História Convicção - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Itachi Uchiha, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sasuke Uchiha
Tags Itagaa, Leeneji, Narusasu, Romance
Visualizações 144
Palavras 3.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 32 - Um inferno na terra.


Fanfic / Fanfiction Convicção - Capítulo 32 - Um inferno na terra.

Você sabe quando alguém te joga um balde de água bem gelada na cabeça? Você entende a expressão puxar o tapete dos outros? E exatamente assim que eu estou me sentindo agora. Eu fui até Sunagakure encontrar provas contra Rasa Sabaku, arrisquei meu pescoço e a vida de pessoas queridas para conseguir fazer justiça, eu consegui provas concretas e assim prender o maníaco homicida que nenhum Alfa foi capaz. Eu fui o responsável em resgatar Yashamaru e através dele, o Rasa pode ficar preso, eu deveria ser a pessoa mais importante nesse caso, eu deveria ser o chefe por trás da investigação e nas montagens das estratégias, eu provei que sou muito mais do que meu gênero diz que eu sou, mas como o meu irmão, o meu pai, e os meus avôs me veem? COMO UM ÔMEGA SEM IMPORTÂNCIA ALGUMA! ELES CONSPIRARAM NAS MINHAS COSTAS, ESTAM A PORTAS FECHADAS NO ESCRITÓRIO DISCUTINDO UM CASO QUE É MEU POR DIREITO! Eu jamais perdoarei isso, JAMAIS!

- calma neko-chan, dattebayo!

- NARUTO, EU FUI PRA SUNA, EU SOU O RESPONSÁVEL PELA PRISÃO DAQUELE FILHO DA PUTA, E NINGUÉM TEVE SEQUER A DECÊNCIA DE ME CHAMAR PARA UMA DROGA DE REUNIÃO.

- mas amor, eles ainda podem chamar você, eles estão discutindo, não resolveram nada, o Itachi está lá, ele pode vir até aqui, dattebayo!

- DOBE! Eu planejei a entrada naquela mansão, roubei a roupa do meu irmão, roubei o sinete, eu pintei o seu cabelo, eu chamei a Sakura, eu peguei o pendrave, eu trouxe de Suna, E O QUE ESSE BANDO DE ALFAS IMCOMPETENTES FIZERAM PARA ACHAREM QUE SÃO MELHORES DO QUE EU?!

- neko-chan.

- PARA DE ME CHAMAR DE NEKO-CHAN, USURATONKACHI

- você quer que eu ligue para o Itachi?

- NÃÃÃÃO!

- dattebayo!

- Naruto, eu fui traído por toda a minha família, ninguém se importa comigo.

- não fala assim, amor.

- mas é verdade, eles estão cagando pra mim, no final das contas pra todos eu não passo de um ômega.

- eu amo você.

- ama? Transou com a Sakura antes de dormi comigo.

- não acredito que você vai jogar isso na minha cara agora.

- VOCÊ TRANSOU COM AQUELA DESGRAÇADA, DESPEITADA E SONSA, NAS MINHAS COSTAS.

- a gente estava separado, dattebayo!

- você é igual eles.

- Sasuke, por Kami.

- você não se importa de verdade, você me vê apenas como um ômega, admite dobe.

- Teme, você está fora de si, e eu não vou ficar discutindo com você.

- claro, pra que ficar perdendo tempo com um ômega, que tal a gente fuder, e só pra isso que eu sirvo.

Eu já não aguentava mais, sempre foi assim, meu pai me tratava diferente da forma que tratava o Itachi, eu parecia de porcelana, eu não podia sair na rua quando estava frio, o Itachi era só colocar um casaco, eu não podia ir à praia sozinho, Itachi além de poder ir sozinho ainda ia dirigindo com um bando de garotas sem noção, meu casamento foi praticamente por obrigação, enquanto o do Itachi foi um acontecimento quase feriado municipal, eu estou cheio de ser sempre o pobre ômega que precisa esperar pela sobra da vontade dos Alfas.

- seu telefone está tocando, teme.

- alô?

- oi Sasuke, é o Kabuto, encontrei uma pista sobre o Rasa, seu irmão ou o seu pai estão por perto?

- estão numa reunião, é só com eles?

- claro que não, você pode vir aqui no portão, eu passo todas as informações pra você, eu confio em você, Sasuke.

- confia num ômega?

- não fala assim, você é muito mais do que seu gênero, quem foi que teve a loucura de ir até Suna coletar provas contra o bandido do Rasa Sabaku, eu te admiro meu camarada, porém está tudo bem com você? Parece meio irritado.

- está tudo bem, eu vou até o portão falar com você, é rapidinho, me espera.

- certo.

- quem era?

- não te interessa.

- Sasuke, não fala assim, você me machuca, dattebayo!

- e os meus machucados? Você se importa? Se importa com a minha dor?

- você sabe que sim.

- cala boca, eu estou farto de tudo e farto de você principalmente.

- onde você vai?

- não me segue, não é problema seu.

- Sasuke, você está com a cabeça muito quente, por favor, fala comigo direito, onde você vai? Quem ligou?

- NÃO INTERESSA! NÃO VEM ATRÁS DE MIM, OU EU PEÇO O DIVORCIO, AGORA!

- está bem Sasuke, quando você achar que eu valho alguma coisa pra você, ai você me chama.

Eu odiava magoar o Naruto, contudo eu estava cheio de mágoa, ninguém me entendia, nem ele, fui caminhando até o portão, vendo os empregados me olhando caminhar desacompanhado, como se eu fosse um bichinho de estimação de alguém, eu sou um homem, independente e sei exatamente o tamanho da minha força e da minha coragem, para ser tão oprimido desse jeito, cheguei no portão e lá estava Kabuto todo uniformizado, pelo menos alguém teve a noção de me fazer pessoa, ele poderia ter perguntado pelo Shisui, ou ainda te pedido para eu chamar um dos betas, como o Kiba, o Shino, ou até o Sai que ainda está se recuperando, mas ele me chamou, nós nunca fomos próximos, na verdade eu pensava que ele não gostasse de mim, assim como os outros babacas da delegacia, perai! Isso está um pouco estranho, e melhor eu deixar o celular no meio dos arbustos, só por precaução.

- oi.

- você estava chorando?

- não é importante, o que interessa e a informação que trouxe sobre aquele monstro.

- pede para o porteiro abrir o portão, essas grades não me deixam passar o pacote que eu trouxe, achei perto da vila da cachoeira, acho que é algum tipo de explosivo que não deu certo na hora da detonação.

- por favor, abra o portão.

Autora

Assim que o portão abriu Kabuto puxou a arma e deu um tiro no porteiro, enquanto Kakuzu puxava Sasuke para dentro do carro, Kabuto ainda chegou a atirar na câmera principal de segurança da guarita, porém havia uma segunda dentro do pequeno espaço, essa era mais difícil de ser vista por quem olhasse de fora. Sasuke se debatia tentava se libertar de Kakuzu, no entanto o ômega levou um soco bem no meio da cara e desmaiou com a força do Alfa.

- ele desmaiou?

- é só um ômega.

Sasuke passou a viagem toda desacordado não sendo preciso colocar nada em seu rosto que o impossibilitasse de ver o caminho pelo qual os sequestradores o levavam, Kabuto passava por uma difícil estrada de areia e pedras, entretanto assim que o carro mergulhava para dentro da terra um cano muito largo os levava para a cidade que antes fora a cidade do redemoinho lar dos Uzumaki. A cidade era uma fortaleza, cercada por um muro enorme que impossibilitava qualquer visão de fora, cercada de câmeras, cercada de ninjas renegados que assim como seu líder perderam algo que os levou a total insanidade.

Kakuzu tirou Sasuke do carro ainda desacordado e o levou para dentro do complexo principal, Sasuke foi levado para o laboratório e jogado de qualquer jeito em uma maca, a força com que foi atirado fez o rapaz acorda e gemer de dor, Kakuzu puxou os cabelos negros com violência recebendo gritos do ômega, como já estava acordado Kakuzu colocou Sasuke no ombro e o levou até a sala do líder.

- aqui está o ômega Uchiha.

Sasuke foi arremessado contra o trono do líder da Akatsuki, Sasuke tinha sangue em seu rosto, seu nariz estava quebrado, seu lábio cortado e seu supercilio aberto, ele foi levantando a cabeça com dificuldade, estava tremendo por causa das dores que sentia por todo o corpo, a visão de um homem de pele bem clara, cabelos negros e cumpridos, usando um kimono foi o que ele contemplou, pelos brincos e pela maquiagem em seu rosto, Sasuke imaginou está diante de um ômega, quando o homem se levantou seu corpo e seu rosto delicado comprovaram ser mesmo um ômega, mas como diabos um ômega era o líder da Akatsuki? E pior por que estava fazendo isso com seus iguais?

- quem é você?

- sou seu irmão, somos iguais, nascemos para servir os Alfas com o que temos de maior valor, nosso corpo.

- não, eu não sou só um corpo, eu sou um homem.

- pobre criança, o que essa maldita lei ômega fez com você? Não se preocupe, eu vou ajudá-lo a se encontrar novamente e se libertar dessas ideias absurdas e soberbas, logo você aprenderá a ser um ômega de verdade e estará livre, com a alma leve, pronto para o mundo.

- qual é o seu nome?

- Orochimaru.

- por que estou aqui? O que você quer?

- quero salva-lo de você mesmo, bem vindo a cidade do Som, aqui você será o que nasceu para ser, um ômega de verdade, pode leva-lo querido.

Kakuzu voltou a segurar Sasuke, o moreno se debatia, contudo, ao fazer isso Kakuzu o jogava no chão e o socava de novo, Sasuke foi levado para o laboratório novamente, colocado numa maca então Kakuzu chamou Zetsu, Sasuke sabia que tinha um tio com esse nome, mas não se lembrava de sua aparência, um homem com roupas brancas e jaleco apareceu, ele era negro, porém metade de seu corpo estava ficando branco, seu cabelo era verde, ele parecia muito magro, com olheiras enormes, aquele rapaz parecia está sofrendo bastante.

- novato na área, faz os exames, e não enrola.

- está bem.

(agarra pelos cabelos e puxa com violência)

- não enrola seu macaco, senão eu quebro você inteirinho.

- eu já entendi.

- como é que se fala?

- obrigado senhor.

Kakuzu tinha puxado com muita força os cabelos de Zetsu, o médico chegou a ficar na ponta dos pés, Sasuke não entendeu por que Zetsu disse obrigado, havia recebido uma violência gratuita e agradeceu por isso? Não fazia sentido, o médico chegou perto dele e Sasuke ficou receoso, foi então que Zetsu mostrou o selo dos ômegas em seu pulso direito, Sasuke ainda estava desnorteado.

- tem o símbolo Uchiha na sua camisa?

- sou Sasuke Uchiha, filho caçula de Fugaku Uchiha, primeiro filho de Hashirama e Madara.

- Sasuke, eu sinto muito, como eles pegaram você?

- Kabuto, ele é um traídor, ele me enganou e me trouxe pra cá.

- sou Zetsu Otsutsuki, mas deveria ser Uchiha, fui casado com seu tio, Obito Uchiha. Aposto que ele já se casou com outro, ou outra.

- não, meu tio sofre por você até hoje, ele foi para Londres para tentar curar a dor, mas ele voltou agora, quer encontrar você.

- meu moreno lindo e gentil, eu o amava tanto, nunca disse isso pra ele.

- vai dizer assim que ele e os outros vierem nos resgatar.

- ninguém vai nos resgatar, esse lugar não existe, não está no mapa, ninguém sabe como chegar, ou sair daqui, apenas os que tem o cartão magnético da Akatsuki, e os que tem esse cartão tem tanta merda sobre os ombros, que jamais irão denunciar este lugar.

- meu pai, meu irmão e toda a força policial de Konoha está trabalhando nesse caso, eles vão descobrir um jeito.

- Sasuke, eu estou aqui há cinco anos, ninguém vai nos tirar daqui, e se por algum milagre acharem esse lugar, existe um código de destruição que apenas o líder sabe, vai tudo pelos ares.

Sasuke se calou depois disso, Zetsu pegou uma seringa e injetou na veia de Sasuke, tirou sangue do moreninho enchendo três frasquinhos, depois disso Zetsu tirou a pressão, mediu a glicose, fez uma plástica no rosto do Uchiha que estava todo machucado, Zetsu fechou o supercilio e o lábio de Sasuke, além de colocar um protetor no nariz do mesmo para que cicatrizasse logo e pediu que Sasuke ficasse de bruços, o moreninho não fazia ideia do que estava acontecendo nem o que iria acontecer.

- eu tenho três caninhos está vendo.

- o que isso?

- tem ômega que chama de cilindro do prazer, aqui e só pra saber o quanto suas pregas já aguentaram, se doer a penetração, você me fala. Quanto mais intacto e o ômega, mais valor o louco do Orochimaru consegue arrancar.

- sou casado com um beta.

- infelizmente você será vendido para diferentes Alfas, betas não podem entrar nesse complexo, a não ser que queiram ser soldados.

- vendido?

- vão te prostituir.

- não, isso não.

- deita, eu preciso terminar de te examinar, ou nós dois vamos levar uma bela surra.

Sasuke se deitou e começou a chorar, pensava em Naruto, pensava nas últimas palavras que havia dito ao loirinho, como pode ser tão malvado em suas palavras? Magoou aquele que nunca se atreveu a lhe fazer qualquer mau, Naruto dedicou sua vida em amar Sasuke, Naruto era seu anjo protetor, seu amigo, seu amante, seu companheiro fiel, como Sasuke poderia se deitar com outro homem? Zetsu introduziu o primeiro cilindro, os caninhos tinham os tamanhos dos pênis dos homens japoneses, ômegas tinham aproximadamente de dez a doze centímetros (pequenos) os betas de catorze a dezesseis centímetros (normais) os Alfas de dezoito a vinte centímetros (grandes), Sasuke só foi se queixar quando sentiu o de vinte centímetros ir fundo na sua entrada.

- você disse que era casado com um beta?

- sou casado, ele não morreu e muito menos eu.

- vai desejar está morto depois de alguns dias. Mas você com certeza não é casado com um beta.

- o que? Por que diz isso?

- betas tem no máximo dezesseis centímetros de pau, você só sentiu ardência em vinte centímetros, significa que o seu marido tem esse cumprimento, seu marido só pode ser um Alfa.

- Naruto é um beta.

- os cilindros não metem, os homens sim.

- NARUTO NUNCA MENTIRIA PRA MIM.

- você tem o pavio curto, se aborrece rápido, e fala com autoritarismo, cuidado, não faça isso, preste atenção, temos pouco tempo o Kakuzu, ou o Kisame vão vir levar você para o alojamento, os Alfas vão bater em você, ou vão cuspir, ou até mesmo te usar sem consentimento, a cada maltrato você deve dizer: obrigado senhor.

- o que? Eu devo agradecer por ser maltratado?

- sempre.

- você só pode está louco.

- Sasuke, eles batem muito forte, quebram você inteirinho, o Kisame já deixou um ômega aqui quase aleijado de tanta porrada, diga obrigado senhor, e eles param.

- nunca.

- então você vai sair rápido daqui, dentro de um caixão, vai morrer apanhando meu sobrinho.

- CADÊ O ÔMEGA?! TERMINOU NEGÃO?

- terminei.

- bom garoto, gosto quando você fica esperto criolinho.

Sasuke não se debateu dessa vez sabia que iria ser socado e não queria abrir os pontos que Zetsu fez em seu rosto, Sasuke ia observando o lugar onde estava era totalmente fechado, não havia uma janela, parecia uma casa de doido, as lâmpadas de lede iluminavam o lugar, havia quatro portas no fundo de um corredor que parecia interminável quando entraram, Kakuzu abriu a quarta porta e jogou Sasuke na cama, já havia no quarto uma loira de cabelo cumprido terminando de se maquiar ou pelo menos parecia uma loira.

Sasuke olhou para a loira que assim como Zetsu tinha um semblante depressivo, Kakuzu pegou Sasuke pelo pescoço e com apenas a mão direita rasgou a camisa do Uchiha e depois arrancou a calça e a sua cueca o expondo completamente, Sasuke se arrastou até o espelho da cama tentando se cobrir com seus braços e pernas, Kakuzu ordenou que Deidara desse ao ômega um vestido.

Deidara levantou e foi até o pequeno armário que ficava embutido na parede e pegou um vestido azul claro de alças grossas e cumprido até os tornozelos, ele ofereceu para Sasuke que pegou da mão do loiro com uma certa raiva, Deidara não disse nada apenas voltou a se maquiar, Sasuke vestiu aquela roupa morrendo de nojo, não suportava a ideia de ter que se vestir como uma mulher simplesmente por ser um ômega, no entanto não tinha outra opção.

- você é muito marrento, hn!

- você é um ômega?

- aqui marrento não se cria, hn!

- eu não gosto de me vestir como uma mulher, eu sou um homem.

- aqui, nesse inferno, você é carne, hn!

- quem é você?

- Deidara Nakaima, ou o que restou dele, hn!

- de onde você veio?

- de Iwagakure, eu sou o primeiro neto do Tsuchikage, se é que ele ainda está vivo, hn!

- está, procura você até hoje.

- vai procurar até morrer, então, hn!

Durante toda aquela tarde, Sasuke ficou no mesmo lugar encostado ao espelho da cama, sem saber o que pensar ou fazer, estava sozinho, num lugar desconhecido, com pessoas quebradas e sem esperança alguma, as cinco em ponto uma ruiva entrou no quarto, estava muito cansada, nem percebeu o moreno ali, só se jogou na cama e começou a chorar. Sasuke ficou comovido, mas antes de dizer qualquer coisa, Kakuzu entrou novamente no quarto e foi pra cima de Sasuke.

- VOCÊ VAI SER MEU ÔMEGA DE MERDA.

- NÃÃÃO! NÃÃÃÕ! NÃÃÃO!

- GRITA, GRITA SEU BOSTA E ISSO QUE VOCÊ QUER, E ISSO QUE TODOS VOCÊS QUEREM, UMA PICA GROSSA E GRANDE NESSE RABO SUJO DE ÔMEGA!

- ME SOLTA, SOCORRO, SOCORRO, SOCORROOOOO!

- Kakuzu?

- que é Kisame? Não está vendo que eu estou ocupado com esse novato?

- O líder quer falar com você?

- como é que se fala?

Sasuke havia ficado calado, mas Kakuzu puxou seus cabelos como se realmente fosse arrancar de sua cabeça e todos de uma vez só, Sasuke lembrou das palavras de Zetsu, Sasuke engoliu seu orgulho, estava sofrendo muito nas mãos daquele Alfa e só eram suas primeiras horas naquele inferno, não tinha jeito, precisava aceitar.

- obrigado senhor.

- aprende rápido, bora Kisame.

- você vai sozinho, vou levar o ômega para o Zetsu, aconteceu uma coisa no exame.

- sério?! Ainda bem que eu não comi ele.

Kisame pegou Sasuke pelo braço, a ruiva estava com o travesseiro no rosto ignorando a situação de pouco tempo atrás, Sasuke era arrastado até o laboratório, Kisame diferente de Kakuzu era calado, porém enorme parecia um guarda-roupa, seus braços eram quase da grossura da cintura de Sasuke, além de assustador na aparência de um tubarão azul.

- aqui está o ômega, não demora maconheiro.

- o que aconteceu? O que eu tenho?

- lembra que eu te disse que você não era casado com um beta?

- lembro, isso é impossível, por que Naruto é um beta.

- betas não engravidam ômegas, apenas Alfas tem o pênis suficientemente grande e com potência nos espermas para penetrar o útero dos ômegas.

- eu estou grávido?

- está de um mês e um semana.

- não, isso não é possível.

- comemora, o líder não vai mandar tirar o seu selo ômega e nem te mandar para o campo se vender até o seu Alfa nascer.

- eu não acredito, ele não pode ter me enganado, não o Naru-kun, ele me ama de verdade.

- acho que você deveria tentar se fortalecer para enfrentar outra parada.

- o que?

- o Orochimaru vende pela internet todos os bebês Alfas nascidos aqui.

- O QUE?

- ele vai arrancar o seu filho dos seus braços assim que você dê a luz. Aproveite o máximo de tempo com ele mexendo aí dentro, por que aquele sádico, não deixa nem olhar no rostinho da criança, todos são apenas mercadorias para Orochimaru-sama.

- Naruto, você tem que me tirar daqui, amor.


Notas Finais


São apenas as primeiras horas do Sasuke na vila do Som.
O que aconteceu com Orochimaru para ele ter virado esse maluco sádico?
Quem é a ruiva que ignorou o sofrimento do Sasuke?
Como os policias vão achar uma cidade fantasma, subterrânea e com autodestruição, caso seja invadida?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...