1. Spirit Fanfics >
  2. Contract- Kim Namjoon. >
  3. Capítulo 5

História Contract- Kim Namjoon. - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo 5


O silêncio reinava na sala do presidente, eu estava curiosa mas a tensão que nos envolvia, por algum motivo era tão grande que eu não ousei ser a primeira a falar.

O senhor Park pigarreou se ajeitando na cadeira e nos lançou um sorriso que de longe eu percebia ser falso.

- bem Namjoon, como sabe, Luna lidera um outro grupo da nossa empresa e elas estão no aguardo para debutarem- começou PD Nim.

Namjoon me olhou por dois segundos e concordou com a cabeça.

-sabe também que o Extreme, como o próprio nome diz é um grupo extremamente diferente de todos que já foram debutados na Coreia até hoje.

-estou ciente de tudo isso SiHyuk-ssi, mas ainda não entendo onde quer chegar.

-Namjoon-ah... somos uma grande família, é a família precisa se apoiar...

-certamente- Namjoon respondeu cortando a fala do presidente.- por favor, podemos parar de enrolar?

SiHyuk suspirou audivelmente e deixou que o advogado tomasse a frente.

Senhor Park colocou um caderno preto um tanto grosso em minha frente, e um igual a frente de Namjoon.

Encarei a capa, por algum motivo temendo abrir e ler o que tinha dentro.

-aqui está, a forma de ambos ajudarem a família.- SiHyuk diz nos encarando fixamente e percebo que Namjoon abre o caderno.

Estudo suas reações com calma e atenta.
Percebo quando suas feições passam de preocupadas para confusas, após incrédulas e então raivosas.

-o que que é isso?- ele parece chocado.

PD Nim não demonstra nada e agora, definitivamente com medo eu abro o caderno.

"C.C.A- Contrato de Compartilhamento Afetivo"

Confusa eu continuo lendo e, a cada nova frase eu sinto como se eu fosse vomitar a qualquer momento.

"Do presente momento em diante nos próximos oito meses-243 dias- os contratados assumidamente se encontram dentro de um relacionamento afetivo com finalidades lucrativas para os contratantes."

"A quebra de contrato gera expulsão imediata da propriedade BigHit ent. bem como na perda de todos os direitos de imagem que ficam retidos apenas para funcionários da empresa com contratos ativos e válidos."

"O contrato é sigiloso, qualquer informação vazada sobre o mesmo será considerada quebra de contrato".

"O presente documento anula qualquer outro que poderia conter alguma restrição quanto a relacionamentos, se tornando assim o único válido."

E as cláusulas não acabavam mais, eu não conseguia enxergar direito, meu coração batia tão forte que parecia que eu ia infartar.

Um contrato afetivo? Em outras palavras um namoro? Senhor Bang quer nos contratar para um namoro com fins lucrativos.

Pisquei com força me obrigando a voltar ao presente momento em que Namjoon discutia fervorosamente com o diretor.

- não vou assinar isso! Se você queria que eu tivesse um romance público devia ter deixado eu assumir a minha namorada de verdade e  não arrumar alguma na empresa.

- não se trata apenas de você! Nao se trata de nenhum de vocês  e sim os grupos que eu confiei nas mãos de vocês. Eu quero debutar Extreme e eu sei o quão difícil vai ser, elas precisam de uma base, uma base sólida. Vou deixar as pessoas se apaixonarem por vocês dois, pela história de vocês e então, só então pelo grupo.
BTS está a caminho da maior turnê da carreira, acha que seus fãs não vão gostar de saber que depois de tantos anos você vai ter alguém para te acompanhar?

-você tem noção do que acabou de falar?- Namjoon levantou e começou a andar pela sala, ele estava muito bravo mas o presidente apenas da de ombros.

-você tem noção de que vamos atingir um público ainda maior? Que vamos vender ainda mais ingressos? Que vou poder promover dois grupos de uma só vez? São só oito meses! As meninas estão prontas, no máximo em dois estas estreiam e o BTS sai na maior turnê da carreira com o Extreme como número de abertura.
Ao fim vocês vão sorrir pras câmeras e dizer que apesar de se amarem, as rotinas são complicadas e decidiram não estar mais juntos. Fim.

-Isso  é loucura.

- Isso é estratégia!

-Chega! Por favor, os dois, já chega!- eu não sei de onde encontrei a minha voz novamente mas ela saiu em tom bem alto por sinal.

-Luna- o presidente se volta para mim mas eu o corto.

-precisamos de uma base sólida? Nossa base sólida tem que ser uma mentira? Quer que eu aceite me escorar nele?- perguntei.

-quero que confie em mim e aceite o apoio que um grupo já estabilizado pode oferecer ao seu.

Respirei fundo.

-por que eu? -Namjoon perguntou e eu também queria muito saber  resposta para essa questão.

- eu não poderia pedir para Jimin ou Jungkook fazer isso, tem noção do caos que seria?

- Ah! Então me escolheu por não ser tão aclamado? O que aconteceu com você?- eu quase podia ver a fumaça saindo da cabeça dele.

- Eu estou fazendo o meu trabalho! Façam o de vocês!- SiHyuk bateu as mãos na mesa me assustando.

- com licença senhor Bang, acredito que uma conversa seja a melhor forma de esclarecer as coisas.- o advogado interveio - creio que devam estar cientes que estarão sendo devidamente pagos para isso e que não estamos propondo casamento a vocês.
São apenas alguns meses atuando, para que seja convincente pedimos que nada seja dito para pessoas fora dessa sala...

-ou então estamos fora- eu disse o que havia lido, cortando a fala do advogado.

- são os termos- o advogado sorriu para mim.

- E se a resposta for não?- perguntei baixo.

- bom, os planos de Debut e turnê serão adiados e reavaliados até que vocês reavaliem a resposta de vocês.

-então não temos escolha... ou assinamos isso ou atrasamos os nossos grupos- Namjoon divagou.

-como eu disse, a família tem que ajudar a família.

Namjoon riu descrente e eu não sabia o que falar.

Nunca pensei que passaria por uma situação assim, além de humilhada me sinto, vendida.

Mas se eu não aceitar e largar tudo, outra das meninas vai ter que tomar o meu lugar e alguém vai acabar tendo que assinar isso.

Respiro fundo e pego a caneta na mesa começando a assinar.

- O que você tá fazendo?- Namjoon me pergunta e ele parece desapontado.

Um nó fixa em minha garganta e eu sinto que posso chorar.

-elas são a minha família, sunbae... se eu não fizer alguma delas vai ter que fazer... assim acabamos com isso mais rapido- voltei a assinar todas aquelas folhas  e o silêncio reinou na sala.

Depois de um tempo, suspirando pesado Namjoon voltou a se sentar e assinou também.

Quando terminei entreguei ao advogado.

- você tem dois dias para resolver a sua situação com a sua namorada, lembre que ela não pode saber de nosso acordo.-foram as palavras ditas pelo advogado a Namjoon e eu notei quando ele pareceu entender o que ele queria dizer.

A feição triste e pesada... mas ele não disse nada, talvez cansou de brigar.

Volto meu olhar ao presidente.

-tenho sua palavra que elas vão debutar em dois meses?- perguntei e ele assentiu.

-voces vão debutar em dois meses, mas não conte ainda, quero dar os detalhes em uma reunião.

Assenti.

- eu não me sinto bem. Se já terminamos aqui eu gostaria de sair primeiro.

O presidente assente e eu saio daquela sala o mais rápido possível sem prestar muita atenção para onde iria... apenas tentando organizar minha mente.


Notas Finais


Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...