História Contos Victor and Yuri!!! - Capítulo 18


Escrita por: e Toadstool

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Mari Katsuki, Otabek Altin, Victor Nikiforov, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Visualizações 175
Palavras 1.521
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


eeeeitaaaa demorou mais saiu!!!!
mil desculpa pela demora ^^ espero que gostem da segunda parte do Yurio cuidando do Kei
a imagem do cap foi feita por mim Toadstool ;) n pergunte como kkkk
bom, boa leitura ai, q o cap ficou enorme comparado os outros

Capítulo 18 - É Nosso Segredo


Fanfic / Fanfiction Contos Victor and Yuri!!! - Capítulo 18 - É Nosso Segredo

Otabek entrou na casa indo direto pegar o bebê. Colocando no colo e balançando.

- shi shi shi, ta tudo bem. – começou a cantar uma musiquinha baixinha e aos poucos o pequeno se acalmou. Olhou para o namorado em pé o encarando como fosse mata-lo. – Yu...

- calado. – falou dando as costas e seguindo para cozinha.

 

Quando o menor saiu do banho, de cabelos molhados e roupas limpas encontrou o maior descendo as escadas.

- ele dormiu. Você ta bem?

- maldita hora que concordei em ajudar o Yuri e o Victor, maldita hora. – se lamentou indo para o sofá.

- calma, isso não é nada demais. Você só não pegou o jeito ainda. Tenho certeza que será um ótimo pai. – Yurio o fuzilou. Fazendo o moreno se encolher no outro sofá.

Depois de jantarem ficaram na sala assistindo.

- o Yuri já ligou? – Otabek perguntou.

- já mandou umas dez mensagens. Perguntando se ele já comeu, se dormiu. – Otabek riu.

- tenho que ir.

- quê? Mais já? – o maior sorriu dando um selinho no namorado.

- desculpa.

- se eu não te ligar em uma hora, você venha a meu socorro. – o moreno riu.

 - venho sim.

Assim que Otabek saiu, Yurio desligou a TV checou se todas as janelas e portas estavam fechadas, e subiu para o quarto de hospedes. Ainda era cedo, mas Kei sugou todas as energias do loiro. Mandou uma última mensagem para o namorado, e deitou para dormir.

 

 

Yurio não sabia que horas eram, estava tudo escuro, mas via uma luzinha verde piscando. Coçou os olhos e logo o som repetitivo de choro vindo da baba eletrônica. Levantou de presa seguindo para o quarto ao lado. O choro do pequeno era alto. E se perguntou o por quê dele estar chorando novamente, havia comido bem, chegou a fralda que ainda estava sequinha e limpinha, a temperatura do quarto estava ótima mas mesmo assim o pequeno chorava.

O pegou no colo, e começou a balançar. Cantou, tentou brincar com o garoto, mas mesmo assim ele continuava com o choro e as espernear.

Já estava desesperado prestes a liga para Yuri e o mandar vim para casa, pois seu bebe não para vá de chorar. Mas ai uma luzinha acendeu em sua cabeça.

- cólica! – falou sorrindo. – own desculpa eu sei que ta sentindo dor mas vai passar. – falou todo carinhoso, de um jeito que ninguém acreditaria.

Levou o pequeno para o andar de baixo.

- certo como se alivia cólica de bebe? – perguntou pro nada. – merda! – falou mas logo viu que o bebê estava li – desculpe. O Otabek vai me matar. – pegou novamente o garotinho que chorava, - calminha calminha, vai passa.

Subiu a escada rápido chegando ao quarto pegando o celular e colocando para chamar no número do namorado.

- Yu? Ta tudo bem?

- rápido me diga o que fazer para aliviar a cólica de bebê!

- o quê?

- ande diga logo! Você tem um irmão pequeno!

- ele tem cinco anos não tem mais cólicas!

- eu preciso sabe o que se faz! – falou já desesperado o bebe estava vermelho, de tanto chorar.

- tudo bem, tudo bem... Eu vi na TV que é bom massagear na região da barriga, ou dar compressa com uma fralda molhada e também banho quentinho, em um ambiente agradável, e se possível converse com ele.

- como é?

- é Yuri converse com ele, coloque uma musiquinha, massageei a região da barriguinha dele. – o loiro suspirou, mas tinha que fazer já estava lhe doendo por não poder fazer a dor passar.

- ta ok, tchau. – falou já desligando sem dar tempo do outro na linha dizer alguma coisa.

Correu pro banheiro. A bandeirinha estava lá no suporte. Ligou o chuveiro colocando em uma temperatura morna logo encheu a banheira. O que deu um certo trabalho, já que o pequeno estava em seu braço.

- pronto vai passar. – tirou rapidamente a roupinha e com cuidado colocou o bebezinho na banheira. O garotinho se debateu um pouco - pronto, pronto... vai passar, vai passar. - Yurio começou a massagear a região de baixo da barriga.  O choro foi suavizando. Mas ainda chorava. – tudo bem, vamos conversar um pouquinho, huh? – puxou uma cadeira que tinha próximo a banheira. - Talvez o Yuri ou o Victor já tenha feito isso, para ter uma cadeira em um banheiro.

Sentou, uma de suas mãos o segurava pelas costas, e a outra trazia agua da banheira para seu corpinho, e massageava na região da barriga.

- bom... eu não sei muito sobre o que conversar com bebês. Mas – deu de ombros. A voz do loiro estava suave e bem próxima ao ouvido do menininho. – seus pais, vamos falar dos seus pais. Eu conheci seu papai Yuri a muito tempo, a gente não se dava bem no começo. Mas aos poucos nos tornamos amigos, eu espero que um dia quando você for grande, conheça uma pessoa como seu pai Yuri, e que vocês sejam amigos pelo resto da vida. É isso que eu quero, ser amigo do seu pai até o fim, mas não conte isso pra ele. É nosso segredo. Também quero ser amigo pra sempre do seu outro pai o Victor. Não sei se quando você crescer vai ser do nosso time ou do outro, ou dos dois... Bom isso não importa, mas desejo que você conheça alguém como o Victor. Ele é incrível, você vai perceber isso quando ficar maior, mas também não conte isso a ele. Ele já é bem convencido imagina se descobri que eu o admiro, como uma boa pessoa, um bom pai, nem quero pensar. Pode guarda esses segredos Kei? Huh?

Olhou para o pequeno em seus braços, havia parado de chorar, mantinha os olhinhos quase fechados.

- melhor eu tirar você dessa agua, já está ficando fria. – falou levantando, puxou a toalha. E enrolou o menino e seguiu para o quarto.

Trocou o garotinho rapidamente. Para que não ficasse doente.

Assim que tentou colocar o garoto no berço o pequeno começou a chorar. Fazendo o loiro se erguer e balançar o menino. Que parou com o choro. Tentou por novamente, e garoto chorou de novo.

- você não quer dormir em sua cama não? –olhou para o garoto que o fitava. O loiro respirou fundo – tudo bem...

Seguiu para o quarto de hospedes, abriu o guarda-roupa com a mão livre tirou alguns edredons. Fez um cercadinho com eles. Apagou a luz deixando apenas a do abajur próximo a cama aceso. Deitou e começou a fazer um carrinho na cabecinha do bebê.

Não demorou mais que dois minutos até o pequeno dormir. E nem um segundo para o loiro se entrega ao sono, estava cansado, cuidar de um bebê não era nada fácil, principalmente quando era uma mistura de Yuri e Victor.

 

Yurio acordou em um susto com o som do celular.

- merda... – resmungou saindo das cobertas, olhou para a criança ali, dormia tranquila. Levantou da cama e atendeu o celular. – alou – disse em um quase resmungo.

- está vivo?

- estou, e planejo matar você por me ligar uma hora dessa. Não tem mais o que fazer não? – Victor gargalhou do outro lado da linha. - ande Victor o que você quer?

- saber como estar meu filhote

- dormindo. – Victor riu novamente. – onde estar Yuri que já não tomou esse celular de sua mão. Para me encher de perguntas?

- dormindo. Podemos dizer que eu dei uma canseira nele.

- eca! Eu não precisava saber disso! – reclamou. – eu vou voltar a dormir, ok? Tchau – desligou interrompendo a gargalhada do maior. – enquanto eu sofria desesperando com você chorando, seus pais estavam em uma segunda lua de mel. – falou para Kei que permanecia dormindo.

 

 

 

Estava em um sono profundo e gostoso quando despertou por conta de um certo barulho, abriu os olhos encontrando, Yuri e Victor em pé a sua frente o observando cheios de sorrisos.

Yurio fez uma careta e se espreguiçou.

- perderam alguma coisa?

- você dormindo com o Kei é muito fofinho! – falou o maior.

- não enche! – reclamou sentando na cama, olhou para o pequeno que permanecia dormindo.

- pelo visto vocês se deram muito bem! viu Yuri. – olhou para o marido. – podemos chamar o Yurio sem...

- não! – se pois de pé – não mesmo! eu amo seu filho, mas não me peçam para cuidar dele. Eu fui golfado, eu estou com sono, cansado, com dores em todo corpo, e a fralda! Meu Deus! Eu estou traumatizado, aquilo fede daquele jeito mesmo? É normal ele fazer umas cinco vezes no dia? Eu não quero ter filhos admiro sua coragem para terem um. – terminou de falar os dois maiores o encaram e logo caíram na gargalhada. – não riam! – bufou. – eu vou embora. – com cuidado se inclinou sobre a cama e deixou um beijinho no pequeno - Não me liguem, pretendo dormir até o ano que vem. – falou já caminhado para porta.

Saiu do quarto deixando o casal e a criança para tras. Mas escutou quando o Victor falou.

- obrigado Yurio, amamos você! – o menor sorriu espontaneamente e desceu a escada.


Notas Finais


é isso
desculpem se n ficou como queriam, mas espero que tenham gostado.
pretendo escrever mais sobre o Yurio e o Kei kkk
até o próximo! flw vlw
E MUITO OBRIGADO PELOS 80 FAVORITOS!!!!!!!!!! AGRADECEMOS!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...