História Contrato De Casamento - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 267
Palavras 1.996
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - Capítulo XXXI


     Elizabeth Forbes point of view


  As contrações ficaram cada vez maiores e insuportáveis. Eu tentava controlar a respiração mas a boca amarrada não ajuda. Comecei a puxar todo ar que havia dentro de mim e depois soltar, pelo menos assim amenizava.
     A porta da sala foi aberta bruscamente e Lucas entrou. Ele veio até mim me desamarrando da cadeira e soltando minha boca também.

- O que ela fez comigo, Lucas? - Eu perguntei passando as mãos na barriga sentindo a dor enorme.

- Ela deu um remédio para fazer você ter o bebê o mais rápido possível. - ele disse e eu fiquei boquiaberta com isso.

- Eu não posso dar a luz aqui. Tanto eu quanto meu filho corremos risco de vida no parto. - falei e ele respirou fundo.

- Eu sei, mas infelizmente agora eu não posso fazer nada. Não podia nem soltar você, mas eu fiz, então vá para o quarto enquanto eu arrumo uma solução. - ele disse e eu obedeci.

   As dores aumentavam e logo cessavam novamente. Comecei a contar de quanto em quanto tempo vinha a contração e tentei ficar calma. Me deitei na cama mas nenhuma posição ajudava. Me levantei e fiquei andando de um lado para o outro alisando a barriga.

- Meu amor, calma. Ainda não chegou a hora. Você precisa ajudar a mamãe. - falei enquanto começava a chorar novamente.

Lucas point of view 


     A situação está cada vez mais crítica. Eu não sei onde eu estava com a cabeça quando aceitei participar dessa merda desse plano. Infelizmente agora não posso fazer nada.
  Vou até o lado de fora e acendo um cigarro, começando a fumar em seguida. Vejo Kate vir furiosa na minha direção e já até imagino o que é.

- Por que você soltou aquela vadia? - ela perguntou me empurrando.

- Porque ela estava com dores. Não se preocupe, Kate, eu não deixei ela ir embora. Ela está trancada no quarto. Até porque se você quer tanto esse bebê, não sei onde estava com a cabeça quando achou que ele podia nascer com ela sentada numa cadeira. - ela me olhou e viu que eu tinha razão.

- Não faça mais nada sem o meu consentimento. - ela disse e saiu.

  Continuei fumando do lado de fora enquanto pensava em como ajudar Elizabeth. Olhei no relógio e já são 11:43. Ouço o celular tocar e me afasto, atendendo em seguida.

"Alô?"

"Quem está falando?"
- perguntei.

"Sou eu, Bieber. Preciso da sua ajuda." - ele disse.

"Eu não posso atender aqui, porra." - eu disse bravo.

"Não importa. Eu já estou chegando aí."

"O que? Que porra você tá fazendo, Justin?" - Eu perguntei.

"Daqui a meia hora dê um jeito de sair com Elizabeth dai pela porta dos fundos." - ele disse e desligou.

     Fui para dentro procurando Kate, mas ela não estava, então seria mais fácil para mim. Reuni os seguranças e mandei eles irem comer alguma coisa, indo para o quarto de Eliza em seguida.

Elizabeth Forbes point of view 


     Já faziam horas desde que aquela maldita me deu aquele remédio. Qual é a intenção dela com isso? As contrações ficaram mais fortes e mais constantes.
  Senti um líquido sair pelas minhas pernas anunciando que a bolsa tinha estourado. Como eu não tinha outra alternativa, tirei o short e a calcinha e me deitei na cama, fazendo força.
   Tentei olhar para ver se o bebê estava saindo, mas não. Só sei que estava perdendo muito sangue. Juntei todas minhas forças novamente, e mais uma vez, nada. Ficar sem comer e sem dormir direito acabou comigo, além de apanhar e ter que fazer tudo. Não sei que milagre eu não passei mal como das outras vezes que tive fortes emoções.
   A porta do quarto foi aberta bruscamente e Lucas entrou, mas assim que viu minha situação ficou em choque.

- L-lu... Lucas... Me ajude. - eu pedi, quase sem voz.

- Elizabeth, o que você está fazendo? - ele perguntou vindo até mim e eu revirei os olhos.

- Estou dando a luz, Lucas. - eu disse como se fosse óbvio.

- Não era pra você ter começado isso agora, Justin está vindo e com você assim não vou ter como te tirar daqui. Então agora você faça toda força que tiver pra tirar essa criança aí de dentro antes que ele chegue, e ele já está perto. - ele disse e eu arregalei os olhos.

     Eu comecei a fazer força descontroladamente e a cansar bastante por causa disso. Minha respiração ficou descompensada e eu estava suando.

- Eliza, preste atenção, só faça força quando a contração vier. Coloque toda sua força na maldita contração, ok? - ele disse e mesmo sem entender como ele sabia disso, eu assenti.

     Toda vez que a contração vinha, eu fazia toda força que podia. Senti a pior dor da minha vida, seguida de um choro e um alívio imediato.

- Nasceu, Eliza! Nasceu! - Lucas disse me entregando meu pequeno Joseph.

   Meus olhos se encherem de lágrimas e um sentimento de amor me invadiu. Abracei o pequeno ser em meus braços enquanto Lucas cortou o cordão umbilical com uma tesoura qualquer que tinha ali. Ele pegou um pano e enrolou meu bebê e colocou-o em meus braços novamente.

- Obrigada! - falei, sorrindo para ele.

- Não há de quê. Agora, Eliza, Justin está esperando vocês. Você precisa me ajudar agora, tem que andar. - ele disse e eu estendi Joseph para ele, sentindo minha cabeça rodar.

     Não tive tempo de responder, a única coisa que vi antes de tudo ficar escuro foi Joseph.

Justin Bieber point of view


     O plano não tem como dar errado. Eu, Ryan e os policiais estamos prontos para ir atrás de Eliza. Agora resta torcer para não falhar. Peguei o telefone e disquei o número de Kate.

"Bieber, Bieber... quem diria que você me ligaria depois de tanto tempo, hein?! Geralmente sou eu quem ligo." - ela disse assim que atendeu.

"Eu quero me encontrar com você." - eu disse sério.

"Nossa, Justin. Não pensei que sua esposinha fosse tão substituível."

"Ela não é, mas estou disposto a conversar com calma para fazer um acordo bom para nós dois."
- eu disse e ouvi uma leve risada do outro lado da linha.

"Tudo bem, se você prefere assim... Quando quer me encontrar?"

"Hoje, de meio dia no lugar de sempre." - falei e desliguei.

     Passei para Ryan o hotel e o quarto que ele teria que ir. Ele vai encontrar ela no meu lugar e prender ela lá, enquanto eu e os policiais vamos resgatar Eliza com a ajuda de Lucas.
     Saímos e seguimos caminho para onde Eliza está. Quando já estávamos perto, ligo para Ryan.

"Ryan?"

"Ela está subindo. Pode seguir."
- ele disse e eu desliguei.

     Seguimos caminho e liguei para Lucas (a ligação que Lucas teve com ele anteriormente) dizendo que estávamos chegando. Ele não gostou muito mas não dei tempo para que ele falasse mais.
     Levamos algum tempo até chegar lá. Fiquei esperando no local que disse a Lucas, mas nada deles aparecerem. Meia hora se passou e nada. Decidi ir lá. Disse ao delegado que me esperasse aqui, caso eu não voltasse em 20 minutos ele iria atrás de mim.
      Caminhei até a casa e entrei. A sala estava vazia mas pude ouvir Lucas chamando Elizabeth. Entrei no quarto que havia ali e encontrei Lucas com meu filho no colo e Elizabeth desacordada. Ela estava sem as roupas debaixo e sangrava muito. Corri até ela e a peguei no colo.

- O que porra aconteceu aqui? - perguntei a Lucas enquanto saía com ela do quarto.

- Ela entrou em trabalho de parto, mas perdeu e ainda está perdendo muito sangue. - ele disse e segui para fora da casa junto com ele, ela, e meu filho.

- Me ajude a levar eles até o carro, tenho que levar ela pro hospital e meu filho também. - eu disse e ele assentiu.

     Com toda essa confusão, não pude nem pegar e ver meu filho direito. Essa história está me matando, mas vou conseguir tirar eles daqui e seremos felizes.
     Chegando no carro, o delegado abriu a porta de trás assim que nos viu, nos dando espaço para colocar Elizabeth.

- Lucas, vá atrás com meu filho. - coloquei Elizabeth lá e Lucas também entrou.

     Ela ainda está desacordada e sangrando muito. Fechei a porta de trás e me encaminhei até a do motorista. Quando abri a porta ouvi uma voz me chamando.

- Pare. Aí. Mesmo. Bieber. - Kate disse pausadamente, apontando uma arma para mim, enquanto alguns seguranças armados se aproximavam. - Achou mesmo que seria fácil assim se livrar de mim? - perguntou chorando de raiva.

- Você é louca. Abaixe essa arma. Onde está o Ryan? - perguntei.

- Ah, o Ryan? Ele teve um contratempo com a perna dele... hm, acho que foi um tiro. - ela disse dando um sorrisinho de lado.

- Sua vagabunda! - falei tirando a arma da cintura e apontando para ela. - Como você pôde fazer toda essa merda? Minha mulher está morrendo, meu filho está precisando de cuidados, meu melhor amigo agora está correndo risco de vida por sua causa. Você vai pagar por todo sofrimento que nos fez passar.

- Como assim seu filho está precisando de cuidados? E-ele nasceu? - ela perguntou com a voz falha.

- Não interessa a você. Eu vou entrar no carro e vou embora com a minha família. Como você achou que eu teria algo com você? Uma pessoa claramente desequilibrada e sem amor próprio. - eu disse com raiva.

- Esse bebê é meu, Justin. Ninguém vai levá-lo.

     Ela atirou mas errou. Os policiais começaram a atirar contra os seguranças e ela, assim como eles faziam. Corri para o carro, querendo sair daqui logo e salvar minha família, mas algo atingiu meu braço de raspão, gemi com a dor daquilo.
     Notei o delegado saindo de mansinho enquanto os policiais trocavam tiros com os outros e segui ele. Fomos até um local onde ninguém estava vendo e o policial pegou Kate por trás, fazendo todos pararem.

- Larguem as armas ou eu atiro nela! - ele disse para os seguranças e ela olhava para mim com raiva.

- Acabou para você, Kate. - eu disse olhando nos olhos dela.

     O delegado algemou ela e ela me encarou chorando. Os policiais também prenderam os seguranças que haviam largado as armas e ligaram para a delegacia pedindo que enviassem viaturas para levá-los.

- Por que você não me quis, Justin? Eu amei tanto você. Eu amo tanto. Eu só queria que você me quisesse. Sem ela no nosso caminho nós seríamos uma família. Eu sei que se ela morresse você a esqueceria e conseguiria me amar. - ela disse e eu a olhei com desprezo.

- Eu nunca amei e nunca vou amar um ser miserável como você. Você não merece nem o sentimento da pena ou do desprezo. Por você eu não sinto absolutamente nada, Kate. Eu amo Elizabeth, porque ela é totalmente o oposto seu. Eu desejo que você apodreça na prisão. Delegado, vou para o hospital, encontro vocês depois.

     Dito isso, fui o mais rápido que pude para o hospital mais próximo. Eliza e meu filho estavam desacordados. Ela perdeu muito sangue e estava gelada e ele estava com muita febre. Chegando no hospital, eles foram levados para um local que eu não pude ver e eu fui fazer um curativo onde o tiro havia pego. Fiquei na sala de espera apreensivo, querendo alguma notícia e nada.
    Minha mãe e Marie já estavam aqui, pois eu tinha avisado a elas e meu pai ligou dizendo que Ryan tinha sido encontrado e levado para o hospital e já estava fora de perigo. Meu coração estava apertado sem notícias, até que o médico entrou na sala de espera.

- Família de Elizabeth Bieber?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...