1. Spirit Fanfics >
  2. Contradiction >
  3. Revelations

História Contradiction - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Nossos sonhos, objetivos e desejos...O tempo não pode levar.🔥❤️💔

Capítulo 19 - Revelations


Fanfic / Fanfiction Contradiction - Capítulo 19 - Revelations

Capítulo 19 – Revelations


Hanna on


Ainda estávamos naquela mesa de café da manhã surpresos com a chegada do sobrinho do Suga. Os olhos do Suga brilhavam, seus pais já tinha falecido seu único irmão era distante e ele não tinha muito contato com os seus sobrinhos, então aquele era um momento raro que foi bem recebido por ele e consequentemente por mim, tudo que fizesse Suga feliz me fazia feliz também.

- Priminha, fiquei sabendo que você trabalha com nosso tio na BigHit, é verdade? – Dori perguntou rindo e mastigando alguma coisa. Meu corpo ficou tenso, eu não queria ser vista como sobrinha do Suga.

- Eu trabalho com Suga, mas ele não é o meu Tio. Ele é melhor amigo do meu pai e portanto considerado da família... – respondi suave tentando não ser grossa, Suga notou meu visível incômodo e se pronunciou:

- Dori, eu e Hanna somos namorados – falou simplista. Eu fiquei surpresa, Dori se engasgou e tossiu duas vezes e abaixou a cabeça

- Desculpa, fiquei um pouco chocado afinal o senhor sempre se referia a ela como Sobrinha...

- Sim, eu entendo que esse fato possa chocar a você e a outros. Mas meus sentimentos por ela passaram por uma transição, enquanto que os dela por mim sempre foram os mesmos desde sua adolescência. Nosso relacionamento é recente e não queremos que seja público por enquanto ok?! Estou falando para você porque você é da minha família e não precisa mais se referir a ela como minha sobrinha...

- Não temos laços sanguíneos – completei a frase de Suga. Na verdade eu e Suga éramos assim, pensamentos parecidos, ideias parecidas, gostos parecidos e agora compartilhávamos de um mesmo sentimento, então terminar a frase um do outro ou saber o que o outro estava pensando era bem comum em nosso relacionamento. E eu estava feliz com o pronunciamento de Suga.

- Okay, vou precisar me acostumar. Apenas isso – Dori rebateu e silenciou. O silêncio constrangedor se instalou entre nós três naquele momento e depois de alguns minutos Suga quebrou o Silêncio.

- O que o traz aqui Dori ? – Suga indagou o rapaz.

- Ahh...sim – falou sem graça – eu sei que faz tempo que não nos vemos tio mas aconteceram algumas coisas. Você sabe que meu relacionamento com Papai é difícil, ele queria uma menina e somos em três meninos...desde então não faço uso do sobrenome Min, a não ser nos documentos. Finalmente após terminar minha faculdade de música...

- Você fez faculdade de Música?!! – Suga o interrompeu admirado

- Sim tio, terminei ano passado. Desde o início papai não queria isso para mim, ele queria que eu cursasse administração, e eu recusei – Dori pressionou os lábios e fez eu e Suga sentir por ele, afinal falta de apoio em nossos sonhos e pressão negativa pode abalar muito e Suga já tinha vivido isso – quase não consegui terminar a faculdade de música, e agora estamos brigados...minha mãe não tem irmãos, meus avós de ambas as partes faleceram...então pensei em vir te pedir apoio. Desculpa a ousadia...mas seria perfeito conseguir um teste na BigHit. – Os olhos de Suga brilharam, parecia que ele estava se vendo a alguns anos atrás. Mas diferente dele Dori não precisaria dormir na rua e nem passar fome para alcançar seus sonhos.

- Eu fico triste com o que me disse, mas fico feliz por você ter se lembrado de mim e pensado em mim como apoio, é claro que posso te apoiar. Vamos terminar esse café e você me mostra o que pode fazer com um instrumento...

- Tio, você entendeu que eu não tenho onde ficar? – Dori o interrompeu sem graça, Suga olhou para ele impaciente pensando que ele já tivesse entendido o apoio.

- Espero que você não seja devagar para raciocinar na música também – Suga falou sarcástico e deu um gole em seu café. Eu abaixei a cabeça e ri, delicado como um coice, pensei e sorri. Dori olhou para mim e sorriu sem graça entendendo finalmente o “Apoio” que receberia.

O café terminou e eu retirei a mesa enquanto Dori se oferecia para lavar a louça.

- Hanna vou para o Studio ligar alguns aparelhos, vá com Dori até lá quando vocês terminarem aí – Suga falou e se adiantou. Sorri quando quase deixei uma xícara de espatifar e Dori evitou com seu ótimo reflexo.

- Obrigado Dori, acho que nisso você não é devagar – falei brincando e levando mais coisas até a pia.

- Ahh obrigado pela parte que me toca. – Sorriu – Eu estava sem jeito, queria que as coisas ficassem claras, não vejo o Tio há uns 10 anos...quase não o considerei como ajuda.

- Não pense assim, durante anos ele lamentou a distância do seu pai e a falta de intimidade com vocês, com certeza ele sentiu falta e eu acompanhei isso.

- Fico feliz em saber....

- E eu fico feliz de você estar aqui, se você for mesmo bom com certeza ele conseguirá uma vaga para você na BH.

- Tomara – falou cruzando os dedos e dando aquele sorriso doce igual do tio dele. – Hanna...é...- ele ficou sério, enrolou e finalmente falou – Vocês estão mesmo namorando? – Eu sorri, acho que essa era a chance de eu começar a treinar as muitas respostas para as infinitas perguntas que viriam da parte dele e de todos os outros que soubessem...

- Você é mesmo um jovem do Século XXI? Quantos anos você tem? – ele riu e logo entendeu meu sarcasmo.

- Eu tenho 23, me desculpa por ainda estar chocado, os anos passaram mais nossa cultura não mudou tanto assim, embora a gente tenha aderido a muitos costumes ocidentais. – O que ele falava fazia sentido e eu também o entendia. – É estranho você namorar com ele sendo tão jovem...e mais estranho ainda porque até algum tempo atrás eram como tio e sobrinha.

- Eu fico feliz de estar sendo confrontada por você, sei que muitos confrontos ainda virão, mas Dori...O amor faz seus próprios caminhos. Eu amo seu tio...desde sempre. Foi um choque para mim, foi um choque para ele...sofremos por não querer assumir por tanto tempo....Mas agora estamos dispostos a Lutar.

- Uhum – Ele respondeu apenas isso de cabeça baixa.

- Venha, vamos ao Studio dele....eu também quero ver do que você é capaz – falei rindo e piscando para ele e fiz sinal para ele me seguir. Ele riu e assentiu com a cabeça. O guiei pelo corredor lado a lado e finalmente bati na porta entrando na sala de música/STUDIO.

- Finalmente vocês chegaram – Suga resmungou dedilhando as teclas do teclado. A sala era grande e dividida, era repleta de instrumentos, Suga tinha fascínio por isso.

- O que quer que eu mostre primeiro? – Dori perguntou seguro de si. Suga riu e saiu do teclado...

- Até nisso você parece comigo...sabia que essa sua segurança pode ser vista como arrogância né rapazinho?! – Dori Sorriu e se posicionou no teclado. Colocou os dedos nas teclas e começou a dedilhar uma canção linda e quando menos esperamos ele também soltou a voz, a canção era lenta e harmônica e sua voz era doce. Olhei para o Suga que o olhava com admiração e orgulho. Suga ligou uns aparatos e lançou um trap naquela música e Dori acompanhou colocando efeito no Teclado, quando menos esperamos Dori improvisou um Rap e eu e Suga rimos animados com tanto talento. Dori parecia estar já no teste da BigHit pois não se conteve e mostrou ainda mais do seu talento passando facilmente de um instrumento para o outro, indo entre Hip Hop, Rock e Pop. Aplaudimos de imediato no final da sua apresentação e ele nos revelou que também compõe.

- Dori você está de parabéns – falei animada e dando pulinhos. Tanto Dori como Suga riram de mim – O que foi??

- Nada, você é engraçada tampinha! – Dori falou descontraído.

- Gostei...Tampinha – Suga falou e riu.

- Perto dele sim, perto de você nem tanto – falei sarcástica e Suga parou de rir, mas Dori não.

Passamos mais algum tempo naquela maravilhosa sala e nossa conexão com a música era tão boa que acabamos improvisando uma canção. Quando percebemos já era bem depois do horário habitual do almoço.

- Dori, pode se instalar na suíte a esquerda, a da direita é minha. Fique a vontade, tome um banho e vista uma roupa mais leve, vamos almoçar no restaurante próximo – Suga falou

Dori subiu as escadas com sua mochila e mala e parecia feliz por ter sido acolhido tão bem. Eu e Suga nos olhamos felizes, e apesar do nosso dia a sós ter sido interferido por essa surpresa estávamos animados por ser uma surpresa boa.

- Você está feliz né?! – falei contornando sua cintura e o apertando contra mim, senti ele suspirar feliz e concordar com um baixo e breve “sim” – Se você está feliz, então eu também estou. Vou me arrumar para nosso encontro à três – falei e saí rindo, o olhei antes de subir a escada e ele murchou os olhos com meu comentário sarcástico.

Em menos de uma hora já estávamos em uma conversa feliz e descontraída comendo um bom Sushi, bebíamos e riamos e Suga contava histórias sobre a BigHit que nem mesmo eu sabia, ele apresentou alguns fatores ao Dori e disse que ainda naquela semana conseguiria um Teste. Ficamos todos felizes e satisfeitos e até um pouco alterados depois de algumas bebidas, Suga estava muito feliz mesmo pois decidiu chamar um Táxi e ir até a minha casa, ele queria apresentar o Sobrinho.

Chegamos a nossa casa já eram 17hs Mamãe nos recebeu feliz e ficou ainda mais alegre ao conhecer Dori, os meninos foram super simpáticos e Papai ficou emocionado pois sabia o que isso significava para seu melhor amigo. Dori e Suga ficaram para o jantar e depois de muita conversa e risadas eles se despediram. Eu e Suga como sempre apenas sorrimos um para o outro, e isso sempre me deixava mal.

Já no meu quarto e de banho tomado adormeci em meio a tantos pensamentos.


Suga on


Que dia louco! Estou voltando para meu apartamento com meu sobrinho mais velho que não vejo a tanto tempo e estou feliz com isso. Terei a chance de apoia-lo e de não deixar ele sofrer as mesmas coisas que eu sofri.

Ainda assim não posso ser infantil, tenho que avisar meu irmão – Pensei.

Chegamos bem e Dori procurou pelo seu quarto, aparentemente está a muito cansado. Também entrei para meu quarto, estava exausto e amanhã meu dia iria reiniciar. Tomei um banho mas antes que o sono me pegasse liguei para meu irmão:

- Alô? Suga?? – Ele falou assustado atendendo no primeiro toque.

- Oi Jae, me desculpa pelo horário, mas só tive um tempo agora. Eu sei que não nos falamos a um bom tempo, só queria avisar que Dori está aqui comigo na Coréia.

- Esse moleque só me causa desgosto!!

- Desgosto?? Min Geum-Jae você consegue se ouvir?

- Suga você é pai? Então não julgue minha forma de lidar com meus filhos, você nem os conhece!

- Jae, passei o dia inteiro com Dori hoje e só o que consegui perceber foi seu talento nato, estou orgulhoso dele!

- Que bom para você! Pode ficar com Ele já que você não tem nenhum!

- Posso não ser pai ainda mas jamais cometeria o mesmo erro que nossos pais cometeram, eu apoiaria meu filho no que ele quisesse ser.

.......

Fiquei atônito ao perceber que meu irmão desligou sem nem se despedir, ele era a cópia exata do nosso pai, até mesmo nos erros e isso fervia meu sangue. Tenho pena do Dori, espero que ele não sinta tanto quanto eu senti ao deixar a minha casa e minha família. Adormeci logo após esse pensamento.

O dia amanheceu frenético e eu nem pude me despedir de Dori, corri para BigHit e comecei logo os trabalhos junto ao Hope, Hanna e toda a Equipe. Conversamos sobre a chegada dos meninos que seria em 15 dias para os ensaios e apresentações, a casa de Hope viraria uma loucura outra vez por sua escolha, a diferença é que dessa vez eles viriam sozinhos e o tempo de estadia seria menor...Nem acredito que teremos mais um Show daqui 1 mês e minha ansiedade aumenta ainda mais com a possibilidade de revelar meu namoro com Hanna, isso me dá calafrios. Falar com Dori que está sob minha autoridade foi tranquilo mas encarar eles... não será nada fácil.


J-hope on


Faz uma semana que os meninos chegaram e nossa vida está frenética outra vez. Mesmo que eles tenham vindo sozinhos o barulho e a correria é a mesma. Temos mais duas semana antes do grande Show que dessa vez faremos sozinhos e sei que depois virá reportagens, programas, fotos e todo tipo de publicidade da qual já estamos cientes e acostumados.

Eles nem imaginam que Suga e Hanna estão em um relacionamento e eu não faço ideia de como reagirão quando souberem. Aparentemente Suga e Hanna decidiram fazer isso após as correrias...estou ansioso.


Hanna on


Finalmente chegou o dia do grande Show: Suga, Meu pai, Jin, Nam, Kook, V e Jimin continuam lindos e maravilhosos, o público realmente é fiel e esse amor entre eles e as Army’s é sem dúvida eterno. Novamente estou na primeira fila com mamãe, algumas amigas dela e Dori.

As luzes deram o sinal e mais uma vez eles arrasaram na dança, vocal, rap e performance em geral. Antes da música final Suga e Kook apresentaram mais uma vez a música Contradiction e eu me emocionei novamente. Dori se inclinou e sussurrou perto e mim:

- Ainda não perceberam que essa música é para você? – sorri e olhei para ele.

- Você teria percebido se não soubesse? – levantei uma sobrancelha.

- Não – ele falou e riu – definitivamente nunca desconfiaria – Suspirei triste, é uma pena que não sejamos uma opção de casal à vista de ninguém.

Eu já estava cansada e frustrada de levar um namoro as escondidas, isso é coisa do passado! Quero poder sair de mãos dadas com meu gatinho, quero beija-lo na praia ao entardecer, quero viver uma grande história de amor.

O Show acabou e eu já estava em casa exausta, fui para meu quarto e após um longo banho adormeci.

...........

Mais duas semanas tinham se passado após o Show e finalmente depois de tantas fotos, programas e toda parafernália pude matar a saudade dos meus tios. Novamente aquela enorme sala de lazer que papai havia arrumado no ano passado para a estadia deles estava cheia da nossa presença, todos bebiam e conversavam alegremente incluindo mamãe e o Dori que já fazia parte da BigHit a mais de um mês e foi acolhido como sendo da família.

- Você não sente falta dos seus pais Dori? – Perguntou Kook ao rapaz jogado no Puf perto de mim. Ele engoliu sua bebida e após uma breve reflexão respondeu.

- Sinto, mas já não sou mais nenhum bebê. Espero conseguir continuar correndo até alcançar meus sonhos, essa é minha prioridade agora. – Kook pressionou os lábios deixando aparente suas covinhas e pareceu sentir a dor nas palavras de Dori. Todos ali sentiram, incluindo eu.

- Fico orgulhoso de você Dori – disse Suga que estava ao meu outro lado – Eu sei que não é nada fácil, as vezes os sacrifícios são maiores do que pensamos.

- Okay... – interrompeu Jin – Já que a conversa está tensa, vou deixar ainda mais tensa... – Jin falou e riu nos fazendo pensar que era algo engraçado o que estava por vir, mas de repente ele ficou sério e umedeceu os lábios se preparando e todos ficaram tensos, ver Jin sério era algo quase que inédito.

- Cara, não faz suspense fala logo – Disparou Nam mostrando sua ansiedade.

- Eu sou pai – Todos reagiram cada um de uma forma e a sala virou uma bagunça, eu arregalei os olhos e fiquei atônita – A Staff que trabalhou com a gente na mesma época que Suri quando foi embora 5 anos depois, foi embora grávida....

- O que?! – mamãe exclamou – Park Chae-Young teve um filho seu Jin?!!! – Papai segurou o braço da mamãe a sentando novamente ao lado dele.

- Sim, ao descobrir que estava grávida ela já estava de volta a Nova Zelândia onde teve nosso filho e o criou até que ele mesmo quisesse saber sobre o pai – Todos nós estávamos calados e ouvíamos de boca aberta a revelação do Jin, ele suspirou e riu triste e confuso – Eu não sei bem o que pensar ou o que fazer, a ficha só caiu depois do teste de DNA que chegou em minhas mãos com a foto dele e um enorme positivo. Gente...ele é lindo, se chama Park Lee-Jin e vai fazer 17 anos o mês que vem – Jin sorriu e abaixou a cabeça suspirando prolongado – Eu não sei o que fazer...

- Você não pretende conhecê-lo? – indagou papai já emocionado. Enquanto todos ainda encaravam Jin.

- Claro que sim...estou morrendo de medo e confuso, mas o que mais quero é conhecê-lo...

- Eu sei como é – papai falou e riu – Jin sinto muito por você ter perdido tantos anos da vida dele...eu perdi apenas 1 ano e meio da vida de Hanna e sinto até hoje por não ter visto seus primeiros passos e suas primeiras palavras... – falou e olhou para mim – Me perdoa filha – meus olhos que já estavam marejados deixou cair uma lágrima e todos se emocionaram com aquele momento.

- Chae-Young já tem a vida feita, está casada a mais de 10 anos e tem outros dois filhos além do Lee-Jin, então não preciso me preocupar com ela, mas viajo semana que vem para Nova Zelândia e irei conhecer meu filho, Hope preciso muito do seu apoio, você passou por algo parecido e embora tenha uma enorme diferença de idade entre as histórias, você tem dois meninos adolescentes...

- Claro Jin, pode contar comigo, conosco. Estamos do seu lado, vai dar tudo certo. – Jin respirou fundo e sorriu aliviado.

- Bom – se pronunciou Jimin – já que é hora das revelações tenho que dizer que eu e Hyuna descobrimos nossa gravidez no mês retrasado...seremos pais de uma linda menininha – um Ohhh em uníssono pôde ser ouvido e todos alegres cumprimentamos ao Jimin pela grande alegria.

- Okay... – Gritou Nam – Também tenho uma novidade – se levantou e fez suspense – Finalmente pedi Sofi em casamento, final desse ano espero por todos vocês!!! – O romper de mais um alarido se fez presente e a festa foi certa. Depois os olhos voltaram para V e Kook que riram e negaram ter qualquer novidade.

Ninguém olhou ou questionou o Suga, olharam para mim e meu coração falhou uma batida. Será que aquele momento era melhor momento para falar a eles sobre mim e Suga? Aii meu Deus...um frio na espinha se espalhou por todo meu corpo, e eu estava prestes a me pronunciar quando Suga pegou em minha mão e disparou de uma só vez:

- Estamos namorando! – eu olhei para ele surpresa e a galera riu e gargalhou pensando ser uma piada o que me deixou furiosa. Puxei Suga e selei seus lábios fazendo todos silenciarem, voltei a minha posição normal e continuei de mãos dadas ao Suga encarando cada um deles.

- Eu acho que nunca haverá uma hora 'certa' para falar sobre isso, então aproveitando que estão todos aqui nós gostaríamos de falar sobre isso – falei firme, e o rosto de cada um foi se transformando em expressões sérias, desacreditadas e até sarcásticas.... enquanto isso meu coração que saltava dentro de mim foi se entristecendo.

- Hanna, você não estava com o Chay? – Jimin perguntou

- Na verdade nosso namoro foi uma farsa, ele é Gay, inclusive ele tinha muito interesse em você tio Jimin – respondi debochada e Jimin ficou boquiaberto.

- Suga, que merda é essa que vocês estão falando?! – Tio Nam perguntou com a voz bem grossa e a expressão bem séria. Meus pais se mantinham calados pois sabiam que esse assunto só cabia a mim e ao Suga.

- Nam, cuidado com as palavras, não estamos pregando nenhuma peça e nem tratando sobre uma piada okay?! Eu sinto muito por vocês estarem chocados, e eu entendo que vocês estejam chocados, afinal somos um casal improvável. Mas eu cansei de questionar sobre isso....sempre vi Hanna como sobrinha e vocês sabem que acompanhei o crescimento dela, faço parte dessa família, não foi nada fácil admitir que meus sentimentos por ela sofreram uma enorme transição. Não há perversão nisso meu sentimento por ela só mudou quando ela já era maior de idade e eu não a via por quase 2 anos...me apaixonei pela mulher do aeroporto sem saber que era Hanna e quando percebi que era Hanna me culpei e me amaldiçoei por isso. Quando Hanna se declarou, eu fiz o mesmo e por considerarmos a todos, nós nos evitamos por 2 anos e sofremos muito por isso. Vamos sofrer muito mais se vocês que são nossa família não estiverem ao nosso lado, pois sabemos que a mídia e a sociedade não estarão – Tio Jimin enterrou os dedos nos cabelos apoiando seus cotovelos nos joelhos, Tio Kook fez um 'O' perfeito com a boca e se manteve assim sem reação, Tio V meneou a cabeça várias vezes com uma expressão de raiva, Tio Jin se levantou e caminhou ofegante de um lado para o outro com as mãos na cintura e Tio Nam suspirou antes de se pronunciar:

- Acho que posso falar por todos aqui ao dizer que estamos chocados. Suga, me desculpe por não te compreender, eu nunca conseguiria ver aquela garotinha que eu vi crescer como mulher, então me desculpe por não te entender. Vocês são nossa família e embora esse caso seja extremamente novo para nós acho que apenas precisaremos de tempo para conseguirmos nos adaptar a escolha de vocês... – Não consegui terminar de ouvir o Nam, meu coração se transtornou em um turbilhão de sentimentos quando ouvi novamente a palavra 'tempo', todos nos pediam tempo e eu não entendia porque só nós precisávamos passar por isso. Me levantei imediatamente e deixei aquela sala correndo em direção a garagem, eu sei que não deveria dirigir nesse estado emocional mas só o que eu queria sumir por um momento.


Suri On


Meu coração acelerou quando Suga pegou na mão de Hanna e se pronunciou a todos, fiquei ainda mais agitada por dentro quando Hanna beijou Suga para calar as risadas.

Eu, Hope e Dori assistimos calados a tudo que se passou depois disso...eu sabia que Hanna surtaria ao ouvir a palavra 'tempo’ de novo e foi isso que aconteceu.

Hanna se levantou transtornada e saiu por aquela porta batendo os pés, meu coração se partiu e foi junto com ela, fiz menção em segui-la mas me sentei novamente quando Suga se levantou e a seguiu, todos ficaram em silêncio e Dori se sentiu um pouco fora de contexto e também deixou a sala minutos depois.

- Você vai deixar eles namorarem mesmo?! – me assustei quando V interrogou Hope com aquela voz grossa.

- Você quer que eu faça o que? Hanna é maior de idade e Suga é mais velho que eu... – Hope se transtornou e se levantou e eu espelhei sua atitude ficando ao lado dele e colocando levemente a mão em seu braço para o acalmar.

- Eu não deixaria, daria algum jeito! – V continuou a provocar e nessa altura todos já estavam de pé e agitados, Jimin segurava V e eu segurava Hope.

- Eu bem sei que você faz de tudo para interferir em relacionamentos! – Hope alfinetou – Esses meus amigos só me fodem, um queria minha mulher ou outro quer minha filha e o outro quase me separou do meu grande amor! – Saiu irritado olhando para V e Kook...antes de seguir ele meus olhos cruzaram com os de Kook que abaixou rapidamente a cabeça deixando uma lágrima rolar...meu coração se partiu mais uma vez. Essa reunião foi longe demais...

Segui Hope que caminhava rápido até nosso quarto e o segurei após a porta bater atrás de nós.

- Eiii...calma – falei suave.

- Me acalmar como Suri?? Convivo com você a mais de 18 anos e ainda assim não consigo manter o equilíbrio nessas situações como você – Hope falou e sentou na cama abaixando a cabeça e chorando. Sentei ao seu lado e respirei fundo colocando minhas mãos sobre seus ombros.

- Amor, você fez o Kook chorar por causa de uma história que já tem mais de 20 anos... – ele me olhou preocupado e deixou cair a ficha do peso de suas palavras.

- Oh Suri, o que vou fazer? Que merda! Magoei meus amigos...eu devia ter aguentado as provocações do Tae – me abraçou e chorou desconsolado.

- Você disse pra mim que juntos poderíamos superar qualquer dificuldade....e podemos. Hope juntos nós podemos. Essa é só mais uma tempestade, deixa a poeira abaixar e logo você vai se entender com eles, só não fique assim por que eu sou plena escuridão sem meu Sol... – ele levantou a cabeça e sorriu enxugando as lágrimas.

- Ahh Suri o que seria de mim sem o meu ponto de equilíbrio?! Eu te amo mulher... Falou e me deitou me beijando e me iluminando por completo com sua resiliência.

Eu ainda estava temerosa por tudo, mas esperava de coração que as coisas voltassem a se acalmar.







Notas Finais


Espero que estejam gostando, e espero que estejam torcendo por Hanna&Suga🙏💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...