História Contrato Inviolável - Capítulo 18


Escrita por: ~

Visualizações 489
Palavras 1.536
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite!!!
Última att da semana!
Boa leitura <3

Capítulo 18 - Beija flores e rosa vermelha


Fanfic / Fanfiction Contrato Inviolável - Capítulo 18 - Beija flores e rosa vermelha

 

— Pronto, agora pode respirar.

  Bi me empurrou de levinho para fora do elevador interno e eu respirei pela boca tentando me reestruturar depois do susto. Não tinha condições mesmo de lidar com aquilo... Sogra, sogro, cunhada, tudo de uma vez só e ainda com aquele clima tenso da sala?

  Ainda bem que Bianca era um gênio e deu uma desculpa perfeita para me tirar de lá. Ninguém tinha dúvidas alguma que eu devia trocar meu curativo.

  Olhei ao redor e parecia uma sala espaçosa com quatro portas em direções distintas.

— Que andar é esse?

— Chamamos de andar dos mais velhos. Meu quarto com a Bárbara, do JYJ, HY e DZ, do Chin e do Nini e com o PCY.

— Ahhhh... -  Disse baixinho, mas o que pensei era: MEU DEUS! MEUS NAMORADOS DORMIAM LÁ AHHHH... Então me controlei outra vez e me voltei para ela tentando agir como um ser humano normal e não um namorado surtado – Parece bem bonito, muitos livros e tals...

  Ela sorriu e veio para mim tocando de novo em mim. Dessa vez com o dedo indicador na minha bochecha:

— Gostou mesmo? Então vai amar a coleção de miniaturas esportivas do PCY.

  Arregalei os olhos e ofeguei. Meu deus, estava no céu e não sabia?

— Q-quanto tempo temos?

  Perguntei meio amuado, não era como se eu quisesse voltar para lá... Mas também não me sentia muito confortável ali, quer dizer... Era o andar deles...

— O tempo que precisar, Yuto. Ninguém vai forçar você a descer se não quiser, minha família é ótima em distrações se preciso. Se acalme, eu sei que meu pai é um pouquinho intimidante, mas ele no fundo é um amor de pessoa.

— Ele conhece o tio BM.

— Meu pai tinha muitos contatos antes de ir embora de Seul. É coisa de adulto, deixe que eles se entendam, combinado?

  Eu assenti e respirei fundo.

  Verdade, eu não tinha nada com aquilo... Embora fosse estranho. Andei pela sala e então parei de frente a uma porta com uma plaquinha escrita em uma língua ocidental, mas que não reconheci.

— O que está escrito?

— Minha irmã tem um senso de humor peculiar – Ela respondeu em tom divertido e então se colocou ao meu lado e eu só senti aquele frio na barriga que jamais pensei que ia sentir. Era um sentimento conflituoso, mas bom de certo jeito. Eu adorava sentir aquilo, era... Expectativa? – Está escrito em português. Diz: cuidado, cão bravo.  É uma brincadeira sabe, Ba tem um temperamento horrível as vezes, porém é uma boa pessoa. Esse é nosso quarto. Venha.

  E ela enlaçou seus dedos nos meus e eu senti meus joelhos tremerem outra vez. Eu era tão sensível assim? Porque tremia quando eles me tocavam? Eu precisava superar...

“Foco Yuto, foco, ela só pegou na sua mão, respira, respira fundo... Senão vai desmaiar com um beijo...”

 Eu quase mordi meus lábios enquanto pensava naquilo ao mesmo tempo em que ela abria a porta e eu via um quarto simples, de cores claras em que em uma das camas tinha... Um ramalhete de rosas vermelhas? Oi?

— Bárbara!

  Minha deusaqueen resmungou e eu olhei dela para a cama tentando entender o que significava.

— Sua irmã gosta de rosas?

— Não. E essa é a minha cama, eu te disse, releve minha gêmea... – Bianca foi até as flores e a tirou da cama colocando no criado mudo. Havia um par igual de tudo ali. Ela se voltou para mim e pela primeira vez vi um sorriso sem graça nela. Meu coração acelerou de novo, porque ela tinha que ser tão linda... – Esse é o jeito idiota dela dizer que você é bem-vindo. Ela enche DZ de flores...

— E-ela sabia que eu ia subir... Q-quer dizer... Er...

— Achei vocês dois!

  A porta foi aberta e JYJ entrou por ela meio afobado e... AI MEU DEUS, SEM CAMISA!

  Eu desmaiei mentalmente enquanto Bianca vinha para mim e escondia meu rosto nas costas dela. Eu desmaie duplamente e se não fosse por vontade divina eu estaria estirado no chão... De repente o mundo ficou escaldante?

— JYJ, quer morrer seu delinquente!? Vista-se!

— DZ sumiu com minha camisa amarela, aquele peste! – Ouvi ele resmungar e então algo cair no chão com um baque seco – Eu faço o serviço pesado e fico sem roupa, eu ainda esgano ele! Eu não sou o executor dessa família, mas me prontifico e olha só no que dá...

— JYJ, Yutie está aqui.

  Ela disse em tom de advertência e minha espinha congelou na hora. Gente... Meus namorados eram doms, só podia... Ai...

— Yu, desculpe meu linguajar – Eu ouvi sua voz soar macia, totalmente diferente de segundos antes e sorri, ainda que colado ao corpo dela e um pouco sem ar... Bianca me desestabilizava com seus toques, mas JYJ fazia isso com a voz mesmo – Eu estou vestido agora, pode olhar.

  Eu espiei de lado e vi ele já vestido com uma regata branca. Ele parecia um daqueles protagonistas de dorama ali, ao lado da janela sendo iluminado pela luz solar e eu notei que eu era mesmo um idiota estático naquele segundo... Ahhh quando eu seria capaz de agir normal, meu senhor!?

— Oi.

  Disse tímido, ele sorriu:

— Oi. Não queria usar branco, queria usar amarelo para você, mas meu irmão não colaborou. Eu resolverei isso ainda hoje. E bem, olha só você, em casa outra vez, ahhh adoro te ver aqui, sabia?

  Ele veio para mim – Saltando um taco de beisebol? - e estendeu a mão que eu logo aceitei porque sou desses e porque aquele garoto era meu namorado, meu mesmo, meuzinho e eu podia tocar nele, certo?

— Alguém te chateou?

— Não – Respondi rápido me perdendo nos olhos dele. Porque era tão vívido mesmo? – Está tudo bem...

— Meu pai assustou o Yutie, acho que devemos apresentar um por um dos pais só por via da dúvida, Yuto é muito tímido, JYJ, mudança de planos, avise os outros.

  Eu pisquei. Eles tinham um plano de apresentação patricarcal, gente! Que coisa... Meus namorados faziam parte de alguma organização secreta?

— Ei, Bi, está tudo bem, é só um almoço né, não vamos exagerar e...

— Só um almoço? Não, Yu, esse é nosso encontro formal para garantir aos seus pais que somos ótimos partidos. Temos um cronograma, meu pequeno namorado tímido. E vamos cumpri-lo, aliás você está encantado pelo nosso primo, temos de resolver isso também, não queremos que fique chateado sobre o Chin - JYJ se curvou até ficar olhos nos olhos comigo – Você é nosso para amar, cuidar e prover. Nada menos que isso, não se esqueça.

  Fiquei mudo e pasmo. Deus me leva... Eles sabiam mesmo dos meus sentimentos...

— Calma, calma...  – Bianca tocou no meu braço e esfregou ali de leve para me acalmar, contudo teve o enfeito inverso e eu comecei a crucificar meus hormônios idiotas mentalmente. Eu sobreviveria até meu casamento...?

  HEIN!? CASAMENTO, SENHOR KIM YUTO!?!

  A voz do pai Sehun surgiu do nada na minha cabeça e eu estremeci internamente. Eu estava demorando... Eu ia levar bronca... Ai... O que eu faria...?

— Yu – JYJ pegou nas minhas mãos e se focou ainda mais em mim para meu desespero espiritual... Eu era um tonto, aishi... – Vai dar tudo certo, confie em nós.

— E-eu confio... É em m-mim que não... sabe...

  Então ele sorriu e eu esqueci de respirar.

— Eu confio em você. Muito, você tem meu coração.

  Então ele puxou minhas mãos para o seu peito e eu tonteie sendo segurado pela Bianca em um movimento preciso. De repente me vi entre os dois, com quase nenhum espaço entre nós e com um princípio de desmaio vindo de mim... Com minhas mãos no peito do JYJ, as mãos dele sobre as minhas, as mãos dela na minha cintura e a respiração tranquila dos dois ao meu redor enquanto eu surtava silenciosamente.

  Eu não ia sobreviver, não sabia lidar, não, definitivamente não...

— Estou esperando o beijo, vai demorar? Ou preferem dançar antes, tipo uma valsa só que mais animadinha?  - Espera, eu tenho a música perfeita... Hummm vou traduzir – Eu me senti um pimentão ardente e escondi meu rosto nas mãos do JYJ enquanto a voz parecida com a da Bi, que agora eu sabia que tinha dona e era a gêmea dela, começou a cantarolar uma música desconhecida, mas de som legal... sobre resmungos da minha namorada e frases de ignore ela e vou esganar minha cunhada, do JYJ - Sou rosa vermelha, Ai! Meu bem querer. Beija-flor, sou tua rosa e hei de amar-te até morrer.

— Barbara, você quer mesmo morrer, não é não?

— Nossa, só queria ajudar no clima, ‘tô saindo, se divirtam! Eu vou ganhar tempo para vocês, se beijem, combinado? Ou ele nunca vai se acostumar, pobrezinho!

  A porta se fechou e eu nada vi porque ambos me esconderam entre eles. Eu hiperventilava, de novo, como sempre, ahhhhhhhh!!!

— Vamos voltar, Yutie, antes que minha irmã cause um escândalo.

  Eu assenti e sai do quarto sem senso de direção algum. Eu dava um passo para frente e dez para trás...

“Se beijem, combinado? Ou ele nunca vai se acostumar...”

  Aquela frase grudou do meu cérebro e não me deixou depois daquilo... Droga, e se a cunhada tivesse razão?

  E se eu surtasse menos, depois do meu primeiro beijo?

 

 


Notas Finais


Beijinhos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...