História Contrato Inviolável - Capítulo 8


Escrita por:

Visualizações 527
Palavras 2.235
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiee!!
Boa leitura <3

Capítulo 8 - Eu estou mesmo namorando!


Fanfic / Fanfiction Contrato Inviolável - Capítulo 8 - Eu estou mesmo namorando!

 

 Barbara entrou no quarto que dividia com a irmã e sorriu ao vê-la olhando distraída para o espelho. Sabia o que ela sentia, afinal eram gêmeas idênticas e tinham laços muitos fortes que Bi sempre negava, mas ela jamais julgaria a irmã, Barbara entendia que Bianca só queria viver tranquila. Respeitava a irmã, claro, mas não deixava de ser engraçado.

 Bi estava apaixonada, esperou muito tempo para ver alguém balançar o coração dela e a verdade era que em sua opinião o garoto era feito sobre medida para ela e para o JY, só que vivia em uma realidade bem diferente da deles, e aquilo sabia, era o que mais preocupava a irmã. O garoto era inocente demais.

 O que podia ser contornado.

Foi até a irmã e pegou a escova se posicionado atrás dela e começando a escovar o cabelo longo e bonito que Bi deixava mais longo que o seu. Sua irmã era clássica, ela era a rebelde.

— Vai dar certo, Bi, confie nele.

Sua irmã suspirou pesado e então a encarou pelo espelho de forma séria:

— Eu espero mesmo que dê. E o ciclista?

— Sumiu – Respondeu chateada, queria pegar o delinquente mas ia ficar para a próxima – Mas Seul é uma selva curta, vou achá-lo em breve.

— Os pais?

— Chegaram com a mamãe e antes que pergunte, sem os diamantes. Tio Min está com eles – Barbara se curvou e apoiou o queixo no ombro dela – Devíamos ir atrás de você sabe quem, ele nos deve, eu o faria pagar.

— E a mamãe te enterra viva – Bianca resmungou antes de a encarar mais tensa – Esqueça isso, Barbara, somos adolescentes normais aqui, só isso. Não podemos invadir propriedades nem transgredir as leis…

— Tão certinha…

— Ainda bem que eu sou – Sua irmã terminou sorrindo – O que namorados fazem sem ser clichê? Se depender do JY nós ficamos em casa comendo biscoitos!

— O fofinho topou namorar vocês dois?

Perguntou divertida, sua irmã assentiu e então riu baixinho:

— Os pais dele são casados em uma união poligâmica, não é legal?

— Claro que sim, já quero conhecer os sogros… Espera, tem sogra também?

— Não sei, não entramos em detalhes… O que eu faço Ba!? Ele é um sub!

Barbara gargalhou e então deu um beijo na bochecha da irmã se afastando:

— Tio Kyungsoo terá todas as respostas, ou tio Guk. Tio Zhoumi… Nossa variedade é grande, porém indico tio Soo, o fofinho parece bem manhoso pelo o que vi.

Sua irmã rolou os olhos e assentiu:

— Certo, tio Kyungsoo ou…

— Tia AMBER!

Acabaram gritando juntas e então gargalharam, tia Amber… Uau! Em caso de dúvidas recorra a uma Dome, eis o lema de casa…

Então sua irmã se ergueu e olhou para a porta:

— Não me espere.

— Jamais.

Respondeu sorrindo e assistiu sua irmã sair pela porta animada. Alí, Barbara se sentiu orgulhosa. Finalmente sua irmã ia aceitar quem era… Finalmente!

 

☺♀♥♂☺

 

 Eu acordei com o despertador soando e ao me movimentar, me lembrei que estava com o cotovelo machucado. Fiz cara feia para o meu teto e então suspirei.

 Iria ficar em casa hoje, os pais tinham decidido, mas pela primeira vez eu queria ir para aula, afinal lá, na escola, estariam meus dois namorados…

 Namorados.

 Sorri extasiado, chocado e um pouco animado demais para quem tinha o cotovelo ardendo outra vez. Mas o que era um cotovelo doendo em comparação com a minha crush e o perfeitinho da exatas? Nada, absolutamente nem chegava aos pés…

 JYJ…

 Quando ele desligou o telefone e me encarou naquela saleta onde minha crush dizia que sim, ia me pedir em namoro, e me disse que seriamos um trio…

 Eu quase desmaiei, só não fiz porque estava em choque demais para pagar mais mico, só por isso. Como assim ele gostava de mim? Como assim eles topavam namorar em três? Como assim eu estava em euforia com um pedido tão sem graça?

 Enfim, não se podia exigir muito dos caras de exatas, isso eu já sabia bem. E eu não estava em mim naquela casa, esse era o fato determinante.

 Então ficamos ali meio que encarando uns aos outros e eu mal vi o tempo passar, até ouvir a buzina doida do pai Soo. Kyungsoo era muito zeloso, eu sabia e adorava, e me dei conta que foi com ele que JYJ conversou…

 Então fui levado para baixo por ele, que tipo assim, me pegou no colo e me desceu como se eu fosse uma pena… Ele e Bianca pareciam fazer aquilo tão normal… E então eu não pude me conter, eu gritei internamente, gritei muito, gritei de loucura e não me lembro muito bem em como fui parar no carro, no que ele e meu pai conversaram, mas no caminho para casa eu levei dois tapas na orelha por ter me machucado e por estar com cara de idiota. Mas pai Soo sacou logo e por fim concordou que minha crush e o perfeitinho eram bonitos mesmo.

 A piadinha em casa, depois de verem que eu estava vivo e tudo, foi que no fim eu tinha ido sim para a casa da minha crush.

 Jongin tinha sorrido com aquele sorrisinho irritante de quem sabia de tudo enquanto eu não sabia de nada e se eu entrei no meu quarto com cara de mal a culpa era dele!

 Aishi… E então eu esqueci minhas divergências com meu pai.

 Namorando…

 Chutei o ar gargalhando internamente e pensando que eu era um idiota, mas um idiota feliz! E o melhor era que eles sabiam sobre subs, sabiam sobre relacionamentos múltiplos, eles eram tudo de bom! Meus instintos de sub de família eram bons mesmo, tio Suho precisava saber…

Arg, é claro que ele já sabia, pai Soo deveria ter falado ontem à noite, claro.

 Então olhei pela janela e sorri de novo, o dia estava tão bonito… Eu devia me levantar? Devia ficar bonito e ligar para eles? Agora eu tinha o número dos dois… Eu tinha um número… eu devia…

 Espera, eu não precisava ficar bonito, certo? Eu estava de cama, tinha que parecer mal para ganhar visita!

— Não, isso é exagero…

 Murmurei para mim mesmo e então sacudi o edredom com os pés eufórico.

 Minha crush era minha namorada agora, o perfeitinho da exatas também, eu tinha dois namorados, doissssssss!!! DOIS!

— Yuto, meu filho, você está bem?

Sehun enfiou a cabeça pela porta e eu parei de me mover um pouco sem graça. Ops…

— Sim?

 Disse um pouco envergonhado enquanto meu pai já vestido para o trabalho, entrava no meu quarto e vinha se sentar na beira da minha cama tocando minha testa. Eu rolei os olhos:

— Não estou febril, papai.

— Hum, você parece estranho hoje.

— Eu machuquei meu cotovelo!

 Fiz drama e bico. Ele sorriu de canto:

— Sei… Hum então Jongin tem razão, você ainda está eufórico com ontem, certo?

— Pai!

— Yuto, meu filho, eu sei que está empolgado, mas você sabe que você é nosso único filho e temos que cuidar de você, não conhecemos a família deles hun? Vá com calma, Kyung disse que os dois viriam em casa hoje e…

— Eles vão vir, MESMO? - Estremeci e me sentei na cama mexendo no meu cabelo – Eu devo cortar as pontas, estou meio desleixado, né pai?

 Eu procurei por um espelho, mas meu pai pegou meu rosto e me fez encará-lo:

— Você gosta mesmo desses dois? Não acha que é só empolgação platônica?

 Estreitei os olhos e me senti chateado embora firme:

— Nada de platônico, papai.

— Muito bem, eu virei para casa depois do almoço e você só vai sair com eles ou pensar em ter algo de verdade se eu aprovar, fui claro?

 Abri a boca um pouco perdido.

 Ok, Sehun era meio Dom sem ser dom, se ele fosse um eu votava nele, acho que já disse isso né, mas eu me sentia meio assim com ele, contudo não pensei que ele diria algo assim… Quer dizer, foi legal, mas hummm… Eu me senti confuso, sei lá…

— Vai fazer tipo um questionário ou algo do tipo?

— Você tem quinze e os dois quase dezoito anos, claro que vou fazer.

— Entendi… Pega leve ‘tá? Eu gosto deles, papai.

— Kyung disse que o garoto é bem sério, quero ver com meus próprios olhos. Agora volte a dormir e não, você está lindo como sempre.

Recebi um beijo na testa e Sehun se foi me deixando duas vezes chocado. Ele disse que eu estava lindo? Ohhhhhh…

 Sehun não era de elogiar, mas quando fazia ele era bem sincero.

 Eu estava lindo… Sorri outra vez, eu era bonito mesmo né, fazer o que?

 Então meu celular vibrou, eu peguei ele por reflexo, vi a foto da Bianca e congelei. Eles além de gravarem os números também colocaram fotos? Onde eu estava quando isso aconteceu?

 No seu mundinho feliz e alienado, né! Só pode!

Minha mente respondeu irônica, eu surtei outra vez, ahhhhhhh o que eu faria, o que, O QUÊ?

Atendi meio tremulo e a voz dela soou do outro lado suave:

— Te acordei? Queria saber se vai para aula hoje ou não.

— Eu não… Quer dizer não vou, isso, não vou…

Respondi rápido e quase bati na minha testa, mas estava difícil hein, eu tinha que me controlar, controle, controle…

— É melhor, está tomando os analgésicos que meus tios te passaram?

 Analgésicos?

Olhei pela cama e vi o vidrinho jogado no tapete. Ops dois…

— Eu esqueci… vou tomar!

 Disse mordendo os lábios e uma voz invadiu a ligação. Era ele…

— Eu disse que tínhamos que te ligar ontem à noite e relembrar, eu disse para ela que você ia dormir e esquecer. Tome um comprimido, Yuto.

Não soou como ordem, mas soou uma afirmativa direta e eu ofeguei. Nossa, então ‘tá né…

—‘Tá! - Peguei o vidrinho que estava perto e agradeci por pai Soo sempre deixar um copo de água na minha cabeceira e engoli o comprido pequeno – Pronto.

— Agora volte a dormir e descanse, eu vou dizer a sua professora que faltou porque se machucou. Levaremos seu skate a tarde, seu pai disse que ia nos esperar para conversar. Você prefere que cor?

— Oi?

 Cor de que? E como eu tinha esquecido do meu skate? Eu nunca esqueci do meu skate… Gente, eu estava mesmo alienado ontem à noite…

— Qual é a sua cor favorita, Yuto – A voz da Bianca voltou – JYJ não sabe perguntar as coisas, desculpe por isso.

— Qual a parte do você prefere que cor, não é explicativa?

Ouvi ele resmungar e acabei sorrindo bobo, aquilo era fofo de um jeito ridículo.

— Eu gosto de amarelo, amarelo é quente e bonito. Não sei, as vezes muda, mas eu gosto de amarelo.

— Anotado. Agora volte a dormir, até mais tarde!

 O perfeitinho disse animado, eu podia sentir mesmo na ligação.

— Descanse sim?

Bianca terminou e a ligação foi cortada. Eu tremi entre animado e receoso e tudo aquilo as seis e meia da manhã.

Mas quem ligava? Eu não, afinal eu estava namorando… NAMORANDO!

 

☺♀♥♂☺

 

Amber assistiu as crianças saírem para escola e só quando elas viraram a esquina, se afastou da janela e encarou sua irmã que tomava sua inseparável xícara de café e a observava com seu típico sorrisinho divertido:

— Espero que tenha sido bem explicativa, sabe como é a Bianca, ela vai ponderar e ponderar e no fim agir com a razão de maneira exagerada, tenho pena desse garotinho, Bi e JYJ são tão robozinhos…

— Não seja assim Mi, eles são jovens, estão na fase do primeiro amor, do encantamento, eles vão se descobrir sozinhos, eu só dei uma diretriz. Só expliquei que o que ela sente é normal e que deve deixar que tudo aconteça de forma natural, eles fizeram bem em casa ontem, eles vão se sair bem. Não é com eles que devemos nos preocupar – Amber olhou para o marido adormecido na cama no outro ambiente do quarto deles e suspirou abaixando o tom – Não concordo com o assalto, acho que devemos usar você sabe quem, ele ficou com metade das ações dos Kim, de todos os Kim, as indústrias de cosméticos Kim era trilonária. Se mamãe não jogou no limbo, ainda temos uma chance. Pegue o Fanfan, Mi, ele é o melhor hacker da atualidade em Seul, vamos usá-lo, tenho quase certeza que dará certo.

— Não confio em ex meninos de recado, Amber, não gosto disso.

— É isso ou a senhora Park. Protegemos a senhora Park até hoje para que ela não corresse riscos, acha seguro tirar ela da ignorância? Ela pode requisitar tudo, toda a fortuna, mas teria de tomar a frente, corvos de todo o país cairia sobre ela, Channy ficaria doente no mínimo… Não podemos arriscar. Ela vive bem com as amigas e até tem namorado agora. Ele viveu todos esses anos deixando que ela acreditasse que tinha morrido só para protegê-la de tudo isso, seria cruel usarmos a mãe dele, não acha?

— Eu não sei, acho que ela é mais forte do que pensamos, acho que ela iria querer conhecer a família, ver os netos grandes, conhecer os menores, ela é uma mulher, nós nascemos guerreiras, acredito que foi nosso único erro em tudo isso, deixá-la acreditar na morte do filho.

 Amber suspirou, ela temia o pior, conhecia os inimigos, conhecia os riscos…

— Vamos tentar com o meu ex ratinho, se falharmos nisso, então levamos o assunto para o geral, combinado?

 Sua irmã ergueu e a xícara e sorriu.

— Vamos voltar à ativa, irmãzinha.

 


Notas Finais


Beijinhos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...