História Contrato: Casamento Temporário. (Kakashi) - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Hinata Hyuuga, Ibiki Morino, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Maito Gai, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Tags Drama, Família, Hentai, Heterossexualidade, Insinuação De Sexo, Itachi, Josei, Kakashi, Naruto, Novela, Revelaçoes, Romance, Sasuke, Shoujo
Visualizações 47
Palavras 1.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiii, minha gente! Depois de alguns dias... Finalmente uma atualização, YEAH! \\\o///
Boa leitura!

Capítulo 35 - Ressentimento.


Fanfic / Fanfiction Contrato: Casamento Temporário. (Kakashi) - Capítulo 35 - Ressentimento.

Naomi on

Pela terceira vez estou inspirando profundo e dizendo:

_Coragem, coragem, coragem, Naomi!

Encarar depois de quatro anos uma pessoa que marcou a minha vida com... Enfim, é evidente a minha hesitação de querer abrir a porta da nossa casa para Mei. Por outro lado, Kakashi está certo de que precisamos encará-la, de que eu preciso encará-la. Mas...

Decaí os ombros e encostei na parede com os olhos fechados.

_Sinceramente, não me falta coragem para fugir.

Retomei a postura quando a porta foi aberta. Kakashi acenou a cabeça para o lado. As visitas haviam chegado.

_Estarei logo atrás. – disse com um riso forçado.

_Iie. – o prateado iniciou os passos, segurou as minhas mãos e depositou um beijo nas costas de cada uma. _O certo é estar ao meu lado.

Nisso, fui puxada para fora da suíte e sendo conduzida por Kakashi até a sala, minhas pupilas agitadas começaram a ficar embaçadas. Eu o abracei e escondi o rosto nas suas costas largas.

_Estou com.. medo. – apertei os braços em volta de Kakashi, impedindo que ele prosseguisse me puxando junto.

Kakashi acariciou a costa da minha mão e...

_Naomi, eu estive te observando escondido durante uma década para ter a certeza de que... ficaríamos juntos. Eu te protegi e afastei seus pretendentes. Por que está descrente de que não farei o mesmo com qualquer coisa que lhe deixe afligida?

Kakashi me fez soltá-lo e ficando de frente para mim, puxou meu queixo e deu um beijo breve.

_Não é a Mei do presente que você deve encarar hoje ou amanhã, Lótus. Você precisa encarar o seu fantasma e a Mei do passado. – kakashi juntou nossas testas. Eu com os olhos bem abertos pude ver quando ele forçou um riso sem ânimo. _Meu papel sempre foi e será te amar. Quanto a mim, eu terei uma vida longa para redimir a forma errada de amar que eu.. expressei. – Kakashi se afastou e tornou a acenar a cabeça. _Por agora, venha comigo. Quero recepcionar as visitas e quero que esteja do meu lado enquanto faço isso.

Com nossas mãos entrelaçadas, senti Kakashi firmar seus dedos entre os meus para que aquele laço não fosse desfeito. É inevitável conter a tremedeira da minha mão, mas estando com ela no calor das mãos mais carinhosas que já senti na vida, sou capaz de sentir um pouco da hesitação e aflição diminuir.

Fitando as costas de Kakashi, eu sorri breve encabulada por nesses dois anos juntos tê-lo tão perto de mim. Sei que não é um sonho, mas digo que é por ter tido dias mágicos e ter escutado as frases românticas e clichês que um dia imaginei na adolescência.

_Meu.

_Apenas seu. – respondeu-me com um riso de canto.

Nisso, a claridade da sala pairou sobre o meu rosto enquanto ainda fitava as costas largas, deixando mais clara e exposta a expressão que registro. Arregalei os olhos me dando conta de que a expressão “caidinha de amor” iria atrair olhares que me deixariam mais constrangida. Mas, aos poucos a sensação de vergonha foi passando e a ansiedade aumentando juntamente com a adrenalina. Isto me instigou a querer deixar que meus sentimentos transparentes fossem notados e não ocultados, e o motivo de permitir isso, é por causa da pessoa que está segurando a minha mão.

Antes que Kakashi abrisse a porta, puxei de forma sutil sua mão para trás, pedindo certa atenção.

_Preciso de um abraço. – disse sem graça.

_Claro. – kakashi abriu seus braços.

Dei passos lentos fazendo a nuvem de borboletas no estômago ficar agitada. Finalmente em seus braços, dei um suspiro de alívio. Nisso, arqueei a sobrancelha. Eu deveria deixar um recado para aquelas que poderiam vir a crescer seu olhar em cima de kakashi, do meu Kakashi. O meu homem.

Após deixar o recado na depressão do pescoço dele, afastei com um riso.

_Estou pronta. Pode abrir. – peguei Kaya-chan no colo, pois fazia tempo que ela estava puxando a barra do meu vestido.

Kakashi engoliu a saliva e me olhou desconfiado. Dei de ombros.

_Tudo bem. Vá em frente e abra.

Seri e Keigo foram os primeiros a entrarem, segurando um de cada lado a alça de uma caixa. Seri foi logo dizendo:

_Lábios levemente inchados, Naomi, é o mesmo que estampar que acabou de ser beijada.

_Não foi exatamente agora. – disse com um riso. Seri continuou andando com um riso brincalhão. _E seja bem-vinda! – disse alto para que escutasse.

O próximo casal foi inesperado, eu não esperava, sequer sabia que Ho havia...

Ho fez reverência e olhou para o lado, a pessoa ao seu lado continuou com a postura ereta. Nisto, ele empurrou a cabeça da mulher para frente.

_Perdoem a falta de educação da minha prima.

Retomando a postura, respondi com uma sacudida de cabeça, dizendo que não havia problema algum. Mas sobre a prima, bom, eu achava que fosse sua namorada. Mas tenho a certeza de que seu olhar cresceu em cima de Kakashi. Espero que ela note o meu recado.

_Entrem, por favor. – disse kakashi.

Eu particularmente não tenho tantos amigos e os poucos que tenho não estão na vila, exceto Otto. Mas ele não vem, eu acho. Quanto a pessoa que não quero ver, ela irá atrasar.

----

Apareci na sala segurando a bandeja com petiscos e deparei-me com a certeza do que havia deduzido. Ho beliscou sua prima no braço, repreendendo-a por estar xavecando descaradamente Kakashi. Deixei a bandeja na mesa de centro e antes que me sentasse, a campanhia tocou.

Kakashi se prontificou em atender a porta, mas eu mostrei-lhe a palma da mão, pedindo que continuasse a conversar e que eu iria atender.

Armei um sorriso amigável para recepcionar o convidado e puxei a porta. Não é exagero dizer que fiquei petrificada, sem reação ao saber quem é. Engoli a saliva com dificuldade. Senti meu corpo inteiro arrepiar.

_Naomi..?

Puxei o ar pela boca e soltei tentando me emergir da agonia que meu corpo estava para ser consumido. Kakashi tomou a minha frente.

_Mei, entre por favor.

Com as íris desviadas, eu me recuso a olhá-la.

_Naomi..? – disse Kakashi querendo que eu fizesse o mesmo, de recepcioná-la.

Hesitei duas vezes e na terceira, achando que minha voz mostraria a agonia desesperadora que estou, fiz um gesto com a mão para convidá-la a entrar.

Escutando seus passos distanciarem, eu fechei a porta e tornei a suspirar. Flashbacks começaram vir à tona em relação ao meu passado e minhas íris sem rumo, foram cobertas. Eu estava ficando ton..ta.

Antes que me sucumbisse, ele segurou o meu quadril. Tapei a boca com a mão trêmula. Como é possível eu ter adquirido tanto medo dela?

_Por Buda, Naomi, você está pálid...

Soltei-me de seus braços e iniciei os passos desnorteada na direção da cozinha, ignorando o que tinha a dizer.

----

Kakashi on

Tornei a desviar o olhar para a cozinha. Decaí as íris descontente por Naomi preferir preparar os alimentos do que estar na roda de conversa. Sei o motivo e isso me entristece mais ainda. Naomi tem repulsa e medo de Mei. É evidente o apavoramento que suas pupilas ficam e o que elas reprisam mentalmente do passado.

_Certo, o que fizeram durante todo esse tempo? – Seri. _Me atualizem por favor. começando pelos donos da casa.

Encarei as costas de Naomi.

_Após concluir a última missão na Tule, eu decidi formar uma familia. – sorri sem graça. _Atualmente estou atarefado no Banco, mas isso será mudado daqui alguns dias. Terei mais tempo com as duas mulheres da minha vida.

Ho limpou sua garganta e...

_Decidi ajudar o meu senhor com o seu objetivo e atualmente sou o secretário de Itachi Uchiha.

_Quanto a mim, recentemente me interessei por uma certa pessoa. – disse Akemi, prima de Ho. Ela arqueou a sobrancelha com um riso convidativo. _Atualmente acho que sou capaz de mudar sua perspectiva sobre as mulheres de sua vida.

Suavizei a sobrancelha decidido em respondê-la e teria feito isso se minha atenção não tivesse sido desviada. Naomi colocou mais duas garrafas na mesa de centro e retornou para a cozinha. Os demais continuaram a conversa, aproveitei a distração deles para ir à cozinha..

Encostei-me no balcão ao lado de Naomi.

_Essa é a forma que encontrou para se distrair..? – disse observando suas mãos ensaboarem os copos.

Naomi permaneceu em silêncio. Aproximei o rosto e encostei ao dela.

_Achei que conseguiria te ajudar a superar isso, mas não havia percebido a realidade do quanto é difícil. Acho que.. superestimei demais a nossa relação.

Puxei a blusa de Naomi, pedindo que chegasse mais perto.

_Eu errei feio convidando Mei. Perdoe-me por isso. – dei um riso tristonho.

Naomi recusou erguer suas íris por estar ressentida. Fitei brevemente seu rosto e investi um beijo na sua bochecha.

Na volta para a sala, quando Mei passou rente ao meu ombro, em um movimento súbito, eu segurei seu braço impedindo que seguisse o caminho na direção da cozinha e com o cenho fechado, disse rente ao seu ouvido:

_Até aqui. Lembre-se de que é o máximo que pode chegar. – acenei a cabeça para que regressasse.

Mei puxou seu braço e sorriu de canto. Ela engoliu a saliva e balbuciou com os lábios trêmulos:

_Eu gosto de ser tratada assim. É tentador imaginar que a qualquer momento voce pode me procurar. – Mei deslizou a unha sobre o meu peito.

Sorri de canto.

_Eu fazia isso para revidar ao rechaço de Naomi. – Dei um passo para frente. _Você sabe, Mei, que eu nunca fiz querendo você. – dei uma piscada breve e tombei a cabeça para o lado. _E sabe também das coisas que me privatizei para concebê-las a pessoa que amo. Não ouse se aproximar da minha esposa.


Notas Finais


Agradecida por ter lido até o final.
Peço desculpas pela minha ausência. Eu viajei, antes e depois da viajem estive reorganizando algumas coisas que ficaram pendentes. Ainda há o que organizar, ahahah. Mas a viagem foi muito boa MESMO e me ajudou muito a acalmar os nervos, hehe.

Espero que tenha gostado desse capítulo!
Abraçossssss, ^.\\\ <3.

Recomendação de filme: A voz do silêncio. (Koe No Katachi)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...