História Convite Para a Perdição. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bottom!jeongguk, Kookv, Taekook, Top!taehyung
Visualizações 117
Palavras 966
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Ecchi, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Único.


Convite para a perdição. — Único.

— Então, o que você queria me mostrar? — indagou Kim Taehyung, ajeitando a postura no confortável sofá da sala de estar de maneira que evidenciava o interesse na relutância e embaraçamento de seu namorado, Jeon Jeongguk.

Este assentado ao seu lado, em uma distância de um braço, encarava os próprios dedos dos pés que esfregavam-se nervosamente uns nos outros, sem atrevimento o suficiente para encarar aqueles olhos escuros e intimidantes de seu namorado. Taehyung, porém, enquanto aguardava as palavras presas de Jeongguk repercutirem no recinto, aproveitou o momento para apreciar o rosto airoso que sustentou seus pensamentos por muitos meses antes de firmar uma relação com Jeon.

Eu quero tanto beijar você., Taehyung concluiu seu pensamento ao ter seus olhos presos aos lábios formosos de Jeongguk, que vez ou outra, dependendo de como os posicionava, adquiriam mais volume.

— Eu coloquei piercings novos. — murmurou Jeongguk.

Taehyung ergueu as sobrancelhas de modo automático, surpreso que tanta delonga tenha sido causada por um simples piercing. Jeongguk continha três destes em sua orelha, afinal. Qual o problema em adicionar novos? Ou melhor, alertá-lo sobre estes? Taehyung sempre fora muito plácido com Jeongguk e jamais ditaria o que deveria usar ou não, portanto, não havia necessidade de prudência.

— Hã… — iniciou Taehyung, incerto sobre o que deveria dizer. — Isso é bom, certo?

Jeongguk finalmente tomou coragem para fitar Taehyung, um tanto confuso e decepcionado com sua reação.

— Você considera isso bom?

— Se você gosta, creio que sim.

— Tae… — Jeongguk interrompeu a própria fala ao notar a alteração de expressão de seu namorado; as sobrancelhas pinceladas franzidas. Ele apoiou a mão no estofado, inclinando o corpo o suficiente para que buscasse os recentes piercings em ambas as orelhas, contudo, os únicos presentes na cartilagem eram os que Jeongguk utilizava habitualmente.

— Você diz que colocou piercings novos, mas não tem nenhum aí.

Jeongguk riu baixinho, fazendo um gesto de negação com a cabeça.

— Os piercings novos não estão aí, bobinho — ele disse, contendo o sorriso que seus lábios ameaçavam esboçar. Enquanto seus esguios dedos agarravam a barra do casaco de lã bege, erguendo-o na altura de seu peitoral. — Estão bem aqui, veja.

Inconsciente Taehyung entreabriu os lábios perplexo, sendo fisgado pelos piercings prateados, paralelos, ofuscantes em ambos os mamilos de Jeongguk. Suas pernas levemente abertas se fecharam com a pontada que atingiu diretamente seu membro. Este ameaçava dar sinais de vida caso Taehyung permanecesse focado naquelas bolinhas prateadas que tomaram sua atenção em uma proporção avassaladora. Era incapaz de cogitar, desviar seu foco para qualquer outra coisa que não fosse seu namorado.

— Você gostou, Tae? Ainda dói um pouco porque estou sensível e…

Taehyung imergiu em um estado de torpor, onde a única frase que seu cérebro conseguiu assimilar da aclaração de Jeongguk era: “porque estou sensível”. Puta merda!, Taehyung pensou. Em sua concepção, a coisa mais gratificante de um dia repleto de obrigações onde o cansaço vinha de brinde, era poder reservar uma parcela de seu precário tempo para tocar em Jeongguk. Ele não gostava de pressionar, muito menos, forçar Taehyung, pois compreendia a prioridade de seu dever com a faculdade. Porém, a necessidade de seus toques, o corpo, a boca, tudo o que Taehyung podia lhe proporcionar, realmente lhe fazia falta na casa que partilhavam.

— Tae? — Jeongguk estalou o dedo perante o rosto de Taehyung. — Você prestou atenção em alguma coisa do que eu disse?

— Não, me desculpe.

Jeongguk suspirou derrotado, indicando que abaixaria o casaco. No entanto, Taehyung capturou seus pulsos sem nenhuma força, não era sua intenção machucá-lo, mas, sim, impedi-lo de cobrir a nova causa de sua perdição; os piercings. Oh, aqueles piercings eram um convite claro para a perdição e Taehyung estava disposto a se perder.

— O que você… — Jeongguk cortou a própria fala ao ter as costas, subitamente, deitadas contra o estofado.

Taehyung mantinha os pulsos delgados em seus punhos cerrados, ajeitando-se por cima do corpo esbelto de Jeongguk. O joelho esquerdo de Taehyung posicionou-se por entre as pernas de Jeongguk, impedindo-o de fechá-las, pois, conhecerá cada detalhe de seu namorado para ter noção das reações que lhe causaria no que pretendia fazer logo em seguida, sem avisos prévios.

Os olhos estupefatos de Jeongguk arregalaram. Depois se fecharam rapidamente, apertando as pálpebras, com o contato da língua áspera, coberta de saliva, rodeando vagarosamente em seu mamilo esquerdo. Jeongguk não pôde conter o gemido que rasgou sua garganta; a dor da recente aplicação e o deleite de sensações que inundavam seu corpo eram, sem dúvidas, a melhor coisa que podia sentir.

Arqueou a coluna, fechando instintivamente as pernas, ou, pelo menos, tentando, visto que Taehyung ainda sustentava o joelho por entre estas, roçando-o propositalmente em seu membro coberto que gradativamente despertava nos tecidos em fortes, intensas, pontadas.

— T-Tae… — Jeongguk gemeu manhoso, prendendo o lábio inferior por entre dentes, pressionando as unhas contra a palma de sua mão — os pulsos permaneciam presos.

Taehyung já estava duro suficiente para desejar estar dentro de Jeongguk, sendo esmagado por suas paredes internas deliciosamente. Porém, naquele momento, se focava apenas nos pares de piercings, chupando-os, mordendo-os e os estimulando para que o namorado sentisse tudo o que tinha direito. Taehyung adorava dar prazer para Jeongguk.

Taehyung abandonou finalmente os pulsos de Jeongguk, guiando as mãos para seu casaco e o retirando de seu corpo. Suspirou com a majestosa visão de seu amado com os olhos levemente lacrimejados, os cabelos negros bagunçados no estofado, os lábios mais vermelhos que o habitual — devido as mordidas — e o rosto ruborizado. Tão lindo… Tão meu., Pensou Taehyung.

— Tae — Jeongguk chamou em um murmúrio, evidenciando a Taehyung o que desejava ao intumescer o peito. — Por favor…

Taehyung sorriu pequeno, voltando a brincar com seu amado. Brincadeira aquela que rendeu a noite inteira.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...