História Contrato Inviolável - Capítulo 13


Escrita por:

Visualizações 369
Palavras 1.578
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!!
Boa leitura <3

Capítulo 13 - Um sorvete, dois sorvetes, três sorvetes


Fanfic / Fanfiction Contrato Inviolável - Capítulo 13 - Um sorvete, dois sorvetes, três sorvetes

 

— Eu não tenho nada para usar! Não vou!

Resmunguei olhando para minhas roupas esticadas na cama e sem saber o que usar. Nada parecia certo! Como eu tinha que estar vestido para um primeiro encontro?

— Ahhhh os adolescentes!

Ouvi a voz da tia Indy risonha e me voltei para ela rolando os olhos.

Tio Leo, Jimin, Shownu, Joshua, ela e tio Suho estavam espalhados pelo meu quarto porque eu precisava mesmo de apoio moral, mas o modelo entre nós estava viajando aquela semana. Tio Iago… Ele saberia me dizer o que era bom…

— Use algo simples, meu bem, é o melhor – Tio Leo passou por mim e pegou um macacão jeans que eu gostava de usar quando ia para o shopping com eles – Veja, é simples e bom.

— Verdade, não é como se ele precisasse de uma roupa fácil de tirar, né gente!

Tio Jimin disse sarcástico e eu quase mordi a língua. Droga, aquilo ela era engraçado até eu ser a vítima da situação! Eu devia ter zoado menos meus pais naqueles anos…

Todas as vezes que chegava mais cedo em casa e sabia que eles iam provavelmente estar namorado na sala eu provocava sobre roupas e locais errados para aquele tipo de coisa. Agora eu estava sendo zoado, aishi!!!

— Olha só, eu ‘tô proibido de dar beijo de língua, então pode esquecer do resto!

Rebati irritadinho para olhares surpresos sobre mim. É, eles não sabiam daquilo…

— Sehun teve esse tipo de conversa com seus “domzinhos”, Yutie!?

Tio Shownu perguntou de boca aberta, eu assenti.

— Eu fiquei morrendo de vergonha, mas sabe como ele é né! Depois pai Channy me mandou não beijar de língua, eu nem nunca beijei, como vou saber distinguir? – Dessa vez falei suspirante e confuso, porque tudo tinha que ser tão complicado? – Eles disseram que, sabe… Que são como eu e tudo…

— Indecisos?

Tio Suho sorriu de canto.

— Dramáticos?

Tia Indy piscou.

— Boca grande?

Tio Jimin se abriu em um sorriso do gato de Alice e eu joguei um dos meus travesseiros nele!

— Claro que não! Virgem! Eles são virgens!

— Não sei se isso é bom, eles têm doms na família? Alguém tem que guiar esses meninos porque, não é? Se quiserem avançar o sinal, vocês três podem se machucar…

— Não vamos avançar o sinal tio Leo! Começamos a namorar ontem gente! E JYJ disse para os pais que ia esperar eu ficar adulto…

— Claro que tendo um biscoitinho lindo e mordível como você, eles vão esperar igual monges, claro, sei… – Tio Jimin voltou a rebater e então estralou os dedos – Isso merece um contrato. Deixe por escrito, “Eu serei intocável, virgem, lindo e divo como sou até meus vinte e um anos”. E pronto. Todos saberemos que será cumprido. Ninguém pode quebrar um contrato…

 Eu pisquei. Hein?

— Gente, meu pai não é dom, estamos tentando namorar normal aqui, por favor, se eu for com essa ideia eles podem desistir e se eles desistirem eu vou ficar mal, posso até, sei lá… Chorar até 2024!

Todo mundo riu e tio Suho veio me abraçar com carinho:

— Estamos brincando, meu amor, faça o que se sentir mais confortável hun? Depois de amanhã vamos conhecer oficialmente a família dos seus ‘domzinhos’ e então o que ainda não for esclarecido, será. Agora vamos deixa-lo bem bonito para esse primeiro encontro importante, combinado? Indy?

— Se fosse no México, umas botas iam ficar ótimas em você, Yutie, mas vamos ver o que dá para fazer aqui.

 E tia Indy veio sobre mim com cara de quem ia aprontar e eu suspirei, era mesmo engraçado quando não era comigo…

Quando minha campainha tocou, eu só sabia estremecer e agradecer a deus que todos os meus pais estavam fora de casa hoje. Porque eu tinha um vocabulário gigante com a minha família, mas ficava sem palavras ao lado deles? Aquilo era normal?

Tinha esquecido de perguntar…

Desci as escadas ansioso demais para esperar o elevador e fui até o portão com o coração em ritmo de maratona. Era só um sorvete, porque eu estava fazendo tanto drama?

 Ah claro, porque eu era dramático!

Suspirei mentalmente e saí para a rua topando com uma imagem que definitivamente eu não esperava. JYJ, Bianca e um outro cara que nunca vi na vida estavam escorados em uma SUV negra linda e de espelhos escuros bem diante do meu prédio.

Oi?

Meus namorados estavam lindos como sempre, porque eles eram lindos mesmo e de novo tinham amarelo no vestuário, dessa vez era o tênis da Bianca e a bermuda do JYJ. E o cara que bem, seria algum dos tios deles? Ou primo desconhecido… Estava vestido todo de negro e simples, a camiseta estava grudada no peitoral e ele era forte, alto, tinha um rosto anguloso e olhos escuros que se focaram em mim de um jeito estranho. Usava coturnos, o que não passou despercebido e se eu topasse com o tipo na rua ia pensar que era da SWAT.

Sacudi a cabeça me reprendendo com meu costume bobo de misturar ficção com realidade e fui até Bianca tentando sorrir natural:

— Oi.

— Oi Yuto, você está muito bonito! Tudo isso para nós?

Ela perguntou com gentileza tocando com a ponta do indicador na ponta do meu nariz e eu queimei envergonhado. Deus meu leva! Porque diabos eu ficava tão tímido com eles? Eu tinha problema?

Talvez pai Channy estivesse certo, ainda que pelos motivos errados, porque se continuasse daquele jeito, um beijo de língua e eu morria do coração!

— Oi bebê! - JYJ disse sorrindo e então tocou no meu ombro e indicou o cara desconhecido – Quero que conheça nosso primo Chin. Ele é o único de nós que já conseguiu licença para dirigir na Coréia e vai nos levar hoje, ok? Sei que não é muito longe, mas a previsão é para chuva e se chover você poderia se molhar. Não queremos que pegue uma gripe estando com o cotovelo machucado. Ele parece mal-encarado, mas é um amor de pessoa.

— Mal-encarado, JYJ? - O primo deles disse sorrindo de canto e então estendeu a mão para mim – Prazer em conhecer o mais novo membro da família. Eu sou o filho mais velho dos daddys e primo mais velho das crianças. Meu nome é Kim Chin, mas pode me chamar de Chin ou se quiser de…

— Naruto! – JYJ interrompeu ele - Era uma peste bagunceira quando criança que vivia pulando das janelas, mas agora virou um homem de família comportado e sério, tão o tio Seok!

— Falou o cara que vivia fazendo experiências “cientificas” com comida e sempre botava fogo nas coisas. Muito sério e razoável, não é Jongup?

— CHIN! - JYJ ficou vermelho, meu deus eu estava vendo aquilo mesmo? E então cruzou os braços e fez bico – Tínhamos oito anos, que coisa!

— Parem vocês dois, olha a cena na frente da casa do Yuto.

Bianca disse com voz séria, mas sorria também e eu acabei a imitando. Aquilo era ter irmãos? Parecia divertido…

Então entramos no carro, com Chin no volante e logo saímos dali rumo a sorveteria popular da cidade. Que eu particularmente amava e já não ia há algum tempo.

— Yuto, eu queria saber se quer mesmo ir com a gente acampar.

Bianca estava ao meu lado e parecia mesmo interessada em saber se eu queria ir, diferente dos primos dela que estavam tão empolgados aquela manhã que já deram como certo a minha presença. Eu assenti, estava curioso.

— Eu nunca acampei, queria saber como é, mas não sei se meus pais vão deixar…

— Vamos conversar com eles no almoço – JYJ afirmou decidido – Mas só se quiser ir mesmo.

— Eu quero! – Disse sorrindo, mais feliz comigo de estar conversando com eles sem gaguejar do que pelo assunto. Eu tinha treinado com o espelho, tinha me empenhando mesmo…

— Não se preocupe com coisas perigosas, eu estarei com você – Chin disse me olhando pelo retrovisor e eu quase ofeguei. Gente, que olhar… – As crianças adoram acampar, mas desde que chegamos não houve oportunidade. Os pais e tios não querem que percamos o ritmo.

— Eu e Bi temos apenas dois anos e meio a menos que você, Chin, pare de nos chamar de crianças!

— Desculpe JYJ, é o costume.

 Eu vi meu namorado rolar os olhos, mas contra todas as minhas melhores intenções eu fiquei mexido com o olhar do primo mais velho. Fechei os olhos confuso e chateado. Não… foi só jeito de falar, só jeito…

“Não se preocupe com coisas perigosas, eu estarei com você”

 A voz ficou se repetindo em minha cabeça e parecia tão a voz do tio Xing… Era naquele tom que ele dava uma ordem disfarçada de apoio moral. Que inferno!

— Chegamos.

Chin disse animado e eu mordi os lábios tentando não parecer nervoso. O que deu em mim?

 Então ele me olhou outra vez pelo retrovisor e eu engoli em seco sendo ajudado pela Bianca a descer do carro alto.

Estávamos diante da sorveteria, eu estava entre ela e JYJ, mas meu corpo todo estava sentindo a presença dele… Ele entraria com a gente? E porque aquilo me deixou nervoso de um jeito estranho?

— Se divirtam!

Ele disse e eu quase fiz bico. Não, ele não viria…

 E daí eu suspirei, estava ficando louco? Que eu estava fazendo?

— Vamos?

Bianca acariciou minha cintura e eu perdi a linha de raciocínio… Ela me tocou, me tocou mesmo… Então eu surtei inteiramente e esqueci por algum tempo que tinha me sentido atraído por outro deles…

 Eu era louco?

 


Notas Finais


Beijinhos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...