História Convivendo com lobos: nova geração part. 2 - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alfa, Convivendo Com Lobos, Humana, Lobos, Ômega, Romance, Vampiros
Visualizações 79
Palavras 1.023
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Pra quem já leu estou repostando pq só agora percebi que postei na história errada

Capítulo 5 - Decida-se


Fanfic / Fanfiction Convivendo com lobos: nova geração part. 2 - Capítulo 5 - Decida-se

Depois que a noticia se espalhou a coisa complicou bastante na casa, sinceramente, tinha um imã pra atrair desgraça na nossa família que só jesus na causa. Quando eu resolvi ficar na minha casa Josh se mudou pra lá pra que eu não ficasse sozinha, não que eu estivesse reclamando, mas era um pouco demais pra mim ter ele passeando de um lado a outro sem camisa, não que eu estivesse reclamando sobre isso, pelo contrario, devia ser crime ele andar vestido dentro das devida quatro paredes da minha casa sem nenhum olhar curioso sobre ele além do me. Ainda tinha as adoráveis vezes que nos encontrávamos durante a noite quando eu estava numa das minhas crises de insônia e ele estava na cozinha ou assistindo algo na sala, se eu travava vendo ele sem camisa imagina só de cueca. Oh vergonha que me da, mas quem disse que eu deixo de olhar, ver ele corar é ainda mais fofo.

Me virei na cama pela trilhonésima vez na noite tentando inutilmente pegar no sono, mas parecia a tarefa mais impossível do mundo. O céu caindo do lado de fora não ajudava muito no meu trabalho, odiava tempestades, agora mais ainda. Não tinha como correr pro quarto de alguém como quando eu fazia quando era criança.

- que merda me levantei da cama pegando meu travesseiro e cobertor antes de descer pra sala. Liguei a televisão e abri a netflix, coloquei mr.right pra passar e me ajeitei de forma que não ficasse muito de mim fora do cobertor.

Tinha poucas comedias românticas que eu gostava, mas essa com certeza estava na minha lista de favoritos. Estava quase dormindo quando ouvi passos vindo pra onde eu estava. Eu posso aguentar de tudo, menos fantasmas, fantasmas não.

- Lili dei o grito da minha vida quando uma mão tocou meu ombro e uma quebra dolorosa do sofá- Lili você esta bem?

- meu deus, que susto inferno. Não dava pra falar que tava chegando, não tem que vim parecendo um fantasma minha voz foi sumindo quando abria as comportas do choro. Odiava ter medo de coisas infantis, qual é , eu ainda tinha medo de ter algo em baixo da minha cama e não dormia sem verificar todo o meu quarto e trancar o guarda-roupa.

- ei, eu não queria te assustar, me desculpe – Josh me abraçou fazendo um leve carinho no meu cabelo antes de me pegar no colo- vou te levar pra cama, se estava com medo de ficar sozinha devia ter me dito.

- não é de ficar sozinha murmurei escondendo o rosto no seu pescoço enquanto ele desligava a TV.

- vai me dizer do que é então?

- a lista é um pouco grande

- temos tempo disse ele subindo as escadas comigo ate o seu quarto.

- fantasmas, trovões, palhaço, aranhas e por ai vai.

- vou cuidar de você, então não precisa ter medo - Josh me pôs sentada na cama e saiu do quarto, voltando com minha escova de cabelo na mão.

- pra que isso?

- minha mãe costumava pentear meu cabelo quando eu tinha medo de alguma coisa, você vai gostar, agora deita aqui.

- eu não deveria ficar sentada?

- só deita a cabeça aqui e deixa o resto comigo deitei a cabeça no seu colo e tentei ignorar o barulho do lado de fora da janela.

O primeiro deslizar da escova fez um arrepio gostoso se espalhar pelo meu corpo. Carinho na cabeça sempre havia sido meu ponto fraco e juntando com o sono foi demais pra mim.

Acordei na manha seguinte agarrada a algo quentinho, mas a preguiça foi tanta que eu só agarrei mais forte e me concentrei em voltar a dormir.

- Lili, eu não consigo respirar abri os olhos vendo um cabelo loiro na minha cara e soltei quando percebi que estava estrangulando o pobre Joshua.

- foi mals me concertei na cama pra que ele deitasse direito. Eu com certeza poderia me acostumar a o ver acordar todos os dias, seu cabelo bagunçado, o rosto inchado, os olhos sonolentos e aquelas mãozinhas, aquelas malditas fofas mãos esfregando os olhos era a coisa mais fofa que eu veria na vida.

- acabo de descobrir que você tem mania de abraçador. Eu gosto, mas preciso respirar - eu também meu querido, eu também

- posso saber por que vossa senhoria esta na minha cama vestido desse jeito mocinho? respira, respira.

- é-é que ontem quando eu levantei pra ver o que era o barulho na sala, acabei esquecendo a camisa e, e, desculpa- comecei a rir enquanto ele se atrapalhava na explicação e o puxei pra um abraço eu to sufocando de novo.

- não esta não, não to apertando.

- é mais seus peitos estão na minha cara e está difícil- o soltei o bastante pra que ele levanta-se a cabeça lhe dando o meu melhor olhar de brava o que?

- vou contar pro meu pai que você estava com a cara ai

- QUE, eu não fiz nada, você é que me apertou ali

- esta me culpando? Você vai ver vou ligar pra ele e falar que esta me acusando de te molestar

- Lili pelo amor de deus para com essa brincadeira

- quem disse que eu to brincando? disse pegando o celular na cabeceira

- está bem, o que você quer? Faço qualquer coisa só não liga pro Enzo

- qualquer coisa?

- pega leve está legal

- eu quero que você me beije

- o que?

- você ouviu bem Joshua, eu quero que me beije, um beijo de verdade- certo, pressiona-lo dessa forma não era certo, mas se pra ter o que eu quero vou ter que jogar sujo tudo bem, eu o quero pra mim e eu vou tê-lo.

- quer que eu morra mais cedo é isso?

- ok, eu desisto o empurrei pro outro lado da cama e me levantei indo em direção à porta

- Lili...

- Lili o cacete, eu cansei disso Joshua. Não vou ficar esperando pacientemente, alias se tem uma coisa que eu não tenho é paciência, e com você eu já tive demais. Não sou mais uma criança pra você ficar fazer porra de cu doce pro meu lado, então decida de uma vez, você quer ficar comigo ou não.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...