1. Spirit Fanfics >
  2. Contrato vitalício >
  3. Sakura, estou em casa

História Contrato vitalício - Capítulo 6



Notas do Autor


https://drive.google.com/drive/folders/123-UC86oPok_pJ-EaLM1X1kJCZqOYbJ7?usp=sharing

PESSOAL O LINK DEIXADO NAS NOTAS INICIAIS E FINAIS, SERÃO PARA QUE VOCÊS POSSAM ACOMPANHAR IMAGENS CITADAS NA HISTORIA, ESSA FOI A FORMA MAIS FACIL QUE ENCONTRAMOS PARA QUE POSSAMOS DISPONIBILIZAR ISTO A VOCÊS, EM VISTA QUE O SOCIAL SPIRIT NÃO PERMITE A IMPLANTAÇÃO DE IMAGENS NO DECORRER DA FIC. ESPERO QUE GOSTEM DO CAPITULO.

BY: ANNE

Capítulo 6 - Sakura, estou em casa


Fanfic / Fanfiction Contrato vitalício - Capítulo 6 - Sakura, estou em casa

No capítulo anterior:

 

_ Você cancela o contrato, leva ela de mim, a mesma nunca mais apareceu no trabalho e ainda por cima vai casar com ela Uchiha? ELA ERA PARA SER UM PRESENTE TEMPORÁRIO, ELA NÃO ERA DEFINITIVAMENTE SUA, A EMPRESTEI PARA SATISFAZER-LHE APENAS ISSO, eu abri mão de um desejo enorme para selar nossa parceria, e você a quebrou e ainda se aproveitou de maneira inapropriada daquilo que lhe ofereci, tenha no mínimo a hombridade de me devolver minha funcionaria seu CANALHA, ou ela já se vendeu para você? eu devia ter imaginado que ela não passava de uma vagabunda que fazia CU doce, tantas vezes que tive a oportunidade de tomá-la para mim, e ela se batia como uma desesperada para fugir, não passava de encenação. - Sasuke ouve calado enquanto estava de costas, virando sua cadeira com o olhar frio, arrogante e impetuoso, deparando-se com nada mais nada menos que Akasuna Sasori em fúria, cuspindo as maiores baixarias possíveis, hoje o dia estava FOD… ele definitivamente ia matar um ….

AUTORA POV’S OFF…

 

Continuação:

 

SASUKE POV’S ON…

Miro Sasori, ali a minha frente espumando cuspindo xingamentos e  calúnia a respeito da rosada, em um impulso me levanto e sigo de encontro ao mesmo o segurando pela gola da camisa social.

_  Não toque no nome dela ‐ rosno mirando os olhos do Akasuma. O ruivo tira minhas mãos do tecido com brusquidão, um sorriso sarcástico se forma em sua face. _  Não me queira como seu inimigo Sasori, pague a quebra de contrato e suma  de nossas vidas, não toque no nome dela, nem ao menos pense nela. – Miro a face do mesmo que desdenhava.

_ Ela te pegou de jeito não é Uchiha?!  Essa rosada é bem  esperta, escolheu a ti por causa do dinheiro não se engane… ‐ Não deixo que o mesmo termine, o interrompo com um soco no meio da  face, minha paciência que já não era muita estava esgotada. 

_ Retire-se ou  eu mesmo te tiro daqui a pontapés  -  peço o observando levantar-se, limpando o sangue que escorria  do nariz. 

_  Nada disso ficará assim! – rosna o mesmo me apontando o dedo. 

_ Não me ameace Sasori -  miro os olhos do mesmo. _  quero os 15 milhões na conta da empresa o quanto antes. - Miro-o seguindo em direção a porta e me lança um olhar ameaçador, logo passa pela mesma.  

Ele me daria trabalho isso era certo, torno a me sentar sobre a poltrona atrás da mesa soltando o ar que estava preso em meus pulmões ao me lembrar das quatros reuniões que eu ainda enfrentaria durante todo o dia.

Além do estresse causado por Madara e  Sasori  as reuniões e obrigações de presidente sugaram toda minha energia, meu único desejo nesse momento era chega em casa e te as esmeraldas sobre mim, ainda não entendia a necessidade que eu tinha em vê-la, em sentir seu cheiro e  agora até seu toque e  isso estava me deixando louco. Não me lembro de ter ficado assim um dia,  até por que nunca aconteceu antes, mas essa rosada está  acabando com o pouco do sono que tenho. tornando-se a dona de  meus pensamentos. 

Aperto o controle e o portão se abre, aceno em comprimento  para dois dos Homens que faziam a segurança da casa e sigo a 10 km até a frente da casa, onde o manobrista estava a esperar, saio do carro, lhe entrego a chave, o homem me deseja boa noite o respondo com  aceno e  sigo para a entrada. A casa estava quieta, a procuro no andar de baixo e  não a encontro, nem ela e nem sua mãe, sigo para o andar de cima e  estava do mesmo jeito. Penso que talvez elas tenham ido embora, será? Será que Mebuki havia descoberto o que estava acontecendo e levou a filha embora ? Me questiono mentalmente já beirando o desespero. 

_ Filho - a voz de Mebuki me traz de volta a realidade, me trazendo um alívio  enorme. 

_ Onde está Sakura? – Questiono atônito e ela sorri.

_ Ela foi deitar,  estava indisposta, é a reação do anticoncepcional - e então me lembro da conversa que as duas tiveram ontem, Mebuki havia conseguido arrastar ela ao ginecologista, o que me causa um incômodo enorme,  Certamente ele havia a examinado, me pergunto será que era mulher?  _ ela já deve está dormindo ‐ confirmo com um aceno saindo de meus devaneios.

_ Vou ver como ela está, Boa noite! – a senhora sorri caminhando até mim, deixando um beijo sobre minha bochecha. 

_ Boa noite filho. – e ela se vai, me deixando ali paralisado, com o gesto.

Após sair do transe sigo rumo ao quarto ansiando em vê-la, giro a maçaneta e adentro o quarto que era iluminado por um dos abajur de cabeceira que por sinal era o meu, o dela estava desligado. Observo o corpo sobre a cama encolhido me aproximo, estudando cada curva dela e seus traços. Puxo os lençóis e a cubro enquanto a admiro.

Me desfaço de minhas roupas lentamente observando-a, sinto falta das esmeraldas sobre mim, mas apenas em vê-la , tão em paz, entregue ao sono, havia me trago um alívio, uma paz que a tempo não me lembro ter. Sigo para o banheiro e  tomo  um banho demorado e relaxante, enquanto penso em tudo, mas principalmente  na cerejeira que dorme sobre o meu colchão, o que estava se tornando tortuoso para mim.

Cubro minha nudez apenas com uma toalha da cintura para baixo,  seco levemente meus cabelos com o secador, vou em direção ao closet onde visto uma boxer preta sigo para a cama e deito ao lado dela, sentindo seu cheiro de flor, observo por alguns segundos as costas da mesma a rosada começa a mexer-se sobre a cama virando-se de frente  para mim, enlaçando minha cintura e pernas com uma de suas pernas, pousando seu braço sobre meu peito enquanto dormia, ajeitando-se e ajustando-se  cada vez mais a mim. 

Sinto um leve sorriso se forma em minha face a admirando, Kami como ela é perfeita, penso e  em um impulso levei minha mão  ao rosto dela, tocando sua pele leitosa com as pontas do dedos em um carinho lento, sentindo a maciez de sua pele, as esmeraldas se revelam manhosas enquanto a rosada se espreguiça  com um sorriso dengoso. 

_ Boa noite Sasuke-kun! - comprimenta ela deitando a cabeça sobre o meu peito aconchegando-se melhor. 

_ Como está se sentindo ? - questiono e ela levanta a cabeça  para me olhar melhor. 

_ Enjoada, dolorida e com a cabeça explodindo -  diz fazendo careta, falando dengosa,  logo seus olhos se arregalam _ d.desculpe – pede em um sussurro afastando-se visivelmente constrangida pelo jeito que estava ajustada a mim. 

_  Tudo bem rosada, somos um casal! – ela confirma sem jeito  _ Mebuki me  contou de sua ida ao médico ‐ ela confirma.

_ Foi constrangedor, graças a Kami  a ginecologista não me examinou, mas em compensação  me aplicou um anticoncepcional injetável, ideia de dona Mebuki, isso  está acabando comigo, ela insistiu que preciso  de um anticoncepcional, mal ela sabe que não rola nada mesmo entre a gente – sorri divertida. 

_ Não rola, por que você  não quer… – dou de ombro enquanto o sorriso da mesma se desfaz, sendo substituído por olhos arregalados. _ sua mãe só está cuidando de você, ela se preocupa, você é muito jovem e uma gravidez indesejada não é uma opção. - ela confirma ignorando o que fora dito por  mim antes disso. 

_ Ficarei assim até o meu corpo acostumar? estou me sentindo péssima - dá de ombros. 

_ Sakura, vamos casar em 15 dias ‐  digo  e ela me olha surpresa. _ veja tudo com Ino,  faça como quiser, mas peço que seja algo simples. - ela confirma _ quero estar casado antes da próxima audiência pela guarda de Daisuke. - miro as esmeraldas  que estavam focadas em mim.

_ Tudo bem Sasuke-kun! -  ela junta as mãos, as usando como apoio para a cabeça se encolhendo sobre o colchão, o silêncio se faz presente entre nós, enquanto eu mirava o teto e a rosada me observava curiosa.

_ Ao menos jantou? - questiono quebrando o silêncio, chamando sua atenção para minha face novamente. 

_ Ah sim! - responde animada _ a senhora Chiyo preparou uma massa maravilhosa - sorri como se lembrasse de algo bom. _ e você ? - me mira curiosa, nego com um aceno fazendo uma careta e a mesma me olha repreensiva. _ Viu que horas são  ? - ela questiona séria e  eu confirmo no  relógio estava marcando 23:40  Mal ela sabe que costumo  chegar bem mais tarde que isso, e  quase nunca janto.  _ Vou agora mesmo fazer algo para você! - diz decidida, já levantando-se. 

_ Ponha ao menos o robe -  peço mirando-a, estudando a mesma da cabeça  aos pés notando que usava roupas  de dormir, não tão  revelantes assim, mas naquele corpo tudo ficava chamativo e  atraente, não quero ninguém com os olhos em cima do que é meu. 

 

Sakura me olha já de pé  enquanto me levanto, logo seus olhos desviam seu foco para o chão e suas face fica vermelha, pego o robe que estava ao lado da cama e sigo de encontro a mesma.

_ Estique os braços para trás - peço  e  ela me olha confusa _ Vou vesti-la de novo, virasse - Sakura estava vermelha como pimenta e sem discuti virou-se estendendo os braços para trás, dou uma breve estudada em sua costa  aproximando-me mais, passo a manga do robe rosado como ela e sua camisola, por um de seus braços repetindo o gesto com o outro, a viro de frente para mim enquanto ela mirava minha face timidamente, seguro a duas pontas da fita cetim rosa fazendo um laço, amarro-o fechando o robe à frente do seu corpo sem quebrar nosso contato visual. _ irei junto com você lá em baixo. - ela confirma com um aceno.

_ P...Precisa vestisse   também - diz a mesma desviando seus olhos dos meus, mirando a boxer sem jeito. Sorrio de ladino e noto a mesma tremer, confesso gostar disso. Dou as costa a ela, vou até o  closet, onde pego  um moletom preto  visto-o mesmo. 

_ Por que não arrumou suas coisas na parte vazia ? – Questiono vendo que as coisas delas ainda estavam ali nas malas em um canto. 

_ E...Eu não quis invadir seu espaço mais do que já estou invadindo, sem sua permissão  é claro. - nego com a cabeça terminando de me vestir 

_ Nada aqui e só  meu ou só  seu, esse quarto agora e nosso quarto, pode mexer em tudo, pode até mudar  a decoração. - dou de ombros indo até a porta é a abrindo. _ Vamos - ela caminha lentamente até a porta me observando e antes de passar  pela mesma  ela me olha mais um vez e com  as bochechas coradas ela questiona sem jeito.

_ Está sempre por aí assim ? - aponta para o meu abdômen de fora, dou de ombros saindo atrás dela fechando a porta atrás  de mim.

_ além do pessoal lá fora fazendo a segurança, aqui dentro não há mais ninguém além de nós dois e sua mãe, se a mesma não estivesse aqui eu estaria saindo de cueca mesmo  - Sakura faz uma careta e nega com a cabeça em confusão.

Acendo as luzes da cozinha, ela vai até a geladeira, enquanto  eu me acomodo sobre uma da banquetas da bancada americana de mármore negra. (IMAGEM 1)

_ Vamos lá - diz ela olhando lá dentro com  o dedo indicador sobre os lábios. _ o que gosta de comer? - questiona ainda de costa. 

_ Algo com tomates ‐ ela sorrir se abaixando, e fora impossível não focar  em seu traseiro arrebitado, quase a mostra.

 _ Já comeu barquinha ou quiche de presunto, queijo e tomate ? - ela questiona, segurando dois tomates, nego com um aceno  é ela sorrir. _ é delicioso, conheço  um lugar que faz uns ótimos. - fala animada, enquanto eu a estudo.

_ Vamos lá quando quiser - ela confirma animada, cortando os mesmo em rodelas. 

_ Daisuke irá adorar - concordo com um aceno _ sinto a falta dele  nessa casa correndo para lá é para cá RS, me mostrando tudo eufórico - a mesma diz dando uma pausa e me mira. 

_ Apesar de ser muita agitação para mim, confesso que também sinto muito a falta daquele moleque por aqui - falo, ela sorrir agora passando manteiga em um pão  de forma. 

_ As vezes penso  que não estamos fazendo certo, sabe?! -me olha colocando o lanche no microondas virando-se de frente para mim novamente, continuando: _  no final de tudo isso ele sofrerá, digo com a nossa separação, eu confesso que tenho medo da reação do mesmo quando falarmos para ele daqui um ano que não demos certo, não quero ficar sem vê-lo, não quero perder o contato,  já o amo tanto que dói  só em pensar em não vê-lo, em não sentir seu cheirinho, não vê seu sorriso - os olhos de Sakura estavam ficando cheios. 

 _ Eiii não perderemos o contato rosada, você fará parte de nossas vidas para sempre,  se quiser pode ficar com ele uma semana sim outra não, guarda compartilhada ou talvez pode ficar, basta você ser minha esposa pra sempre,  não  precisamos pôr um fim no contrato - levanto-me e dou a volta na bancada me aproximando dela enquanto falo, as esmeraldas estavam sobre mim, me encarava e  me  penetravam com uma intensidade  avassaladora. _ É só você ficar aqui pra sempre, e só ser minha pra sempre. - era impossível  me segurar, eu já estava perto demais, eu a queria demais, por mais que eu  lutasse  contra mim mesmo para ficar  longe eu estava cada vez mais perto, me desobedecendo, enlaço  sua cintura fina e a trago para mais perto, miro as esmeraldas que estavam cheias de confusão  éramos dois confusos e talvez assustados, sem pensar muito a ergo, sentando-a  sobre o mármore e me ajeitando no meio de suas pernas,  toco seus  lábios com o polegar e os massageio apertando a cintura fina com a outra mão, vendo a mesma arfar fechando os olhos com a respiração pesada, sorrio satisfeito com sua aceita  a mim e sem  esperar junto nossos  lábios  em um beijo cheio  de vontade, lento, nós  sentimos, nós  queremos. Estudo seu corpo apertando as coxas grossas e cintura, enquanto a mesma estava com as mãos pousadas e inexperientes sobre meu peitoral, o som do microondas  soa por toda a cozinha, nós  tirando do nosso transe, Sakura pula de cima do mármore  com pressa, fugindo de mim.

 _ E… está pronto - diz a mesma voltando a fechar o robe que fora aberto de costas para mim , mas a única coisa que eu queria comer naquele momento era ela.  _ bebe alguma coisa? - pergunta a mesma se atrapalhando com as coisas que fazia com pressa e trêmula. _ suco de maracujá! - diz ela como se lembrasse de algo ainda de costa para mim. _ irá te deixa  mais relaxado. - Sorri negando com a cabeça.

_ Não sou eu quem preciso relaxar! – ela me lança um olhar tímido mais repreensivo  _ Precisa parar de fugir de mim - miro-a nós olhos com as bochechas coradas.

_  V...vamos devagar   Uchiha  - diz mirando o chão _ É tudo muito novo para mim, não é que eu não queira, mas e que só idealizei de outra forma tudo isso, quero me entregar por amor e não a um contrato - diz ela me empurrando o prato, com um sanduíche de peito de peru, queijo orégano é bastante tomate. 

_ Por que espera tanto de algo que é natural de todo o ser humano? não precisa ter amor para transar, basta ter vontade, ter tesão. Não  espere tanto, não idealize tanto, não e como nos  livros ou nos  filmes - ela me olha com cenho franzido   e em negação. 

_ Não entendo como consegue - miro-a nós olhos em questionamento vendo uma gota de irritação formasse sobre sua testa. _ você sai por aí com uma e outra, transa assim sem sentimento, só por fazer, deve ser algo tão sem emoção. Não é isso, não o que eu quero, eu não sou assim, se algum dia eu me entregar a você ou para qualquer outro será por amor Sasuke, se isso acontecer com você é por que você  chegou ao meu coração, ao contrário não irá acontecer, você pode ser tudo de bom, gostoso, sarado e causar sensações estranhas em mim, mas isso não é suficiente para mim, eu preciso de mais, preciso de algo que ainda não sei o que é, mas que vai bem além  de tudo isso. Se você  conseguir chegar ao meu coração me entregarei a você como nenhuma outra se entregou e você saberá a diferença entre transar e fazer amor. - Sorrio em negação Novamente.

_ Rosada é tão  inexperiente, eu não faço amor, tem uma idéia muito romântica sobre tudo isso e não é assim, desculpe te decepcionar, mas as coisas não funcionam assim! - ela me mira em negação. Peraí, como assim a qualquer outro? ela não tem esse direito. 

 _  Isso é muito  triste, como pode não acreditar no amor? ‐ questiona eu nego. 

_ Não disse que não acredito, só acho que ele não foi feito para mim - dou de ombros, ela nega.

_ O amor é para todos  e vou te provar isso! - diz decidida me mirando nos olhos, eu gostava disso nela. Dou de ombros pegando o lanche e mordendo o mesmo, me surpreendendo com o sabor.  

SASUKE POV'S OFF

SAKURA POV'S ONN

Não nego que desejo Sasuke e muito, sinto algo por ele que outro jamais me fez sentir, se bem que não cheguei a namorar ninguém, apenas alguns beijos no colegial algumas paqueras na faculdade, mas nada que me tire o fôlego igual esse Uchiha faz, creio que se não surgisse a palavra contrato quase sempre ou agora a pouco eu teria me entregado a ele, mas sinto falta de algo de ambas as parte, desejo temos, tesão temos até demais, carinho também, mas e paixão, amor ? Isso ainda nos falta ou não, não sei está tudo tão confuso, todos os meus sentimentos estão embaralhados, enroscados e agora era um desafio para mim, mostrar  para o magnata Uchiha Sasuke que amor é para todos até mesmo para ele. 

Sasuke  estava deitado do meu lado e mirava o teto, como se ali tivesse algo interessante. 

_ Seus pais, como era o relacionamento deles ? – pergunto de uma vez só, chamando a atenção do mesmo para mim, ele franze o cenho. 

_ Isso não vem ao caso - ele parecia incomodado. 

_ Desculpe  se estou sendo enxerida, sei que estou aqui como sua contratada antes de tudo é não devo meter o nariz onde não sou chamada - ele me mirava sério, com seu semblante  fechado. 

_ Já lhe disse que não é assim que funciona... - concordo com aceno _ ciente disso meus pais se amavam,  Apesar de Fugaku Uchiha ser uma homem sério e fechado  dava para ver de longe o quanto ele amava minha mãe  e o quanto ela o amava também,  ele conversam pelo olhar.  - Sorri  imaginando. 

 _ E Itachi com a esposa dele ? - Sasuke suspira pesado. 

_ Acho que Itachi era pior que eu ‐ começa ele _ ele não deixava passar  uma secretária gostosa hehe ‐ nego com a cabeça _ Izumi caiu de paraquedas como secretária do meu irmão, ele dava várias investidas na mesma que sempre foi muito  profissional e o ignorava o que o deixava frustrado afinal isso não era comum, não sei bem como ele conseguiu, mas quando ele passou a não ter interesse em mais nenhuma, ele disse que não havia conseguido ir pra cama com uma mulher pois estava pensando nela, que ela estava o deixando louco foram seis meses de seca e de investidas até que em uma viagem a Paris onde a mesma foi junto ele acabou conseguindo um jantar com ela, após serem deixados na mão por alguns investidores que marcaram uma reunião e não apareceram no restaurante, foi aí que tudo começou, 4 meses depois ele estava noivo é me disse que ela era a mulher certa, que só ela poderia fazê-lo feliz, que ele se sentia completo, pra mim é claro que ele era um tremendo louco surtado, podendo ter a  mulher que queria, ele se amarrou a uma, mas teve seu lado bom, Daisuke  veio depois de dois anos de casados alegrando a todos nós. - finaliza ele.

_ linda a história dos dois, contarei sempre a Daisuke, é claro vou ensiná-lo a ser diferente - Sasuke franziu o cenho _  para que ele procure uma garota legal e não saia por aí com uma e outra, igual ao tio e o pai, seus maus exemplos - Sasuke faz uma careta e nega com  a cabeça. 

_ Não vai estragar o menino, estou-o ensinando direitinho rosada, viu como ele agiu quando te viu na piscina? – arregalo meus olhos  e  o empurro,   ele sorrir divertido.

 _ Pode parar com isso,  não ensine, o menino a ser um pervertido mulherengo igual a você, ele não ficará com uma e outra, vocês  não passam credibilidade a nenhuma mulher de verdade, só a essas interesseiras e fúteis. - cruzo  os braços.  

_ Venha aqui ‐ ele me puxa pelo a cintura para baixo dele, segurando meus braços acima da cabeça sentando-se em cima de mim, com minha cintura em meio a suas pernas, mira meus olhos e vou me acalmando embaixo dele. 

 _ Está tarde, melhor dormirmos, não? amanhã tenho expediente cedo na farmácia. - ele nega com a cabeça ainda segurando meus pulso firme. 

_ Não vai mais à farmácia,  descobriram sua casa, acha que não vão  te incomodar no trabalho?! - questiona sério _ Estive pensando, voltará a  faculdade de Medicina e ao ballet também,   pode estagiar em uma clínica, Tsunade ela dá  aula na faculdade tem uma clínica e é tia do Naruto… - nego com a cabeça o interrompendo.

_ Não quero que influencie no meu crescimento  profissional, não quero conseguir nada fácil por causa do nome que irei carregar - ele sorrir negando.

_ Acredite, ela não facilitará para você, Tsunade é osso duro de roer, só estagia com ela quem realmente tem talento e não dinheiro, ela não liga para isso. O máximo que farei e  apresentá-las  o resto é com você - confirmo com um aceno.

_ Tudo bem Sasuke-kun, agora pode sair de cima de mim e  soltar meus braços por favor - peço  sentindo minha bochechas queimarem ao vê um sorriso de ladino se forma na face dele, aquele  maldito sorriso que me fazia sair do chão. 

_ Boa  noite! – diz ele me soltando devagar e indo para o lado.

_ Boa noite! ‐ respondo dando as costas para ele e me encolhendo, mas logo sinto o mesmo me puxar para junto de si, juntando nossos corpos em um conchinha perfeita. 

_ Vai que alguém entra sem bater na porta-,  sussurra ele em meu ouvido me fazendo arrepiar.

_ Confessa logo que você  só quer tirar  uma casquinha  - ele sorrir, me ajeito e pra  meu azar minha bunda encosta em seu membro que estava ereto  por baixo do tecido da boxer, um formigamento percorrer todo meu corpo e para em  meu útero que  formiga e  vibra em resposta ao leve acidente.

_ Deixe essa bunda quieta - pede em um rosnar colocando a mão  em meu quadril é deixando a mesma ali, enquanto ainda estou petrificada. 

_ Sasuke ninguém entraria aqui, a porta está trancada - digo me tocando da mentira dele, mas o mesmo não me responde, olho por cima dos ombros e o vejo dormindo serenamente, agarrado a minha cintura. Assim desisto de discutir dou um sorriso e me entrego ao sono junto a ele. 

Sakura pov’s off…

Autora pov’s on…

Ao acordar a rosada senti um peso sobre seu quadril e uma respiração quente em sua nuca, ela abre os olhos lentamente e se depara com o Uchiha deitado na mesma posição que a noite passada, porém um pouco mais próximo com seu rosto em sua nuca, a sensação é deliciosa, a rosada não se lembra de ter dormido tão bem assim em toda a sua vida. Ela tenta se mexer sem acordá-lo o que é uma missão sem sucesso, ela senti sua cintura ser mais apertada contra o corpo dele.

_ Querendo fugir de mim rosada? - ele pergunta com a voz rouca e olhos fechados, cheirando forte o pescoço dela que estremece ao gesto. 

_ Bom dia Sasuke-kun, na verdade eu não queria acordá-lo, estava dormindo tão gostosinho - ela diz sorrindo, virando-se de frente para ele que não solta seu corpo por nem um segundo, envolvendo-a em seus fortes braços.

_ Pois devia, não durmo muito assim em anos, e já estou atrasado para ir para a empresa. Hoje você deve fazer suas duas matrículas, tem uma academia que possui um studio de ballet aqui próximo de casa, assim você ficará mais perto de mim, treino lá às vezes também. Se quiseres pode pegar o pacote completo, não precisa ser só ballet, você tem o tipo físico de quem malha ou se exercita de alguma forma, lhe fará bem, como os paparazzis não nos deixarão em paz, você irá com um motorista e um segurança - ele afirma.

_ Oh Sasuke não precisa de tudo isso, eu posso ir sozinha de ônibus e nem precisava de tudo isso, pode ser apenas um simples ballet, nunca fiz academia, eu me exercitava em casa meu pesinho de 10kg era um banco que eu suspendia com o braço para fazer agachamento kkk - ela diz divertida lembrando-se da forma que sempre se virou, afinal não tinha dinheiro para bancar academias e o restante do seu corpo era natural mesmo, Kami foi bom com ela.

_ Sakura você acha mesmo que uma futura esposa de um Uchiha anda por aí de ônibus e sem segurança alguma? sei que não está acostumada, mas sua realidade mudou. E faço tudo isso para lhe manter segura - ele diz soltando a rosada levantando caminhando até seu closet/banheiro.

O Uchiha entra no banheiro, tirando sua cueca boxer, precisava se arrumar o mais rápido possível, dormir com a rosada tinha seus prós e contras, ele com certeza dormiu pesado e muito bem como nunca mais fizera, porém o mesmo se quer pensou em levantar mais cedo, ao sentir aquele corpo delicado e escandalosamente lindo deitado em seus braços, fazendo-o voltar a dormir sem cogitar a hipótese de ir trabalhar. Aí ele é simplesmente acordado por uma baixinha rosada tentando fugir de seus braços.

Sasuke sai do banho coloca seu roupão, vai até o closet e vê as malas de Sakura lá, com o intuito de fazê-la parar de timidez e arrumar as coisas dela no lado vazio do closet, o Uchiha abre as malas da rosada, e pega 3 pares  de roupas dela, que mais lhe chamaram atenção, sendo uma lingerie preta de renda sensual que o fez imaginar ela usando uma camisola de cobrinhas. Ele não sabe porque mas teve a sensação daquela ser a peça favorita da rosada.

_ Eu não consigo imaginar como uma pessoa que possui pares de lingeries tão sexys, consegue vestir essa camisola de cobrinhas Sakura - ele diz divertido com cara de sapeca. Sakura estava deitada enrolando para sair da cama enquanto Sasuke estava no banho, mas ao ver Sasuke com suas coisas ela dá um pulo voando no Uchiha.

_ SASUKEEEE! como pegou essas coisas? tá mexendo nas minhas malas, ai Kami, porque??? - ela diz desesperada puxando as roupas da mão do moreno que se divertia.

_ Arrume o lado vazio do closet rosada, ele diz beijando a bochecha dela deixando-a assustada, indo em direção a porta do quarto.

_ Onde vai - ela diz antes que ele passasse da porta.

_ Atrás de algo para comer antes de ir trabalhar - ele responde estranhando a forma que ela falou.

_ Primeiro vista-se, vou preparar seu café, vou só lavar o rosto e escovar os dentes, depois tomo um banho - ela manda, surpreendendo o Uchiha, arrancando-lhe um sorriso ladino, esse jeito dela seria ciúmes?

Ele volta para o closet, enquanto a rosada adentra o banheiro, fazendo sua higiene pessoal. Assim que ela sai do banheiro, encontra o Uchiha com sapato social, calça social sem sua camisa, e pensa: “SENHOR QUE HOMEM É ESSE?”, ele coloca a camisa e a gravata, antes de dar o nó da gravata, Sakura se aproxima ajudando-o. Ela faz o nó concentrada enquanto ele a observa, aproximando sua mão da face dela e assim que a mesma finaliza o nó, ele toma seus lábios em um beijo com sabor de menta refrescante, antes que ele aprofundar mais, Sakura para o olha.

_ Melhor pararmos… - ela dá as costas. 

_ Porque sakura? queres tanto quanto eu - ele afirma observando ela seguir até a porta _ Seu hobe Sakura, vista-o. - A Haruno olha por cima do ombro, estica o braço até o cabide e saiu do quarto vestindo-se no caminho, o que deixa o Uchiha super irritado. 

  Sakura vai até a cozinha e encontra sua mãe fazendo panquecas, ela então resolve acompanhá-la e fazer omeletes de tomates com espinafre para Sasuke tomar café.

_ Bom dia querida, dormiu bem? - Mebuki perguntou jogando a calda de caramelo sobre a mini torre de panquecas.

_ Muito mãe - ela diz sem prolongar conversa, Mebuki entende que sua filha não queria papo naquela hora e resolve bater os ovos enquanto a filha corta os tomates e tira as sementes. 

Sakura só estava confusa, não queria se deixar levar por uma coisa na qual ainda não entendia ser o certo, Sasuke mexe com sua estruturas, mas e o amor? ela sentia como se estivesse se entregando facilmente a algo que possui prazo de validade e este era estipulado por um papel assinado por ela. Mas se não havia sentimento da parte dele, porque o Uchiha havia dito que a mesma poderia passar o resto da vida casado com ela?

Sasuke aparece na cozinha sentindo o cheirinho delicioso do café. ele observa Sakura de costas para ele, finalizando uma omelete que parecia está incrível e carregada de tomates.  

_ Bom dia filho, dormiu bem? - Mebuki sauda aproximando-se para abraçá-lo.

_ Bom dia dona Mebuki, incrivelmente bem  - ele diz fitando a rosada que ainda estava de costas para ele. O moreno retribui o abraço da senhora _ Bom avisei que eu gostaria de conversar com a senhora, é quanto sua estadia, não sei o que a senhora prefere. Queres ficar no quarto que está? podemos criar um novo para você no local que quiser da casa, podemos fazer uma casa para senhora no terreno ao lado, ou simplesmente podemos comprar uma casa no canto que quiser do mundo. Só quero o que for melhor para a senhora.

_ Nossa meu filho, eu nunca imaginei que me faria tais propostas, eu realmente não sei o que responder não agora, Sakura a olha de canto de olho, não iria falar nada, queria dá total liberdade para que ambos ali resolvessem suas escolhas, e assim ela se abstém de opinar.

_ Café prontooo, venha comer vocês dois -  ela diz servido o café na mesa de mármore, todos ali sentam devorando seus cafés, Sasuke observa toda aquela cena família e a comida saborosíssima de ambas, na verdade a melhor que ele já experimentara. Algo em seu coração se aquece, e ao olhar para a Haruno dispara. 

Sasuke levanta, levando seu prato até a pia, Mebuki observa a cena sorridente, gostando do gesto do genro. Ele se aproxima da rosada e deposita um beijo em sua testa.

_ Não posso lavar estou atrasado, desculpe.

_ Tudo bem Sasuke-Kun sem problemas - ela diz retribuindo o beijo beijando-lhe a bochecha, arrancando uma rara face avermelhado dele. 

_ Vou indo, o motorista vai vir te buscar 13h00 para que você faça suas matriculas.

_ Matrículas? - mebuki pergunta esperançosa.

_ Sim D.Mebuki, Sakura voltará para a faculdade e ballet - Nesse momento Mebuki se emociona colocando as mãos na boca deixando lágrimas de felicidade cair.

_ Seu pai estaria tão orgulhoso…

Sasuke pega sua Mercedes-AMG GT C Roadster conversível na cor grafite e segue para a empresa. (IMAGEM 2)

Autora pov's off…

Sakura pov's on…

Minha mãe ficou extremamente encantada com a notícia que acabara de receber. Infelizmente o Uchiha tinha que sair e após depositar um selinho em mim e dá um beijo na testa de minha mãe emocionada ele se foi, eu ainda estava muito confusa sobre aceitar o que ele estava nos oferecendo mas ao ver minha mãe dessa forma, pensei porque não dá esse orgulho a ela? Meu pai amaria ver a filha casada estudando…. Casada… mesmo sendo tudo uma mentira? … e se não for ment….

Sakura pov's off…

Autora pov's on...

_ Filha? Você deve resolver tudo isso o mais cedo possível, quando Sasuke chegar da empresa seria interessante ele vê-la com tudo resolvido e esperando por ele - Mebuki diz olhando os olhos da filha, ela sabia que ali se instaurava uma confusão, mas ela não iria invadir os pensamentos da filha, daria tempo ao tempo, sentia que algo estranho existia nessa relação, ela é mãe sabia disso, mas esperaria que ambos contassem, uma certeza ela tem, está assistindo de camarote um amor muito lindo e puro nascendo entre Ônix e esmeraldas, em pensamento pediu que Kizashi os abençoasse onde quer que estivesse.

_ Tudo bem mamãe, estou indo me vestir - a rosada sobe, olha para o quarto do Uchiha que ele afirmava ser de ambos, sente uma paz incomum em seu coração, algo dizia que tudo ali que parecia ser tão dele e tinha tanto dele, pertencia tanto a ela. Vai até o closet e vê a bagunça que ele fizera em suas malas, foi inevitável soltar uma risada, ela resolve arrumar todas as suas coisas, suas roupas não eram muitas, mas as poucas que tinha era até de bom gosto, outras nem tanto afinal ela amava um conforto. Ao finalizar ela percebe que tinha uma área no centro do closet onde ficava exposta a coleção de relógios dele e uma outra vazia onde seria para por jóias, ela pega sua caixinha e percebe ter nela apenas uma jóia de extrema importância para ela, o colar de ouro branco deixado por seu pai com um lindo Diamantinho rosa pequeno, ele comprou quando a filha nasceu e descobriram a cor exótica de seu cabelo, ela colocou lá junto a dois pares de brinco que eram bijus e mais umas pulseiras de corda. (IMAGEM 3)

Ela não tinha jóias para preencher aquele local, colocou os poucos pares de sapatos dela na sapateira, sendo 3 tênis alistar com cores diferentes dois saltos altos sendo um par o que usou na festa e três sapatilhas. Ela logo pensa que assim que tiver condições ela fará compras novas. Ao terminar de arrumar tudo, Sakura segue para o banho, ao sair veste uma blusa de gola alta cinza sem mangas, um macacão comprido preto e um allstar preto. (IMAGEM 4)

A Haruno prende seu cabelo em um rabo de cavalo alto com franja e passa uma maquiagem leve destacando seus olhos verdes e boca naturalmente rosada.

Sakura segue para frente da casa, lá o motorista estava esperando-a, ela entra no banco do passageiro atrás e segue para a faculdade, para realizar a sua tão esperada matrícula. Após realizar sua matrícula na faculdade de medicina que por sinal o campus era próximo a sua nova casa a mesma segue para a academia que Sasuke já havia estipulado para o motorista levá-la, a mesma ficou extremamente encantada ao pisar novamente em um Studio de ballet, era encantador para ela, a professora era maravilhosa amou conhecê-la. Ao sair da academia Sakura percebe que a mesma estava cercada de fotógrafos e jornalistas, aquilo causou pânico a ela. Mas antes que uma vontade de correr incessante tomasse conta do ser dela, um homem alto de cabelo laranja a segura conduzindo-a ao carro. 

_ É quem é você ? - ela perguntou atordoada vendo o homem guiá-la até o carro.

_ Juugo, seu segurança particular, eu era o segurança de confiança do Dr. Uchiha, mas o mesmo pediu que eu fosse remanejado para ser seu novo segurança, entendo o porque, deve ser ruim ter muitos abutres em cima de sua noiva - o homem diz sério deixando-a no banco de trás seguindo para o da frente ao lado do motorista de cabelo grisalho cujo o nome é Suigetsu outro homem de confiança do Uchiha.

Ambos a guiam, Sakura observa que o caminho não é bem o que imaginava que seria, a mesma não estava indo para a casa do Uchiha como esperava.

_ É desculpa, mas onde vocês estão me levando - ela pergunta incomodada, pois estava acostumada a guiar seus passos e vida 

_ Senhor Uchiha pediu que nós a levassémos a senhora para a empresa, vocês irão almoçar juntos.

_ O QUÊ??? NÃO SEM CONDIÇÕES, OLHE COMO ESTOU VESTIDA NÃO NÃO, DIGA A ELE QUE NÃO A CONDIÇÕES - Ela diz atônita esperando o segurança ligar para o Moreno. Após Juugo explicar ao Uchiha o ataque da rosada, o mesmo passa outras orientações para seu segurança.

_ Senhorita Haruno, o senhor Uchiha mandou que nós a levassemos para o shopping agora, pois você se encontrará com Ino Yamanaka para comprar um novo vestiário completo - ele informa a rosada que antes de questionar ouvi uma notificação no celular. Sasuke acabara de depositar 200 mil reais em seu cartão para que a mesma gastasse em compras, ela olha embasbacada. 

Ao chegar no shopping Sakura encontra Ino logo na porta com uma cara não muito boa.

_ Sério Haruno? Não quis ir almoçar por causa do que está vestindo? Pensando bem observando realmente não condizia com o local, garota precisamos te dá um banho de loja, não há condições de você continuar com esse estilo de roupa, depois de ter escolhido tão bem para o grande dia, aaaah você me deve uma, fez Sasuke me tirar da minha aula de Pilates para fazer esse atendimento que ele chama de URGENTE - a Yamanaka fala observando-a dos pés a cabeça.

_ A Ino não é mal gosto, é o que dava pra comprar com pouco, e não acho que eu esteja cafona, só estou simples demais - a dona dos olhos verdes se defende.

_ Que seja, agora não te falta dinheiro, vamos as compras, creio que já tenha 200 mil na conta, vamos formar seus lookinhos, você está livre para adotar um estilo, as revistas de moda amaram seus sapatos da última vez - a loira tagarela ia falando enquanto arrastava a rosada lojas adentro.

Aproveitando esse tempo, foram comprados looks de festas, dia a dia, balada, faculdade, roupas para o ballet,  academia, praia, confraternização, sapatos incríveis, bolsas e maquiagens. Quando iam comprar as jóias, Sakura deu para trás por achá-las muito caras, Ino usou e abusou do custo, não quis pegar nada barato, gastando 150 mil em roupas o restante do dinheiro que havia sobrado da primeira compra e desta somavam um total de 150 mil ainda. Então Sakura resolve deixar guardado. Mas como a loira já estava antenada de tudo, ela resolve comprar o material de faculdade de Sakura, ela comprou tudo rosa, das máscaras, luvas, toucas e até mesmo o estetoscópio, ela diz que rosa combina com Sakura.

A rosada olha para o relógio e vê que já era 19h, sabia que Sasuke não era de chegar cedo, então ainda daria tempo de fazer algo.

_ Ino, preciso ir, já está ficando tarde e quero chegar em casa antes de Sasuke, as roupas serão entregues lá, certo?

_ Certo Sakura, espero que tenha gostado de tudo, deveríamos marcar mais semana que vem, eu simplesmente amei. A estou amando ver o Uchiha amarrado a alguém que não seja ele mesmo, bem vou indo, Sai deve está preocupado - ela diz disparando a caminho de seu porsche enquanto Sakura vai de encontro ao Audi preto e seu motorista. Seguindo o caminho de casa, seu coração pedia para vê-lo, ela queria chegar a tempo de fazer uma sopa de tomates e brusquetas.

Ao chegar em casa a Haruno corre para tomar um banho, sem ao menos procurar sua mãe ainda, ela troca de roupa colocando um short jeans uma cropped branca estilo ciganinha e um chinelo de dedo mesmo preferindo andar descalça. 

(IMAGEM 5)

Ela desce e encontra sua mãe na cozinha cortando uns tomates, dá um beijo em seu ombro e pergunta.

_ pretende fazer algo mamãe? - observa a mãe cortar tomates.

_ sopa de tomates minha filha, soube que meu genro ama tomates - a linda senhora diz amorosamente.

_ eu estava querendo fazer o mesmo mamãe, enquanto a senhora prepara a sopa vou fazer umas brusquetas e uns tomates confit com ervas.

_ Sabe filha, sinto que seu pai amou esse rapaz, eu já o amo, vocês se amam, serão felizes - Mebuki fala do nada.

Sakura olha assustada sem saber o que responder, se pergunta como sua mãe ficará quando eles encerrarem o contrato e informarem o término, dona Mebuki estava começando a se apegar a Sasuke como filho.

_ é mãe, seremos muito felizes, vou arrumar a mesa mãe - ela foge do assunto indo atrás de arrumar a mesa.

Quando Sakura começa a arrumar a mesa, até que a porta da casa é aberta, Sasuke passa pela porta, olha deslumbrado para a Haruno que estava com o cabelo em um coque despojado, o olhar lindo, corpo impecável e o sorriso mais lindo que já vira.

 

_ Sakura, estou em casa - ele diz, mas pela primeira vez essa frase soa completa para o seu coração.

 

_ bem vindo Sasuke-kun preparamos um jantar pra você, espero que goste - ela se aproxima dele, ficando de ponta de pé beijando sua bochecha, enquanto sua mãe olha tudo encantada.

 Sasuke se inclina para baixo, pois a rosada era bem pequena em frente ao tamanho dele, cheira o pescoço dela deixando um beijo ali _ o cheiro está ótimo - ele diz deixando uma dúvida no ar, da comida ou dela?

Sasuke aproximasse da mesa e vê lá uma cena que lhe trás uma forte lembrança de Mikoto Uchiha, ela sempre fazia aqueles pratos a ele, e ele simplesmente amava, tê-las ali perto dele, não parecia ser absolutamente nada ruim. Estava amando aquela famíl…. 

Autora pov's off

*********************************************************************************************************************************************

"O desespero tomava conta de meu corpo, eu andava por todo lado a procura dele, meu corpo ardia, minhas pernas queimavam, minha garganta seca implorava por uma gota de água que não fosse salgada, Kami, cadê ele, meu amor pelo amor, cadê você? Eu não vou desistir. Meu ouvido estava com um zumbido alto, minha cabeça rodava, a garganta fechava a angústia batia forte, a falta d'água me ressecava, corro bebo a água salgada que desce ardendo, olho para a árvore vejo um coco, não consigo pegar, se ao menos ele estivesse aqui…"

 

Continua…..


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...