu ombro direito, assustada ela olha para traz, e vê uma silhueta negra de uma mulher, com uma mistura de medo e curiosidade ela se aproxima de tal silhueta, e tem um sentimento de já ter visto ela em algum lugar. A silhueta então estende a mão para Leda, que hesitante e lentamente estende a sua também, quando as duas se tocam a silhueta cai como agua, puxando assim Leda para baixo, mas estranhamente Leda não bate no chão, ela é puxada para um lugar cheio de água, e quando esta começando a se afogar ela acorda.

  Leda acorda assustada e tossindo, sua primeira reação foi tocar em seu peito.

- Ai...Leda tudo bem?

- Uhfa!  E você Morgana, desculpe te adordei?

- Deixa pra lá Leda Já era para mi ter acordado.

Leda ainda confusa olha para os lados, e vê que estava fora de sua casa, nua e deitada encima de uma pele de animal ao lado de Morgana deitada também nua. Quando tem umas pequenas lembranças, ela olha para seu ante braço e vê os cortes em forma de sete, mas não cicatrizados; Quando leda o toca ela sente dor.

- O que foi leda da doendo? – Morgana se senta ao lado de Leda -.

- sim, esta. Tá doendo muito.

- Vem cá eu vou dar um beijinho para melhorar. - Leda então estende o braço para Morgana que o beija -.

Quando Morgana termina seu beijo, Leda para de sentir dor e o ferimento cicatriza.

- Quê? Morgana! Mas... pera ai foi você que fez esses cortes em mim?

- Mas é claro, pensou que fosse quem? Eu tenho ate uma igual olha. – Morgana estande o braço para Lede e mostra uma cicatriz idêntica  e no seu ante braço -.

- ué? Como assim? Eu já ti vi  nua varias vezes, e simplesmente na vi uma cicatriz e forma de sete?

- Surpresa?  Eu tenho essa desde os dez anos, Acho que você não conhece meu corpo assim tão bem.

- Seu corpo é todo meu, mas posso não conhecer tudo, um dia vou. – Leda então passa as mãos no cabelo colocando-o para frente de seus seios -.

- Oque! Quando meus cabelos ficaram negros?

- Nem lembro, para mim sempre foram.

Nesse momento Leda estava extremamente confusa, mas já estava cansada de ficar assim, decide então não pensar em nada. Leda então coloca as mãos no rosto de Morgana a beija e fala:   

- Não preciso pensar em nada agora, o que preciso é de você!

- E eu de você. - Morgana então a beija e deita Leda -.

- Leda não pense, não faça nada só desfrute, hoje eu farei tudo. -  Leda então abre as pernas e esvazia a mente, e logo em seguida sente a língua gelada de Morgana passar pelas suas coxas, ate que essa mesma língua chegar a adentrar sua vagina  –.

- Ahhh! Morgana que língua gelada, a te parece sua língua esta morta.

- Leda já falei para não pensar em nada, só sinta, e minha língua gelada é só um detalhe.

  Leda então faz de tudo para parar de pensar na tal língua gelada, esvazia a mente mais uma vez e só desfruta o momento, uma hora ate o orgasmo, então as duas ficam cansadas e sonolentas.

- Morgana! O pequeno Riddle? – Leda então dorme/desmaia -.

Morgana vê Leda desmaiar, mas não se preocupa muito, e se levanta para procurar o Riddle, Morgana então olha para os lados, mas não vê o pequeno riddle, então ela adentra em sua casa e procura em todos os lugares, mas não o acha – Quando ouve um barulho estranho vindo dos fundos da casa -. Morgana então segue esse som, que a levou ate um cemitério – o cemitério de sua família – Do lado de uma arvore velha, ela podia ver um ser pequeno, rindo e fazendo um movimento bem parecido com apunhaladas.

Quando Morgana se aproxima ela percebe que era uma criança, uma criança de cabelos negros, sim era o não tão pequeno Riddle esfaqueando um animal pequeno.

- Oi Riddle, desde quando você começou a esfaquear animais?

- Mãe, foi hoje.

- Riddle? Você esta falando? Assim com menos de um mês?

- Não te jugo, quando a mãe tinha seu tamanho ela já matava filhotes de galinha.

- Como você disse mãe eu sou diferente, eu sou mais forte.

- Éh... Isso é meio estranho não acha leda?

- Mãe Morgana, a mãe leda não tá aqui.

- Ah.... É mesmo temos que acordar e ver se ela tá bem. -Morgana então pega o Riddle no colo e o leva para dentro -.

Leda é acordada por Morgana alguns segundos depois, depois de levar um pouco de agua na cabeça 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...