História Convicção - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Itachi Uchiha, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sasuke Uchiha
Tags Itagaa, Leeneji, Narusasu, Romance
Visualizações 222
Palavras 3.325
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 31 - Encaixando as peças soltas.


Fanfic / Fanfiction Convicção - Capítulo 31 - Encaixando as peças soltas.

- COMO O SASUKE FOI SEQUESTRADO? COMO VOCÊ DEIXOU ISSO ACONTECER SEU INCOMPETENTE?

Fugaku estava sacudindo Naruto como se ele fosse um saco de farinha, o Uchiha maior estava enfurecido, totalmente fora de si, mil coisas passavam pela cabeça do delegado e a pior delas era que Sasuke não era marcado, ou seja, não havia a remota esperança de saber onde ele estava naquele momento, se martirizava agora por ter cometido o erro de deixar seu frágil filhinho casar com um beta, Naruto parecia a escolha certa há alguns anos atrás, era um bom garoto e por ser um beta nunca trataria seu filho como um reles corpo para satisfazer suas vontades e gerar descendentes Alfas, no entanto agora tudo comprovava que Fugaku estava totalmente equivocado Naruto era um beta, betas não são tão fortes, não são tão ágeis, e muito menos tão inteligentes, seu filho estava perdido e assim como Zetsu poderia jamais ser encontrado, aquilo o destruía definitivamente.

- ONDE VOCÊ ESTAVA SEU BETA DESPRESÍVEL?

- CALMA PAI O SENHOR VAI MATAR O NARUTO!

Fugaku deu uma tapa no rosto do loiro que o fez parar fora da porta, Fugaku estava descontrolado, Fugaku foi novamente para cima de Naruto, Itachi, Shisui, Kagami e Yamato tiveram que segura-lo para ele não acabar com a vida do genro, depois de ser muito bem segurado, Fugaku foi se acalmando, ele foi deslizando até o chão, Madara que estava chorando o segurou nos braços sendo abraçado e então Fugaku se permitiu desabar nos braços daquele que ele mais amava, seu papi.

- meu filho, meu filhinho, meu pequenino, minha criança.

- Naruto, olha pra mim.

- você também me culpa não é Itachi? Dattebayo!

- raposinha, por enquanto vamos nos concentrar aqui, o que aconteceu?

- acordamos e Sasuke estava radiante, ele estava muito feliz por está perto do avô que ele tanto ama, ele queria tomar café, almoçar, jantar, viver eternamente com o vovô Madara. Daí a gente tomou banho e desceu, quando chegamos na sala de jantar soubemos da reunião, Sasuke rapidinho mudou, ele ficou irado, furioso, por que foi ele quem teve a ideia de ir atrás de provas contra o Rasa, e fui eu quem te entregou o cartão, você não tem ideia do que eu passei naquela noite, o Rasa me mostrou pedaços de gente que ele mandou mutilar por prazer.

- ele sempre fez isso, é um sádico, ordinário.

- até clitóris secos eu fui obrigado a comer, e transar com o Sasuke na frente dele.

- ah! Kami, se fosse o meu Sai, eu matava você, beta.

- eu não tive escolha, a gente ia morrer se aquele puto nos descobrisse, dattebayo!

- Naruto continua depois que o Sasuke ficou com raiva, o que aconteceu?

- ele começou a gritar, esculhambar com quem se metesse na conversa, eu tentei acalma-lo, dizer que poderia ser que vocês quisessem consultar ele depois, mas nada adiantou, você sabe que quando o Sasuke fica com raiva, nada segura ele.

- sim eu sei.

- de tanto eu tentar colocar panos quentes ele se irritou comigo, além disso ele recebeu uma ligação.

- uma ligação?

- ele atendeu, eu perguntei quem era, mas no ímpeto da raiva ele gritou dizendo que não era da minha conta, ele foi caminhando até o jardim, eu disse que iria com ele, porém Sasuke estava muito irritado, ele não deixou eu ir, eu fiquei na varanda, eu não podia ter ficado, eu tinha que ter ido com ele, me perdoa, me perdoa Itachi, pelo amor de Kami-sama, pelo menos você me perdoa.

- eu perdoo, eu sei muito bem como é o meu irmão.

- ele estava demorando a voltar, eu fui atrás dele, foi quando um dos jardineiros voltou correndo e gritando que alguém havia matado o porteiro, e o Sasuke não estava em parte alguma, então foi ai que o limpador de piscina disse que o Sasuke havia ido encontrar alguém no portão e não voltou.

A porta bateu de repente, todos se assustaram, Hashirama foi quem abriu, era Sai, Kiba e Shino, eles haviam pesquisado a câmera de segurança e checado o local do sequestro, Sai tinha um lenço na mão ele entregou ao imperador, o lenço era preto com nuvens vermelhas, Hashirama rasgou o lenço em sua fúria, com certeza não haveria digitais ali, Kiba entregou a Shisui as imagens do circuito interno da guarita do porteiro assassinado e Shino achou o celular de Sasuke jogado no meio do mato.

- malditos, MALDITOS! O QUE ESSA PRAGA QUER AFINAL, POR QUE ESCOLHERAM JUSTO A NOSSA FAMÍLIA PARA ATORMENTAR, KAMI?!

- calma Fugaku.

- não aguento meu pai, não posso suporta isso, eu não posso perde o meu bebê, Sasuke adora se fazer de forte, mas ele é muito sensível, ele nunca sequer levou uma tapa na vida.

- o celular ainda presta, Itachi-sempai?

- Obito, meu irmão é um ômega, mas ele é muito mais esperto que qualquer Alfa, nós o subestimamos demais, esse telefone não foi jogado pelo sequestrador, pelo estado de conservação, foi o Sasuke quem atirou num arbusto enquanto o cretino não estava vendo, Sasuke desconfiou de alguma coisa.

- quem ligou, meu filho?

- eu conheço perfeitamente esse número, foi o Kabuto.

- KABUTO?! YAKUSHI KABUTO?!

- impossível, ele é um dos nossos homens de confiança.

- confiança e o caralho meu pai.

- Sai, o que isso?

- Kabuto, não vale porra nenhuma, ele me assediava na academia de polícia, ele e um canalha meu pai.

- Sai, por que nunca me disse isso?

- POR QUE ELE ERA SEU AMIGO MEU PAI, NÃO ACABOU DE DEFENDE-LO.

- é o Kabuto sim.

- achou o que Shisui?

- o filho da puta atirou na câmera principal acreditando que só era essa que filmava, mas tinha uma câmera um pouco mais escondida, ele chamou o Sasuke, fez o porteiro abrir a porta com o distintivo e a merda do sinete dos Alfas, assim que o porteiro abriu ele atirou com o silenciador por isso ninguém ouviu e levou o Sasuke.

- perai, tinha mais gente no carro.

- é moreno e com várias tatuagens.

- Kakuzu, aquele cretino colocou aquelas patas no meu filho.

- um traidor, todo esse tempo era um soldado de elite da nossa absoluta confiança.

- agora vai virar presunto, meu primo.

- Naruto?

- sim Madara-sama.

- como você entrou na mansão Sabaku?

- eu fingi que era um Alfa, eu usei as roupas do Itachi e o anel dele, dattebayo!

- em nenhum momento Rasa desconfiou de você?

- não senhor.

- ele chegou perto de você?

- sim senhor.

- cheirou você?

- sim senhor.

- rosnou pra você?

- sim senhor.

- e você suportou tudo isso e ainda conseguiu engana-lo até o final?

- sim senhor, foi uma tarefa muito difícil, mas eu sou capaz de tudo pelo meu neko-chan, eu não vou sobreviver sem ele, dattebayo!

- Hashirama.

- diga meu bem.

- pegue a pedra ônix.

- pra que?

- só pegue meu amor, preciso tirar um cabelo do meu olho.

A pedra ônix era a pedra que com sua mudança de cor determinava os gêneros dos homens, ela era chamada de ônix por ser bem preta, ao ser colocada nas mãos de um beta ela ficava verde simbolizando que aquele rapaz não havia sido afetado pela radioatividade do pós-guerra e então era um homem comum, se ficasse azul celeste aquele era um Alfa mestiço, filho de Alfa e uma mulher, apesar de ter menos radiação em seu DNA que um Alfa puro seu grau de inteligência, força e masculinidade era maior que a de qualquer beta, se ficasse azul escuro e brilhante era um Alfa sem dúvida com alta concentração de modificação genética em seu DNA, se a pedra ficasse vermelha era um ômega, e a radiação havia deteriorado boa parte de seu hormônio testosterona, por isso ômegas são quase mulheres.

- aqui está querido.

- Naruto, preste atenção, essa e uma pedra ônix que está aqui dentro da caixinha, ela é preta e sem brilho, na minha mão ela e vermelha e brilhante, está vendo?

- sim, ttebayo!

- pai o que está fazendo?

- calma Fugaku, Hashirama pegue a pedra.

- pronto meu amor, veja Naruto, azul escuro e brilhante.

- algum beta pegue a pedra, por favor.

- o que o vovô está fazendo Itachi?

- sei lá.

- eu sou beta.

- veja Naruto, nas mãos do Shino, a pedra ficou verde e fosca, agora e a sua vez.

Assim que Naruto pegou a pedra a cor dela se tornou azul celeste, todos ficaram assombrados, ali não estava um beta, Fugaku levantou do chão onde estava com os olhos arregalados sem saber o que pensar, Naruto era um Alfa mestiço, o loiro não sabia o que estava acontecendo, ele perguntou por que a pedra ficou com uma cor diferente da mostrada por todos que haviam segurado antes dele, Itachi pegou a pedra da mão de Naruto e ela não mudou de cor.

- você é mestiço, raposinha, exatamente como eu.

- eu não estou entendendo nada, que história e essa? Eu sou um beta, meu pai e um beta, e minha mãe e mulher, dattebayo!

- Minato, aquele desgraçado me enganou, AQUELE FUDIDO ME ENGANOU, ENGANOU A POPULAÇÃO DE KONOHA INTEIRA PRA SE ELEGER HOKAGE.

- calma pai, precisamos trazer o Minato aqui para que ele se defenda.

- O QUE ESTÁ ACONTECENDO DATTEBAYO?!

- raposinha, vem comigo, vamos contar ao Gaara o que aconteceu.

- meu sobrinho, ele adora o seu irmão, Gaara nunca conviveu com seus irmãos de sangue, já que o Rasa fez questão de destruir a vida de cada um, o Sasuke preencheu esse espaço, Gaara vai sentir muita dor.

- venha Naruto, precisamos contar, e eu preciso de você agora.

- tudo bem.

- quer ajuda?

- obrigado Shisui.

Shisui voltou a colocar Yashamaru nos braços para que ele pudesse acompanhar o passo de Naruto e Itachi, apesar de Gaara já imaginar pela marca que algo estava errado com seu marido, aquilo seria de fato devastador, Gaara amava Sasuke, ele realmente havia preenchido o espaço que Kankuro nunca quis preencher, Temari então Gaara nem chegou a ver seu rosto, sua família foi arrancada dele, desde antes dele nascer, Sasuke era um amigo, um irmão, um companheiro que ele confiava de olhos fechados e agora tinha partido, para um lugar que ninguém sabia se encontraria ou não.

- Yamato, pegue o seu filho e vá para Konoha imediatamente, vá até o conselho Hokage e me traga Minato Namikaze, nem que seja pelas cuecas.

- sim senhor.

- que relação o senhor acha que essa mentira pode ter com o sequestro do meu bebê, papai?

- estou tentando montar as peças do quebra cabeças Fugaku, ninguém abre mão de ser um Alfa por nada, pode até ser que Minato pense de verdade que é um beta.

- isso é verdade meu irmão, Minato foi eleito Hokage por que é um beta com um grande conhecimento, e agora sabemos por que ele sabe muito, mas pense no antes disso, ele foi muito humilhado pelos Alfas antes de se torna um Kage, ele chegou a levar uma cusparada na cara pelo Rasa, e foi ameaçado de morte pelos Hyuuga, ele não mentiria ser um beta sabendo que poderia até perde a vida por essa mentira, outra coisa ele e totalmente ignorado nas reuniões dos Kages, nunca foi aprovado um único projeto dele, justamente por que se acredita que ele é um beta, Minato sempre foi discriminado, ele é o pano de chão nas reuniões.

- então nos resta procurar Jiraya também, ele é o pai do Minato.

- é está fora do país.

- ele foi morar na Coreia assim que minha irmã Tsunade se divorciou dele.

- espere, Minato não é filho da Tsunade?

- minha irmã nunca teve filho, ela é estéreo.

- mas ele me disse que foi abandonado por ela, quando ela largou o pai dele.

- Tsunade nunca poderia ser mãe, ela nasceu sem as trompas.

- se o líder da Akatsuki é um ômega com um ódio tão grande que para ele a vida alheia e apenas um brinquedo, pode ser que esse homem seja justamente o papi do Minato.

- e Jiraya sabe de alguma coisa sempai, por que ele fugiu para outro país.

- Obito meu irmão, vamos pescar um sapo na Coreia?

- com certeza Kagami, pensei que não iria me convidar ni-san.

- ah! Meninos tomem cuidado, pelo amor de Kami, dois filhos, eu não suporto.

- calma Madara, nossos meninos vão voltar antes do termino desse dia com Jiraya nas mãos.

- pode contar com isso papai.

Assim que chegaram na porta do quarto onde estava Gaara com o pequeno Itan, Itachi já sabia que Gaara com certeza imaginava que havia algo terrível acontecendo, a dor que o Uchiha sentia era enorme e estava segurando com todas as suas forças para não desabar na frente de todos, já tinha muita gente arrancando os cabelos ali, assim que a porta foi aberta Gaara estava na frente de Itachi, seus olhos verde água estavam cheios de lágrimas, o ruivinho abraçou Itachi com força, ai o moreno não tinha sangue de barata, Itachi se deixou chorar nos braços de seu amado.

- o que aconteceu, por que você está assim meu amor?

- algo muito difícil de dizer meu sobrinho.

- o que houve? Eu aguento, falem.

- Sasuke, foi sequestrado pela Akatsuki, dattebayo!

Gaara começou a gritar de desespero, Itachi abraçava ele com força, os dois estavam chorando e sentindo a imensa dor do outro, Yashamaru se ajoelhou e segurou ambos com seus braços, Naruto virou para a parede não conseguia parar de se culpar, Shisui segurou no ombro de seu primo e se permitiu chorar também, mesmo que baixinho.

Do lado de fora do palácio Yamato já estava dentro do carro que o próprio imperador disponibilizou para eles chegarem rápido em Konoha, o helicóptero seria usado por Obito e Kagami que tinham uma missão ainda mais complicada. Yamato olhava para Sai queria perguntar sobre o que Kabuto tentou fazer com ele, mas Yamato sabia que se tentasse investigar seu filho, provavelmente se afastaria dele, Sai não suportava ser tratado como uma garota, ele era um homem em seu coração, e sempre seria assim, Sai tinha segredos que infelizmente teriam que vir abaixo ou Sasuke poderia ficar perdido definitivamente.

- alô, Ino.

- oi, há quanto tempo não escuto a sua voz.

- não seja dramática, faz duas semanas que fui pegar Inojin com você.

- Sakura me disse que foi baleado.

- meu braço já está quase recuperado, ainda dói, mas você sabe que eu sou forte.

- o que foi?

- eu preciso que diga aquela verdade sobre você.

- o que? Que verdade?

- aquela verdade, sobre você e o seu irmão gêmeo.

- Sai, você perdeu o juízo.

- Ino, podemos acha-lo, temos uma pista agora, estamos quase conseguindo juntar os pontos.

- você sabe que se eu falar ficarei exposta e eles viram atrás de mim.

- eu protejo você.

- você nem me quer mais.

- sabe que não é verdade, eu te amo.

- você não disse isso da última vez.

- eu estava zangado, aconteceram coisas comigo, eu preciso de você.

- e o Inojin, seu pai vai surtar quando descobrir a verdade.

- estou mais preocupado com o que está acontecendo agora, me escuta, eles pegaram o Sasuke.

- o que? Eles pegaram o Sasuke?!

- Ino, pelo amor de Kami, me ajuda.

- vem aqui, eu te espero na nossa casa.

- certo, te amo, te amo demais.

Yamato ouviu toda a conversa não entendeu nada, por que seu filho teve que inventar de se declarar agora para a ex namorada, será que Sai pensava que iria morrer, isso nunca Yamato nem sequer o levaria para a missão corpo a corpo de novo, Sai ficaria no palácio imperial, ou em casa, ou até na delegacia, mas numa batalha frontal definitivamente seu filho não iria nunca mais, Yamato sabia que Sai não aceitaria um tratamento diferencial, contudo ele era o pai e Sai o filho, obedeceria de um jeito ou de outro, nem que para isso tivesse que ficar amarrado ao pé de uma mesa.

- eu preciso ir na casa da Ino.

- por que?

- e importante pai.

- Sai o que está acontecendo? Por que você nunca me diz nada?

- PAI! Agora não, por favor, é importante confia em mim.

- a confiança e uma via de mão dupla meu filho, e difícil confiar quando a outra pessoa não dá um único voto.

Sai estava com os olhos lagrimejantes, Yamato queria consola-lo, mas provavelmente teria sua mão empurrada, Sai odiava quando Yamato bancava o sentimental pra cima dele, chegaram em Konoha quase no final daquela manhã, eram onze horas, Yamato deixou Sai perto da casa de Ino e foi para o palácio Hokage, o policial tinha que levar Minato sem dizer nada sobre a desconfiança dele ser o maior mentiroso da história, todavia havia uma hipótese de Minato nem saber que era um Alfa assim como Naruto.

- Hokage-sama, o policial Yamato está aqui e disse que é urgente.

- Obrigado Anko, mande ele entrar.

- Minato-sama.

- Yamato, o que houve?

- uma tragédia.

- o que houve homem me diga?

- Sasuke foi sequestrado pela Akatsuki.

- ah! Meu Kami-sama.

- seu filho precisa do senhor, Naruto está inconsolável.

- claro! Meu filho, Fugaku meu melhor amigo, Itachi meu afilhado, meu kami-sama, eu nem sei o que pensar.

- se acalme, eu espero o senhor comunicar sua secretária e tomar as medidas corretas para vir comigo.

Yamato saiu enquanto Anko recebia as instruções de Minato, para não agendar reunião nenhuma durante a semana inteira, pedi que Shikaku Nara assumisse o Hokage enquanto ele estivesse fora, e que providenciasse o transporte de Kushina para o palácio imperial o quanto antes já que ele teria que ir imediatamente com Yamato. Minato estava nervoso entrou no carro com o coração na garganta pensando em seu filho, Naruto sempre foi apaixonado por Sasuke desde o útero, com certeza sua raposinha deveria está em pedaços. Yamato seguiu caminho até chegar perto da casa de Ino e não entender absolutamente nada quando entraram no carro, Sai, Ino e Sakura.

- mas o que é isso meu filho?

- só vá para o palácio imperial meu pai, lá o senhor vai entender.

- não chore Sakura, vamos achar um jeito de resgatar meu afilhado.

- Minato-sama, a Akatsuki nunca deixou ninguém vivo.

- então Sasuke será o primeiro, minha cereja.

- obrigada Minato-sama.

Muito longe dali estavam Obito e Kagami, os irmãos Uchiha não tiveram problemas em entrar no espaço aéreo da Coreia, por serem ambos príncipes japoneses, consegui a informação de onde morava Jiraya Namikaze também não foi muito difícil. O problema foi quando chegaram no terreno da residência, o local era todo murado, com cerca elétrica e pelo barulho vários cachorros de raça protegendo a casa e seu dono.

- por que Jiraya se preocuparia tanto com sua segurança, num país tão pacífico quanto a Coreia do Sul?

- acho que vamos ter que perguntar ni-san.

POW!

- caralho!

- se protege, Obito.

Jiraya começou a atirar com um fuzil israelense nos irmãos Uchiha, as balas eram grossas faziam um buraco enorme e um estampido ensurdecedor, Obito pegou uma bomba de fumaça e jogou para dentro da muralha, rápido uma tremenda nuvem de fumaça se formou lá dentro, Jiraya correu para fugir pelo quintal, contudo Kagami tinha dado a volta, Jiraya atirou contra Kagami, o moreno fingiu ser atingido e se jogou no chão, quando Jiraya chegou perto levou um tiro no braço direito.

- Jiraya Namikaze.

- senhores, acho que preciso de um médico.


Notas Finais


Quem é o mentiroso? Minato ou Jiraya?
Por que a mentira?
Que verdades escondem Sai, Ino e Sakura?
Gêmeos?! Quem são?
Se Naruto é um Alfa, como Sasuke irá entender isso, se sair com vida da Akatsuki?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...