História Controvérsias - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 12
Palavras 1.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Perdoem-me a demora para postar de nv :v
Espero que gostem!♡ foi feita com bastante carinho depois de ser reescrita algumas vezes :3
Boa leitura

Capítulo 4 - Estou melhor sozinha


Pela primeira vez depois de 8 anos eu dormi bem, sem alucinações, sem pesadelos e sem dores. Pode ter sido apenas por 4 horas, mas para mim foi um grande avanço, digo, para quem dava cochilos com menos de 30 minutos com direito a sustos e pesadelos foi sim um bom avanço.

Depois de acordar fiquei deitada na cama esperando o despertador tocar. Fiquei desfrutando de um sentimento que eu nem me lembrava ser possível sentir novamente, a tranquilidade. Sempre ficava a me preocupar com algo, sempre focando minha mente em estudos que nem me davam um descanso. Será que o James tem algo haver com isso? Suas palavras ecoam na minha cabeça: " Não sei o que houve hoje mais cedo, mas saiba que pode contar comigo se precisar. Você pode não querer, mas eu quero ser seu amigo ". Fazia um bom tempo que alguém não me dizia palavras que me tocassem como as que ele me disse. Não sei se devo confiar nestas palavras, será verdade o que ele disse? Mas por que ele estaria disposto a ser amigo de alguém como eu, que só quer as pessoas longe? Ele realmente é um garoto estranho.

- Menina, olha o café derramando! - minha avó grita me tirando dos meus pensamentos. Olho para o fogão onde a panela de café transbordou e sujou uma boa parte do fogão e logo desligo o fogo me sentindo mal por ter sido tão desatenta.

- Onde você estava com a cabeça? - Ela diz terminando de colocar à mesa.

- Desculpe vó. - digo envergonhada tirando a panela do fogão e lhe entregando para coar o café. Limpo o fogão rapidamente e me sento à mesa.

- O que foi que aconteceu filha?! Está com a mente na lua e também muito calada. - ela diz franzindo a testa enquanto traz o café recém coado em uma garrafa térmica.

- Nada demais, vó, não precisa se preocupar. - digo esbanjando um sorriso.

- Sei. - ela diz arqueando as sobrancelhas. - Vamos querida diga o que está acontecendo. - Ela diz segurando uma das minha mãos em cima da mesa e me olhando fazendo com que eu encare aqueles lindos olhos azuis marinho.

- É só que... não sei se quero um amigo. Eu já tenho a senhora, que é tudo pra mim e não vejo motivos para alguém querer uma amizade comigo. - digo desviando o olhar.

- Querida, sei que você sempre foi de poucos amigos e de uns anos pra cá se tornou uma pessoa sem amigos e isso me preocupou bastante, dê uma chance para o James, ele parece ser um bom rapaz, gosto dele. - ela me diz levantando meu queixo para poder novamente me olhar nos olhos. Fico surpresa ao ouvir minha avó dizer o nome do James, ela realmente me conhece.

- Tudo bem, vovó. - digo colocando café em minha xícara e a servindo também. - A senhora gosta dele só por causa de The Walking Dead.

- Ah, querida, por falar nisso, avise ele que já cheguei na terceira temporada. A Lori está pra ter o bebê...

- Ah vovó, muito interessante, mas eu preciso ir pra escola. - digo me levantando da mesa e lhe dando um beijo na bochecha. - Não esqueça de tomar seus remédios.

- Tudo bem, querida. - ela diz. - pense no que lhe falei.

- Pensarei. - digo indo em direção a sala para pegar minha mochila. Pego-a e saio em direção a escola.

Começo a pensar no que a minha avó disse a respeito do James eu deveria mesmo deixá-lo ser meu amigo? Sei que ela se preocupa muito comigo por eu não ter amigos, mas eu nunca vi isso como um problema. Minha família eram meus amigos, meu pai, minha mãe e até mesmo a Liz, minha prima. A Liz foi minha grande amiga no passado, crescemos juntas aprendemos a nós aturar ela na maioria das vezes estava ao meu lado, mas quando eu realmente precisei dela, ela não estava lá. Um toque me desperta da minha bolha de pensamentos.

- Bom dia! - um sorriso alegre aparece a minha frente. Sorrio ao ver James andando de costas.

- Olha! Você sabe sorrir?! - ele diz surpreso. - Não sabia que a Kaitlin Doreen poderia sorrir de manhã tão cedo. Ele diz colocando a mão no queixo pensando. Tiro o sorriso do rosto e reviro os olhos.

- Ha ha ha. Você é tão engraçado. - digo debochando dele.

- Você fica bem assim... sorrindo. - ele diz me observando com um olhar sereno. Desvio o olhar daqueles olhos cor de mel que estão a me encarar me sentindo envergonhada. - Então, o que vai fazer amanhã? -ele me pergunta.

Me controlo para não dizer que não é da conta dele.

Vou seguir o conselho de minha avó, darei uma chance a ele.

- Bom... nas sextas eu exercito a memória e o raciocínio com minha avó e as vezes saímos para uma praça onde ela gosta de caminhar.

- Nossa, que legal. - ele diz animado. - Como está sua avó?

- Ela está bem. - respondo. - a propósito, minha avó disse que está na terceira temporada de The Walking Dead, onde uma tal de Lori está pra dar a luz, se não estou enganada.

- Uau, sua avó já chegou ai? - ele diz surpreso.

- Pois é. - digo me sentindo entediada. The Walking Dead pra mim é tão sem graça. Não entendo como vocês gostam tanto dessa série.

- Ah Kaitlin, eu que não entendo como você pode não gostar! - ele me diz colocando as mãos na cabeça. Sorrio da cena.

- Simples, zumbis são entendediantes. - digo seca.

- Não mesmo! - ele diz me olhando como se eu fosse louca dizendo isso. Não consigo controlar o riso. - Okay Kaitlin, você pra começar tem um péssimo gosto por não gostar de zumbis.

- Não tenho culpa por isso. - digo virando o rosto para vê-lo me observar.

- Fazer o quê... - ele diz balançando os ombros sorrindo pra mim. Seguimos nosso caminho à escola conversando sobre mim, sobre o que eu faço, do que eu gosto de fazer, essas coisas. James ficou chocado ao saber que a ultima vez que eu fui ao cinema foi aos 6 anos para ver Wall-E, e prometeu me levar em um o mais rápido possível. Foi bem divertido conversar com ele durante o caminho para a escola.

Ao passar do portão da escola nos separamos e vou em direção a minha sala sentindo algo me incomodar. Será o fato de que eu e o James estarmos nos dando bem? Ou por eu ter me aberto tanto pra alguém além da minha avó depois de tanto tempo?

- Kaitlin?! - Janet grita me despertando do meu transe. Quando foi que ela se sentou na minha frente que eu não vi?

- Você não vai se desculpar por ontem não? - ela pergunta.

- Não tenho nada a me desculpar com você, Janet. - digo seca pegando um caderno de sudoku para colocar entre nós como uma barreira. Ela abaixa o caderno de uma vez tirando-o de minhas mãos.

- Quem você pensa que é hein? Você não tem ninguém garota. Ninguém quer se aproximar de uma arrogante como você! -ela diz irritada. Suas palavras me atingem como uma ponta de faca amolada. - Eu sou a única imbecil que se subimete a chegar perto de você e ainda assim você me trata desse jeito? - ela grita para que toda sala possa ouvir. Ela quer me envergonhar na frente de todos.

- Você é interesseira, Janet, todo mundo sabe disso, você só se subimete a mim para ter boas notas, pois sabe que eu sou a melhor da sala. - falo calma e seca a encarando.

- Eu falo com você por pena, minha querida. Por ver o quanto você é infeliz todo mundo nessa sala tem pena de você. - ela diz levantando os braços e continuando a gritar.

- Não pedir a pena de ninguém aqui. - falo começando a elevar meu tom de voz ficando realmente irritada com essa situação.

- Ah, é mesmo? Você toda coitadinha. A pobre garota que perdeu os paisinhos gênios de merda e se fechou para o mundo se tornado uma garota de merda. Você deveria ter morrido naquele acidente. - ao terminar sua fala meu punho acerta seu nariz sem hesitação. A raiva me subiu fervendo a cabeça ao ouvi-la falar de meus pais e sobre o acidente. A expressão de Janet é coberta pelo espanto, ela não esperava por isso.

- Você não ouse dizer isso dos meus pais novamente. - digo de pé na sua frente fervendo de raiva. Olho ao redor e vejo que a sala inteira está a nos encarar, me sento novamente tentando recuperar a calma, eu estava tremendo.

- Bom dia alun... os. - o professor diz entrando na sala e encarando eu e a Janet, ele provavelmente sabe que algo aconteceu. - tudo bem meninas? Posso começar a aula? Sem dizer uma palavra Janet se retira e volta a sentar no seu lugar. A aula começa, mas eu mal consigo prestar atenção as palavras da Janet realmente conseguiram me ferir. Ela é uma total imbecil que sempre foi uma grande pedra no meu sapato. Sempre forçou uma amizade a base da falsidade, ela nunca realmente quis ser minha amiga tudo que ela queria era atividades respondidas e ajuda nas provas.

Tento me segurar ao máximo para não surtar dentro da sala de aula. " Você deveria ter morrido naquele acidente... ", se eu pudesse escolher, eu gostaria que tivesse acontecido isso mesmo.

O sinal toca e saio o mais rápido possível dali. Ao passar pelo portão da escola me sinto finalmente livre, mas uma voz me chama e me viro para ver, era James se aproximando rapidamente de mim.

- Tá afim de ir lanchar? Eu pago. - ele diz animado com o tipo sorriso de orelha a orelha.

- Só me diga, por quê? - digo prestes a cair no choro. Seu sorriso desaparece.

- Como assim? - ele pergunta sem entender. - B-bem só achei que você gostaria de comer algo. A lanchonete que eu vou te levar é maravilhosa, vamos?

Ele diz pegando no meu pulso de um jeito doce e me conduzindo. Com prontidão puxo minha mão de volta e paro na sua frente.

- O que foi ?- ele pergunta. - não está afim de comer? Se quiser te levo pra casa.

- CHEGA! - grito colocando as mãos na cabeça sem conseguir segurar as lágrimas mais. - Pare com isso por favor! Pare com tudo isso. Não pedir sua amizade. Não quero você se aproximando de mim por pena ou qualquer outra idiotice querendo se tornar meu amigo. Não preciso da pena de ninguém, muito menos da sua. Só me deixe em paz.

Falo saindo dali na esperança de que ele não me siga.


Notas Finais


@Ren♡ - ce é um anjinho na minha vida! Obrigada por me aturar e sempre estar a disposição para me ajudar. OBRIGADA♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...